Se és amigo do Morais Sarmento, sê amigo do Morais Sarmento

Todas as semanas o Morais Sarmento presta-se a uma humilhação que não lhe faz bem a ele, não faz bem ao PSD e acaba por não fazer bem à TVI, pois toca na veia misericordiosa do espectador português e leva-o a fugir do acabrunhante espectáculo. Essa humilhação nasce de ele ter metido na cabeça que conseguia discutir com Santos Silva.

Há 1 ano e tal, Sarmento foi falado como eventual candidato à sucessão de Menezes. E, de facto, entre os dois talvez a diferença nem se notasse, acontecendo uma continuidade na mudança. Mas o que importa realçar é a tipologia destas duas figuras, para se diagnosticar como a maleita que atinge o PSD é de uma gravidade letal: são desqualificados. Isto é, são seres que sobrevivem nos túneis do poder partidário, habitando no meio dos dejectos e dos seres rastejantes, e com eles estabelecendo relações simbióticas, mas que não resistem à luz e exposição da superfície.

Santos Silva contra Sarmento é vexante, mau demais, injusto. Porque Santos Silva é de uma solidez aristotélica, expondo com clareza e síntese, espalhando cultura política e democrática. À sua frente puseram um ser atarantado, incapaz de sair do cliché mais básico e gasto, um monumento psitacista e balofo da miséria intelectual do PSD. Nesta última edição, o excelente Paulo Magalhães perguntou 70×7 vezes a Sarmento como explicava ele que o Governo fosse tão mau, a contestação popular tão grande e não vermos as sondagens, nenhuma, a reflectir esse retrato. O modo como o honesto comentador social-democrata fugiu à resposta foi aflitivo, desesperado, e eu estive quase a telefonar para a TVI a pedir para deixarem o homem em paz — e isto mesmo sabendo que estava a ver uma repetição do programa.

Um outro grande momento seu, semanas atrás, foi quando quis gozar com Santos Silva por este ter referido que o 9º ano fazia parte do Ensino Básico. Para Sarmento, fazia parte do Ensino Secundário, por razões lá dele que não chegou a partilhar. Felizmente, teve a sorte de ter alguém à sua frente com tempo e generosidade suficientes para lhe explicar o assunto. Fica a pergunta: que mais seria possível explicar-lhe sobre as andanças do mundo e suas gentes, havendo tempo e generosidade? Se és amigo do Morais Sarmento, tenta.

3 thoughts on “Se és amigo do Morais Sarmento, sê amigo do Morais Sarmento”

  1. É uma pena, de facto! Não há ninguém amigo que o aconselhe??
    Santos Silva tinha razão, embora a confidência transmita alguma superioridade algo irritante, quando disse que gostava de malhar na direita… Mas, efectivamente, consegue-o. Quem se põe a jeito…
    Santos Silva para ser perfeito só precisava corrigir um esgar de ironia que não é muito simpático de ver, embora eu lho desculpe pelo bem que me sabe ouvi-lo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.