Realmente, é tudo tão óbvio


«Deixem-me recordar o óbvio: há dezena e meia de pessoas assassinadas pelas FP-25 que deixaram família. Esta gente está viva, ainda chora a forma como os seus pais, filhos ou irmãos morreram, e certamente vê noticiários. Alguém pensou um minuto nessas pessoas e em como se sentiriam se vissem agora aquele foi considerado o grande autor moral dos crimes que conduziram à morte dos seus familiares a ser enterrado com honras de Estado?»

Caluniador profissional pago pelo Público

.

11 thoughts on “Realmente, é tudo tão óbvio”

  1. vou dar uma volta pelo olx para ver quanto é que o gajo está a pedir pela dedicatória do otelo.
    bandalheira completa e o oscar a dar-lhes gás, a revolução oteleira deve ter acabado no elefante a discutir democracia directa com o pessoal de alterne.

  2. Realmente é tudo tão óbvio, julga igualmente camacho, que presume poder gozar os benefícios da sua fuga às questões incómodas.
    Teria a vantagem da clareza e de uma maior salubridade intelectual se camacho decidisse pôr fim à sua conversa fiada, respondendo ao que lhe foi perguntado. Sem subterfúgios, sem fugas para a frente.
    Recusando, deste modo, a cobardia de se comportar como quem vive com a espinha dobrada e é incapaz de pô-la direita.
    A espinha dobrada dos que choram a violência da morte de Kadafi, mas se calam quanto às violências da sua ditadura. E não desatam a língua para falar do massacre na prisão de Abu Salim nem das vítimas de Lockerbie.
    A espinha dobrada dos que choram a violência da invasão norte-americana do Iraque, mas não tugem nem mugem acerca das violências do reinado de Saddam Hussein. Não abrindo a boca para falar do ataque químico de Halabja, da tortura e morte nas prisões iraquianas ou da invasão do Koweit e da guerra contra o Irão.
    A espinha dobrada dos que choram a violência das tentativas de assassinato de Fidel Castro, mas calam a sua ditadura, não abrindo o bico para falar da violência sobre Reinaldo Arenas, Manuel Antonio González Castellanos, Leonardo Varona González ou Vladimiro Roca Antúnez.
    A espinha dobrada dos que choram a violência da intervenção ocidental na Síria, mas são coniventes no silêncio com a violência da ditadura de Bashar-al-Assad, da intervenção militar russa, do ataque químico de Guta, da repressão exercida sobre Kamal Labwani, Michel Kilo ou Anwar al-Bunni.
    A espinha dobrada dos que choram a violência do denegrimento ocidental da Rússia de Putin, mas cobardes no consentimento da violência da intervenção russa na Ucrânia ou da praticada sobre Svetlana Prokopieva, Ivan Safronov, Kirill Serebrennikov, Anna Politkovskaia, Arkady Babchenko ou Anastasia Baburova.
    A espinha dobrada dos que choram a violência da hostilidade ocidental contra a China, mas viram a cara perante a violência exercida sobre os dissidentes Chen Guangcheng e Guo Yushan ou face à repressão em Hong Kong e no Tibete.
    A espinha dobrada dos que choram a violência israelita que atinge os Palestinianos, mas fecham a boca e nada dizem da morte violenta de israelitas nos atentados de bombistas-suicidas de Beersheva, nem da violência dos desígnios do Hezbollah e do Hamas de destruição completa do Estado de Israel.
    camacho enfrenta hoje uma escolha inadiável: ou persiste na sua fuga às exigências da verdade ou logra a coragem de crescer intelectualmente e ganhar o direito à maiúscula no nome.
    Depende desta escolha não ficar condenado a eterno camacho.

  3. Na minha opinião, o caluniador deve ser ignorado pois, como é um mero
    masoquista alimenta-se da “porrada” que lhe vão dando nas redes … por
    isso, basta de falar dele!!!

  4. Porra, pide merdoso e infantilóide! Tu não tens mesmo um pingo de dignidade? Um pinguinho de vergonha na cara? É que, para quem consegue ultrapassar o nojo, já começas a fazer pena.

  5. Não sejas tão burro como o pide merdoso, pá. Um neurónio chega para perceber que sou dos que não conseguem, nem querem, ultrapassar o nojo.

  6. já sei quem foi Otelo : foi um gajo de visão , nem 10 anos após o 25 de Abril topou como a neófita “democracia” se iria desenvolver ( ai , o botas bem avisou..apanhou o país em plena confusão) e resolveu tentar implementar um regime que mantivesse os trapalhões em sentido , uma pena , falhou , matou em vão , e agora temos de gramar esta oclocracia de merda.

  7. Não consigo ver esse programa, são uns beatos de todo o tamanho. Beatos mesmo, é uma maneira de ser, maneira de estar, um “imperativo interiorizado” dessa gente,
    Sobre a Clara Ferreira Alves, disse uma mentira no programa. Mário Soares não foi visitar Sócrates duas vezes à prisão. Foi visitá-lo muitas vezes. Por ser realmente extraordinário e corajoso.
    Ela é a única pessoa deste país que se lembra de reduzir Mário Soares ao que quer que ela tenha dito. É ela quem verdadeiramente reduz Mário Soares. Ou pretende reduzir.

  8. Leiam com muita atenção o último parágrafo do artigo que o gajo escreve hoje, 03/08/21, no Público. O que vai naquela cabeça! Já não adianta aconselhá-lo a ver os programas do Canal História às segundas feiras à noite.

  9. Boa noite Fernando, no mês de Agosto não compro jornais. Interessa me pouco saber para onde os políticos vão refocilarem se

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.