Tilt

Sócrates é mentiroso.

Sócrates é corrupto.

Sócrates é irresponsável.

Sócrates é um desastre.

Sócrates está acabado.

Sócrates tem de sair.

Sócrates tem de ficar.

20 thoughts on “Tilt”

  1. pois tem. tem de ficar até ao fim. para que ninguém tenha dúvidas acerca dos teus 1ºs versos. espero que à oposição interna e externa não se lhes acabe a paciência. há-de sair tão queimado que nem na onu o queiram. nem na mota engil , nem na visabeira….

  2. Claro que fica! É o capital mais valioso do PS. E os mesmos do costume, dentro do PS, que de vez em quando pensam que chegou a sua vez, era bom que se enxergassem. Com Ana Gomes, Pedroso, Seguro, Cravinho e outros, o PS tem o destino do charco : cf. PS francês. Não admira que os nossos jornais lhes dêem sempre tanto destaque.
    Na outra frente, só de imaginar o tonto do Passos Coelho, com o Marco António por trás, mais o ex-banqueiro Teixeira Pinto, a governar o país, aí não seria o charco, seria a fossa, apesar de estar convencida de que os jornais prosperariam de novo com o permanente carnaval.

  3. É verdade. Sócrates é o melhor Primeiro-ministro que Portugal alguma vez teve. Só alguem assim é que consegue arrancar este tipo de críticas. Não é para todos.

  4. De facto é preocupante quando são vozes do PS que pedem a saída do Primeiro Ministro e é o PSD que vem defender a sua permanência.

    Será que Sócrates é o capital mais valioso de Pedro Passos Coelho?

  5. O PSD defende que uma saída do Primeiro-Ministro, quer por via de um golpe de estado palaciano, quer por apresentação de uma moção de censura iria desencadear uma crise política. MAS defendem que qualquer coligação que envolva Sócrates é impossível.
    Então que propõe estes iluminados ? É simples, propõe que sejam aqueles que apoiam este governo a provocar a sua queda.
    Esta oposição esquizofrénica, ávida de poder, a marimbar-se para o facto de ser um governo/primeiro-ministro democraticamente eleito, (em vez de proporem medidas/soluções para o país) tentam minar o partido a partir de dentro, dado que por fora não deu resultados.

  6. Luís Oliveira, mas que vozes do PS é que pedem a saída de Sócrates? É natural que tenha oposição dentro do partido, mas ou ando muito distraída ou ainda ninguém veio pedir o seu afastamento.

  7. Ninguém pede o afastamento dele, naturalmente. Quem o substitui, então? Alguém compra o que está roto ou precisa de terapia de choque? Quem se quer queimar a curto termo, para substituír Sócrates, ainda que dentro do Partido? O apoio dos eleitores teria que ser substancial, e este inexiste. Dentro do Partido, há quem prefira falar de cátedra, como Vitorino e outros históricos que, agora, surgem apontando. Portanto, Sócrates está a comer do seu veneno.

  8. Guida, o jornal Público titulava essa notícia anteontem. Mas é verdade que, quem lesse o conteúdo ficava sem perceber onde diabo estava o fundamento. Nem um só nome era referido. Outros jornais referem, de vez em quando, a suposta movimentação de algumas pessoas dentro do PS. Mas, vendo bem, os suspeitos são sempre os mesmos, reavivados por alguns jornalistas. No fundo, são jogos provocatórios.
    José Sócrates é, sem sombra de dúvida, um líder. O homem não perde as estribeiras. Nunca. E acontece que não pode deixar de se apreciar um PM que mantenha a lucidez e determinação em plena(s) tempestade(s). Não bastassem os ataques ignóbeis de que foi sempre alvo, e aos quais sempre soube resistir com paciência e coragem, a crise mundial que sobreveio (que, evidentemente, pode e deve ser aproveitada para corrigir muita coisa), agora é o governador do Banco de Portugal a deitar achas para a fogueira dos mercados e ainda o estribilho do governo de coligação defendido por Luís Amado e outros.
    Esta observadora empenhada pergunta-se: achará Amado que é mesmo possível, conveniente, exequível, ou até necessário? Não perceberá que é dar a deixa a Paulo Portas para repetir o já conhecido soundbyte de “Sim, mas sem o Sócrates”? Haja paciência e Sócrates tem-na. Ainda bem. Vasco Pulido Valente acha hoje, no Público, que está tudo louco. Nele, não surpreende, é até um dos seus remates preferidos, mas, actualmente, concordo. Nesta matéria, muita gente está a perder as estribeiras. Felizmente que entre elas não está o PM. Espero que a economia, e as exportações, continuem a crescer…

  9. Guida,

    O que é que tu julgas que o Ministro dos Negócios Estrangeiros estava a sugerir quando disse que, se fosse necessário para facilitar uma remodelação governamental, se afastava do Governo?

  10. Vai ser giro irmos a votos e o Sócrates ganhar outra vez…
    Já agora podiamos fazer como na França, demitir o PM sábado e reconduzí-lo na 2ª feira seguinte !

  11. Luís Oliveira, ouvi a entrevista do ministro e não o ouvi falar de remodelação nenhuma, põe o lugar à disposição em caso de coligação, refere até que o seu lugar é apetecível. E faz sentido que fale em coligação ou acordo com a oposição se pensarmos no difícil que foi viabilizar o Orçamento para 2011. E não é preciso ser nenhum adivinho para acreditar que, sem esse acordo, a viabilização para o de 2012 vai ser tão ou mais difícil do que a deste.

    Não sei de onde se tira das suas palavras que gostaria de ver Sócrates afastado. Pelo contrário, até critica o permanente desgaste da oposição ao primeiro-ministro, que foi eleito há um ano, e ao Governo. Para isso fazer sentido ter-se-ia demitido, ou será que não se importa de continuar num governo sem confiança no primeiro-ministro que o escolheu?

  12. Exactamente, Penélope, que a economia e as exportações continuem a crescer, para lhes retirar os poucos (ou nenhuns) argumentos.

  13. É de facto impressionante a serenidade e a força de ânimo deste homem que é, sem qualquer dúvida, uma verdadeira “força da natureza” como foi capaz de reconhecer, num raro assomo de honestidade, um comentarista da direita, cujo nome não tenho presente mas que julgo ter sido Vasco Pulido Valente. Na génese do ancestral atraso dos portugueses que dificilmente se ultrapassrá em duas ou três gerações, está esta “direita” que desde sempre atormentou o país. Uma direita imbecil que nada aprende com o tempo e que, para mal dos nossos pecados, continua a ser o que sempre foi: retrógrada, reaccionária, desfasada do tempo, sedenta de privilégios e batendo-se estupidamente pela sua manutenção.

    Quando lhe sai pela frente alguém desta envergadura, só tem uma saída: recorrer à insídia, à difamação e à força bruta representada nos nossos tempos pela Comunicação Social manipuladora das mentes de forma tanto mais fácil quanto a ausência de capacidade crítica dos que a escutam

    Como a lição da História é sempre útil, recomendo a leitura de A CIDADE DOS HOMENS de Amadeu Lopes Sabino.

    Da Esquerda Reacionária não vale a pena falar já que, o que a faz falar é por demais conhecido: a raivazinha cega contra o partido que, a pouco e pouco, lhe vai “roubando” os seus melhores quadros.

  14. Val:
    Ao ler o seu texto “Tilt” veio-me à memória o tempo das primeiras máquinas de Flipper, julgo que é assim que se escreve. Como não a conseguíamos vencer usávamos os estratagemas possíveis e imagináveis mas mesmo assim ela ignorava as nossas ambições e para nos contrariar lá vinha o eterno tilt.
    Tilt era a arma que a máquina possuía para pôr termo às nossas espertezas. Ficávamos furiosos com tal procedimento. Agora com Sócrates não há tilt que resista. Podem apelidá-lo de todos os adjectivos mas tilt é que ele não dá. Ao contrário da máquina, ele não acaba o jogo, pelo contrário, enche-se de forças e vai ao fim do mundo se por acaso for preciso.
    Os seus adversários usam todos os meios para que dê tilt, mas ele é uma máquina, mas que máquina, e faz com que sejam eles a darem tilt. Dá gosto ver como luta para que o País saia deste marasmo. Se fosse outro qualquer há muito que o País estava numa anarquia.
    Tudo lhe é adverso. Oposição, televisões, jornais e rádio, mas deitar a toalha ao chão não é com ele. Ainda vou ver Passos Coelho fora da chefia do PSD e Sócrates de boa saúde como Primeiro-Ministro e o País a sair desta crise. Para mal dos detractores. Tilt não é com ele.

  15. Capitalismo de fachada democrática.
    PS é o nome do partido que apresenta este orçamento?
    Este é o partido do poder democrático dos trabalhadores?
    Nem capitalismo de fachada democrática?
    Então como se chama aquilo que temos hoje?
    Socialistas?
    Estas coisas.

  16. Como disse aí alguem, Socrates é uma verdadeira força da natureza e os cobardes e mediocres batem contra ele como ondas contra um rochedo, que levará cem anos a sofrer alguma erosão. É um bravo português e eu pensava que já não havia disto. Porque o que eu via era a vaidade enfatuada de cobardes e invejosos que, quando no governo, se quedaram na mediania ou mediocridade. Gostava de ver Cavaco receber o país como Sócrates o recebeu, ele que passou ao Balsemão as finanças destroçadas e a clamarem pelo FMI. Depois apareceu, espevitado, quando as finanças estavam recuperadas e começou a chuva dos biliões da UE. E como o dinheiro era fartura, em vez de reformas criou o monstro, chegando mais tarde a sugerir que o pai da besta era outro. Porém, Cadilhe e a história desmentem-no. Não enganará todos o tempo todo.
    Toda esta «trupe» não suporta o trabalho feito por Socrates e a sua equipa em cinco anos. Não era costume ver-se uma coisa destas. Os factos e os numeros estão aí para a história. Também alguns erros, sim senhor. A crise do século não vai chegar para apagar a sua obra. Cavaco disputou sempre com a Grecia a cauda da UE. Na hora da verdade e após tres anos de governo Sócrates, a Grecia foi a pique, a Irlanda está a afundar-se e Portugal regista um crescimento do PIB de 1,5%. Já começa a ser voz corrente que só por cegueira dos mercados Portugal está a ser arrastado pela fraqueza dos dois afundados.
    Esta verdade é insuportável para os mediocres e invejosos que nunca aceitam alquem que se destaca da mesquinhez pacóvia de gente que se curvou século após século à inquisição, ao caciquismo iletrado, ao beija-mão dos senhores empoleirados em cima de brasões e de tostões.

  17. O Pedro Passos Coelho é fruto daquilo que no meu liceu chamávamos os betinhos. Houve uma altura em que eram também as abelhinhas porque usavam umas camisolas às riscas horizontais, mas não é isso que aqui me traz porque de moda quem percebe é o Malkovich.
    É que estou mais à rasca com a perspectiva de ver este PSD ao leme numa fase destas do que com a crise propriamente dita.
    A malta não está a ver bem a cena, caso entendam correr com o PS em lugar de exigirem as correcções necessárias para que governem melhor do que o fizeram. Vão correr com um líder (por muito que acenem nos jornais com os que dentro do PS exigem a saída do Sócras, ao bom estilo d’A Bola quando fala do interesse do clube A no jogador B ou outros rumores sem fonte identificada) e colocar lá um tipo que já deu mostras suficientes de ser um palerma sem pulso para um partido em desnorte, quanto mais para um país em derrapagem.
    E notem que não falei ainda de ideologias. No caso em apreço basta-me ter em conta as pessoas…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.