Socorrendo-me de Hannah Arendt

A qual advoga o perdão, votaria Aguiar-Branco caso estivesse nessa infeliz situação de ser militante do PSD e ter as quotas em dia. No final do debate com Passos Coelho, é óbvio que Aguiar-Branco será, dos três, o melhor candidato a primeiro-ministro. Candidato a ser um mau primeiro-ministro, não tenho a menor dúvida, mas melhor do que os outros dois. Eis o estado a que chegou um partido que deixou de ser parte da solução para se tornar parte do problema.

Rangel mostrou que não é apenas má rês, também é uma fraude. Foi esmagado por aqueles que desprezou, deixando traumatizados os seus profetas. Passos Coelho precisa de tarimba e humildade, neste momento é apenas um projecto pessoal. Resta um Aguiar-Branco que dá sinais de conseguir a alquimia de transformar a pulhice onde medra, de Santana a Ferreira Leite, em responsabilidade e patriotismo. Ténues, friáveis, ambíguos sinais, pois. Mas pois.

13 thoughts on “Socorrendo-me de Hannah Arendt”

  1. Não era o hino do PSD que dizia “nós somos um Rio”?
    Deviam prestar atenção ao próprio hino. Depois de Sócrates, será música para os meus ouvidos.

  2. Quando ouço o Passos Coelho fico toda baralhada. Eu explico: parece mesmo mesmo o PM a falar, a começar pela falta de humildade.

  3. O próximo governo do ps ? será com um destes “pulhas” ou com o portas, de quem vocês tambem dizem cobras e lagartos ?

  4. ainda tenho que ler A condição humana, ai meu Deus, há sempre tanto que ler. Não vejo essas coisas mas fica assim a modos como se visse, pelos teus escritos Valupi, e pelos comentos,

  5. Isto é que é ser pretensioso!
    Citar Hanna Arendt só porque advoga o perdão é de facto notável!
    Podia ter citado Jesus Cristo mas admito que referir o nome de Hanna Arendt seja mais “in”.
    Depois limita-se a discorrer sobre meias dúzia de opiniões pessoais que também poderia aplicar a José Sócrates, com toda a propriedade.
    …e depois os “outros” é que se metem na “pinga”.
    “- Chama-lhe bêbado. Chama-lhe bêbado antes que ele te chame a ti…!”

  6. Pinguim – Vindo dos esgotos de Bruxelas e entusiasmado pelo minuto de fama Sic antes da ordem do dia no PEuropeu, chegou cá baixo deslumbrado e devidamente desmemoriado, mas cego pela luz espetou-se ao comprido na primeira curva.

    Ken- candidato Mattel que beneficia da evolução da inovação dos materiais, plastico fexivel mas muito resistente.Não se encaixa muito bem no molde mais recente do partido.

    Pena Branca Ravanneli – Tem bom jogo de cabeça, é frio, remata bem embora seja lento nas transições. O unico problema é que todos sabem onde ele esteve no Verão passado.

  7. Oh como eu compreendo o que tu dizes, embora longe da realidade e da tua percepção, estou ciente, quanto pior melhor, certo?

    Tens medo que o Rangel faça ao próximo líder do PS o mesmo que fez ao vitalinho, certo?

  8. “Candidato a ser um mau primeiro-ministro”
    ai é ? e porque ? leste nas borras de café ou nas folhas de chá ?
    o que é que sabes da sabedoria governativa do Branquinho ? já viveste sob a sua governança?
    esse optimismo selectivo teu mata-me. de riso .

  9. Sim, qualquer deles daria um mau primeiro-ministro. Aguiar-Branco tem, no entanto e pelo menos, a sobriedade e a seriedade que falta a Rangel, um perfeito troglodita. As posições de Passos Coelho parecem-me”postiças” e ao candidato falta-lhe experiência. Mas admito que posso estar enganado.
    Já sobre Rangel não tenho dúvidas. A sua eleição poria o PSD de pantanas. Num ápice.

  10. Não faria mais sentido fazerem as alterações estatutárias depois de eleger a nova liderança? Ou seja, primeiro escolher o executivo e depois deixá-lo legislar?

    Não! Porque antes de se largar o osso, há que deixá-lo bem roído. No fundo, tem sido sempre a política do PSD, mesmo enqunto governo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.