Seus bostas

O silêncio a respeito dos resultados do PISA, ou a tentativa da sua desvalorização, vindo daqueles que mandam foguetes sempre que apanham uma votação online no Burúndi onde Portugal calhe descer um lugar na tabela de gostos acerca dos nossos pastéis de nata, é a prova da canalhice intelectual que faz uma parte maior do debate público.

Temos de viver com eles, mas tenham pena de nós se ficarmos iguais.

7 thoughts on “Seus bostas”

  1. No dia em que foram apresentados os resultados do relatório tive o cuidado de ver os principais jornais online e deitar um olho aos noticiários da tv. Pouco faltou para fazerem da notícia uma nota de rodapé. Nojo!

  2. Exactamente: seus bostas! Diz o Mário Nojeira que o resultado positivo não se deve às politicas do governo mas aos alunos, à Frenprof, a FNE etc. Se os resultados fossem negativos, aí sim, pregavam durante oito dias que era tudo por causa das «politicas erradas» de Sócrates. «Seus bostas» é pouco. É pura canalhice intelectual. Sinceramente, não sei como entregaram os altifalantes a esta miseria intelectual. Os jornalismo português (eles é que ligam os microfones e alinham noticiarios) arrastam a comunicação social no chão da pulhice. Estas coisas costumam ter um preço e mais cedo ou mais tarde a democracia vai cobrá-lo.

  3. Ainda gostava de saber onde foram buscar os dados para tal relatório… Não é por nada, mas cada vez mais tenho a sensação que o aproveitamento geral dos alunos está a diminuir. Se calhar o problema é da minha escola (TEIP), dos meus alunos e da minha incompetência…

    Mas, atenção, fiquei muito contente com o recente relatório do PISA, até porque conheço muito bem o investimento que está a ser feito em todos os sectores da educação e do ensino não superior. A coisa está a mudar a olhos vistos, mas os frutos em educação…

  4. Adelaide, assim de repente sei que é a OCDE que escolhe as escolas de cada país onde serão feitos os testes e nessas escolas escolhe aleatoriamente x (tenho o número 40 na cabeça mas não garanto) de 15 anos independentemente do ano escolar que frequentem. Os testes são iguais, ou equivalentes no caso da língua, em todos os países onde os testes são feitos mas para mais minudências fica o endereço do GAVE http://www.gave.min-edu.pt/np3/157.html onde está tudo explicadinho relativamente aos testes anteriores.

  5. De facto é lamentável que nos meios de comunicação social, sempre tão prontos na sua grande maioria a divulgar em grandes parangonas alguima coisa menos boa, ou má que as temos, e muitas, se não façam as chamadas de primeira página destes resultados que são mais que motivo para ficarmos satisfeitos. É óbvio que para esta gente quanto pior melhor, não interessa discutir seriamente o que não está bem, pois o único interesse é dizer mal.

  6. De facto não se fala de muita coisa, por exemplo: de os miudos chineses serem 8 vezes mais capazes que os da OECD. A Wikileaks também já revelou esta:

    “The province of Shanghai, China, took part for the first time and scored higher in reading than any country. It also topped the table in maths and science. More than one-quarter of Shanghai’s 15-year-olds demonstrated advanced mathematical thinking skills to solve complex problems, compared to an OECD average of just 3%.”

  7. Podemos estar seguros do seguinte: se os resultados fossem de sinal contrário teriamos “massacre” para uma semana, com o desfile habitual dos comentadores da S.Caetano

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.