Rangel, um farol para o PSD

Paulo Rangel é o maior bluff do PSD, nesta época 2009/10. Fez uma campanha ridícula para as Europeias, cujo única força esteve nas prestações televisivas onde o terrorismo verbal, próprio das suas intervenções parlamentares, serviu como injecção de testosterona numa partido desvitalizado e depressivo. Mas quanto a relevância no discurso ou carisma na presença, zero. As sondagens eram o retrato fiel do que valia. Depois, aconteceu um imprevisto fenómeno de absentismo que castigou o PS e deu a vitória ao PSD. Os elogios que se fizeram a Rangel, o desvario dos festejos na Lapa, até o louvor a Ferreira Leite pela acertada escolha do candidato, foram reacções delirantes, próprias dos grupos que preferem a fuga à realidade.

Nesta entrevista, vemos somente um tecnocrata do carreirismo político. Não tem nada para dar a Portugal. Ainda por cima, está no PSD apenas por ser este maior do que o CDS em poder político, não por adesão ideológica seja a que projecto for. Acaso estes partidos trocassem de dimensão, Rangel trocaria imediatamente de camisola. O seu posicionamento já é de porteiro, com um pé dentro e outro fora, repetindo a agenda de Portas.

Um militante deste calibre nada quer arriscar, é tudo pela certa. Não? Foi para líder de bancada em situação de desespero da mesma, depois desta ter sido reduzida a escombros por Sócrates. Se ele falhasse, ninguém reparava nem lhe pediria contas. Se meramente conseguisse não ser humilhado, o partido gritaria vitória. Foi para as Europeias como último recurso, se falhasse a culpa era de quem o tinha escolhido em cima da hora, não do pobre coitado. Agora, este exemplar de raça barrosã prefere ser assalariado lá fora a ganhar a vida ajudando Portugal. Por uma razão demasiado óbvia: ele tem primeiro de queimar Marcelo e Passos Coelho antes de avançar. Espadas de Dâmocles só de plástico.

Rangel corporiza o modelo clássico do político à portuguesa, paradigma que o PSD exemplarmente cultivou: licenciados em Direito, cínicos, sanguíneos, de chã ambição. A sua agressividade verbal simula uma capacidade de liderança que a intuição não confirma. A facilidade com que mente, e a grosseria das mentiras, é demasiado obscena para sequer ter direito a um período de dúvida expectante. Mas ele pode ser muito útil para a politica nacional: basta vê-lo como farol, faiscando no breu tempestuoso onde navega o PSD, e saber que ir na sua direcção é ter a certeza de acabar naufragado ou encalhado.

37 thoughts on “Rangel, um farol para o PSD”

  1. Vejamos as coisas pelo lado positivo: se as bebedeiras do Valupi alteram-lhe a consciência e o põem a vomitar a propaganda em defesa do Pinto de Sousa, a verdade é que também libertam o seu inconsciente, e é neste que conseguimos encontrar o que ele realmente pensa àcerca dos iguais ao Pinto de Sousa. Porque o que ele nos diz sobre o Rangel aplica-se quem nem uma luva ao segundo. A censura do seu super-ego é que o impede de dizer o que lhe vai na alma. Mas como se vê, o vinho até liberta!
    Diz-nos ele que a força do Rangel veio das suas prestações televisivas. Pois a força do Pinto de Sousa também veio daí e começou aí, quando o outro Rangel (o Emídio) o convidou para debates (para aparecer) na TV. E assim continua a ser, com o homem a agir e a falar em função dos holofotes da televisão. Ou não fosse ele o vendedor-da-banha-da-cobra, por excelência.
    Diz-nos também que o Rangel é apenas um tecnocrata do carreirismo político. Ora, do Pinto de Sousa também não se pode dizer mais, pois toda a sua vida foi feita dentro do partido e sempre à procura de tacho. E se o Rangel podia estar no CDS como está no PSD, ao Pinto de Sousa também tanto lhe dava estar no PS como no PSD (onde, como se sabe, até esteve), pois os princípios ideológicos nunca foram coisas que o movessem. O dito «pragmático» vai alinhando com as ideologias dominantes e com os poderes dominantes, e é apenas a estratégia política o que determina o seu «posicionamento ideológico»: por isso «ontem» era pró-liberal e pró-terceira-via, «hoje» já é mais keynesiano, e amanhã será outra coisa qualquer. Mas isso só faz dele o mesmo impostor de sempre.
    E se Rangel corporiza o político clássico à portuguesa, do Pinto de Sousa o que se pode dizer é que corporiza exactamente o mesmo, com a excepção de lhe faltar a licenciatura em Direito: também ele é cínico, mentiroso, e não olha a meios para atingir os fins.
    Enfim, depois deste texto, recomendo ao Valupi que continue a embebedar-se, pois muito daquilo que está recalcado no seu inconsciente vem ao de cima. E isso é meio caminho para libertar a sua tola neurótica.

  2. olá ds.
    há muito que não aparecia por aqui. com o devido repeito pela guida e afins, e pese o facto de vc e o valupi estarem de “costas voltadas” (???), é com mt gosto que volto a ler os seus comentários. é quiçá o único que casca a valer no valupi. será do vinho?

  3. “Fez uma campanha ridicula para as europeias”.

    Se calhar por isso é que ganhou…

    Embora se fosse esse o critério para a vitória, o Vital tinha ganho.

  4. jdias, as Europeias não foram ganhas pelo PSD, foram perdidas pelo PS. E a campanha de Rangel, a qual consistia em ir para hotéis falar com um grupinho de militantes e apaniguados, foi nula.

    Vital surpreendeu pela vitalidade, e teve o mérito (nele) de ter pisado o risco, foi atrevido.

  5. O Vital atrevido?

    Tu drogas-te furiosamente coitadinho. Mas eu compreendo, precisas disso para ganhar a vida. E só com drogas pesadas é que consegues ver esses filmes.

    (e só mais uma coisinha, o PS perder as eleições sempre é uma derrota, ou não será?)

  6. “Agora, este exemplar de raça barrosã prefere ser assalariado lá fora a ganhar a vida ajudando Portugal.”

    Esta frase é todo um programa! O que tu querias era que o gajo se candidatasse à Presidência do PSD.

  7. Luis Oliveira,
    O valupi acha que todos são taralhocos como ele! O gajo não passa de um pateta alegra, vê bem a pobreza desta adjectivação “raça barrosã”. Provavelmente anda á procura de quem o cubra, tanto se lhe dá que seja de raça barrosã, como charolesa qualquer uma lhe servirá, não terá que ser um dos bravos ;-)!

  8. Anda por aí ds (direita serôdia) que tem dor de cotovelo. Toda essa ds não percebe a não ser de receitas etílicas (ainda devem ter saudades do “dar vinho a beber, é dar de comer a um milhão de portugueses…”).
    O Rangel – esse esganiçado neófito – está mesmo à espera da “vaga de fundo” – (de certo para ir para o dito cujo com os restantes. Está à espera que a máquina de triturar acabe com uns quantos para se aventurar. Que fez ele para poder estar à altura dos graves problemas que enfrenta a economia mundial? A cassete que sempre repetia, enquanto líder parlamentar (para lamentar!!!) era facilmente desmanchada pelo tal Pinto de Sousa a que – sarcastimente – alude ds.
    Ele sempre a tentava compor, pegando num pauzinho para a rebobinar, mas de tão gasta, teve de ser recambiada para Estrasburgo… ou Bruxelas, ou para ounde quer que esteja (e que fique por lá muito tempo, que a mim não me faz falta nenhuma, embora, também, se estiver a liderar o partido (quebrado) a falta é a mesma). Haja decoro. E já agora memória.

  9. Dor de cotovelo?! Ó MT (Muito Totó) como é que eu posso ter dor de cotovelo de alguém que se assemelha tanto ao «esganiçado neófito»? Mas tens razão numa coisa: se eu fosse da «direita serôdia» só podia mesmo ter essa «dor de cotovelo» de que falas, pois o Pinto de Sousa tem conseguido recolher o apoio (e o voto mesmo) de tipos como o Júdice, o van Zeller e outros que tais. Agora vai lá ler o que eu escrevi com mais atenção… Mas «larga o vinho», antes disso…

  10. Muito totó, que tu não sabes ler é um dado assente. Mas isso não é desculpa para vires para aqui exibires a tua burrice. De qualquer forma, são gajos como tu que nos mostram o porquê do Pinto de Sousa ter tanta facilidade em manipular certas cabecinhas…

  11. TEMOS DOUTOR… QUEREM VER… JÁ VI MUITOS BURROS QUERENDO ENSINAR, MAS NADA ENSINAM, MAS MUITO MENOS APRENDEM.
    SE A TUA CABEÇA TIVESSE DOIS DEDOS DE TESTA NÃO ENGRAVIDAVA DE OUVIDO.
    É MELHOR “BENZEREM-TE” COM A SACRO-SANTA SABEDORIA DO CONDE DA MARMELEIRA, OU DO SEU MENTOR O XERIFE DA FONTE DE BOLIQUEIME.
    “APRENDE A NADAR COMPANHEIRO, QUE A MARÉ ESTÁ A CHEGAR…”

  12. Margarido,

    o ds chegou aqui e toca de adjectivar quem com ele não concorda, a decidir quem tem direito de comentar e quem não tem ( é que ds quer dizer “democracia suspensa”, até parecia o sócio gerente aqui do blog..

    Deixa estar, diz-me a experiência que é impossível ganhar uma discussão com um ignorante…

  13. Doutor? Não me parece que seja preciso tanto para constatar as tuas dificuldades na leitura…
    E só cá faltava a sopeira da Edie(ota) para o festival da imbecilidade ser total!

  14. Mas uma coisa é certa: segundo a sopeira Edie(ota) ganhar uma discussão é mandar os outros para o caralho. Típico das sopeiras…

  15. agora é que vi que vcs andam aqui a brincar de Asterix, sem romanos, o problema é sempre a falta de romanos que javalis ainda se arranjam. Poção também.

    (eu só vim à kpk)

  16. ó ds, doutor saloio, qual foi a parte de “é impossível ganhar discussões com ignorantes” que não percebeste?

    Além disso, hoje em dia, as mulheres já podem dizer palavrões sem serem designadas de putas ou sopeiras, só mesmo reacionários muito fedorentos armados em sexistas de merda é que acham ainda que detêm essa exclusividade. Pois fica-te com ela.

    E sabes que mais? Vou juntar-me aqui ao grupo de comentadores – e autores – do aspirina que não te dão troco. Por isso, doutor saloio, vai ver se eu estou lá fora. E de caminho…vai para o caralho.

  17. Ó minha puta Edie(ota) – espero que não te ofendas por eu te tratar na linguagem que tu melhor percebes – tu é que não estás a perceber: eu contigo não tive qualquer discussão (devia ter posto esta palavra entre aspas). Tu, como sopeira que és, é que recorreste logo aos palavrões para me «responder». Portanto não te faças de virgem ofendida, porque isso fica mal a uma puta como tu…

  18. Sim, muito totó, eu percebi isso: que és distraído, e que por isso não consegues ligar ao que disse a respeito das tuas leituras com olhos de burro. Mas deixa de ser um solipsista distraído e de pensar que só estás ligado ao teu «COGITO» e liga-te ao mundo…

  19. já viste que agora andamos aqui no meio? Eu também durmo 9 horinhas que nem um texugo. Portanto isto vai dar peixe para o almoço, não sei se vá buscar a minha lira que ainda me sai o maior…

    bem, mas eu tenho que ir dar uma volta à floresta e ver do zimbro, volta de manutenção,

  20. P.S. – Não não é o que pensas, nem é Pinto de Sousa, é mesmo para acabar:
    “Uma mosca sem valor
    Pousa co’a mesma alegria
    Na careca dum DOUTOR
    Como em qualquer porcaria!”
    (António Aleixo)
    MASTURBA-TE

  21. como ia dizendo, MASTURBA-TE com o teu apetível ego e já agora podes engolir o previsível e conspurcado sémen, para não se desperdiçar o veneno que dele, por certo, imana e depois chafurda na pocilga dos teus neurónios…
    Amen.

  22. Estás no bom caminho, muito totó… Já consegues reconhecer que a tua «careca» (ou COGITO) de DOUTOR é uma grande MERDA, como qualquer porcaria. Mas continuas a ver mal o que está para além da tua lixeira craniana…

  23. Era para terminar por aqui, ó doente senil, mas como o teu conhecimento é baixo e o q.i. rasteiro, julgo que te fará bem leres este poema do Alberto Pimenta (com todo orespeito para o Autor) e depois DESAPARECE!

    O pequeno filho da puta
    é sempre um pequeno filho da puta;
    mas não há filho da puta,
    por pequeno que seja,
    que não tenha
    a sua própria grandeza,
    diz o pequeno filho da puta.

    no entanto, há
    filhos-da-puta que nascem
    grandes e filhos da puta
    que nascem pequenos,
    diz o pequeno filho da puta.

    de resto,
    os filhos da puta não
    se medem aos
    palmos,diz ainda
    o pequeno filho da puta.

    o pequeno filho da puta
    tem uma pequena
    visão das coisa
    se mostra em
    tudo quanto faz
    e diz
    que é mesmo
    o pequeno
    filho da puta.

    no entanto,
    o pequeno filho da puta
    tem orgulho
    em ser
    o pequeno filho da puta.

    todos os grandes
    filhos da puta
    são reproduções em
    ponto grande
    do pequeno
    filho da puta,
    diz o pequeno filho da puta.

    dentro do
    pequeno filho da puta
    estão em ideia
    todos os grandes filhos da puta,
    diz o
    pequeno filho da puta.
    tudo o que é mau

    para o pequeno
    é mau
    para o grande filho da puta,
    diz o pequeno filho da puta.

    o pequeno filho da puta
    foi concebido
    pelo pequeno senhor
    à sua imagem
    e semelhança,
    diz o pequeno filho da puta.

    é o pequeno filho da puta
    que dá ao grande
    tudo aquilo de que
    ele precisa
    para ser o grande filho da puta,
    diz o
    pequeno filho da puta.
    de resto,

    o pequeno filho da puta vê
    com bons olhos
    o engrandecimento
    do grande filho da puta:
    o pequeno filho da puta
    o pequeno senhor
    Sujeito Serviçal
    Simples Sobejo
    ou seja,
    o pequeno filho da puta.

    Alberto Pimenta

  24. Outra vez?! Ó muito totó, tu tanto dizes que já não dizes mais nada como voltas atrás, e papagueias o que outros disseram. A tua lixeira craniana não dá para mais? Mas parabéns pela escolha desse último poema do Alberto Pimenta, pois é um poema que espelha a essência da personalidade do Pinto de Sousa (o grande filho-da-puta) e daqueles que o seguem, aplaudem e imitam: os pequenos filhos-da-puta, como tu…
    Não te digo para desapareceres; pelo contrário, continua a aparecer para nos fazeres rir com os teus comentários imbecis e com as tuas escolhas de poemas que te auto-retratam.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.