Seja o que for que aí venha, o CDS parece não ter nada de substancial para dizer

Adolfo Mesquita Nunes aparenta pertencer à direita decente (apesar de ter no seu currículo a colaboração com o XIX Governo Constitucional), é o protagonista de um relevante acto de coragem pessoal, cívica e política ao assumir a sua orientação homossexual, e podemos apostar dobrado contra singelo à confiança em como irá liderar o CDS após a queda de Assunção Cristas caso tenha essa ambição.

Pois bem, com tais predicados psicológicos e mediáticos era suposto também conseguirmos descobrir predicados intelectuais se o seu plano for o de aliar à imagem algum tipo de substância. Só que está difícil, como se pode comprovar após os 5 minutos que demora a ler este texto: Pode alguém com medo proteger-nos do que aí vem? Não passa de uma juliana de falácias cuja estratégia retórica se sustenta no voluntarismo da “ambição”. O Adolfo, pelos vistos, quer que a malta acredite que ele é mais ambicioso do que a concorrência porque não tem “medo, receio, do que aí vem” como essa esquerdalha que anda a desgovernar a Grei por falta de tomates. Um bravo, este amigo.

É demasiado básico para o seu horizonte de realização política, e fica ali resvés ao nível da banha da cobra, deixando-nos a pensar no que o levou a optar por tratar tão mal a oportunidade de escrita e sua difusão. Será displicência? Despachou a coisa por obrigação? Falta de tempo? Problemas mais importantes para resolver que lhe retiraram o discernimento, a imaginação e a inteligência? A menos que seja a cristalina expressão do seu pensamento, nada mais tendo para dizer ao bom povo que pretende persuadir – o que até para quem se está a marimbar para o CDS seria uma fonte de pânico.

2 thoughts on “Seja o que for que aí venha, o CDS parece não ter nada de substancial para dizer”

  1. mas acerta na coisa da legislação laboral….quem defende as micro ,pequenas e médias empresas da instabilidade económica tuga ? ter funcionários amarra mais q um marido , é até q a falência os separe ,fonix.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.