Saldanha Sanches, um exemplo

Na morte de Saldanha Sanches, a sentida despedida da Isabel tem ainda a suprema vantagem de lembrar o caso do seu chumbo na FDL; uma história de abuso de poder, e prejuízo para a instituição, que envergonha todos os nomes envolvidos nela, incluindo os que não têm culpa nenhuma, arrastados secretamente para a lama.

Mas homenagear uma vida – que todos rotulam de honesta, frontal e corajosa – pode ser também seguir-lhe o exemplo nesta mesma hora. Por exemplo, o meu exemplo, lembrar que há uns meses Saldanha Sanches disse que Saramago tinha escolhido morar nas Canárias por razões fiscais. É uma acusação do camandro. Foi no tasco do Crespo e levou a que Saramago telefonasse a desmentir uns 15 minutos depois. Não houve qualquer repercussão do episódio, ninguém mais falou nele.

Trago esta situação para ilustrar uma ideia: a irreverência pode confundir-se com a inimputabilidade, causando tão maior prejuízo quanto a credibilidade do irreverente. Se pessoas com as capacidades intelectuais e morais de Saldanha Sanches são raras, e são, tal preciosidade aumenta a necessidade de as aproveitar em favor da comunidade. Precisamos é de descobrir como – para que não nos deixem apenas uma saudosa memória, mas um pedaço do futuro.

5 thoughts on “Saldanha Sanches, um exemplo”

  1. Não é por ter morrido, ele era mesmo digno de toda a consideração, respeito e admiração. Mas no melhor pano cai a nódoa e neste caso foram duas: a errada e incompreensivel referência a Saramago e o facto de acontecer no programa do Crespo. Fico sempre indignado quando certas pessoas aceitam ir a um tal programa.

  2. Todos fazemos alguns erros, imagino. Sim, Saldanha Sanches é um homem a recordar, que pena ter sempre de haver um acto sacrificial para se ser honrado, mas é assim neste mundo de troca simbólica. Que descanses ou voes em paz. Os sentimentos à Maria José.

  3. Val,

    só mais uma prova de coragem é precisa da tua parte.
    Saca a lista dos nove (9) e que cada um tire as conclusões que quiser ou entender.
    Se tens ciência para tanto, umas passagens da sua prova, aqui no teu blogue, daria pano para “mangas”.
    É tiro bem certeiro falar de FISCALIDADE nos tempos que correm…

    Sempre a considerar-te.

  4. leste o artigo escrito no leito da morte do Homem Senhor Saldanha Sanchez , pois foi ? nota-se….

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.