Tanatos

Desde meados de 2009 que o DIAP de Aveiro é um elemento de grave perturbação social e condicionamento político. Apesar das suas práticas e critérios terem sido desautorizados pelo Procurador-Geral da República e pelo Presidente do Supremo, Marques Vidal e Costa Gomes continuam a pretender obter consequências da tese de atentado contra o Estado de direito que defenderam com base em escutas. O PSD é cúmplice desta judicialização da política, explorando os materiais captados para lançar suspeições caluniosas, o que configura uma situação de espionagem política. Mas toda a oposição é igualmente cúmplice da violação do segredo de Justiça, e respectiva falência do Estado de direito, pois foi a partir da publicação ilegal de alegados excertos das escutas que os deputados decidiram levar o caso para a Comissão de Ética e para a Comissão de Inquérito.

É sintomático que Marcelo Rebelo de Sousa, famigerado mentiroso, se tenha saído com uma declaração decadente:

Estamos em crise e tirar consequências significaria dissolver a assembleia, eleições antecipadas, uma paralisia para o país.

Marcelo, recorrendo ao confrangedor argumento de que Sócrates mentiu por ter respondido no Parlamento como Primeiro-Ministro sem esclarecer que também possui um cérebro que lhe permite ler jornais, não se pronuncia acerca de todas as implicações do que propõe irresponsável e displicentemente. E são elas:

– As respostas escritas dadas por Sócrates à CPI ou são aceites como verdadeiras ou continuam a gerar novas questões. Se não há mais perguntas, nem provas que desmintam essas respostas, o caso acabou. Se a CPI nada mais procura descobrir, e não refuta as declarações de Sócrates, mas conclui pela existência de dúvidas e suspeitas, então estamos perante uma manobra que viola a Constituição. Será um escândalo inaudito e não deve ficar impune.

– Se a posição do grupo parlamentar do PSD continuar a ser a de convicção pela existência de uma conspiração política para controlo da TVI, tanto Passos Coelho como Cavaco Silva terão de ser confrontados e responderem inequivocamente quanto à validação que fazem da acusação. Caso não se demarquem da suspeição, e a repudiem, o Governo deve apresentar a demissão.

– Se há partidos que vão sair da CPI a dizer que a compra da TVI tinha intenções políticas, terão de pedir a demissão de Zeinal Bava e Henrique Granadeiro. Eis um corolário inevitável.

Marcelo alinha no despautério a que assistimos incrédulos, apenas se preocupa com o calendário mais favorável para ir a votos. Os fins justificam os meios, esta a regra de ouro dos sociais-democratas, ensina o Professor. E é muito útil imaginar o que aconteceria se a CPI dispusesse das escutas para fazer os seus interrogatórios. A visão de um Pacheco a espumar da boca, exigindo a Penedos e Vara que descodifiquem esta frase e aquele nome, humilhando-os com a teatralização de uma superioridade moral implacável, é a imagem mesma da degradação suprema. A política teria desaparecido substituída pela tirania da verdade, a verdade dos acusadores.

E para quê? Para que serviria essa tortura quando, à volta das escutas, responsáveis e factos desmentem a possibilidade de conspiração? Para destruir os adversários, ora, ancestral pulsão de morte. Acima de tudo, para o Pacheco poder ir para a velhice convencido de que foi ele quem derrubou o formidável Sócrates.

21 thoughts on “Tanatos”

  1. Completamente de acordo. Para muitos dos indivíduos envolvidos nesta tramóia, políticos e não só, em política vale tudo menos arrancar olhos.

  2. Um presidente da república que permite este despautério contra o legitimo governo do País não é digno do cargo que desempenha. E nunca pude imaginar que os partidos que compõem a actual oposição pudessem pisar, sem o mínimo escrúpulo, as mais elementares regras da democracia, apostando no descrédito completo da justiça. Isto vai ser pago. E não me admiraria, nem um pouco, que o primeiro a pagar seja o triste PR que nos calhou em eleições. Há erros tão graves que o povo, na sua proverbial sabedoria não deixa passar sem castigo. Cavaco errou demais, na ansia de enterrar Sócrates e renovar o mandato presidencial. Quem semeia ventos colhe tempestades e quem os está a semear desde há mais de um ano, é Cavaco. A Igreja volta-lhe as costas por causa da sua sofreguidão pelo voto e a gente minimamente preocupada com o seu Pais não lhe vai perdoar classificar de «insustentável» a situação económica e financeira, precisamente em que estas tentam levantar-se do chão. Est frase de Cavaco é assassina e vai pesar muito nos meses que aí vêm. Ninguém esqueça esta afronta ao País, por quem mais o devia defender. Que ninguém cale a afronta! Ninguém, até derrotar Cavaco e a sua clic pre-eleitoral. A inventona vai fazer um ano. Ele pensa que já esquecemos.

  3. O Primeiro Ministro tem aqui todos os trunfos na mão e o seu futuro politico também.
    Ou aceita todas as duvidas da CPI e acabou-se a honestidade, ou recusa as conclusões e exige a verdade.
    Caso os acusadores não se definem, então terá que apresentar a sua demissão como forma de defesa da verdade.

  4. E quem faz frente a este pulharia? No PS ninguem, não há reacção. Escondem-se atras dos valores democraticos e do estado de direito quando o mesmo está a ruir à frente deles.
    Um bando de canalhas que num país decente seriam postos na ordem (há que tempos, há que tempos…) por aqui fazem o que querem acusam quem quiserem manipulam a informação que quiserem perante a passividade da maior parte do escol. É de nojo mas já não só deles, tambem daqueles que nada dizem e/ou fazem e “democraticamente” convivem com este ambiente pestífero. Basta-lhes a cobardia de saber que debaixo do chapéu da democracia desde que se fale nos seus fundamentos a inacção é sempre premiada ou pelo menos não julgada. Nada fizeste de mal? Tudo bem Nada fizeste de bem ? Tudo bem, tens a alma lusa correcta.

  5. Diogo, completamente de acordo.

    “Ou aceita todas as duvidas da CPI e acabou-se a honestidade, ou recusa as conclusões e exige a verdade.” Mas qual é a verdade, julgo que vexa já a apurou!

  6. Valupi, continua a senda, não só é ofensivo como difama! Enfim!
    No entanto, critica o Zé Manel o arquitecto, o Henrique, etc. Com que moral se faz, exactamente, aquilo de que acusa os outros?

    Dá que pensar não dá?

  7. Uma certa burguesia que detinha alguns meios de produção e até uma certa fortuna, antes do 25 de Abril, tem vindo a ser espoliada dos seus bens, porque se tem deixado arrastar pelas alavancas financeiras dos juros baixos, e porque fez alianças desvantajosas com concorrentes mais poderosos e esqueceu que dinheiro atrai dinheiro (quem tem mais é que acaba por ficar com todo).
    Essa burguesia é, tradicionalmente, abstencionista, e não tem sentido estratégico dos negócios. Isto é, só se mexe a sério a defender os seus interesses quando já está com a corda na garganta. Quando isso acontece não olha a meios para atingir os fins, e chegou ao desplante de pressionar os acólitos seus que prestam serviço na Justiça, para forçar pela via jurídica um reviralho político que, pensam, os favorecerá. Estão muito enganados!

  8. Também espero que Sócrates reaja forte à comissão de inquérito. Resistiu e muito bem a fazer um braço de ferro com a justiça, pedindo uma investigação ao miserável e criminoso comportamento dos maistrados da Face Oculta, envolvidos em escutas ilegais. Talvez fosse isso que se pretendia com a violação grosseira da lei. Mas agora não se trata de enfrentar magistrados, mas deputados de uma CIP. Aqui ele pode e deve ir até às últimas consequencias. Mas com o Cavaco a dizer que o País está no abismo…vai ser complicado. Foda-se isto tudo. Salve-se quem puder, no meio desta merda toda. O Paulo Rangel é que tinha razão: já não vivemos num Estado de Direito, disse no PE e por uma vez na vida dou-lhe inteira razão. Está a ser um golpe palaciano, levado a cabo por quem menos se esperava: os magistrados de costas bem quentes.

  9. Em Novembro de 2009 um jornal que é o blog pessoal de BA, blogava o seguinte; “Escutas! Uma conversa foi gravada pela PJ de Aveiro; Vara foi escutado numa conversa com Godinho num restaurante na Ajuda”.

    Pois bem, até ao momento nenhum suporte material, mesmo martelado que fosse apareceu. Este é o mistério, o pecado original que deveria determinar o fim de qualquer diligência até cabal esclarecimento do caso;depois, ou era esclarecido ou o assunto morria ali.

    Mas entretanto, já Sócrates desafiara muitos demónios, quando não deu a PT ao BA, quando tentou fazer as reformas necessárias e inadiáveis do aparelho do Estado que ainda vive no modelo salazarista. Os potencias remodeláveis, esqueceram desavenças, uniram esforços em torno do bufo real contra o PM, naquela cruzada em que; quem se mete com a nossa gente leva!

    Para a fase seguinte da caçada, o bufo real treina agora para falcão peregrino, na serra D’Aire e Candeeiros, o mergulho radical – “at one fell swoop”. O braço do poiso, deve ser o asiático.

  10. Tal como Jairo da Silva também eu gostaria que Sócrates reagisse forte à miserável comissão de inquérito. Acontece, porém, que a tal reacção forte só poderia ser uma: mandar para a puta que os pariu, toda esta corja sem vergonha, toda esta matilha de cães raivosos a quem pouco importa o país, desde que possam gritar aos quatro ventos: “custou, mas acabámos com ele!”

    Acho, porém, que é em circunstâncias extremas como esta que se revela a cepa dos verdadeiros homens de estado como é, sem dúvida, o José Sócrates! Por isso daqui lhe peço que não ceda, que lute até ao fim porque, como disse ao terminar a recente entrevista que deu aos “paspalhões” da RTP1 invocando Fernando Pessoa: “venha o que vier, nada será maior do que a minha alma”. Peço-lhe, pois, que o demonstre mais uma vez. Não só pelo país que é o nosso e que ficaria numa situação muito complicada mas também … por ele próprio!

  11. Comentários do senhor Marcelo?
    Aqueles neurónios ficaram definitivamente acabados quando andou a mergulhar no Tejo para campanha eleitoral.
    É tal a poluição naquela cabeça que ele já nem atina nos recados que lhe encomendam

  12. subscrevo as palavras de antónio diogo, excepto a parte da demissão, não me parece que tal ajude aos “superiores interesses do País” (dadas as alternativas). A mim ninguém me chamava mentiroso, sem o ser, e ficava sem troco, ficava sim com uma dívida para a vida inteira.

  13. Caro Diogo,
    Aceitar, e pior ainda neste momento, todas as dúvidas da CPI era uma capitulação. Isso é tudo o que a oposição pretende desde o Freeport: ver Sócrates sair pelas trazeiras como Marcelo Caetano no Carmo é o sonho da espumante baba e ranho de ódio da pachecal figura e acompanhantes.
    o PM tem de fazer o que já começou a fazer por meio de declarações claras e frontais: desmascarar e desacreditar racionalmente o relator da comissão pela intrujice de encher mais de cem páginas para dizer manhosamente em mais de cem entrelinhas que Sócrates mentiu sem ter a coragem de o dizer na cara do papel escrito.
    Sócrates ganhará sempre para o futuro próximo como exemplo, e inevitavelmente para a História, se mantiver esta postura árdua, paciente, trabalhosa e sobretudo imesquinha e piedosa de fazer política: assumir-se convictamente sem se ajoelhar e pedir perdões às autoridades como Galileu.
    Sócrates pode cair, contudo o modo de fazer política em Portugal nunca mais será a mesma como até Sócrates. Pode até PPC voltar durante algum tempo a ser moço de recados dos Belmiros e Belmirinhos, que logo o povo notará a diferença e exigirá outra independencia.

  14. Aguenta-te, Sócrates! Fá-los espumar de raiva. Sobretudo os magistrados e o Cavaco. Há-de sair-lhes o tiro pela culatra. Estavam à espera de um novo Guterres, manso e maleável. Enganaram-se, os filhos da mãe.

  15. Não pode haver meios termos, ou as respostas dadas por escrito à CPI pelo Primeiro-Ministro são aceites como verdadeiras ou não.
    Se a oposição e sectores mais retrógrados da justiça não respeitam as regras da democracia, há que lembrar a essa gente que estes governantes são a vontade do povo expressa através do voto.
    Ou há uma posição radical ou este caso vai ser outro Freeport e água-mole-em-pedra-dura…!

  16. Espero que o PM resista, resista e resista. Que não vacile. Que os afronte, sem lhes dar a ilharga. É certo que “eles” já andam eufóricos com algumas sondagens e até já falam em coligações, mas, apesar de toda a massificação de patranhas, de mais coligações negativas que façam, de mais lacaios da comunicação da bafienta direita retrógrada que consigam arregimentar e alimentar diariamente nos seus pasquins, mais deve ser a união do Governo e paralelamente do Grupo Parlamentar que o apoia e não se deixarem ir no “canto da sereia”, como por vezes se vai observando. Se “eles” quiserem que se assumam e…deoiis veremos…

  17. O Aspirina tem alto nível a desconstruir e denunciar a clique oligárquica que se instalou nos poderes. Instalou sim, ainda estão lá, e por lá ficarão a não ser que sejam expulsos. O que só costuma acontecer numa revolução porque de resto nada de novo debaixo do Sol desde Aristóteles, né? Revolução->aristocracia->oligarquia eventualmete reduzida a tirania na sua fase degenerada final-> revolução -> et on y va.

    Quanto à questão intelectual mais premente, a lógica da ‘inevitabilidade’ da redução da despesa pública com todo o caudal de despedimentos e contracção da economia que lhe sucede, quando todos devem a todos, é que nada.

    E os bancos centrais podem fazer hoje o dinheiro que quiserem dentro da variedade de equilibrios dos fluxos e dos patamares de estabilidade.

    Lógica de Tanatos é o que é.

    Zeus, Posídon e Hades: passo-vos a bola meus Caros, é assunto de deuses.

  18. certo, e o feitiço ainda vai amplificar. Bem, hoje estou mesmo chateado e convoquei expressamente os raios de Zeus e vou fazer pior se não vierem boas novas, agora mata, Mata Hari.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.