Raciocínios bem sucessidos

Europol - gráfico terrorismo - sucessidos

Louçã publicou este gráfico e utilizou-o para sustentar as seguintes afirmações:

"Os números oficiais e confirmados da Europol dizem-nos algo de estranho: é que há menos atentados do que há uns anos atrás mas há muito mais presos (como se verifica no gráfico com dados até 2015, leia-se o artigo de João Ramos de Almeida). Ou seja, a intervenção policial é cada vez mais ineficaz e a repressão mais abrangente."

"Dirão que há um “radicalismo islâmico” que agora conduz a mortandade, mas o “radicalismo cristão” de Anders Breivik foi mortífero e parece que tinha um imitador em Munique."

"O que se tem feito quanto a resposta policial, do que se sabe e verifica, parece particularmente irrelevante, se não perigoso em algumas medidas emblemáticas, veja-se o exemplo do grande acordo entre as autoridades europeias e as norte-americanas para lhes fornecer os dados sobre as viagens dos cidadãos no espaço europeu. Contribuiu isso para a prevenção de algum dos atentados ou para a investigação sobre os seus responsáveis? Ao que se sabe, não."

"Ou podemos não perguntar, podemos não querer saber, podemos até, nessa feliz ignorância, não querer combatê-lo."

Parafraseando, temos que Louçã acha estranho constatar uma relação entre a diminuição do número de atentados e o aumento do número de detidos. Louçã descobriu que Anders Breivik, afinal, agiu em nome de um qualquer “radicalismo cristão” ainda à espera de publicidade. Louçã não sabe o que os serviços de segurança andam a fazer secretamente para evitar ataques, pelo que considera estarem apenas a perseguir os cidadãos livres em vez de perseguirem os maus da fita. Louçã sabe donde vem o terrorismo: do capitalismo, do imperialismo americano, das potências ocidentais, dos corruptos do mundo inteiro que se misturam numa orgia dantesca no Médio-Oriente, destruindo países e populações só para enriquecerem mais e mais, numa devastação sem fim até que a revolução da esquerda grande chegue e reponha a paz e o amor universais.

Moral da história: a inteligência é presa fácil da ideologia.

6 thoughts on “Raciocínios bem sucessidos”

  1. E no entanto, nem tudo é mentira. Por exemplo, esta parte é verdadeira:
    ” … donde vem o terrorismo: do capitalismo, do imperialismo americano, das potências ocidentais, dos corruptos do mundo inteiro que se misturam numa orgia dantesca no Médio-Oriente, destruindo países e populações só para enriquecerem mais e mais, numa devastação sem fim …”

  2. realmente. a correlação que ele não encontra entre mais bandidos presos e menos assaltos é de gritos :)
    um enjoado , o louçã.

  3. Sim, a culpa será sempre dos estados unidos. já o pessoal de lá é todo muito porreiro mas, coitados, não têm apego à vida por não poderem poderem jogar pokemon e ir ao macdonalds. enquanto o pessoal achar que não à diferenças entre cabul e lisboa vamos andar nisto.

  4. (o capital é sábio, então, aquaporina. :-))

    não pode, pois claro, a ideologia ser capanga da inteligência – a começar pelos sinuosos ésses que, à primeira lida, passarão despercebidos. estranha é mesmo a sua interpretação do gráfico – tão estranha quanto a sua legenda. estará também a ficar senil? :-)

  5. Sucessidos? Pretenderá ser sucedidos? Desde quando o ex grande lider sibilante
    poderá ter um raciocínio dessa qualidade? Ele é mais papéis em branco para agitar
    e, dizer que ali está a prova do que diz!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.