Sim, é possível a unidade da esquerda

Estes 6 minutos do último debate sobre o estado da Nação são iguais a dezenas, se não forem centenas, de outros ocorridos no Parlamento na presente legislatura. Nele vemos Passos, um tribuno de 4ª categoria, a despachar Seguro como quem vira mais um frango. As imagens mostram que esse achincalhamento é tanto do agrado de Passos como de Seguro, ambos expressando o seu prazer através de genuínos sorrisos de cumplicidade e satisfação. Eles chegaram lá, são comparsas de geração e estilo. E mandam nisto.

Qual o motivo para o gozo mútuo? O estado da Nação. Isto é, o empobrecimento de milhões de portugueses, a emigração de centenas de milhares de jovens portugueses, o desemprego de mais de 1 milhão de portugueses, as incontáveis desgraças que as crises económicas, financeiras e políticas causam em Portugal desde 2008. Perante essa paisagem devastada, Passos e Seguro entretêm-se a preparar o seu futuro imediato enquanto brincam à política.

Uma parte das legislativas de 2015 pode ser já antecipada sem medo de falhar. PSD e CDS vão repetir à exaustão durante a campanha eleitoral exactamente o que Passos nestes 6 minutos diz na cara de Seguro:

– Que o PS levou o País à bancarrota.
– Que foi Sócrates quem chamou a Troika.
– Que os sofrimentos causados pelo resgate são da responsabilidade do PS.
– Que PSD e CDS conseguiram salvar Portugal.
– Que todos os indicadores positivos da economia no presente são da exclusiva responsabilidade do PSD e do CDS.
– Que Seguro concorda com a culpa de Sócrates e do PS pelo que aconteceu, acontece e aconteça de negativo em Portugal.

O facto de esta cassete andar a ser repetida diariamente no Parlamento desde princípios de 2012 – excepção para a adesão entusiasmada de Seguro à tese da culpa socrática, que só depois de recentemente ter saído da gaiola foi verbalizada – diz mais do actual PS do que do Governo e da direita. Porque é o PS que permite a Passos continuar a rir só por meter Seguro no bolso e emporcalhar os socialistas e a sua História sem sofrer consequências. Bastaria que alguém na bancada do secretário-geral lembrasse a Passos, de cada vez que se imagina a bater em mortos, que ele é o maior mentiroso de longe e de sempre na democracia portuguesa, e que foi ele quem traiu o interesse nacional ao esconder que dependia da vinda da Troika para aplicar o seu plano de ataque ao Estado social, para que o traste ambulante começasse a ter de encontrar outra forma de ocupar o seu tempo quando vai ao Parlamento matar saudades do amigo Seguro.

Na verdade, nem teria de ser alguém do PS, poderia ser um valente do PCP, do BE ou mesmo a Heloísa Augusta Baião de Brito Apolónia. Como ninguém o faz, concluí-se que a esquerda está finalmente unida à volta de uma posição comum: o apreço, quiçá respeito, pela cassete da culpa socrática e do heroísmo de Pedro&Paulo.

17 thoughts on “Sim, é possível a unidade da esquerda”

  1. Quem tem olhos para ver que veja,quem tem ouvidos para ouvir que escute. Explicar o quê? Quem lava o burro preto, perde água e sabão.

  2. Falta acrescentar o obvio : os tais 6 minutos que não vi, nem vou ver, e que aparentemente te doem tanto, apenas valem por causa da verborreia que lhes acrescentas e de que és perfeitamente incapaz de sair. Ou seja : a cilada de que os dois protagonistas são supostamente os autores, e potenciais beneficiarios, funciona somente porque existe uma 3a força, que da sentido à tragi-comédia : os portugueses desnorteados que, em vez de procurar construir soluções com futuro, de esquerda ou de direita, continuam agarrados à ideia de um salvador-mor, que teria posto a patria a salvo não fosse a tragédia de Alcacer-Quibir.

    Dito de outra maneira : neste momento, as unicas forças que impedem uma convergência à esquerda, são as que acreditam, estupidamente e contra a evidência demonstrada pela experiência, que vão conseguir vencer sozinhas formando uma maioria parlamentar sem qualquer aliança ou compromisso.

    A tal esquerda dos puros : contra a qual das bramidos tão vãos, apesar de cada um dos teus postes ser a obvia exemplificação do sectarismo obnoxio.

    E se porventura, estas preocupado com a unidade da esquerda, que tal considerares que ela não pode ser construida, exclusivamente, à martelada ?

    Boas

  3. É isso, Viegas.
    E o PCP ou o Bloco só estão à espera que o PS lhes estenda uma mão amiga e solidária para que juntos caminhem em direção ao sol nascente dos amanhãs que assobiam a Internacional, né? Nem sequer se preocupam com a possibilidade de aumentarem o seu quinhão eleitoral enquanto o PS se afunda cada vez mais(dando uma ajudinha, talvez?)e apenas estao altruísticamente concentrados no bem da nação.
    Foda-se meu, não tens um pingo de honestidade intelectual.

  4. Vieira,

    O meu comentario é sobre o post. Na medida em que o PC e o BE adoptam atitudes sectarias como esta, e é perfeitamente insofismavel que o fazem, inspiram-me exactamente o mesmo tipo de comentarios.

    Boas

  5. Caro Val,
    Desta vez não concordo consigo. Não se trata de um gozo mútuo como afirmas, antes de um incómodo de Seguro com o PS, daí a atitude “cavalo de tróia” (como bem referiu MGP Mendes), de destruição do partido socialista – melhor, de refundação de um novo partido socialista. O que está na sua cabeça? “Ficar para a história”. Sem dúvida um pouco psicadélica e alucinada, mas cada partido tem o líder que merece, e a verdade é que o PS fez por merecer este, que tem prosseguido ao modo de Passos o seu programa.
    Depois dos estragos que este maníaco provocou no partido e serão muitos, resta tirá-lo de lá e limpar a casa. Casa roubada trancas à porta.

  6. maralhal, chega de paleio, façam intervalo e inscrevam-se para correr com o seguro, nem precisam sair de onde estão, é abrir o link, preencher a ficha online, validar, enviar e imprimir cópia do comprovativo para mostrarem na mesa de voto com o bi no dia 28.
    https://www.psprimarias2014.pt/

  7. Quem não tiver apreço, quiçá respeito, pela cassete da culpa socrática e do heroísmo de Pedro&Paulo não pode aspirar a aceder à caixa das bolachas… é essa a razão.

    Infelizmente foi a isto que chegámos. E a culpa não foi de ninguém pois ninguém em democracia vota no executivo camarário que não promete fazer as piscinas. Havendo crédito para as fazer ganha a oposição que fizer essa promessa.

  8. Entretanto, vou mantendo informação sobre a minha saga de tentar inscrever-me como simpatizante para poder votar nas primárias. A CML do Costa certificou-me correcção da morada mas os administrativos do seguro não me respondem ao mail com o certificado de correcção da morada. O certificado, por ser do Costa, só confirma que não estou habilitada a votar. E se eu disser que vou do CDS? Acham que tenho hipótese? Help!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.