5 thoughts on “Serviço público”

  1. Há uma cultura portuguesa que rejeito de submissão, cobardia, oportunismo, chico-espertinho…
    É evidente que o sentido critico tem que prevalecer e há demasiados alertas para o que está a acontecer. Não podemos ignorar!

  2. Este artigo vem confirmar que, não colhe afirmar; -à Justiça o que é da Justiça!
    Como várias vezes, o actual P. Ministro disse e, as omissões do constitucionalista
    que está em Belém, sempre pronto para as selfies e, lesto no apoio à PGR que,
    ameaçou a A.R. que se demitia se … etc. coisa e tal!
    A soberania do país está entregue à Assembleia da República por isso, não é
    aceitável que sindicato e PGR façam pressões sobre o mais importante Orgão
    da nossa Democracia! Mal ficam os partidos políticos por se deixarem manobrar
    por um corporativismo fora de moda … os sindicatos dos magistrados há muito
    que deviam ter sido extintos mais precisamente desde 1976 com a entrada em
    vigor da Constituição da República !!!

  3. O Dr. Garcia Pereira, mais uma vez desassombradamente, pôs o dedo na ferida.
    Bem haja por isso. É mais uma voz a juntar a tantas outras, que não têm medo de clamar contra o assalto ao Estado de direito por aqueles que mais deviam pugnar pela sua defesa. As suas agendas ocultas cegam-nos na ânsia de dominarem o poder politico.

  4. Muito bem, Garcia Pereira! Resta saber como e quem poderá alterar a situação descrita.
    No MP também há gente que resiste à politização da Justiça e à arbitrariedade, certo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.