Ricardo in the sky with diamonds

Deixo a análise profunda das medidas apresentadas esta terça-feira pelo PS aos especialistas em economia. Há ali, felizmente, muita coisa para se discutir, o que é meio caminho andado para deixarmos a política de casos e podermos falar do futuro do país. É um bom ponto de partida para a oposição e para o governo. E um passo que o PS levou demasiado tempo (anos!) a dar: só agora é que o maior partido da oposição esqueceu os lamentos do PEC IV e de chorar os idos de 2011.


Mano do mano

__

Ricardo Costa garante que só agora é que o PS se está a libertar do PEC IV e de 2011. Ricardo Costa acumula com a autoria desta ideia a responsabilidade de dirigir o Expresso. Ora, gostava de saber se o Ricardo Costa quando está a dar ordens no Expresso se encontra no estado lastimoso em que damos por ele ao garantir que o PS andou desde 2011 a chorar e a lamentar-se à pala do PEC IV e dos idos de 2011. Não seria rápido a concluir pela intoxicação alcoólica ou de outra origem, mas alguma forma de alucinação se abateu sobre a sua cachimónia.

Até finais de 2014, o secretário-geral do PS era aquela figurinha que jamais gastou uma caloria a defender o PS que em 2011 tentou livrar Portugal da Troika e do casal Passos-Relvas. Pelo contrário, Seguro estava alinhado com os permanentes insultos, ofensas e calúnias e com o discurso da punição que a direita martelava diariamente, tanto no aspecto das causas da crise (culpa de Sócrates), como no aspecto da moral da crise (PS de Sócrates era corrupto, daí Seguro ter como missão desinfectar a casa com a sua imaculada pureza). Em Setembro de 2014, aparece um novo secretário-geral. Ninguém lhe ouviu qualquer lamento ou choro a respeito do PEC IV ou de 2011. Aliás, nas pouquíssimas ocasiões em que se refere a esse período, mostra-se invariavelmente com pressa para sair do assunto e faz questão de frisar que tem críticas a apontar ao Governo socialista de então. Ainda mais espectacularmente para esta análise do que o aquilino Ricardo afiança, temos tido um António Costa calado desde a sua chegada à liderança do PS. Esse silêncio de meses exasperou muito boa gente, o que não provocou em ninguém foi a peculiar “trip” que o mano partilhou com os leitores do Expresso.

Esta é uma boa ocasião para lembrar que Sócrates não tinha em Março de 2011 condições políticas para continuar a governar. Não tinha porque não podia ter, porque Cavaco queria que ele caísse o mais rapidamente possível, porque não existia maioria no Parlamento e, acima de tudo, porque o PSD estava convencido de que a aprovação do PEC IV iria levar a que o Governo socialista conseguisse evitar o resgate. Então, não quiseram dar a mínima oportunidade a que tal pudesse acontecer e afundaram o País sem qualquer remorso. A lógica do poder pelo poder é a única a que obedecem.

Ricardo, quem não larga o PEC IV e os idos de 2011 é a direita decadente que tu apoias e para quem trabalhas. Bem podes limpar as mãos à parede.

11 thoughts on “Ricardo in the sky with diamonds”

  1. que título fantástico – dá vontade de ir lambendo o texto para descobrir mais e mais. no fim, a outra origem pode bem ser space pizzas: discretas e em conluio com pequenas pausas na azáfama de um jornal às direitas. :-)

  2. burra do caralho! tudo o que não percebes é fantástico. telefona para a telepiça e manda vir uma voadora com ogiva de orgasmos múltiplos e sabor a merda que a vontade de lamber passa-te.

  3. a marrativa da bancarota sócras está entranhada de tal maneira na comunicação social e a grande maioria dos pasquineiros comprometida com artigos sobre o assumpto que é perda de tempo e paciência discutir essa merda, aliás a direita pretende manter essa discussão para não falar dos problemas que criou. portantes deixá-los falá-los que o actual é malhar nos responsáveis destes 4 anos de destruição, confrontá-los com os números do antes e depois, com o que prometeram e se preparam para deixar, com a traição anterior e os compromissos que agora desejam, lembrar-lhes que foram eleitos para uma legislatura de 4 e não de 40 anos e portanto não faz sentido andarem a anúnciar previsões, decretar medidas ou assinar compromissos para condicionar as políticas dos próximos governos.

  4. este ricardo costa é um autentico sabujo ao serviço da direita que lhe paga há varios anos o salario.ninguem que ande pelo aspirina de boa fé, pode negar que o pec 4 durante o triste consulado do tozero seguro,foi para o fundo da gaveta,pois cheirava a socrates,camarada que que sempre detestou por pura inveja politica, e como tal ,há que enterra-lo o mais rapido possivel. o pec 4 não foi um sonho,mas uma realidade apoiada pela ue.só que quem nos queria por pobres,não quiz arriscar,e como tal há que partir para eleiçoes com o apoio de partidos que hoje choram lagrimas de crocodilo em defesa dos trabalhadores.mais uma vez o célebre “quando pior melhor” vingou” com as consequências que estamos a sentir na pele.a ricardo costa pedimos uma coisa: seriedade politica,coisa que ele pouco pratica,para alegria do “padrinho” do psd pinto balsemão.

  5. Enchi um alguidar com as lágrimas que verti ao ver o Filipe e o Magalhães a “debaterem” a proposta do PS na Carnasic. Não consegui conter a emoção proporcionada por estes belos espíritos. Foi a modos como degustar um “quente e frio”. Um extraído do fundo da arca frigorífica da revolução de outubro, o outro trazendo no coração a lembrança do calor das chamas que consumiram o reichstag. Sobre tudo planava a sombra sapiente do Costa (o outro) comentarista do comentário já farto de comentar, prenhe das suas certezas arvorando na testinha reluzente o dístico “acólito de serviço” e nas mãos o incensório tresandando a merda.

  6. “Ricardo, quem não larga o PEC IV e os idos de 2011 é a direita decadente que tu apoias e para quem trabalhas. Bem podes limpar as mãos à parede.”

    Finalmente o Valupi começa a limpar a ramela para ver claramente e acertar na mouche.
    Eles, cada vez mais o único ‘argumento’ que têm é o da ‘bancarrota’ que também cada vez mais o repetem a pretexto de tudo e nada.
    E porquê?
    Porque começam a perceber que vão perder a batalha junto da opinião pública e até do povo mais atrasado politicamente. E, sobretudo, já sabem que historicamente essa guerra está perdida definitivamente. Até em Bruxelas já perceberam que estão perdidos para os europeus e para a história da Europa; a Grécia pôs a nu a podridão.
    O apogeu e lance decisivo dessa luta culminará com o resultado das próximas eleições; se a serenidade e capacidade de AC convencer o povo desorientado que é mais sério e melhor contra as capacidades de mentir e manipular de passos & portas, então o ponto de inversão da campanha da ‘bancarrota’ dar-se-á e acabará por cair a pique e com ela cairá também, estrondosamente, esta maltosa corrupta do psd.
    E não cairá apenas a maltosa deste governo, também os intelectuais bafientos e lambecus dos corruptos cavacos, durões, manelas e passos como o pacheco, pulido valente, barretos, marcelos e centenas de ricardo costas que pululam por aí disfarçados de comentadores e jornalistas irão pelo cano como palhaços e trafulhas ao serviço dos donos.

    a partir dái AC de convencer caçar moscas com açucar serão e golpe decisiapogeu da luta vai dar-se ão não largam o arg

  7. Muito bom texto. Mas convirá não esquecermos que esta ladainha do Ricardo Costa e dos muitos outros assalariados da direita que infestam os canais de televisão, vão subir de agressividade e de veneno até às legislativas. Terão a apoiá-los no bombardeamento, como já ontem pudémos confirmar, os tradicionais defensores do quanto pior (para o povo) melhor (para eles). E (ainda) não vislumbro por parte da esqerda democrática uma estratégia, ou mesmo um golpe de asa, para abater, com números, com evidências e factos, estas aves agoirentas que apostaram na destruição do país e nos infernizam vai para quatro anos.

  8. Grande medida,… baixar a contribuição dos trabalhadores para a segurança social, quer dizer baixar as reformas dos futuros pensionistas. Sócrates volta… és melhor que o teu nº2.

  9. Antes cortar na TSU era quebrar uma matriz civilizacional cxralho, mas agora esta tudo bem.

    “O secretário-geral do PS, António José Seguro, acusou a Taxa Social de Única (TSU) de ser “imoral”, garantindo que se o Governo não recuar na medida o partido apresentará uma moção de censura.

    “A opção é do primeiro-ministro. Se persistir em aplicar uma proposta de transferência do rendimento dos trabalhadores para as entidades patronais, o PS apresentará uma moção de censura”, disse António José Seguro, em entrevista ao programa “De Caras”, na RTP1.

    “A Taxa Social Única é imoral e inaceitável e não tem nada a ver com a austeridade. A linha que separa a moralidade da imoralidade foi ultrapassada”, afirmou o líder socialista, pois a responsabilidade de financiar as empresas cabe aos bancos e não às pessoas. “Os portugueses não são cobaias”, frisou.

    Seguro lembrou que nunca nenhuma medida teve tanta oposição como esta: “Foi quebrada uma matriz civilizacional, isto é inaceitável.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.