Rui “Força nisso!” Rio

*_*

2021 em funcionamento há mais de 24 horas e o desvairo acima apenso continua sem ser apagado. Provavelmente, continuará em exibição enquanto existir a conta. Isto porque Rui Rio não apaga “tweets” dado ser seríssimo e recusar dar o dito pelo não dito? Ou por ser um vero homem do Norte? Ou estará a explicação na sua passagem pela Deutsche Schule zu Porto, instituição onde colheu lições dos mestres que, in illo tempore, já proibiam com disciplina alemã que se apagassem quaisquer conteúdos uma vez publicados nas redes sociais? Nunca o saberemos, nem sequer quando sair o último volume das suas memórias.

O que sabemos é que quem assina tamanha alarvidade, e a mantém publicada, não tem condições para ser primeiro-ministro. Não tem, factual e indiscutivelmente, ponto final na conversa. E também não deveria ter condições mínimas para liderar a oposição. Porque é demasiado estúpido nisso onde a estupidez corresponde à incapacidade para se controlar, para ser decente e para se corrigir. Rui Rio não conseguiu perceber que estava a usar a memória de uma pessoa morta em condições trágicas e inumanas para se mostrar “engraçado”. Rui Rio não consegue entender que a existência desta inacreditável publicação é um bloco de cimento a puxá-lo para o fundo de um esgoto sem fundo. Rui Rio nunca irá compreender que havia um PSD, uma direita e um centro disponíveis – na verdade, desesperados – para acreditarem num líder que fizesse da política não uma arena de gladiadores e seus truques sujos mas antes uma ágora onde se compete pelas melhores ideias e onde as técnicas de persuasão nos elevam, acrescentam, libertam da ignorância e do medo.

Em vez disso, temos uma pessoa nascida em 1957, licenciada em Economia, actualmente na presidência do PSD, que exprime o desejo de “Mais uma morte no aeroporto“. A expressão é inequívoca, de interpretação literal, sendo ainda reforçada pela exclamação imperativa final. Quer dizer que o autor do texto quis – conotativa e denotativamente – apropriar-se do horror que matou Ihor Homeniuk para despachar um inane espasmo de chicana que conseguiu o singular feito de ter atingido em cheio o seu próprio carácter – ou falta dele, no caso. O bonequinho com que encerra o exercício, ali colocado para que possa dizer “Era na reinação, não liguem, é para rir”, fica como monumento à decadência moral e cognitiva deste tipo de vedetas deslumbradas consigo próprias.

Porém, contudo, todavia, ainda mais impressionante é a tolerância de tudo e de todos à sua volta. O líder da oposição viola os princípios mais básicos do respeito ético e cívico pela dignidade humana, mostrando evidentes sintomas de agudo destrambelhamento, e sistema político, imprensa e sociedade fingem que não viram, nem sequer se tropeça em manifestações de alarme ou mera indignação. Ficamos, portanto, à espera de um novo “tweet” de Rui Rio onde repita a lógica que o deixou tão bem-humorado. Por exemplo, para comentar a última sondagem TSF/JN/DN nada melhor do que umas graçolas com as mortes por Covid. Força nisso, Rio!

13 thoughts on “Rui “Força nisso!” Rio”

  1. Há uns quantos, que não têm os neurónios bem assentes, que se deixaram influenciar pelo estilo do Trump! Coitados…

  2. posts requentados ? que maneira de começar o ano… ainda por cima o rio já ditou novas sentenças , aquelas sobre o caso de falsificação de curriculum do boy guerra. penso que até foi bastante comedido pq por muito menos o santana foi á vida pela mão do sampaio. actualiza-te , pá.

  3. Pronto! Está nas ventas que o yoyo até achou graça à cagada do homem do norte, carago.
    Não admira, claro.

  4. ò vaca, requentada é a táctica do psd em utilizar a justiça para fazer política. perseguir adversários políticos com investigações a todas as decisões governativas para chatear e descredibilizar era essa a especialidade da gaja que foi preterida e que anda a reclamar o lugar há bués porque entrou para o ministério público um ano antes do guerra. quem nomeia é o governo e o psd não tem de impor regras para pagar favores aos seus infiltrados na justiça.

  5. É triste ver o líder do maior partido da oposição entrar na chicana politíqueira!
    A Ministra da Justiça já explicou ao “inquisidor” da RTP que, o tal papel não teve
    nada a ver com a designação do Procurador Guerra para o tal lugar e que, estamos
    perante mais um “caso” não caso, trabalhado pelas toupeiras semeadas nos tem-
    pos do paf na máquina do Estado … para de quando em vez, acordarem com um ou
    outro caso para abanar o Governo em exercício!!!

  6. agora há que nomear uma comissão independente, constituída por elementos da oposição ao governo, para conduzir um inquérito imparcial no prazo de 360 dias e caso seja apurado que o funcionário que preencheu a papelada é um zelota da direita apeada, será nomeada nova comissão interdisciplinar para averiguar se estamos perante um plano secreto do costa para saneamentos políticos na função pública.

  7. a investigação preliminar concluiu que
    ponto 1 e único
    quiseram ocultar com o rabo de fora o facto de nomearem quem lhes faz e deve favores políticos ,e outros, e mantém o bico calado ; vai daí , para darem ideia que ” não , não , boys nem pensar , somos muito imparciais ” , inventaram competências inexistentes ao guerra. e prontos , a investigação continuara em folhetins televisivos . abur.

  8. Que desilusão! Depois do PPC cheguei a acreditar que havia uma vaga esperança de termos uma direita civilizada mas saiu um fulano sem qualquer estratégia e prisioneiro das suas contradições e das forças vivas do partido. Alguém lhe terá de explicar que em política não vale tudo!

  9. yoyozinho(a)…..! A gente por aqui já sabe que és psd e facholas, pá, não precisas de te amofinar dessa maneira rico(a).
    PS- Vê lá se te defines de uma vez, se és gaja ou és gajo, se não passas a ser simplesmente criatura, como as galinhas.

  10. parte 2 da investigação sobre boyada . agradecimentos ao comentadeiro investigador no observ. estes casos não têm o glemour dos franceses , mas tb são entretidos.

    “47 m
    Numa escuta telefónica divulgada pela SIC, António Costa telefonou a Paulo Pedroso, no dia 21 de Maio de 2003, pelas nove da manhã, dizendo-lhe: “Já fiz o contacto. Disse que ia imediatamente falar com o procurador do processo, portanto o Guerra. O receio que tem é que a coisa já esteja nas mãos do juiz. Pá, talvez o teu irmão seja altura de falar com o Guerra”. Na manhã mais longa do PS, os dirigentes procuravam evitar a detenção de Paulo Pedroso através do tal procurador João Guerra que, por sua vez, é irmão de Carlos Guerra, ex-presidente do Insituto da Conservação da Natureza que viabilizou o Freeport. Carlos Guerra e João Guerra são irmãos de José Guerra, procurador que já trabalhou no Eurojust, sob alçada de José Lopes da Mota. Lopes da Mota demitiu-se na sequência de ter sido acusado e condenado a 30 dias de suspensão por pressionar magistrados no âmbito do processo Freeport – que, recorde-se, foi viabilizado pelo irmão de José Guerra. Por sua vez, Lopes da Mota foi nomeado adjunto do Gabinete de Francisca Van Dunem, que nomeou José Guerra para a procuradoria europeia, em detrimento de uma magistrada seleccionada pelas instituições europeias, com o envio de um currículo contendo “lapsos”. Demitiu-se o Director-Geral da Política da Justiça. Adenda: o Director-Geral demitiu-se, afirmando que a informação que produziu foi preparada na sequência de instruções recebidas e que o seu conteúdo era do conhecimento do gabinete da Ministra. A carta de demissão foi publicada no Portal da Justiça. O Ministério mandou retirar a carta do portal”

  11. “… em detrimento de uma magistrada seleccionada pelas instituições europeias…”

    poizé… o guerra tamém foi seleccionado pelas mesmas instituições europeias e o governo, que é quem nomeia, preferiu o guerra. azarucho da procuradora que comia socialistas corruptos ao piqueno almoço. se a gaja se esticar mais um bocado ainda vamos ficar a saber que fazia parte do plano da direita para administrar as caminonetes de euros que estão para chegar. é melhor irem gravando e arquivando as declarações destes moços para memória futura nos próximos julgamentos de fundos europeus, caso as massas lhes cheguem aos dentes.

  12. os de baixo ( esquerda/direita é coisa das “elites”) já temos um plano, que irá ser posto em prática nas próximas legislativas ; o ventura é que vai administrar os camiões de dinheiro. o ventura e o pan. ide-vos preparando para pedir esmola , esquerdalhos e direitolas. viva a revolução!!!! abur.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.