21 thoughts on “Ranhosos suspiram de alívio e abraçam-se em êxtase com a perspectiva de mais 7 anos sem quebras no fornecimento do produto”

  1. nos submarinos há corruptor julgado e condenado na alemanha, mas não há meio de aparecer o currompido, no freeporcos os corruptores foram absolvidos, o corrompido já apareceu e tem julgamento à vista. a justiça e a segurança ao serviço de belém.

  2. acho que o povo já está cansado desse produto e não se distrai da ressaca: o machado está definitivamente sobre a cabeça dos ranhosos.

  3. Do DN
    “O mesmo tribunal absolveu Charles Smith e Manuel Pedro do crime de tentativa de extorsão. Apesar de os absolver, o tribunal considera que houve “fortes indícios” de que existiram pagamentos a alguém no Ministério do Ambiente e na administração pública.”
    Ou seja a investigação vai ser feita a alguém incerto. Certo? Não!
    Já que:
    “Para se decidir pela extração da certidão, o coletivo de juízes considerou como credíveis os depoimentos de três testemunhas, diferentes, sem ligação entre si, que afirmaram que Manuel Pedro lhes disse que tinha havido pagamentos a Sócrates.”
    Temos portanto um suspeito indicado por 3 testemunhas crediveis porque não se conheciam e disseram exactamente o mesmo. Mas acontece que as testemunhas não disseram que sabiam de suborno ou algo de concreto mas somente o que o Manuel lhes tinha dito. Logo o Manuel é que indiciou, não foi? Se o Manuel tivesse dito a 100 pessoas, sem ligação entre si, ainda mais credibilidade teriam os indícios, era?

  4. Isto vem nas linha da sentença.PORTUGAL neste momento é um pais muito mal frequentado.tudo é possivel fazer impunemente, para poderem manter-se no poder.A justiça segundo os entendidos um cancro, que suga milhoes aos povo portugues com a sua habitual ineficacia,continua atras do fantasma que os atormenta!

  5. O crime que estava em julgamento era o de extorsão. Não de corrupção.
    O Tribunal, perante os testemunhos que ouviu, não fez mais que a sua obrigação.
    Custa, mas é assim.
    Naturalmente, não vai dar em rigorosamente nada, quanto mais não seja porque rasto do guito nem vê-lo…mas em democracia e num estado de direito (não que o nosso seja um exemplo sequer mediano do dito, mas enfim…) até os ex-primeiros-ministros têm de responder em Tribunal.
    Por muito menos, V.Exas. e eu próprio bateríamos com os costados em Tribunal sem dó, nem piedade. E não era agora. Não haveria Pintos nem Noronhas que nos valessem. Ah, pois é!

  6. Então se é assim tão simples como diz o nuno albuquerque porque é que aos senhpres do bpn e dos submarinos não acontece darem com os costados todos em tribunal?

  7. O que o Nuno Albuquerque diz é inquestionável. O colectivo de juízes está no seu direito e a aplicar o direito. Mas o caso Freeport não é só, nem principalmente até à data, um assunto exclusivamente judicial. Trata-se na origem de uma manobra política que foi usada em duas eleições legislativas para obtenção de ganhos eleitorais.

    Veremos se desta vez se esclarece a parte meramente judicial da coisa, sendo que o mais interessante para a política nacional seria o aparecimento de prova relativa à corrupção de Sócrates ou de alguém do Governo de Guterres, fosse do Ministério do Ambiente ou da Administração Interna ou doutro lado qualquer. Mas mesmo que nada se prove, os Nunos Albuquerques desta vidinha continuarão a caluniar.

  8. oh albuqueque! daqui a 7 anos quando o ministério público pedir a absolvição do socrates por falta de provas vais descobrir que afinal não era crime de corrupção mas de estacionamento proibido e voltaremos ao princípio. entretanto submarinos, bpn e merdas que metem direitolos não mexem por falta de verba, meios ou legislação adequada.

  9. afinal o Albuquerque só veio confirmar o acerto do título do post, tendo tido a gentileza de vir aqui apresentar o seu exemplo pessoal. What’s new?

  10. Oh ingnoratz, e o que é que o pedido de absolvição daqui a sete anos tem a ver com a existência do processo!? O Smith e o outro não foram julgados e absolvidos?

  11. Ola

    Fazeres alarde a este respeito escassos dias a seguir a teres escrito um post para deitar foguetes porque o mp requeria a absolvição dos dois reus, eis o que me mergulha num abismo de perplexidade.

    Enfim, ha muito que desisti de me preocupar com a tua saude mental, ou com o teu sentido da consequência.

    Abraço e vê se descansas um pouco os neuronios, que bem precisam !

    Boas

  12. “… e o que é que o pedido de absolvição daqui a sete anos tem a ver com a existência do processo”

    nada, podes passar o resto da vida a inventar processos ou mesmo a levar no cu, que não vais preso por isso. se fores do ministério público ainda recebes por isso, ordenado, despesas e gorjetas da pasquinada para cobertura mediática da merda que produzes sustentado por fortes indícios ou suspeitas credíveis de seres burro.

  13. Caros,
    O que define claramente o preconceito pré-concebido dos caseiros juízes está no facto de considerarem credíveis “um diz que ouviu dizer de Manuel Pedro”, precisamente o mesmo que fora considerado arguido e acabado de julgar por suspeita de extorção.
    É racional um colectivo de juizes de facto e de jure tomar como credíveis “un diz que ouviu dizer de outrem” quando esse outrem é o próprio arguido que está a defender-se em tribunal por acusação de um crime?
    E a credubilidade dos juizes vai ao ponto de nem sequer ver a possibilidade de que os arguidos em julgamento usem precisamente tal argumento como alibi de atirar a culpa própria para esse tal que citam no “ouvi dizer”? Nem mesmo depois de sete anos de chicana político-mediática alimentada no mesmo sentido?
    Como é possível que os magistrados que detectaram factos para deduzir acusação depois venham pedir agora a absolvição? Não provaram os factos? Então são altamente incompetentes. E por isso, por incompetentes que são, premeditaram levar o caso para o terreno político onde podem à vontade disfarçar a sua incompetência junto do pagode.
    As célebres perguntas que, ao fim de seis anos de investigação, ficaram por fazer tinham de ter continuação: esse era o propósito em vista e desse modo manter a suspeita acesa em lume brando mais sete anos: agora, à semelhança do Smith, os jornais e pessoas tablóides vão acusar à lagardère para ocultar a corrupção própria.
    Mais uma vez somos um país de subservientes face ao estranjeiro, desta vez face aos ingleses como tantas vezes aconteceu ao longo da nossa História. O Smith é o homem de mão dos gestores do fundo para sacarem massa desse fundo em proveito próprio, e o portuguesinho afana-se em dar-se todo e tudo para acusar o concidadão por mesquinha vingança político-pessoal.
    Vamos ver se no final esta maquinação político-judicial não acaba mesmo por desmascarar os seus autores encobertos tal como a actual governação está desmascarando os seus.

  14. Com todo o respeito pelos “Albuquerques” e outros terminados em “queques”…. Depois das “tais” perguntas que não quizeram que Sócrates respondesse e depois de o próprio Ministério Pubilco “Acusador” ter pedido a absolvição dos que acusaram, aguardavam outro FINAL… que não fosse manter Sócrates em “BANHO MARIA”?? RSRSRSRSRSRSRS

    Parece que se provou que o “Pinóquio ” não era Sócrates, mas há que “aprisionar”politicamente Sócrates…..esta será a melhor maneira de o fazer. ( digo eu)

    N.B. Se Sócrates meteu a mão no “cofre” provem e condenem, mas parece tudo indicar que a maior “condenação” é manter a dúvida….hábitos que se vão consolidando. Não sei até quando…..

  15. O que eu gostava de saber é que pernas têm um processo para andar baseado no que as 3 testemunhas ouviram dizer de terceiro, especialmente de terceiro que foi formalmente acusado de corrupção e quer é safar o seu couro. especialmente também porque o pais está cheio de guito para alimentar parvoeiras destas que se sabem inconsequentes a nivel pratico mas muito uteis para desviar atenções de execuções de orçamentos ” desastrosas” (para ser meiguinho).

    Se há quem veja nisto indicios é porque ou é grande fã das teorias da conspiração, ou é pateta ou é um pulha JSD/PSD certificado.

  16. Lamento muito contrariar os bens pensantes, que reduzem a questão ao cumprimento da lei (caso do nuno albuquerque). É claro que a questão não é jurídica, é política, como toda a gente sabe, incluindo, eventualmente, os senhores juízes que “mandaram investigar sócrates”, e como tal deve ser tratada.

    Porém, como não me apetece continuar a ouvir os bem pensantes zurrarem opiniões, agora a coberto de zurros jurisprudenciais, esclareço:

    a) Ao Ministério Público, como titular da acção penal (bem ou mal, é) não podem os juízes mandar investigar ou deixar de investigar. Pode, meramente, mandar extraír certidões e remetê-las ao Ministério Público, para que faça delas o que entender (normalmente passá-las ao correio da manhã, que à tarde não há correio);

    b) Quanto ao Ministério Público, é sumamente claro que a lei lhe veda a reabertura de um inquérito (é disso que tecnicamente se trata) com base em “indícios” que nem sequer são novos. Poderia fazê-lo, mas apenas perante a superveniência de novos factos, que não se sabe aqui quais sejam.

    c) Por isso tudo, a decisão em causa configura um acto inútil, que a lei proíbe e que sujeita os seus autores a procedimento disciplinar.

    d) Tudo isto resulta cristalinamente e imediatamente da lei, não admite qualquer discussão séria e só se explicando esta iniciativa à luz do estado geral de abandalhamento em que somos forçados a viver.

    Mas, é claro, a questão é política e não jurídica. Tratemo-la como a devemos tratar.

  17. Albuquerque,uma coisa é ser absolvido por falta de provas,outra coisa é ser inocente.Esta sentença,mantem na duvida todos os portugueses,o que dá muito jeito na minha modesta opinião aos juizes da nossa praça por obvias razões…Avancem,chamem Socrates a um interrogatorio e confrontem as opiniões.Ao minuto se for possivel descubram possiveis reuniões, encontros e telefonemas.As chamadas não ficam gravadas durante um determinado periodo de tempo? trabalhem meus amigos e rapido.Não trabalhem só pelo fim do mês, e pelo imoral, na maioria dos casos subsidio de renda.Daqui felicito todos aqueles que foram para esta vida com espirito de missão. infelizmente poucos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.