Pulhice avassaladora

Os deputados do PSD, representados pelo Pacheco Pereira, estão a pôr em causa o bom nome de Paulo Penedos, João Carlos Silva, José Maria Ricciardi, Zeinal Bava, Manuel Polanco, Armando Vara e José Sócrates. Estas foram as personalidades que o PSD indicou para eventuais novas audições na Comissão de Inquérito em resultado da espionagem política consumada pelo Pacheco, sendo que das suas declarações se faria novo questionário a Sócrates. Como o PSD desistiu das audições, pesará para sempre sobre estas pessoas a suspeita de serem cúmplices da conspiração para mudar a orientação da TVI, a tal manobra que o Pacheco afiança ter existido e poder provar-se pelas escutas.

Para além das pessoas, também as instituições são atingidas pela violação da Constituição que Pacheco e PSD perpetraram. Assim, PT, BES, BCP e Taguspark ficam associados à acusação política que visa atingir o Primeiro-Ministro, com efeitos imprevisíveis para a reputação das entidades e respectivos negócios. Se as escutas provam uma conspiração entretanto desmentida sob palavra de honra perante a CPI, abre-se uma crise de confiança interna em relação às individualidades visadas pela suspeição. E como se podem elas livrar do libelo? Só acedendo às escutas, e, mesmo assim, não é garantido, pois todo um subsequente processo de investigação teria de ser levado até às últimas consequências. Ora, ao contrário do âmbito judicial, onde o estabelecimento da culpa obriga à recolha de prova material, o exercício político é um confronto de ideias onde não há culpados nem inocentes. Quando se utilizam calúnias sem prova ou de refutação inacessível, há penalizações políticas inerentes e inevitáveis. Os alvos ficam sujeitos a ataques e não têm possibilidade material de defesa.

Mas o último corolário da exploração política da privacidade é o de maior gravidade: se o PSD valida o relatório do seu deputado espião, e nem carece do contraditório dos visados, Passos Coelho tem de ser consequente e apresentar uma moção de censura. Como o partido já o validou, na pessoa do grupo parlamentar, resta só agir de acordo com a lógica anunciada. O eleitorado está pronto para se pronunciar acerca destes meses de inquérito ao gorado plano para acabar com o programa da senhora Moura Guedes.

Ontem, na Quadratura do Círculo, Lobo Xavier prestou-se ao mais ignóbil papel que lhe vi nestes muitos anos como espectador e cidadão. Declarou que aprovava a consulta das escutas pelo Pacheco e que as mesmas provavam as suspeitas que já tinha. Vai ser este o mecanismo a seguir: qualquer macaco passa a remeter para o Pacheco, único detentor da verdade, as pulhices que quiser despejar em cima dos nomes que apetecer. Por exemplo, quem quiser pode começar a dizer que o Zeinal Bava é um mentiroso que não merece qualquer confiança. Depois, se aparecer uma queixa a chatear, basta chamar o Pacheco e ele explica remetendo para Aveiro. É um esquema bem esgalhado, temos de reconhecer.

Se eu me chamasse António Costa, saltava fora da quadratura da infâmia. Há mínimos de respeito e dignidade, e eles foram estilhaçados pelos seus dois parceiros de programa. A elite decadente e ranhosa, como sabemos da História, imagina-se inimputável. Só que não valer tudo também quer dizer não legitimar aqueles para quem vale tudo. Este episódio de espionagem política para fins de destruição de carácter e golpada parlamentar, que tem o entusiasmado apoio de magistrados desautorizados pelos seus superiores, abre uma nova era na democracia portuguesa. Eis os tempos interessantes que o Pacheco previu com exactidão avassaladora.

23 thoughts on “Pulhice avassaladora”

  1. A indignidade das pessoas começa a fazer-me revolver o estômago. Ouvir o que disseram Lobo Xavier e o Pacheco e continuar na sua companhia, como fez António Costa, faz-me estremer só de pensar que este senhor um dia possa vir a estar à frente de um grande partido.
    Se as figuras visadas pela avassaladora suspeição não reagirem com a violência da sua inocência, vou ficar a pensar que, definitivamente, neste País já vigora um qualquer tipo de regime revolucionário e o Estado de Direito foi atirado para a valeta com a bençao do infeliz presidente que temos. As afirmações terroristas de banqueiros e empresários, as romarias de ministros das finanças a Belém são as manobras evidentes da revolução em curso. Possivelmente este estado de coisas já chegou aos «mercados» e , por isso, apesar de um «surpreendente melhor crescimento económico da europa» os mercados continuam a penalizar-nos. Estes senhores e o senhor PR querem ter razão a todo o custo, com o PR a acertar na sua previsão do Ano Novo acerca da «situação explosiva», que até parece ter sido combinada com esta gente que redopia à sua volta.
    P.Q.P.

  2. O Antonio Costa e muitos dentro do PS têm tido desde há muito uma actuação “cobarde” perante o verdadeiro polvo instituido em portugal que junta o poder mediático e judicial e os senhoritos a mando de Cavaco. Foi assim com F.Rodrigues e PPedroso e sê-lo-à novamente com este ou qualquer outro secretario geral.
    Já que o PPedroso (pessoa que admiro e não só pela sua coragem civica) é leitor deste blog, pergunto, PORQUÊ?

  3. Eu não acredito em bruxas, mas que as há, há …
    Toda (inclusivé os serviçais) a gente sabe que o PM mentiu.

  4. Os ranhosos da direita portuguesa, como diz o Val e muito bem, está desorientada e por vários motivos, dos quais destaco: é improdutiva – vive do Estado e do crédito( que agora é difícil); fundamenta a sua “ideologia”, não no liberalismo como querem fazer crer, mas em princípios de moralidade duvidosa. Depois, não têm uma família política internacional que os suporte, embora tentem colagens.

    Os métodos da vilanagem que usam representam uma espécie de fuga para a frente (tome-se como exemplo o caso do inquérito parlamentar. Eles tentam manter o caso desesperadamente para não estoirarem, algo que têm certinho como destino, porque quando houver uma conclusão, ela vai certamente favorecer o PM, o que deixa os ranhosos do PSD “no lodo do cais”.

    Eu julgo que todos no PS têm estado bem neste processo. Permitiram que a vilanagem chafurdasse por aí, intervindo apenas em questões cirúrgicas. Se tivessem feito o contrário, Sócrates já não era PM, e nós poderíamos estar nas mãos da D. Manuela.

  5. Aos ranhosos do PSD devia dar que pensar os motivos pelos quais o PS continua, apesar do momento que se vive e das dificuldades que as pessoas já sabem que vão sentir, com intenção de voto superior ao PSD.

    Tenho cá para mim que o ex-estudante de canto lírico, vai ter de regressar às aulas.

  6. De facto, esta Caricatura do Circo está cada vez mais intragável.

    Para quem se recusa a falar sobre as escutas na CI, o mordomo da Marmeleira até diz muita coisa. E grave. Não só ficámos a saber que o PGR deu a sua anuência para que a Comissão utilizasse as escutas como também que é o próprio Juiz de Aveiro a declarar que o seu conteúdo é decisivo para a Comissão atingir os objectivos a que se propôs. Sendo assim, é lícito concluir que o Mota Amaral se passou para a pandilha do Sócrates.

    Vá… despachem lá o número dos leões para desmontarmos a barraca.

  7. ler este folhetim é curioso para quem não vê tv (ando muito sensível do estômago),

    quantas pensões acumula a ferrugenta?

    quantas pensões acumula o abade da marmeleira?

  8. A Pulhice é tua e de todos os canalhas que querem calar a voz de quem investiga. Estão com medo?

  9. E a Carmen vive de quê? Às custas do “dono”? Olhe que quando o dono cair a maioria de vocês (serviçais), também caiem!!!

    Vocês não querem que as escutas (legais) aparecem porque caía logo a máscara do vosso dono e dos seus amigos. Está mais que claro que nessas escutas há um objectivo, aliás, duas instâncias conhecedoras de todo o processo, e independentes entre si, disseram isso claramente, poderiamos estar perante um crime!!!!

  10. Adolfo, você tem Dias…

    Para que fique esclarecido, informo que vivo dos alimentos sólidos e líquidos que ingiro, em pouca quantidade porque o tempo está mais para dieta.

  11. ò adol-fodias, PGR E Presidente Supremo disseram que não havia ponta por onde se lhe pegar para encontrar «sequer» indicios que merecessem ser investigados como passiveis de crime. Achas que a voz de ranhosos movidos por ódio politico, que violando a lei fizeram, divulgaram ou leram as ilegais escutas é mais credível? Andas nos copos ou tens a mete mais torcida que um parafuso!!!

  12. Pois é Mário, só que os outros conheciam o processo e estavam por dentro da investigação. E quais escutas elegais? As escutas eram dirigidas aos investigados, Vara e companhia, o PM foi “apanhado” no meio delas. Parece que quem é amigo do PM não pode ser investigado …

  13. O que parece, Adolfodias, é precisamente o contrário: quem é amigo do PM passa logo a suspeito e pode ser colocado sob escuta. Foi «bufada» alguma escuta com Dias Loureiro e com os seus amigos? Até podia ser apanhado nas escutas o PR. Não podia, não! Porque isto de violaçôes do segredo de Justiça é só para o lado PS. Por isso é que Jorge Sampaio foi apanhado nas escutas do processo da pedofilia Casa Pia. Isso a Cavaco nunca vai acontecer porque a nossa «justiça» só escuta estupores do PS e os seu amigos, sejam eles Varas ou presidentes da república. Por causa desta ignominia, em 2007 foi feita uma lei que impedia um qualquer juiz da marmeleira de interceptar conversas em que aparecessem «envolvidos» titulares máximos dos órgãos de soberania. Pois violou-se esta lei, porque em causa não estão Dias Loureiro ou os seus altos amigos, mas um filho da mãe do PM-PS. Esta e que é a verdade.

  14. Isto é um nojo! Esta corja rastejante da direita mais pulha que havia de cair em sorte a este país tantas vezes desgraçado pelas suas asquerosas e pútridas mãos, esta direita trauliteira que vai beber sôfregamente ao que de mais sórdido nos vem do passado próximo e distante, esta direita bestial, espuma de raiva, contorce-se em delírios de ódio “avassalador” e perde toda e qualquer noção do ridículo a que se expõe. É que nunca esperou lhe saísse a terreiro alguém capaz de lhe dizer, com as palavras de FPessoa, com a serenidade dos justos e com a poesia dos que ainda são capazes de sonhar: “…não temo o que virá, pois venha o que vier, nunca será maior do que a minha alma”

  15. Espero bem que estas personagens a quem “Os deputados do PSD, representados pelo Pacheco Pereira, estão a pôr em causa o bom nome (…)” tudo tenham feito para manter esse “bom nome”. Sim que ter direito ao “bom-nome” exige que tudo façamos de modo a que ele não se transforme num “mau-nome”.
    Escrevo isto para que daqui a uns tempos não veja aqui idêntica gritaria porque estão a pôr em causa o bom-nome do Sr. Deputado Ricardo Rodrigues, o homem que não ganha o suficiente para comprar dois gravadores.
    Porque acredito que os visados estarão a salvo de qualquer suspeita, eles próprios deveriam exigir o completo esclarecimento da “coisa”.
    Concordam comigo?
    Não me parece…

    …e não digam muito mal do PSD. É que pode acontecer que venham de novo a precisar deles, tal é o caos porque passa o actual governo, onde cada um diz o que lhe vem à cabeça.

  16. …pulhice, também, foi insidiosa informação da SIC N a propósito da entrada em vigor da nova taxa de retenção do IRS. Abertura atrás de abertura,”sérias” dúvidas sobre se afinal os malandros não estavam a “mentir”, palavra à oposição, aos sindicatos, aos comentadores…uma e outra vez, num trabalho de catequização à altura dos missionários quinhentistas…

    Nesta altura o jogo não tem árbitro. Pessoas sem escrúpulos, aproveitam para aplicarem golpes baixos…

  17. jrrc

    Você tem toda a razão!
    Se temos um Primeiro-ministro, um Ministro e um Secretário de Estado que sobre a data da entrada em vigor das novas taxas de IRS têm opiniões completamente distintas, não seria preciso entrevistar ninguém. Bastaria que as televisões passassem em contínuo as declarações dessas três personagens para que todos ficássemos cientes – caso ainda persista alguma dúvida – de que com esta gente a nossa crise económica está para lavar e durar.
    …já cá faltava o argumento da “oposição, aos sindicatos, aos comentadores”, como se tivessem alguma culpa da inépcia de quem nos (des)governa!
    Diz que o “jogo não tem árbitro”? Tem sim. Tem um árbitro que também joga, ainda que numa modalidade diferente.

  18. Mário, eu ao contrário de muitos, não me interessa nada os partidos, para mim, uma grande maioria dos politicos, seja PS, PSD ou outro, apenas têm um interesse, o seu.

    Apenas fico estupfacto quando alguns tentam defender o indefensável, seja laranja ou rosa. Neste blog é rosa noutros são laranjas, só o cheiro muda porque o resto é igual.

  19. Bom nome de quem? mas agora vão ao ponto de defender criminosos condenados na justiça?

    Paulo Penedos-condenado
    José Maria Ricciardi-conselho superior do BES, tb recebeu o seu
    Zeinal Bava-desde que o BES tem participação na PT que as aplicações existiam e o ZB sempre soube de todas;
    Armando Vara-condenado
    José Sócrates-infelizmente nunca ninguém investigou a fundo mas as ligações aos condenados são claras e o Vara sempre foi testa de ferro dele. Tem “amigos” demais no aparelho judicial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.