Resolução de Ano Novo

A minha resolução para 2011 é ambiciosa, à altura dos tempos muito difíceis que enfrentamos. Consiste em tentar descobrir ao longo dos próximos 12 meses o que significa a expressão vale o que vale. É fórmula usada amiúde, já um cliché se o tema é relativo a sondagens, mas tem vasta aplicação. Ao limite, qualquer coisa pode receber a sentença: vale o que vale. Por exemplo, Paulo Sérgio vale o que vale, a ida da Moura Guedes para a SIC vale o que vale, o esquecimento da Judiciária de Aveiro acerca da existência de cópias das escutas a Sócrates vale o que vale e até o dinheiro, feitas bem as contas, vale o que vale. Assim, preciso saber do que anda tanta gente a falar.

E as tuas resoluções, quais são?

34 thoughts on “Resolução de Ano Novo”

  1. Caro Valupi,
    A minha é mais modesta.
    Dado que me deixei de revoluções, de esperanças adiadas e de messianismo descarnado de sagrado, vou fazer voluntariado.
    Já escolhi a ONG: Vida e Paz, que cuida de sem-abrigo, toxicodependentes, e de gente sem capacidade de auto regeneração.
    É, pois, uma resolução que “vale o que vale”.
    O seu Graal é a verdade.
    O meu, esse, assenta nos três princípios noaquitas.
    Aproveito a ocasião, para lhe desejar um bem bom 2011, com força, vigor e radicalismo que chegue para vergastar a tropa fandanga que por aí anda a urrar, sem pudor e sem vergonha, com um único objectivo: ir para o poleiro empoleirar-se – para parecerem gente grande.
    Abraço,
    José Albergaria

  2. Viver um dia de cada vez mas a pensar em alterar os erros alimentares com projecção imediata no valor da diabetes. Tenho uma consulta marcada pelos especialistas da área para Fevereiro de 2011. Quanto à crise quem já viveu o tempo em que se ia à mercearia trocar uma dúzia de ovos por uma quarta de açúcar e uma barra de sabão azul e branco (ou amarelo) já passou todas as crises e vai passar mais outra ou outras. Já renovei a carta de condução que caduca em 12-2-2011 mas ainda não recebi a nova.

  3. ora bem, a minha resolução matinal é deixar aqui uns votos e louvores antes de acabar o ano, aproveitando um nico de Sol,

    em primeiro lugar à equipa do Aspirina votos de feliz 2011 – é o ano mundial das florestas que inundam isto de verde belo e de oxigénio para não falar nos açúcares do floema (assunto difícil porque à conta de umas trouxas de ovos acho que até se me entupiu um ouvido afigurando-se no horizonte uma batalha desgraçada de cotonetes), na equipa incluo não só os autores como uma maralha indizível de comentadores,

    agora, coisas a fazer:

    1. Saramago pá, gosto muito de ti e dantes não! Eu sei que é muito fácil dizer bem dos idos coisa que até me irrita em Portugal. Mas quero dizer que fui com o Solimão por ali ao fora, e finalmente li O ano da morte de Ricardo Reis. Gostei muito, bonita deriva cruzada entre o real e o imaginário com uma saída bem airosa, portanto um exercício complexo bem iluminado. Ficaste no meu coração para sempre. Deixo aí uma frase:

    Já quase não acredito, Defenda o que lhe resta, acreditar será o seu álibi, Para quê, Para manter a esperança, Qual, A esperança, só a esperança, nada mais, chega-se a um ponto em que não há mais nada senão ela, é então que descobrimos que ainda temos tudo.

    2. Miguel Vale de Almeida:

    Ora aqui está um Vale que vale. Parabéns por tudo, entraste, trataste do assunto principal que te comprometia e saíste, talvez de passos perdidos? Creio que não, inteligente e discreto mas radical. Representaste o meu voto PS em Lisboa que assim fechou. Hoje vou revêr o Querelle. Feliz ano de 2011 para ti.

    O valor, enquanto expresso num número real, é o comprimento ou magnitude do vector :), signo da força,

    Quanto ao ‘vale o que vale’, se bem me lembro, essa dica começou com os modelos matemáticos já nos idos de oitentas, porque como quase ninguém se quer pronunciar sobre o alcance semântico de uma fórmula, arrematou-se com essa que não compromete ninguém e passa-se a bola para campo indeterminado?

  4. ⅀ ,

    Os problemas que tu arranjas com a alimentação :)

    Votos e louvores para ti também, o mutante mais simpático do aspirina…ora pantera, ora gato, ora árvore, ora druida ora &, ora Z, ora…

    (é nova década agora, não é?)

  5. Valupi

    Um ano muito bom. Espero que a inspiração e o talento generoso continuem por aqui.

    [Não sou de “rankings”, a não ser para “factum brutum”, porque se fosse, dourado estava o bocado para quem o merece. Mas, sendo a minha opinião, lá está, val: o que vale.]

    :)))

  6. Resolvi fazer o mais e melhor que puder para pagar mais impostos.

    Desejo aos “aspirinas” um ano formidável em tudo.

  7. Boa resolução, essa do vale o que vale. Eu ainda ando às voltas com a palavra “mas”, a mãe de todas as hipocrisias e desonestidades intelectuais.

    Bom ano para ti, para o jcfrancisco, para a Isabel, e para todos os comentadores aqui deste espaço. Este ano, aqui, foram só boas surpresas. Espero que em 2011 se mantenha.

  8. Caríssimo,
    Em primeiro lugar um Bom Ano para ti e todos os (as) Aspirinas.
    A minha resolução é tentar, durante 2011, perceber onde andam os 25% da economia paralela de que tantos especialistas falam.
    Abraço

  9. Um Bom Ano a todos, mesmo àqueles que se comprazem na ideia de que tudo será mau.
    A minha resolução é não vergar ao discurso da desgraça, do derrotismo.
    Avanti!

  10. bem bom, mesmo aos soluções, és uma querida Edie! Pois eu também tenho um sonho ou dois, e vai-se cumprir, quanto a isso de ser árvore também já andei a pensar, eu por mim ia logo de pinho bravo que sou muito informal, mas é melhor dar uma de caducifólia por causa da cavitação, sempre dá para andar descapotável se me der comichão. Agora monóica ou dióica, eis a questão.

  11. Val, tens imenso humor (ah, já te disseram? E também que és matreiro?). Acho piada à expressão que te propões esmiuçar. É uma forma diplomática (ou corajosa) de dizer:

    -Vale zero.
    -Não tem qualquer importância/consequência.
    – Provavelmente é mentira.
    – É esse gajo que diz? É tanga.
    – Balelas.
    – Deixa lá.
    – Ouvi dizer, mas não estou certa de que assim seja.
    – Aplicada a pessoas: “um triste”.

    Também se utiliza para não ter de se rebater um argumento.

    Claro que há coisas que valem mais do que o que valem. Ou menos. Tu nos elucidarás. Ao longo do ano.

    Por mim, vou continuar a amar a Terra e a vida o mais possível e a mandar achas para esta fogueira irreverente e criativa que é o Aspirina. Parabéns a ti e a todos os fármaco-dependentes; um bom ano.

  12. Também as minhas resoluções valem o que valem. O manto da relatividade é âmbíguo, porque tecido com a subjectividade que lhe confere o preconceito, o individualismo (egoísmo, inveja, mal dizer, negativismo, ideologia…) ilumina ou obscurece o valor real do que está a ser avaliado. Ninguém é detentor de toda a verdade, ninguém é juiz de ninguém, somos todos do planeta Terra (habitantes e parte intrinseca do cosmos, todos frágeis e fortes. Somos humanos, com tudo o que essa denominação implica.

    Gostaria muito de ver um cordão tecido à volta do planeta, com todas as mãos ligadas umas às outras, num grande e fratenal abraço. Dir-me-às que é utópico o meu desejo, mas é da utopia que nasce, quantas vezes, a realidade. Não custa nada sonhar, mas sonhar colectivamente, e em voz alta. Um Ano Novíssimo, porque sonhado.

    J.L.

    P.S.: é a 2ª vez que tento enviar “algo” para a aspirinab e… não resulta,
    porque me é devolvido. Porquê?

  13. Um desejo de muita produção de bons textos (como vem sendo habitual)e algumas ‘alegrias’. É um desejo para o Val que ‘vale o que vale’!?


  14. feliz 2011, da minha parte e também do pimenta e dos mozos galegos do hotel Bragança.
    abraço.

    o aspirina e a sua gente “vale o que vale” e vale muito. feliz 2011

  15. ora…amar e cagar pró medo. e trabalhar bué ( às tantas compro um jornal) para que todos achem que é uma bela merda andarmos a desejar o que nos dizem que devemos desejar.
    bom ano , V..espero que em 2011 te cures. e vás a tempo de te salvar.

  16. Um ano de 2011 cheio de luta.Luta, contra o Clube Bilderberg(só lutar contra o SOCRATES ,enjoa).Já agora,como quem nem quer a coisa,alguem me “expelique” onde o grupo IMPRESA arranjou o cacau para as suas recentes as contratações,pagas(eu sei ,é uma empresa privada)a peso de ouro.Dá pra desconfiar,lá isso dá.Serão contas de outro rosário,diria Cavaco Silva,mas como sou ateu ,contas do meu rosário,serão.

  17. Votos de um Bom 2011 a todos do BLog, com muita saúde ( pois para este ano fica caro ir ao SNS), paz e amizade.

    Pedíamos a inclusão do Cogitare em Saúde ( conta já com quase 2 milhões de visitas) nos vossos links e esperamos retorno em debate construtivo para 2011.

    Abraço

  18. Para ti também, Reis. Mesmo com o olhar desconfiado do Salvador. Deixa cá ver como me dou com este, de função, ou outras coisas.

  19. A expressão “vale o que vale” reflete uma dúvida sobre a validade daquilo a que se refere e, sempre que a leres, podes substituí-la por algo do género “não é completamente fiável mas, nas presentes condições, é o melhor que se arranja”.

    Pronto, já podes dedicar os 12 próximos meses a algo de maior interesse.

    PS: gosto muito de ajudar os outros.

  20. ф

    Boa. A tal função da um jeitinho vaticano também.
    Gostei da informação e da entrevista. Xosé Manuel Beiras, economista e professor muito qualificado da Galiza, tê-no nomeado muitas vezes en escritos e conferências, e queijava-se de que na Espanha não era conhecido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.