Speculum Calumniae

É mesmo o que parece? Ou seja usa neste post informação pessoal que obteve na sua actividade clínica para responder a um dos membros do blogue Insurgente? Dir-se-á que é muito vago e muitíssimo variável aquilo que Ana Matos Pires sugere sobre os familiares da pessoa do Insurgente a que responde mas, mesmo como brincadeira de mau gosto, é difícil aceitar este tipo de alusões. E francamente há coisas com que os médicos não podem brincar. Espero sinceramente ter percebido mal.

Helena Matos

*

Foi só com este exercício de miséria moral, de uma das mais fanaticamente difamantes personagens da praça pública, que aceitei uma nova explicação para o fenómeno da sua intervenção cívica: ela não entende o que lê.

Porém, ficámos a saber que na sua infeliz realidade há médicos a usar informações confidenciais para troca de galhardetes em blogues. Porquê? Porque foi só isso o que lhe ocorreu perante uma referência cujo contexto era linguístico, abstracto, remetendo para temáticas disciplinares, conceptuais, teóricas, não de relação clínica fulanizada. E foi essa pulhice que resolveu tornar pública para efeitos de ataque pessoal, usando um registo de cagança tão bolorento que lhe deve ter deixado o teclado encardido.

Estar esta noja relacionada com o Zé Manel não é apenas uma coincidência, antes resulta da evidência que a frente da calúnia, a tal obra do Demo que o mentiroso do Pacheco inventou para a sua milionária indústria da política-espectáculo, tem obreiros e actua com crescente força. Não mora é nos locais para onde ele apontou, coisa que se explica recorrendo a algumas noções básicas de óptica.

21 thoughts on “Speculum Calumniae”

  1. Sim, Ana, a distorção cognitiva da Maria João Marques é total. Enfim, a psicologia explica: criamos alucinações à medida dos nossos desejos e medos. Excluo, portanto, a intencionalidade na ofensa, sendo mais provável o desvario emocional. Dito isto, não deixam de ser responsáveis pelas suspeições grotescas.

  2. Tem cuidado contigo , V. é que agora , quando venho cá , é notória a falta de tema. e esta cena do diz que disse , santa paciência , é mesmo baixo nível. se não tens nada para dizer? olha , não digas.

    que saudades do açoriano daniel , do rui e do fernando. larga aquilo que tomas , faz-te cheirar mal , sem dúvida. afastou pessoas mesmo muito fixes. até a teresa.

  3. a ligação à net é aquela super megabites , das mais caras , por causa do fast , que eu sou impaciente . mas isso nem tem nada a ver. o olfacto é que é xpto…cheira até através do ecrã… mau karma ? não sei se sabes , mas topa-se também nestas modernices das tecnologias. é assim tipo uma coisa misteriosa do “lie to me” , aquela série que adoras. o que se escreve é tão transparente como aquilo que se desenha na testa. para empáticos , que já somos poucos.

  4. muito poucos , segundo um estudo lá dos USA. talves meia dúzia. mas podem ser mais. de todas formas , meia ou uma duzia inteira , eu estou lá no meio. e digo-te : diz que disse é feio. e é de pessoa que não tem vida própria. fala do que te preocupa e larga o que fulano ou sicrano disseram.

  5. Vocês, os empáticos, embora não sejam mais do que uma dúzia, são uns mandões com ideias fixas. Talvez seja uma sorte não terem mais colegas, pois corríamos o risco de perder a nossa liberdade.

  6. a liberdade de achincalharem a liberdade dos outros ? a mim não me apanhas com a cena da LIBERDADE. sabes , os empáticos até temos uma lista daquelas cenas “politicamente correctas” com que os que não têm argumentos nos atacam. cresce e aparece.
    é gia a lista : liberdade , preconceitos , fascista e tal . é só rir.
    se pensas que falando de liberdade me calas… livre sou eu. tu não. tens dono.

  7. És livre e não fazes a menor ideia do assunto que é suposto discutir-se nesta caixa de comentários. Digamos que a tua liberdade é aqui uma libertinagem, serve o propósito de disparatares à-vontade. E o quê? Quero calar-te? Larga o vinho.

    Mas tenciono seguir o teu conselho: crescer e aparecer.

  8. ainda bem que vais seguir o meu conselho. confesso que nem li o post. percebi que era o que nem sei disse de não sei quem. mais do mesmo do teus últimos posts. e atão da psi a precisar de tratamento psi , nem passei da primeira linha.

  9. E já é tempo de começar a pôr alguns títulos em hebraico, porque de latiniparlas estamos todos fartos. Vejo-me sempre grego para traduzir estas merdas de titulos, mesmo curtos como as minisaias.

    O FM tem razão, basta ler uma linha. Disce quod a domino nomina serves habet…

  10. Valupi: Todos os conselhos ouvirás mas só o teu tomarás. Seria um perigo o «aspirinab» ser um programa de discos pedidos dos doentinhos – Serviço 6 sala 4 cama 2 do Sanatório do Outão vai ouvir Tony Carreira. Safa!

  11. Isto hoje está quente aqui pela caixa de comentários do Aspirina, se soubesse tinha tomado um Nimed antes de escrever qualquer coisa aqui. Mas ainda bem, creio eu, da discussão sai sempre uma solução, continuem quentes que eu até escaldo de vos ler.

  12. Eu tb confesso, raramente consigo perceber o que se passa aqui….quem está aqui…e o que pretendem…..falem português caralho!

  13. ai Giroflé que não pesquei nada do que dise, mas olhe : mater tua mala burra est. já que gosta de latim. sabe latim , né?
    e não sou um , sou uma.
    e agora que li , assim tipo Pennac , na diagonal , que os leitores temos direitos , digo que HM contra seja quem fôr, ganha ela , de certeza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.