Semiótica da pulhice

Berardo tem 439 milhões em dívida à Caixa Geral de Depósitos, mais cerca de 330 milhões ao Novo Banco e ainda cerca de 230 milhões ao BCP. Sendo esta totalidade que está em causa no processo onde é arguido, dou 10 euros para a melhor explicação a respeito da seguinte passagem do comunicado do DCIAP:

«No inquérito investigam-se matérias relacionadas com financiamentos concedidos pela CGD e outros factos conexos, suscetíveis de configurar, no seu conjunto e entre outros, a prática de crimes de administração danosa, burla qualificada, fraude fiscal qualificada, branqueamento e, eventualmente, crimes cometidos no exercício de funções públicas.»

Sim, exactamente, acertaste. A curiosidade diz respeito a apenas se fazer referência à CGD – o que tem vindo a ser replicado e martelado pelos impérios mediáticos da direita com furor de caçada. Venha daí essa hermenêutica especializada em judicialização da política.

36 thoughts on “Semiótica da pulhice”

  1. “… a prática de crimes de administração danosa, burla qualificada, fraude fiscal qualificada, branqueamento e, eventualmente, crimes cometidos no exercício de funções públicas.”

    nova viagem… nova corrida. o carrocel é o mesmo e nem pára para meter novos passageiros.
    só não dizem ainda o nome do gajo que exercia funções públicas, deve ser aquele perfume “tabú” que o cavaco usava para atrair atenções eleitorais.

  2. explicação : o único banco público é a cgd , os outros são privados , logo , no bcp e no novo banco os accionistas que investiguem quem concedeu o crédito ; na caixa , cabe ao estado.
    cabe ao estado tb perguntar ao banco de portugal se lá dormem todos a sesta 8 horas por dia.

  3. ” …o único banco público é a cgd…”

    é por isso que se chama caixa gomes de s.a. e quem lá trabalha são funcionários públicos.

    o sa é o nome do pai que cozinha bacalhau com o mesmo nome para os funcionários públicos que lá trabalham. segue escritura pública do casamento para o caso de quereres reclamar as azeitonas.

    https://www.cgd.pt/Institucional/Governo-Sociedade-CGD/Regulamentos/Documents/Estatutos-da-CGD.pdf

  4. “A Caixa Geral de Depósitos, SA (CGD) é um banco público português. ”
    Nada que incomode o argumento de valupi. O post fica. É uma outra semiótica.

  5. Aos desmiolados que por aí (e aqui) pululam: O Estado, injectou dinheiro nos 3 bancos em referência. A diferença de realce é que a CGD quase todos os anos devolve essas injecções em lucros ao seu acionista, o Estado.

  6. é ler os estatutos da caixa gomes de sa, que botei aí acima e se ainda tiverem dúvidas é a lei que regula o sector empresarial do estado, se quiserem ficar pelos títulos é ler o correio da manhã.
    já agora, só para entendidos em títulos, como é que um banco público, sem estatuto de privado concorria no mercado dos empréstimos, aprovava em conselho de ministros? e os ministros podem emprestar ou alienar dinheiro e património do estado aos privados ou teria de ser aprovado pelo parlamento por maioria qualificada?

    o poste não fala nisso, quem meteu público e privado ao barulho fui eu e as aves de rapina engolem tudo o que mexe e depois têm problemas de digestão.

  7. “A Caixa Geral de Depósitos, SA (CGD) é um banco público português. ”

    e o sa, é o quê? se calhar é uma coisa pública com estatuto privado.

  8. Toda esta direita da magistratura, da política e da informação, levada ao alambique, que espírito daria ? Que elemento único e orientador está no âmago deles três ?
    Quem o intuíra….
    O remanescente da operação será um mau guano, talvez aproveitável para adubar mato selvagem, que não o arnal, mais civilizado e útil.

  9. o rui a. é que baptizou essa sociedade anónima de bordel do regime , suponho que o sa são os clientes do bordel…
    mas fica aqui mais um esclarecimento da wiki , entrada que suponho ter sido feita ou revista por alguém de dentro.
    “A Caixa Geral de Depósitos é o segundo maior Banco em Portugal, detido pelo Governo da República Portuguesa”

  10. “O Estado, injectou dinheiro nos 3 bancos em referência.”

    bem lembrado, mas foi só em 2, o bes recusou e foi à falência quando pediu ajuda.
    bora lá investigar os primos portugueses do madoff.

  11. e sim , o pessoal é funcionário público :
    “O pessoal continua sujeito ao regime jurídico do funcionalismo público, estabelecendo-se, no entanto, que as categorias e vencimentos são estabelecidos pelo Conselho de Administração, tendo em conta, designadamente, os condicionalismos comuns à generalidade do sistema bancário. Para harmonização das condições, veio mais tarde a admitir-se a possibilidade de a Caixa participar nos processos de convenções coletivas de contratação de trabalho do setor.”

    tapar o sol com a peneira só um tolo rematado.

  12. “O remanescente da operação será um mau guano, talvez aproveitável para adubar mato selvagem, que não o arnal, mais civilizado e útil.”

    o bernardim ribeiro tinha mais pints ka tu a descrever estas cenas.

    toma lá a ficha de inscrição e vai-te inscrever no partido do c’macho lusitano e da mula de alter(ne).

  13. yah… minha.
    garantia de emprego de interesse público, vencimento tabela privado e tamém deve haver lá qualquer coisa sobre irresponsabilidade profissional para total isenção e independência no desempenho da profissão como na magistralhada. achas que os gajos iam largar mão dos privilégios que tinham, só se fossem parvos.
    não percebes um corno daquilo que lês e linkas qualquer merda que encaixa com a tua estupidez, pareces filha do c’amacho lusitano.

  14. resumindo e concluindo:
    ninguém faz o mínimo de ideia como é que os empréstimos bancários são aprovados na cgd e se lembra da crise das sub-primas.

  15. Anônimo bucólico:
    O alambique é um objeto de culto em todos os países do Mundo. Coletor de crenças, alvo da adoração de muitos, propiciador de viagens sem ele impossíveis ao reino do esotérico, recalentador de paixões. Porém, tem um diferendo inultrapassável com Eros !
    Esse contencioso, contigo nunca terá lugar.
    Avança então, destemido, para o alambique, trata-o como deverias tratar o teu pai e a tua mãe.
    Verás como as borrascas mundanas se acalmam, a tua beligerância se aplaca, conheceràs por dentro o Nirvana que o teu mestre Ventura promete e sempre furtarà.

  16. “A Origem da Tragédia”, tragediaria Nietzsche. Mas a história é bem mais prosaica. Em 13 segundos, eizi-a: once upon a time there was um osso de frango entalado no rabiosque do canito bully, e esta foi a sua origem:

    https://youtu.be/M5-Ua51Uaz8

  17. Portanto andamos todos a pagar crédito mal parado aos mil de milhão mas o DCIAP só investiga o que Berardo roubou a CGD com a ajuda “dos crimes cometidos no âmbito do exercício de funções públicas”. Então mas se Berardo deve dinheiro, 1/2 milhão, sobre dois bancos com gestão privada isso o DCIAP não está a investigar? A CGA é um banco em que os procedimentos são os usados pelos bancos privados em relação a juros, empréstimos, garantias . A CGA é um naco apetecidissimo do nosso sistema financeiro, a necessidade de justificar que o DCIAP investiga porque a entidade é pública e emprestou dinheiro a quem não tinha garantias para o mesmo é, a ser provado, um trunfo para quem quer desmantelar a CGA. Mas assim o que me parece é que os acusadores vão ficar com o rato do costume enredados na forma que usam para pôr em causa um caso concreto, que não é mais nem menos do que o retrato do que foi a nossa banca. Era assim que o sistema bancário funcionava, deu dinheiro enquanto deu no dia em que implodiu vieram a tona os podres.

  18. «…e, eventualmente, crimes cometidos no exercício de funções públicas.»

    Tal como as Erínias velavam divinamente pelos crimes de sangue há por cá juízes&magistrados que velam arbitrária e sanguinariamente pela vontade de vingança.
    Depois de Ivo Rosa ter dado como nado-morto as arrobas de papel e, diga-se, papel escrito e papel do banco gasto pelos escribas, a já de si erínica vontade de vingança cresceu até ao céu; daí os “eventualmente crimes praticados no exercício de funções públicas” são mais evidentes e destinados a navegação tão precisa como a luz de um farol marítimo; usando do seu inescrutinável e intocável livre-arbítrio outorgado pela democracia não desistem de subverter a lei não só trazendo-a para a praça pública como insistir na perseguição ad hominem juntando processos diferentes como quem constrói uma manta de retalhos.
    A semiótica do comunicado é tão dirigida que até a yo a topou logo e já anda aos saltos e guinchinhos de gozo; vamos ver quando é dado o tiro de partida e se um qualquer juiz limpo não repete outra vez que na Justiça fazer jogo sujo não vale.

  19. Aqui, o abominável, dá razão ao Alexandre O’Neill”, que dizia que escrever mal, é misturar a própria vidinha com a literatura .
    Tudo espremido dá literatura de caserna, uma polegada acima do capacho . Recebeu dois likes .
    Deve andar atormentado por “eventuais crimes cometidos no âmbito da execução de adjudicação de obras por parte do Estado “ . Sobre-facturação e por aí acima .
    Não conhece a figura da “prescrição” e portanto faz indiscrição da triste figura que faz.
    Enfim, ums abusam da bolota ( o acima Clementina, por exemplo ) este abusa do medronho .

  20. explicação 2 : os accionistas do bcp e a nb ( onde até poderia ser um deles o estado ) devem pedir uma investigação interna se entenderem que foram vitimas de gestão danosa , se o resultado for positivo podem enviar a cena prá justiça para o responsável ir de cana.
    perguntarão : onde andava o banco de portugal?
    o que poderíamos fazer : ir para a rua com cara de maus dizer que não pagamos mais bancos e que queremos os bancários aprendizes de scrooge na prisa.

  21. ò vaca um dos maiores accionistas do bcp é o berardo que enterrou lá mais de 600 milhões e os principais accionistas do bes eram a família salgado.

  22. Transcrição da Inaciotice :

    “ ò vaca um dos maiores accionistas do bcp é o berardo que enterrou lá mais de 600 milhões e os principais accionistas do bes eram a família salgado. “

    Ó trengo, o Berardo não injectou lá nada, o Berardo saca, essa treta dos accionistas é conversa para adormecer tótós, a esmagadora liquidez dos bancos é constituida pelo dinheirinho dos aforradores, que lá colocam as suas poupanças (excepto os que têm piquenos cofres), um gajo ou um grupo de gajos quer fazer um banco e para tanto convence o governo de ocasião a colocar lá dinheiro, por exemplo, pode ser dinheiro da Segurança Social ( suspeito que terá sido o caso do lançamento do BPN, daí o alegado, “risco sistémico” que na realidade terá sido o real motivo para a nacionalização, caso contrário ia o dinheiro pró maneta, ou acreditas que foi para salvar as poupanças das Irmãs da Consoada de Fátima” ? Esse seria sempre restituido nem que fosse por baixo da mesa .
    Dinheiro propriamente dito, capital fixo para fundar um banco, é ridiculamente baixo, havia, e se calhar ainda há, bancos com capital fixo de 500.000 euros .
    Os chamados “acionistas” ou, por vezes, designados por “accionistas de referência” são espertalhões que pedem alí para colocar aqui.
    Aliás, no caso do BCP, os membros do conselho de administração, presidido pelo Jardim, que se comportavam como “verdadeiros donos do banco” tornaram-se todos eles accionistas com recurso a estratagemas que incluiam lotes especiais de ações consignados para eles e atribuídos a preços de favor .
    O Berardo disse alto e bom som, na audição parlamentar, que a compra de ações do BCP era uma operação de risco, ( um investimento de risco, e perguntou mesmo: era um investimento ! então eu ia dar a colecção para cobrir um investimento ? (implícito, um investimento que podia correr mal, como ocorreu, porque as ações desvalorizaram logo de seguida) .
    Portanto, se alguma coisa Berardo lá meteu, não era dele, era o empréstimo que tinha sacado à Caixa, que ficou com o calote.
    Obviamente que a CGD não ia vender, naquelas circunstâncias, as ações do BCP, porque provocaria o afundamento do banco privado .
    O responsável ?
    Desde logo, o presidente, Santos Ferreira, o presidente, um gajo com cara de mau, e antiquissimo do PS e não sei se do avental .
    Outros inquiridos dizem que, foi, ora Vara, ora Maldonado Gonelha ( deste nem vou perder tempo a teclar ) .
    Na minha opinião, foi uma luta entre o avental e o cilício. O BCP desde sempre era detido pela opus dei .
    Igual luta se nota pelo poder na AR : ora o cilício ( Conceição Esteves ) ora o avental ( se for o caso do batráquio ferrenho ) .

  23. Só para acrescentar uma coisa que me escapou e pra ficar mais explicito

    Os chamados “acionistas” ou, por vezes, designados por “accionistas de referência” são espertalhões que pedem alí para colocar aqui.
    Recolhem os dividendos no fim do ano ( e se der prejuizo, e se forem Antonaldos, recebem na mesma ) tornam a pedir acoli para “investir” aí, e assim vão ganhando fama no “mundo dos negócios empresariais” . Vivem sempre endividados . Só que isso é do conhecimento apenas de alguns poucos .
    Se forem realmente espertos e tiverem um bom advogado “consiglieri”, conseguem sempre safar-se na boa, quando os “negócios”, derem, em devido tempo para o torto, e os prejuízos forem, à boa maneira do ditador Ferdinando Marcos, colocados no passivo do Estado . Um método mais antigo do que o c…

  24. “Portanto, se alguma coisa Berardo lá meteu, não era dele, era o empréstimo que tinha sacado à Caixa, que ficou com o calote.”

    vamos lá ver onde é que ficamos, meteu ou não meteu? se não meteu não é accionista do bcp e utilizou indevidamente o dinheiro que a caixa lhe emprestou. caso tenha metido foi um negócio que correu mal à caixa que deverá accionar as garantias dadas (as acções do bcp) para ressarcir os prejuízos.

    o resto do paleio é uma visão de fiscal das finanças sobre o funcionamento da banca que coincide com as teorias do ministério público. todos os negócios são vigarice e os contribuintes são todos aldrabões, menos quem fiscaliza ou investiga, que são puros, verdadeiros e justos, especialmente se pingarem uns tostões por fora para arredondamento dos miseráveis salários que recebem em trocos dos valiosos e valorosos serviços prestados à naçinha sem condições trabalho, falta de meios humanos, equipamento e papel higiénico.

  25. Ó burro do caralho, que sabes tu a não ser o que estudaste sob o grande filósofo grego Testicles ?
    Berardo contraiu na CGD um empréstimo para comprar acções do BCP essas mesmas acções foram a garantia que Berardo viria a oferecer como penhor do cumprimento da dívida – para além disso, também havia a “colecção”, melhor dizendo, “os títulos” não os quadros propriamente ditos, vai ver a diferença e explica ao pagode o que são títulos, de resto nem a colecção seria alguma vez penhor/garantia de coisa alguma porque o espertalhão do berardo fez com o idiota do Sócrates ( de quem tu és empregado e um lambecuzista, toda a gente com dois palmos sabe que valupi e ignatz são uma única pessoa ) um acordo para aparcar na garagem do centro comercial de Belém, dizendo ( Sócrates ) que tal era do interesse público, e como tal, berardo BLINDOU com tal acordo celebrado com Sócrates ( que não sei se foi burrro ou corrupto, o MP que investigue ) qualquer veleidade de algum credor vir a tocar na colecção. Percebeste ou queres que te explique à porta da cagadeira ?

    “ o resto do paleio é uma visão de fiscal das finanças “ etc. etc. etc.

    continua a esconder o açúcar dentro da caixa da farinha, que estás no bom carinho para escarecer abertamente todos sobre a tua dupla-identidade .

  26. “Berardo contraiu na CGD um empréstimo para comprar acções do BCP essas mesmas acções foram a garantia que Berardo viria a oferecer como penhor do cumprimento da dívida”

    e depois, qual é problema que justifique a detenção de 3 dias para um interrogatório de 45 minutos?
    o gajo deixou de pagar o empréstimo, então accionem as garantias. ah… mas as garantias não chegam para cobrir os prejuízos porque as acções desvalorizaram.
    atão processem quem desvalorizou as acções.

    “continua a esconder o açúcar dentro da caixa da farinha, que estás no bom carinho para escarecer abertamente todos sobre a tua dupla-identidade .”

    eu metia uma tripla nessa coluna. resolvias o problema que te atormenta há anos e que “está no bom caminho para escarecer”

  27. Escuta garotelho :

    Já é a segunda ou a terceira vez que me vens com essa conversa do fiscal das finanças.

    Eu desafio-te a ires aos canhenhos dos arquivos, e a publicares aqui o(s) comentários(s) em que escreví que sou fiscal de finanças, sob pena de,

    – fazendo-o, demonstrares que és um ignóbil pidesco, que utiliza os endereços electrónico das pessoas para os mais baixos fins . Não o conseguindo demonstrar, te revelares como o inventivo mentiroso que és .
    – não o fazendo, de igual modo te revelares como um mentiroso e um canalha .

    Acresce que :

    – Há mais de 15 anos que andas impunemente, sob a cobardia do anonimato, a teu bel-prazer, a difamar magistrados, e a caluniar jornalistas . Não penses, que é dificil chegar até tí .
    A PRG que substuiu aquela que tu apodavas de, Joana, ou santa joana, já emitiu um comunicado em que afirma que quem insultar gravemente magistrados do MP, sofrerá as consequências.
    É só fazer chegar uma denúncia ao MP e o mesmo abrirá um processo, a operadora de telecomunicação terá que fornecer o endereço do blog e por esse modo chegar-se-á a tí .

    Prosseguindo,

    Quanto à tua identidade ( e toda a gente que sabe ler, entendeu a metáfora do açúcar escondido na caixa da farinha, para enganar as formigas ( ou seja, os comentadores, que tu julgas que são burros ) já forneceste elementos mais que suficientes para te auto-denunciares

    Desde logo :
    -Quando escreveste que Ignatz é uma máscara que funciona bem .
    -Quando, a meio da madrugada, comesteste a imprudência de apagar um comentário, que estava publicado e visível ( do Camacho ou dum tal que assinava como Manuel Pacheco ) e em seu lugar, colocaste um comentário de Ignatz .
    Eu estava online e ví .
    Quando abriste ainda mais as pernas, e disseste que alguns dos antigos, ainda andavam por aqui, mas com outros nomes . Mais um sinal que tens acesso e espias os endereços electrónicos.
    Quando, por fim, disseste ao Vieira, “mandei-te um mail, viste ?”.
    Passado pouco temp, Vieira publicou um comentário em que se refere a Yo, como Olinda/Yo .
    Também passas informação ?
    É assim que respeitas o anonimato, que exiges ?
    Andas a achincalhar o Camacho porque pensas que ele tem o rabo trilhado por ter cometido a imprudência de ter publicado comentários que não são abonatórios para magistrados, mas olha que tu, TENS O RABO MAIS BEM TRILHADO QUE ELE !

    Quanto a ser aposta simples ou dupla :
    É simples . Não disseste que tens mulher ? Pode funcionar numa dupla . Valupi/Ignatz .
    Não sei, nem me interessa, se o casamento é entre homem e mulher, ou entre homens . Que se fodam !
    E pode eventualmente envolver apostas múltiplas. Por exemplo a dama de formentera e o careca a quem ela chama o gorducho.
    Para o caso não me interessa : aviso-te solenemente, toma cuidado, acaba com a canalhice, porque os bandalhos, os velhacos, os biltres, os canalhas, e os poltrões, acabam sempre confrontados com aquilo que são!

  28. uih… temos outro cambalacho em potência

    .1- escuta garotelho:
    o fiscal da finanças reformado tomou conta do tasco e dá ordens de prisão a bel-prazer, escola alex.

    .2 – acresce que:
    o fiscal das finanças reformado ameaça com denúncias à justiça sobre divulgação de calúnias maioritariamente certificadas pelo juíz ivo rosa com pedidos de nulidade no processo marquês e outras noticiadas pela comunicação social. bora lá, força nisso.

    . 3 – prosseguindo:
    o fiscal das finanças chama pide aos outros e depois confessa que anda aqui a ver se descobre a identidade do valupi e do ignatz, que ora são a mesma pessoa, duas pessoas ou mesmo três. já está quase decifrado.

    .4 – desde logo:
    aqui a confusão é mais que muita, não se percebe qual é o crime, se houve crime, enquadramento legal da liberdade expressão com quem discordamos, perigo para a democracia, se foram escritas com máscara no estrito respeito pelas normas sanitárias covid ou se estamos na presença dum taralhouco que quer mazé paleio e alguém que o ature.

    .5 – quanto a ser aposta simples ou dupla :
    aqui o delírio é total, fazes perguntas sobre coisas que não sabes e não queres saber. sugeres umas homosexualidades, entre uma mulher e um homem careca. voltas a dizer que não te interessa e mais ameaças. queres que mande aí um técnico ver se a avaria é do ip ou do vídeo-porteiro, caso afirmativo manda o iban e confirma o código de acesso para avançar com a reparação.

  29. Ó pide mariconço n° 3 (das 17:51), cometer “a imprudência de ter publicado comentários que não são abonatórios para magistrados”, como fez o cabrão do Camacho, é crime? Crime de opinião, escola António Maria Cardoso? Também tens a mulher em outsourcing, como o pide mariconço n° 2, e aproveitas o tempo livre para vir para aqui espojar a peida e invocar o meu santo nome em vão? Achas que te estou a insultar, palhaço? Ospilica-me lá: como é que alguém que assina com o seu próprio nome (eu) pode insultar um “coiso” que nome não tem, se esconde no anonimato cobarde e ameaça ainda mais cobardemente o anonimato dos outros cobardes?

  30. Quanto ao desdocumentador das 20:15

    Portanto, na falta de qualquer resposta, e na insistência em baralhar, retorcer e enviesar os meus textos expressos em comentários prévios, distorcendo e enviesando descaradamente no sentido da graçola insolente e para o efeito, fazendo-se passar por parvo, fica comprovado a característica de BANDALHO E ESCROQUE que lhe atribuí .

    -Quanto ao comentunista das 21:04

    Assenta-lhe que nem uma luva isto que o comentarista das 20:15, sobre ele escreveu, em DELENDA CABRITA

    porco! filho da puta! pide ranhoso! bully mariconço!
    3 DE JULHO DE 2021 ÀS 20:21
    “Abraham, não é com eles que gasto aqui o meu tempo, é a pensar em pessoas como tu, o Lucas, o Vieira, a Maria e alguns outros.”

    ISTO ingrato do caraças, tudo fãs que eu te arranjei e alguns já desbarataste com traições e puxões de orelhas como fizeste ao lucas e ao vieira. a maria não sei quem é e o “alguns outros” deve ser a vaca do chega, que nem lata tens para escrever o nome.

    “Se, paralelamente, me dá algum gozo vê-los rabiar e aproveito para lhes dar umas pauladas, é apenas bónus.”

    E ISTO vê-los, a quem? só se forem os teus amigos de conveniência, que mandas foder quando se metem em conversas complicadas.

  31. Pide mariconço n° 3, deves ser o bufo mais incompetente e estúpido da galáxia. Ao dizeres que não sei que porra que o Valupi escreveu é “Mais um sinal que tens acesso e espias os endereços electrónicos”, não te ocorreu que, ao preencheres os dois espaços obrigatórios de cada vez que despejas neste pardieiro um arroto qualquer (“Nome*” e “Email*”), estás a facultar o e-mail aos donos do blogue VOLUNTARIAMENTE? E depois acusas o dono do blogue a quem entregaste voluntariamente o e-mail de ter abusivamente o e-mail que lhe entregaste voluntariamente?! E quando, no topo da página do blogue, está escrito “Em caso de agravamento dos sintomas, escreva aos enfermeiros de plantão”, não percebeste que o objectivo é a eventual troca de correspondência electrónica entre os comensais e os donos da tasca? Coisa que, aliás, eu já fiz mais do que uma vez (pedindo por exemplo que me apagassem um comentário que tinha um erro) e possivelmente outros fizeram também? É estupidez a mais, mesmo para o neurónio solitário gripado do pide mais burro da galáxia, provavelmente és arraçado de bot!

    E quando, SOB A COBARDIA DO ANONIMATO, acusas outros de, “sob a cobardia do anonimato (…), difamar magistrados e caluniar jornalistas”, não tens um micrograma de vergonha no focinho? Quando escreves que “É só fazer chegar uma denúncia ao MP e o mesmo abrirá um processo”, não tens vergonha de estar a berrar para o planeta inteiro que não passas de um verme, um bufo nojento? E quando ameaças alguém com PGR, MP e afins por delito de opinião (“não penses, que é dificil chegar até tí”), não tens vergonha de não fazeres a mínima ideia de onde pôr ou deixar de pôr vírgulas ou que palavras levam ou deixam de levar acento?

    Pide mariconço n° 3, convém que saibas que muita gente já percebeu que um dos maiores erros do pós-25 de Abril foi o de não se ter pendurado a pidalhada e a bufaria toda. E quando dizes que “a operadora de telecomunicação terá que fornecer o endereço do blog e por esse modo chegar-se-á a tí”, seria útil que te ocorresse que alguém poderá chegar a ti primeiro, quanto mais não seja por atentado contra a língua portuguesa.

    Ah! Pera aí! Achas que estou a ameaçar-te? Mas como pode alguém ameaçar um “coiso” que nem sequer se sabe se existe realmente? Até porque podes mesmo ser um bot, pide ranhoso sem cara, e estou eu aqui, feito parvo, a ‘falar’ para meia dúzia de linhas de código. Tá visto, o burro sou eu! E agora, bot merdoso, vai lá escrever as cartinhas todas antes que te seque a tinta da esferográfica.

    P.S. — Uma sugestão, pide mariconço n° 3: junta-te ao pide mariconço n° 1 (porcalhatz) e ao pide mariconço n° 2 e organizem-se em sindicato. O objectivo é o mesmo (chatear o Homo sapiens sapiens) e talvez consigam umas economias de escala ou coisa que o valha. Para nós, Sapiens, tinha a vantagem de, com vocês juntinhos, podermos agarrar-vos todos ao mesmo tempo. Mais economias de escala!

  32. o menu das 2:39 do desiquilibrado chef capacho está extraordinário .
    Não vou transcrever aqui para não perturbar a digestão dos que já leram a carta do menú de degustação, que está uma antologia ( nem faltam as bolotas ) .

    No primeiro parágrafo demonstra que :
    -não sabe ler e interpretar aquilo que leu,
    -não sabe a diferença entre um e-mail e um IP address .
    E a partir daí, pensa que um mero e-mail, dá acesso directo ao IP ADDRESS .
    -não sabe o que é um e-mail certificado, que é o único que exige a indicação do nome correcto e morada, para além de outros dados ( por exemplo, o PayPal, que exige tais dados para confrontar com os dados do titular da conta no banco e do cartão de crédito, sem o que, não há pagamentos para ninguém ) .
    Mas para o caso, como ele só compra bolotas on-line na banca da feira …
    -também desconhece que qualquer um pode entrar no aspirina com o nick e o e-mail que quizer, inventado na ocasião.
    -“isclarece” que o blog tem no serviço à la carte, um e-mail, só pecando por não ter esclarecido se funciona 48 horas por dia .
    -revela a sua incomensurável burrice, ao sugerir que um gajo se meta nestas andanças com um e-mail certificado . Só um louco ou um imprudente, como é o caso dele, se mete a divulgar em público e na internet, dados pessoais .
    -depois, acrescenta que o blog tem um serviço de take away ( “dizendo que já pediu para lhe apagarem um comentário” ) .
    -por fim, fala em botes .
    julga que está a comentar covides noutro blog qualquer, e tráz o vice-almirante à baila .

    -No segundo parágrafo fala sobre anonimato e cobardia, prato obrigatório que todos aqui comemos diariamente, menos ele que é um valente e um (ca)machão, acompanhando com esmagada de denúncia .
    ignora que qualquer pessoa, incluindo magistrados, pode ler o blog, e aí há aquisição directa de conhecimento, nem sendo preciso sequer, mais .
    -questiona-me, à boa maneira pidesca, sob a colocação das vírgulas ( não são virgulas, são pulgas mesmo ) e a acentuacao .
    talvez isso passa parte do serviço de take away, ( a correção ortografica ) mas ele não clarificou, e, ardilosamente, depois também não esclarece se é gratuito, ou se depois vem na conta da factura, na rubrica, remoção de detritos sólidos .

    No terceiro parágrafo, temos lamentos de murmúrios, e lamenta não terem sido pendurados os pides e os bufos .
    Num outro comentário, não muito longínquo, já alguém tinha escrito no blog, “por mim pendurava-os todos no lampião ou poste mais próximo “
    Isso foi o que fizeram os nazis do regimento Das Reich, em Oradour-sur-Glane, justificando, “200 ou 300 não é nada, só em Karkhov penduramos cerca de 100.000” em lampiões e nas grades de ferro das varandas .
    Eis aqui, em todo o seu esplendor, o grande humanista, Kamacho, o profundo respeitador do processo legal devido, na sua versão sumária e simplificada aplicada a inimigos do povo e opositores, o eminente penalista, e o insigne especialista em Direito Buçal .

    O resto do repasto é palha, mete bote outra vez, coiso, esferogaita – tem fixação por objectos falicos, Omo, sapo, e escola .

    Ora,
    Escola, é o que ele precisa.
    Para além disso, pode e deve recorrer ao serviço de take away, para lhe apagarem os comentários todos . É a minha opinião.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.