Temos um primeiro-ministro numa tecnoforma impecável

"Hoje começamos a perceber que por mais desagradável, por piores notícias que possam parecer algumas que nos invadem a casa à hora mediática dos telejornais, é melhor saber e enfrentar as más notícias do que varrer para baixo do tapete, fazer de conta e usar o dinheiro dos contribuintes para pagar a falta de ética, de escrúpulo", afirmou o primeiro-ministro e líder do PSD, Pedro Passos Coelho, numa intervenção na Festa do Pontal, que se realizou em Quarteira e que marca a 'rentrée' política dos sociais-democratas.

Defendendo a necessidade de olhar as coisas como elas são, Passos Coelho reconheceu que se vivia em Portugal "uma economia em que certos privilégios se iam reproduzindo de ano para ano" por quem estava no Governo e por quem financiava a economia.

__

"Só à medida que o tempo passa nos vamos apercebendo bem dos privilégios, para não dizer da falta de ética que vigorava entre muita gente que vivia entre a política e os negócios e os negócios e a política", frisou Passos Coelho, sem nunca referir algum caso concreto.


__

Passos Coelho, admitiu, contudo, existem ainda pessoas "em quase todos os partidos" que continuam ligadas ao passado e que acreditam que "que depois deste interregno" se poderá voltar àquilo que era.


Portugal visto do Pontal

2 thoughts on “Temos um primeiro-ministro numa tecnoforma impecável”

  1. “A queda de um anjo” e Camilo a inspirar as gentes !!! Como é bonito ver quebrar-se o verniz e aparecer a cruel e verdadeira essência do “bicho” !!!

    Queriam homens impolutos, anjinhos a pairar sobre as nossas cabeças, queriam ?

    Pois…não há !!

    Há é gentinha a aproveitar-se dos esquemas. Pensam-se tão espertos !!! E ao serem descobertos, revoltam-se, quais virgens ofendidas a pedir justiça !!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.