Sócrates has not yet left the building

Judite de Sousa passou 43 dos 48 minutos da entrevista a Luís Amado a carregar um semblante fechado, ansioso, grave, angustiado, em sintonia pungente com os ponderosos temas da actualidade. Até que o Sol rompeu por entre as negras nuvens e lhe iluminou o rosto rejuvenescido: ia, finalmente, poder falar de Sócrates. Seguiu-se a cartilha das difamações a inspirar as suas perguntas. As respostas de Amado, para além de serem as mesmas que tem repetido desde que saiu do Governo, são óbvias. O que não é nada óbvio é este espectáculo de vermos uma das jornalistas mais famosas no campo da entrevista política, 16 meses depois de Sócrates ter saído completamente de cena e depois de dezenas de intervenções públicas de Amado, a continuar a alimentar um enredo criado no âmbito de uma estratégia – e de uma cultura – de assassinato de carácter. Malhas que o império tece.

A entrevista completa pode ser vista aqui. Amado talvez seja o único político cujo diagnóstico da crise externa e da crise interna se apresenta inatacável na sua amplitude e lógica. Em especial, ele vem repetindo sem cessar que o principal responsável pela actual situação é Cavaco Silva por ter deixado Portugal com um Governo minoritário a seguir às eleições de 2009, altura em que já estávamos em gigantescos apuros por causa da crise internacional. Como viemos a confirmar em Março de 2011, o propósito da direita foi o de sacrificar o interesse nacional ao plano de permanente desgaste e boicote do Governo até à reeleição de Cavaco e imediato derrube de Sócrates. As consequências dessa traição estão à vista e a sua avaliação quanto aos prejuízos materiais, ruína económica, degradação da saúde e devastação moral para os portugueses é literalmente incontável.

4 thoughts on “Sócrates has not yet left the building”

  1. Judite de Sousa é especialista em “branqueamentos” dos amigos do PSD que estão a contas com a justiça. Lembremo-nos das entrevistas feitas a Dias Loureiro, Duarte Lima, Oliveira e Costa, João Rendeiro e outros que, quando se sentiram descobertos pelas autoridades, trataram de se atirar para o colo da Judite para que ela se encarregasse de limpar os seus “bons nomes” perante a opinião pública. É tudo farinha do mesmo saco!

  2. o melhor ministro dos negócios estrangeiros de sempre, esta entrevista deveria ser de visionamento obrigatório a toda a carreira diplomática e arredores.

  3. Pois é mas o que esperavam da Judite de Sousa ??? Isenção??? Eh! eh! eh!.
    Gente de tanta fé!!! Pois se é isso que esperam, acho melhor arranjarem um banquinho e esperarem sentados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.