Queirozianos

Carlos Queiroz, desde 11 de Julho de 2008, tem seguido à risca a meticulosa estratégia de baixar as expectativas à volta da Selecção, depois dos sonhos grandiloquentes de Scolari. O apuramento para o Mundial foi particularmente brilhante nesse propósito. Cabo Verde é só mais um passo da sofrida caminhada.

Mas vai valer a pena. Quando subirmos ao relvado para o 1º jogo na África do Sul, a multidão presente no estádio soltará um bramido de espanto por nos ver com chuteiras; sendo já voz corrente, por essa altura, que em Portugal joga-se à bola de chanatas. A Costa do Marfim levará 115 minutos a recompor-se da surpresa, tempo suficiente para marcar o golinho da vitória.

5 thoughts on “Queirozianos”

  1. ahahah, também é essa a minha esperança. Mas a estratégia parece dum brilhantismo tal que será necessariamente incompreendida: um futebol “by the books”, com todos a fazer exactamente o que o treinador manda, disciplina máxima, e se surgir um golo tanto melhor, mas não é estritamente necessário, nem a equipa deve ser julgada por esse pequeno pormenor estratégico.
    Mas isto sou eu de má-fé: tenho uma aposta com um amigo em como não passamos a primeira fase (na linguagem bolsista tão em voga: fiz um “short” à selecção). Ia-me saber bem perdê-la.

  2. Atão mas o Queiroz está a respeitar a epopeia fonix.
    Depois de dobrado o Cabo Bojador (apuramento) é saudavel e de bom augurio um retemperar de forças em Cabo Verde antes de descer a costa do Marfim e chegar mesmo a tempo de afugentar o Adamastor e dobrar o cabo da Boa Esperança.Entretanto não sejamos velhos do Restelo até porque o Belenenses desceu de divisão.

  3. Este é daqueles «professores» que diz «Se fizermos 24 ataques marcamos um golo». E colcou o Capucho a defesa esquerdo no dia dos 6-3 para o Benfica. Safa!

  4. Afinal como é?
    Queiroz não disse que Mourinho era uma inspiração para ele?
    (não percebo como é que um gajo que já foi treinador principal das selecções dos Estados Unidos da América, da África do Sul e de Portugal e de clubes como o Sporting de Portugal ou o Real Madrid procura inspiração no ex-treinador do Benfica [de Vale e Azevedo]).
    Carlos Queiroz não se sabe colocar no seu lugar, perguntavem-lhe:
    – O Mourinho diz não sei o quê do Ronaldo a 1000 à hora
    Respondia:
    – Gosto muito de Félix Mourinho, foi internacional por Portugal, o filho julgo que não está habilitado para falar sobre selecções, nunca vestiu a camisola de Portugal, nunca treinou nenhuma selecção.
    Mas pronto…
    Como Queiroz se inspira em Mourinho copiou-lhe o tipo de jogo, tudo à defesa e logo se vê… no logo se vê de Mourinho existem Snejder, Eto´o e Diego Milito (três italianos de gema) no logo se vê de Queiroz existem Meireles, Hugo Almeida e aquele tipo dos anúncios (Armani, Espírito Santo, Nike… [gostei do pormenor da braçadeira da Nike; só assim se justifica que o capitão seja um tipo com 70 internacionalizações e não um senhor com 72; o das 72 não é patrocinado pela multinacional americana]).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.