Sim, o inglês faz muita falta

Same-Sex Marriage Debate Has Roots Going Back Centuries

People Who Are Trusting Are Better At Detecting Liars

Painkiller Eases Emotional Pain Too

The internet: is it changing the way we think?

Happy Employees May Be the Key to Success for Organizations

Tropical Glaciers in Indonesia May Disappear by the End of the Decade

Surviving Domestic Abuse

Only children not so lonely

Men more likely to cheat on women with bigger paychecks, study says

Poll: Women Would Give Up Sex to Not Gain Weight

40 thoughts on “Sim, o inglês faz muita falta”

  1. Uma ajuda aqui aos rapazes e raparigas na tradução:

    Não tem nada de mal ou impróprio casar com uma pessoa do mesmo sexo; há um ror de seculos que isso se faz.

    Se for desconfiado, pode crer que nunca irá descobrir a verdade.

    A Internet é uma coisa boa para os miolos das pessoas;

    Trabalhadores felizes são os que os patrões mais gostam e mais exploram – não fuja à felicidade;

    A mulher é uma desgraçadinha e o homem é um animal que precisa de ser castrado;

    As criancinhas ainda são mais zarolhas que os pais e por isso mais felizes;

    Os homens que ficam em casa a lavar a loiça e a limpar o pó põem mais cornos às mulheres que ganham bem;

    A mulher gosta mais de ser magra que fazer amor com o homen.

    Melhor que isto, Valupi, só mesmo os Protocolos dos Velhos Sábios de Arraiolos

  2. Manuel Pacheco, tens uma alma de descobridor, servida por um cérebro que já te pôs a escrever textos aplaudidos em blogues, a enfiar links no que escreves e a teres o teu próprio blogue. Diria que tens toda as condições para aprender inglês, uma língua na qual estamos sempre a tropeçar na Internet e na TV.

    Força nisso, começa a aprender. Não só te vai saber bem como te irá fazer bem, dá saúde.

  3. … e faz crescer,mas na idade do Manuel takes a lot of calcium, very inconveniente for a lot of other things. How are we going to solve the problem with Maria?(The Sound of Music).

  4. Valupi, wanna know how to learn english quickly? I ´ll tell you: monkey do, monkey sees.
    Isn´t that wonderful? How about that?

    Giroflé, dude, you´re the perfect soul, the perfect male, the perfect man. Let´s teach english to our Prime – Minister?
    You write, I speak and TRAQUES will fart to do the compass of the language.

  5. Manuel Pacheco,

    aquilo que o Giroflé escreveu em inglês sobre ti não interessa a ninguém e é, aliás, algo que se aplica a ele próprio…que precisarias de muito cálcio para cresceres, na tua idade.

    No teu caso, decrépito giroflé, corroído que estás nos teus próprios ácidos, já nem os ossos se aproveitam.

  6. Eddie Entra numa sexe shope e razolbe o prublema. Tue akie num dises male do Giroflé, o HOMEM tem tumates de xumbu, ou ainda num parssaveste. Já, num já, ataoe, o homem num ta liga, bai a chamare belha à tua pentelheira banale, fuleira e a precisare de rega.
    Baie a lere o Confucio, ku gajo ensian-te umas cousas, maje toma cuidade cum o anele.

  7. Helloo Edddie,

    Se o Manuel te responder a agradecer, pago-te um bagaço. E poupa os insultos, se não tens nada que fazer lê um livrito ou dois sobre a arte da pífia clitórica com estremeção electrico, ou conta anedotas a ti própria, que nisso és uma mestra imbatível.

    Beijo sem dentadura na tua adorável e infecta boquinha, minha filha.

    Toute aber,

    Watch your back, amazon approaching fast at 6 oclock!

  8. Manuel Pacheco,

    Poupa a Filosofia, no Diógenes que mora em ti só vejo o barril.

    Edie,

    Poupa a baba, vais precisar das enzimas quando te armares em doutora. E menti, não te vou pagar bagaço nenhum.

  9. Home work: Translate and comment upon

    “Early Sunday morning, French police stood helpless as sixty people, locked inside an open-air field of genetically modified grapevines, uprooted all the plants. In Spain last month, dozens of people destroyed two GMO fields. On the millennial cusp, Indian farmers burned Bt cotton in their Cremate Monsanto campaign. Ignored by multinational corporations and corrupt public policy makers, citizens act to protect the food supply and the planet.”

  10. Giroflé,

    Thanks for the warning.Oube lá a Edie da pífia clitorica com estremeção ainda num acordoue, és o MAXIMO, meu, CADA RESPOSTA, meue , inda mapaixonu por tie. Dasmanxa o noibado com o Balupie, pá, eu tenhoe maije atrivutus, pá, acradita nu k ata digu, caragu.

  11. Latidos de cão:
    Na minha rua há um cão vadio, sempre que alguém passa por ele, durante alguns metros não os larga e sempre a ladrar. Se começarmos a fazer-lhe gestos, tais como enxotá-lo, ainda fica mais raivoso e não pára de ladrar. Se não lhe dermos importância, cala-se, fica dócil e faz-nos uma festa, isto até à próxima passagem.
    Alguns moradores querem que a Polícia Municipal o leve para canil. Disse-lhes que não era a medida mais correcta e que devíamos ter compaixão do animal. Se for para o canil vai-se encontrar com outros iguais a ele – só ladram e rafeiros – e todos juntos lutam pela sobrevivência – não sei se o da minha rua tem capacidade para resistir, é que quando se juntam, uns são mais cobardes que outros. Se o deixarmos conviver connosco, além da boa acção, contribuímos para que ele continue a saltitar e dar alguns latidos, o que quer dizer, respeitamos o que a associação para a defesa dos animais nos pede.
    Também íamos sentir a sua falta. Estamos habituados a uns latidos e o que seria de nós sem eles. Os dias iam parecer diferentes. Tudo o que existe tem uma razão de ser e rafeiros ou não têm direito à vida.

  12. Prezado Sr. Manuel Pacheco,

    Com o devido respeito e carinho que me merece naturalmente como pessoa, meu semelhante. Permita-se dizer-lhe o seguinte e não me queira mal por isso: parábolas só as reconheço a Jesus e às da Vida, aquelas que Deus nos envia, através dos mais variados meios, mas que muitos de nós não se apercebem porque ou somos cegos, ou vaidosos, ou simplesmente tão cheios de nós que o nevoeiro nos enrodilha de tal forma e nos impede de ver o próprio nariz.

    Todos brincamos, mas não julguemos e sobretudo não nos superiorizemos aos «Outros», ainda que subtilmente ( mas de forma tentada) porque isso é a Gula da Vaidade. Com essa eu não compactuo e assim lhe respondo.

    Também acho que devemso ter compaixão por esses. Se quiser integrar o grupo de terapia, terei todo o gosto.

    Ao seu dispôr.

  13. Pacheco,

    Isso que aí escreveste não tem nada a ver comigo, inclino-me mais para a possibildade de ter a ver com os adeptos do Partido da Rosa que não pagam as quotas. Mas antes de perguntar ao senhor das piadinhas qual é a “razão de ser” dum grande penedo, ou pedregulho, lá na sua terra, gostaria que me dissesses se já fizeste amor à canzana com latidos ou roncos caninos à mistura. Responde-me quando quizeres, a minha paciência ainda não está “instinta”, nem perto disso.

    O começo do teu sermão não está mau, de facto só faltou foi falar e dar ao rabo; o fim também escapa. É no meio que dizes adeus à literatura tragável, devido ao excesso de carraças que extrais dos corpos dos bicharocos.. Mas como esta é a primeira peça que sacas ao teu vasto sermonário, ainda é cedo para te eliminar da minha lista das grandes esperanças.

  14. Giroflé,

    Você extasia-me. Simplesmente adoro lê-lo, relê-lo. Cum catanu, estoue mesmu a anus luz de bocê, nem nas próximas reencarnssões.

    Larga o Balupie e dáme a tua mãoe. Porra fazer amor à canzana com latidus ou roncus caninus. Porra, pá eskecesteste das montadelas à cabalo, e dos rodeios, tás a ber?

  15. Ora Senhor Pachecu,

    Tem Bossa exchalênssia toda a razãoe. Eskeceue contudo um piquenu porminore, é ku peiche xeira male, mas come-se e á com cada peichão.

  16. Pacheco,

    Estás a falar com alguém, ou isso foi arroto acidental? Tira uma chapa ao esófago para ficares descansado.

    Toute aber,

    Porra mas não porno, homem, olha lá como falas, este é ainda, de direito, um blog de alta e assinalada referência, graças ao extremo cuidado e competência química do nosso anfitrião nas dosagens dos filtros que já levaram a Edie, por exemplo, a desistir do bagaço que tanto a ajudava nas crises periódicas dos fenos. Anda por aqui muita intriga de mistura com beberagens. Ai anda, anda…

  17. GiROFLÉ,

    Oube, pá eu adoro-te. Adoro-te. Tu escrabes duma maneira, que mesmu que foçes feio como um marranu, eu casaba contigu, olha lá, mas tu és burroe, num ma digas ka num parssavestes pá. Cum catanu, ó GIROFLÉ! Bê lá se lês nas entralinhas carago.
    `

    Balupie,

    O menino esqueceu-se de postar o meu comentário, aquele que diz que apesar do peixe cheirar mal, também se come.

    Faça o favor publicar, pode ser? Porque é que o meu querido Balupie nunca publica as minhas coisas? Diga-me, que tenho alguns neurónios em constante reunião para descobrir a causa.

    Puvlique a porra do cumentário, oubiue?

  18. Xiii, o que pr’áqui vai, girocoiso! Então andas desde as sete da manhã a mandar-me comentos e a anotar a minha ausência?!? Julgas que tenho a tua vida? (a propósito, devias arranjar uma).

    Mas aviso-te já que, apesar de respeitar as obsessões de cada um, a minha disponibilidade para lidar com lixo esgota-se na separação dos recicláveis e és capaz de ter tido o último tempo de antena aqui da edie. Continua lá na chafurdice e até um dia…(I hate goodbyes).

  19. EDIE,

    Tu num falese achim do Giroflé, keu partute o fussinho. Baie lá reciclar a trampa ka fases, mas num mistures um HOMEM com lixu, nem com porcos, sua marrana.

    Moreon. Bais lebar tanta purrada, vou prantar-me aki à aspera.

    Balupie, meu querido, não boicote, tá bem?

  20. Que decisão tão dramática, Edie. És actriz? Eu penso que sim, aqui pelo menos és cabeça de cartaz. Goza as tuas férias em serenidade e meditação, que bem precisas.

  21. dito e feito, pelo menos na aparência. Bonito de ver.

    Edie: as nabiças versão 1, com grão, correu bem, um panelão para três homens marchou todo. Mas meti duas batatas que eu sou teimoso, e duas cebolas também. A versão 2 com feijão branco fica para depois que eu agora apetece-me canja! Essa do feijão branco também leva cominhos porque eu estava ali ontem num sono e lembrei-me.

  22. Letra do alfabeto português,

    Ponha pimenta cayenne, por causa das calorias. Eu também teria marchado um pratinho da sua saborosa sopinha, mas num ma cunbidoue.

    Giroflé, meue, just do them the finger and say«sit on this and rotate». See?

    Hou cute you are.

  23. ⅀,

    Sim, toda a favor do toque pessoal nas receitas! A de feijão não leva batatas? (já agora, quero experimentar)
    Que notícia saborosa a outra lá de cima, também :)

  24. Edie:
    Sempre em frente.
    A cada bela impressão que causamos, conquistamos um inimigo. Para ser popular é indispensável ser medíocre.

  25. Senhor Pacheco, diga-nos pois com sua douta sabedoria e apetência para as parábolas, quem é que neste país não é popular.

    Será que vivemos no mesmo País? Eu conheço tanta gente popular! Então na política, em todos os partidos, incluindo os do Arco do Poder!

  26. Toute aber,

    Olha que o Grego parece que anda práqui com problemas de espaço para guardar os pepinos enrugados das ilhas do Egeu. Se tens o tostão apertadfo não te aproximes.

    E o Pacheco foi hoje comprar um dcinario de aphorismas e desata logo a dizer que o Sócrates é mediocre porque ganhou as eleiçoes. Oh fluck! E depois nem manda abraço prá Eduadinha, será que o homem é maneta? Não, não pode ser, senão como é quele matrelava nas teclas?

  27. Giroflé, cuncordu contigue meue. Até já ascrabi sobre essa treta. Já pedie ao Manuel Pachecu que indicaçe em Portugal alguém ka num foçe populare. Mas o balupie num ma puvlica pá. Olha keu nem numeiei nomes tás a ber, mas tensa razãoe. Já pençastes no balupie, meue, o gaju tá duente, atãoe o gaju é tão pupulare. Cum catanu.
    Oube, temus da fasere´um articuladu pra defendere o gaju pá. toue apensare numa assão de indamanizaçãoe, ké kachas? Esta merda tem leitura nassionale, pá, é liu pur muita gente e o Paxecu ofendeue os pupulares da zona.

    Oube pá tu nem ma fales em papinus enrugadus, ka ma fases bomitare. Já bi os afurismoses, mas saves «que o estulto volta sempre ao seu vómito» e o dude boltoue cumo manda a cousa.

    Adorote pá. Tense de ma dizere donde ése. Oube, adoro-te lerte. ÉS O MÁIORE.

  28. Edie, com a minha lamentável inconsistência lá estava eu a meio da tarde espantado pela centésima vez com a altura da nave da Sé, e sei lá, que me deu um ataque de nabiças pela calada – mas acho que é por causa daquele Cristo que anda lá na Pietá, apetece-me ressuscitá-Lo mas não consigo, acho que ele é tímido. Mas ainda assim vou-Lhe fazendo uma massagem no pé cada vez que passo lá,

    dizia eu então que perante tal insídia fatal, ataquei as nabiças com o tal de feijão, depois de uma ida ao supermercado onde espantosamente comprei tudo o que não precisava.

    Conclusões:

    1. a de grão é melhor,
    2. pateta como ando pensei que tinha ali cominhos mas era cravinho, nada feito,
    3. andam para aqui uns vapores jurássicos,
    4. outro dia temível se seguirá, hoje: Blade Runner, a ver se não me esqueço de ferver a sopa e comprar cominhos;
    5. gelado de chocolate da ? é que é truque seguro.

    camaradas aí de cima:

    a. o pepino recomenda-se, para mal dos meus pecados,
    b. não digo mais nada que tenho que trabalhar senão o pepino fica feito pombo, agora deu-lhe para andar a curtir uma de Espírito Santo e eu que me lixe.

    Parece que o DJ vai trambolhar outra vez,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.