Quão mais simbólica pode a situação ficar?

É intenção do Presidente da República, Cavaco Silva, pernoitar nas ilhas Selvagens, durante a visita que fará ao local de 18 a 20 de Julho, o que nunca outra chefe de Estado fez. Segundo o Expresso, uma delegação da comitiva presidencial já esteve nas Selvagens a avaliar as condições para receber Cavaco.

Presidente Cavaco quer dormir nas ilhas Selvagens

8 thoughts on “Quão mais simbólica pode a situação ficar?”

  1. é um capricho de solidariedade nacional: quer mostrar ao povo que também consegue simular possibilidades de ter uma casinha: acampando em uma tenda.

    (coitados dos caseiros da ilha)

  2. Tão mal disseram da tenda do
    Kadafi e afinal o Cavaco e julgo
    a dona Maria tambem vao fazer
    campismo.A logistica vai custar
    uma pipa de dinheiro e a segurança vai ser reforçada com
    um dos dois submarinos que o
    Portas comprou.O problema mais dificil são:chuveiro,lavatório,sanita e bidé. Correcçao: são os 2 subma
    rinos um do lado do mar e o outro do lado da ria.

  3. Este gajo não sabe mais o que inventar, para ficar como o mais ridículo presidente de sempre da nossa história

  4. Quanto às facadas que esta fantochada inútil vai dar no erário público – e já para não falar no pitroil da fragata e dos submarinos… -, só a Portugal Telecom JÁ TORROU LÁ UMA FORTUNA para instalar os “meios técnicos” que assegurem que sua excrescência estará sempre contactável, via imagem, voz e dados, pela Dr.ª Manela, pelo Pruf. Martelo, pelo pintelho Catroga, pelo indigente Passos, pelo espião David Justino, pelo aborto Barroso e até pela Merkel e pelo Obama, se for preciso, em caso de alguma invasão de marcianos à Atlântida!

    Com o País inteiro a marinar em vinagrete e as vacas todas a perderem o sorriso e a ficarem carrancudas, nada melhor, para animar as hostes, do que ficar de boca aberta a ver o mergulho de um palhaço rico numa ilha selvagem.

    Mal-empregada preservação da Natureza neste Parque, para agora ser assim perturbada e emporcalhada…

  5. Que ao menos saia mais uma das maravilhosas Odes Presidenciais com que o Cavaco nos tem viciado.

    Já quase nos esquecemos da do bolo rei ei ei, da das vaquinhas de Belém tão vaidosas e virtuosas ou da da Capadócia maravilhosa oléé.

    E nem a recente dos Jerónimos com muito amor e paixão da Nela teve aquele êxito esperado.

    Agora vinha mesmo a calhar era a das cagarras a voar e o passos a trambolhar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.