16 thoughts on “Reler para não esquecer”

  1. Bute iniciar uma corrente de boicote ao jornal (inimigo) “público” até à demissão/retratação do seu director de propaganda?

  2. Claro que se trata de um artigo escrito pela namorada de José Sócrates, jornalista no Diário de Notícias. Mas claro que isso não interessa para nada.

  3. obrigado à velha manela por nos alertar sobre a asfixia democrática. está a comprovar-se que realmente existe essa coisa. mas a tentativa tem origem em belém. o p.pereira e o paulo rangel, depois destas descobertas fedorentas, devem meter a asfixia democrática no cú (e já agora o jdias também).

  4. se a ferrugenta fosse a mais votada, felizmente parece uma hipótese arredada, não tenham dúvidas de que teríamos uma proto-ditadura num instante. Agora anda a fazer de avó, tadinhos dos que passam mal, mas logo a seguir era a hiena a dar o dito por não dito com o argumento que estava tudo muito pior do que tinha imaginado e vai daí: grandes negócios de Estado que isso é que eles gostam, venda das reservas de ouro, privatização da CGD e sei lá que mais, com chorudas comissões para a família e os amigos, pois claro.

    Como é que eu sei? É fácil, foi isso que ela fez quando foi ministra de Estado e das Finanças, ganda título! Primeiro como líder parlamentar do ppd no final do Guterres (já esqueceram que era ela?) andou a dar cabo das contas públicas arrastando para lá todas as parcelas ambíguas e onerando o défice que já estava aprovado pelo Eurostat para depois justificar as negociatas que fez. Até as jóias da coroa bazaram em 2002 na Holanda. Em 2003 Portugal ardeu 450 000 ha, um número tremendo nunca visto.

    Isto é traição nacional no mais alto grau na substância, e estas pessoas passam incólumes como se vê, mas quem ousou denunciar isto nos jornais levou, com despedimento ilegal por exemplo.

    Eu não sei que consciência têm estas pessoas, não consigo perceber como é possível ser assim, hipócrita, dissimulado, pérfido, mas lá que é verdade é. E andam aí.

    Agora ardam, ardam sem parar.

  5. jdias: a Fernanda Câncio transcreveu a resposta do JPP. Que nunca foi desmentida. Por isso, não é de todo relevante que a senhora seja a namorada do J. Sócrates, ou não. Em que medida é que o facto de ela ser a namorada do Sócrates influencia a transcrição da resposta, não desmentida, do JPP?

  6. É claro que foi escrito por ela. Como claro é que ela é namorada de Sócrates..Aqui tudo é claro…

    Alguém tem dúvidas??

    (Supeito que sei onde Sócrates esconde o “microfone” dele…)

  7. jrrc , eu suspeito que tu te tenhas baldado a umas boa aulas de Português, a jornalista namorada do Sócrates só transcreveu o que o teu herói escreveu e nunca desmentiu.

  8. oh João..tens razão..isso do português nunca foi o meu forte…

    O que eu disse não foi claro?

    Eu comentava um outro comentário (será isto uma redundância?) mais acima, que procurava diminuir a intervenção da jornalista por ser esta namorada de Sócrates. Ora é claro que é. Mas o que interessa é o conteúdo do artigo. E esse não foi posto em causa.

    (Ferreira Leite vai ser a protagonista do próximo livro de Pacheco Pereira, chamado “CSI Belém”, caso que remonta à fundação do Palácio do mesmo nome, onde foram emparedados sete agentes secretos)

  9. um apanhado rápido das afirmações e interrogações mais suspeitas do dia.

    do Cavaco Silva: “acho que o lima me anda a escutar o telefone da manela. vou demiti-lo!”
    do FLima: “porque é que eu só avisei os outros que andava com uma bomba atómica no bolso?”
    do JMFernandes: “descemos de divisão? quero lá saber, para o ano já estou noutro clube.”
    da Manela: “chamam a isto uma família? porque é que eu não me deixei ficar a tomar conta dos meus netos”
    do Paulo Rangel: “chamam a isto uma corrida eleitoral? vão andando que eu já os apanho”
    do Pacheco Pereira: “estão todos manipulados! olhem para mim…, livre que nem uma andorinha”
    do Rebelo de Sousa: “há dias que me correm mesmo bem. assim, a modos que aliviado”
    do Paulo Portas: “sinto-me um senhor!”

    mas nem tudo é mau, finalmente há uma certeza: o cavaquismo anda a fazer mal ao Cavaco Silva. já se suspeita mesmo que o cavaquismo é uma manipulação histórica do Sócrates para desautorizar o Pacheco Pereira.

  10. é a tal questão de segurança (na independência das instituições) que vai ser tratada a partir do dia 28, Z.

    salubridade da democracia exige-se, não bastam manobras de distracção. ou então o senhor Presidente tem que vir a fazer uma desinfestação bastante mais alargada da Casa Civil.

    independentemente dos seus esclarecimentos já virem tarde ontem.

  11. vou fazer um período de nojo. Isto de ter um presidente que inventa umas escutas para lançar a fogueira em período eleitoral contra o partido do governo é um watergate ao contrário mas ainda assim um watergate. Nojo.

  12. ele vai ter que se retratar e das duas uma: ou assume o seu erro processual por ter deixado correr o marfim ou as suas culpas na maquinação para desestabilizar o estado de direito. em nenhuma delas fica bem na fotografia e a segunda deve dar expulsão imediata.

    a terceira hipótese, que não me admiraria nele, é continuar o registo humorístico que ensaiou um dia destes. Fraquinho…

    se de facto anda com suspeitas há 17 meses então, pura e simplesmente, matou a democracia. está fora de causa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.