Prender primeiro e investigar depois não é algo que pertença à política ou deva incomodar um político, defende Ana Gomes

"Em Portugal, só o Sócrates é que pensa que é um preso político. Ninguém mais sustenta que ele é um preso político, ele está acusado por crimes económicos, corrupção, branqueamento de capitais. E a Justiça portuguesa tem que fazer o seu trabalho", enfatizou a eurodeputada socialista, mesmo assumindo como "negativo" que "não se tenha investigado primeiro e prendido depois".


Ana Gomes diz que “só Sócrates pensa que é um preso político”

228 thoughts on “Prender primeiro e investigar depois não é algo que pertença à política ou deva incomodar um político, defende Ana Gomes”

  1. Em Portugal , acho que há mais gente a considerar José Socrates um preso político do que a encontrar utilidade e préstimo nas contribuições de Ana Gomes.

  2. O maior mistério do caso Sócrates reside no incontestável facto de o PS, o PS como instituição liderada por António Costa e tendo como porta voz itinerante Ana Gomes, não o considerar um preso político, ou por razões políticas que é ligeiramente diferente.
    Mas eu penso ter decifrado o mistério.

  3. Com “amizades” destas Sócrates não precisa dos inimigos que cirandam por este Blogue. Mas atrás do tempo tempos vêm, pelo que vamos ver o que é que esta “embaixadora internacional do PS” (portanto que fala como porta voz oficial do partido) dirá depois do tempo.

  4. o ps já deveria ter corrido com essa vaca há muito, nem ao boi do amorim consegue ganhar um debate. as encenações desta artista são úteis à direita e é por isso que tem tempo de antena.

  5. Anã Gomes teve a sua época… Que se pode esperar de mais um ex-MR… A direita apoia-os , voam alto e quando menos se espera são usados.
    Anã Gomes não é única e devia ter juízo e não falar em nome de todos os portugueses. Ninguém a autorizou.

  6. todos têm direito a opinar,mas desta forma e vindo de quem vem,é uma filha da putice.socrates não foi preso por motivos politicos,mas tudo o que se tem passado, começa a dar que pensar!como até agora ainda não surgiu a acusação, e já vão muitos meses de investigaçao, temos legitimidade para pensar que isto é a revanche de uma classe cheia de poder. que este filme está a render muito dinheiro,já ninguem tem dúvidas que o diga o correio da manha e seus informadores!

  7. Já uma vez o dsse e vou repetir. O PS está bem cercado, entenda-se, por dentro e por fora, pelos lados, por cima e por baixo. Só por milagre é que António Costa conseguirá vencer as legeslativas com maioria confortável, e esse milagre não é divino, só poderá vir do povo português, se o povo português perceber que no momento presente só há uma alternativa à actual situação que é a que o PS de António Costa vem delineando convictamemte.

  8. Tem pensamento destrambelhado.
    Tem modo destrambelhado .
    É destrambelhada.

    Mais uma beleza de aliada da direita que o Costa mantém como animal raivoso de estimação.

    O PS com o seu ADN destrambelhado tem produzido muito inimigos internos que, até arranjarem o lugar que lhes agrada, não param de fazer o jogo que a direita sempre tem agradecido.

    Com tantos tiros não sei como ainda tem pés para caminhar.
    Já agora o que se passa com o mãnhas que, depois da desautorização do teixeira nunca mais arranjou um head-line de primeira página sobre José Sócrates.

    E já agora :
    – só aquele head-line foi especulativo e passível de inquérito?

    Silêncio…silêncio… tudo por baixo do panos.
    Boas férias para quem consegue repousar em cada dia de calor intenso e não se indignar e sofrer por Homem que foi Primeiro Ministro de Portugal e não teve direito a guarda à porta decretada por quem afinal usa o sistema.
    A dignidade tem custo duro.
    Ser adversário inteligente e tenaz um garrote que só a certeza da inocência aguenta.

  9. a gaja foi a angola tentar armar confusão e os moços do mpla responderam-lhe à letra, se estás preocupada com presos políticos vai visitar o sócras. as merdas que esta peixeira encena à conta do partido socialista são graves e já deveria estar a falar sózinha há bués, espero que nas próximas a candidatem a cabeça de lista da mobilidade do mne.

  10. A pobreza dos argumentos de todos os que estão acima. Pobres dada a sua falta de conteúdo e designadamente não se escorarem na lei VIGENTE, seja, a aprovada há bastante tempo e continuamente aprovada pela vigência de per se considerada.

    A deputada em causa TEM RAZÃO quando afirma que só Sócrates é que se entende «preso político».
    Se esse fosse o caso, com tantos requerimentos que já houve em sede de pedidos de revogação da medida de coação penal, é evidente que, sendo acionada a instância do TC, este já se teria pronunciado. E se aquela instância não foi acionada é porque os requisitos para tal não se reuniram.

    Quanto ao «prender-se primeiro e investigar depois » é algo que está na moda da discussão. É que quando se prende PREVENTIVAMENTE, já houve investigação que, por continuar a decorrer e podendo o arguido pô-la em causa, justifica a sua detenção. Sendo este um princípio que está plasmado na lei, com alguma antiguidade, não se percebe que seja agora posto em causa. Foi e é aplicado a vários, com conhecimento do EXECUTIVO e do LEGISLADOR, sem que estes interviessem. Todavia, porque se está perante alguém que foi governante, este, com ajuda de outros – os que se movem nos bastidores do sistema e, quantas vezes o condicionam, impulsionando-o à sua vontade -, temos que a PP está a ser alvo de uma discussão que não se justifica com base nos pressupostos que se conhece, quais sejam: Sócrates está preso.

    Portanto, IGNARALHOS, não falem do que não sabem e remetam-se às forças prescritas por Horácio.

  11. É confrangedora a ignorância desta senhora em relação a este tema.
    E refiro-me à ignorância porque em relação às outras razões que a movem isso são outros quinhentos !

    Esta senhora atreve-se a dizer que em Portugal “só Sócrates se considera um preso político” quando nas vésperas da mais recente entrevista ao António Costa na TV (logo seguida da detenção de Armando Vara) se tinha publicado uma SONDAGEM em que para além de uma vantagem de 5% do PS em relação à Cu-Ligação, á pergunta “acha que José Sócrates é um preso político” as respostas foram estas:
    – SIM: 35% TALVEZ: 25%
    – Não: 31%
    Ou seja,
    Uma MAIORIA CLARA (absoluta) das pessoas inquiridas nesta amostra (60%) acha que José Sócrates É ou PODE SER um preso político !!!

    E mais:
    Quando inquiridos “se o Ministério Público tem agido bem neste caso” a maioria das pessoas disse NÃO !

    É triste que tenham de ser os pulhas angolanos a esfregar isto na cara desta gaja, mas percebe-se que eles o tenham feito.
    E sabem porquê ?
    Porque eles são os donos dos jornais que fazem a campanha negra contra Sócrates há anos.
    Devem estar perfeitamente ao corrente do que está a ser feito.

    E eu, pela minha parte, e já não é de hoje, acho que quem urdiu ou instigou esta perseguição a José Sócrates tem a colaboração (se não até mais que isso) da chamada ala segurista do PS.
    Os cobardes mordem pela calada.

  12. Manuel Castro Nunes

    Li o seu comentário e penso que “o mistério que decifrou” provavelmente estará em consonância com a minha opinião à cerca do verdadeiro papel que a chamada “ala segurista” tem no processo contra Sócrates, desde o início.

    Mas o povo vai resolver o caso.

  13. isso é o que ainda está por apurar. se no fim de tudo não houver condenação é porque terá sido um preso político ou, também há essa possibilidade, porque o crime foi maravilhosamente bem organizado. :-)

  14. Aliás, a pulhice dos amigos do Tozé Inseguro revela-se bem na tentativa de torpedear a candidatura de Sampaio da Nóvoa à Presidência da República atirando para a praça pública com a patética Maria de Belém (com a ajuda da direita, claro).
    Mas o António Costa parece já os ter topado, pois disse há 2 dias atrás que “mais que uma candidatura da área do PS será um suicídio”. Obviamente António Costa não está a pensar “eliminar” Sampaio da Nóvoa, está é a pensar em como há-de dar um chega para lá nestes “encostos” que tem dentro do PS.

  15. Olinda

    Quando fala em “crime maravilhosamente organizado” sei que não está, MAS DEVIA ESTAR, a referir-se ao “assassinato político e de carácter” de José Sócrates.
    E já que os juízes gostam tanto de ditados populares eu aqui lhes atiro o meu: “há mais marés que marinheiros”.

  16. não ligues, quando se acabam as pilhas a gaja faz uns comentários provocadores de caralhadas para se excitar. não bate bem da bola e tem umas paranóias sexuais, deve ter sido abusada pela madrasta.

  17. A democracia desta anã tem dias… Como todos os relógios avariados está sempre certa duas vezes por dia, o que é pouco, muito pouco, para quem anda a mamar à custa do OE há tanto tempo. Esta é apenas mais uma das folclóricas presenças que a direita adora para mostrar como a esquerda é triste e cheia de projectos pessoais.

  18. Que se saiba ninguém mandatou a para falar por Portugal ou,
    pelos portugueses na sua generalidade !
    Até o Branco Aguiar a quer levar a Tribunal por ofensas à sua
    (dele) honra … só que há um problema de imunidade!
    Não se percebe a razão porque está no PS … estaria melhor no
    MRPP onde começou a sua actividade política combatendo o
    social-fascismo, descarrilou prontos!!!

  19. O PS está metido numa camisa de onze varas Ele é a Nana Gomes ele é o Vital ele é o Assis o Beleza a Belém e mais e mais, tudo gente que devia ser corrida do PS porque não são socialistas são borra da direita ou mentecaptos que procuram destabilizar e corroer o PS.

  20. Caríssima Jasmim.
    Eu não sou do PS. Na verdade não sou de partido algum e assim quero permanecer.
    Não partilho a cruzada de convergência contra os partidos, em abstracto, e as ideologias. De resto, não tenho um partido porque tenho uma ideologia. Mas essa uma questão que agora não vem ao caso.
    Eu penso ter sido o primeiro a declarar, premptoriamente e alegando desde os fundamentos, que Sócrates, não sendo propriamente um preso político, é um preso por razões políticas. Um preso político é preso por crimes políticos, explicitamente. Um preso por razões políticas é acusado de crimes de delito comum, por razões políticas. Ou seja, não sendo possível num dado regime prender alguém por crimes políticos, torna-se imperativo formular um crime de delito comum para prender alguém por razões políticas.
    Alguns dirão que o crime de corrupção pública é um crime político. É uma questão que deve ser debatida.
    Eu pouco sei e pouco me interessa a vida interna do PS. Não faço juizos entre Costa e Seguro.
    A intenção de acusar José Sócrates de um crime de delito comum, arrumado na categoria de crime político de corrupção tem década e meia e várias investidas. Várias tentativas desesperadas como a do assalto de Mário Machado a casa de Júlio Monteiro, por ordem de um espião do SIS.
    A actual investida com o nome de código ”operação marquês” começa a esboroar-se e cada vez mais portugueses começam a ficar preocupados porque aderiram ao alarido precipitadamente.
    É preocupante, para quem não pertence ao PS, constatar o silêncio do PS, por vezes cortado por vozes consonantes com a de Ana Gomes.
    Mas, de facto, o PS não tem nada que ver com o que pensam aqueles que, preocupados com outras coisas, suspeitam de que a prisão de Sócrates tem mais, muito mais razões políticas do que razões judiciais. E cada vez mais são óbvias.
    Pessoalmente, gostava que António Costa se dissociasse da manha política. Mas também nunca o esperei.
    Por vezes parece que António Costa fez um pacto com o procurador Rosário Teixeira: ”Eu não levanto ondas e o senhor procurador mantém o Sócrates preso até ao fim da campanha eleitoras”. E imagino o procurador a responder: ”E o senhor garante que, se ganhar as eleições, me mantém as funções e atributos?”
    Mas eu não sou do PS.

  21. Manuel Castro Nunes

    Sejam lá quem forem os conspiradores (e acredito perfeitamente que uma parte do PS esteja metida no barulho) isto não está com cara de que lhes vá correr bem.
    Foi demais, está a ser demais, e nós não somos todos burros.
    Por outro lado, Sócrates é um homem especialmente combativo, e muito inteligente. Pior ! será capaz de fazer até pactos com os “diabos”, se preciso for, para tirar a desforra da ofensa e do mal que lhe estão a fazer.
    Por isso isto ainda agora é de manhã, e ele bem o diz “Oh, isto ainda agora começou”.
    Eu no lugar dele faria o mesmo.

  22. Eu, por mim, Caríssima Jasmim, espero que Sócrates não faça pactos com o diabo.
    Até porque, do meu ponto de vista, não vai precisar.
    Aliados do diabo já por aí andam que bastem.
    Também me recuso a perfilhar uma justiça de desforra. Mas, sem dúvida, aqueles que usaram com propósitos conjurados a justiça, devem, no futuro, comparecer perante a justiça. No uso de todos os direitos que o estado de direito lhes confere.
    O perigo maior seria esse, como tenho dito. Uma justiça ao serviço da rotatividade política.

  23. Há marés e marinheiros
    E novas oportunidades
    Com tanto para fazer
    Só dizes banalidades.

  24. A ignorância continua. É natural nalguns que a deixam fluír por justamente não saberem. Noutros é simplesmente patética porque os seus portadores exibindo-a, se apresentam como dotados de conteúdo.
    Não sabem ler, não entendem e muito menos podem dissertar sobre o que não sabem. E votam, e votam…

  25. Eu sou um preso político
    Não sei o que faço aqui
    Acusam-me de um ilícito
    Mas prova ainda não vi.

  26. Quem cabritos e leitões vende
    E cabras e porcos não tem
    Vai pra dentro da gaiola
    Que aí é que está bem

    Passa a vender passarinhos
    No meio de passarões
    Mas que raio de tortura
    Apertaram-lhe os colhões

    O Rolex e o Alex
    Da matéria sabem muito
    Quero ver se no final
    Só apanham 1 presunto

    O presunto é estranho
    Nova pista há que seguir
    Muito mais inda veremos
    Neste trágico porvir

    Afinal vendia cabras
    E não cobrava leitões
    Acontece por desgraça
    A quem tem poucos cifrões

  27. Fala sem cessar
    Faz pena, é solitário
    Fala com ele próprio
    Não tem como parar

    Diz asneira sobre asneira
    E pensa-se doutor
    O verniz dura-lhe pouco
    É um fungo com muita dor

    Tem olhos de maluco
    Espantalho de mãos pequenas
    È jasmerdim nas horas soltas
    E cheio de reviravoltas

    Quem é, quem é
    Quem é
    O animal assim descrito
    Que tanto verte pró penico?

    É o castreta, pois então
    Não larga o aspirina
    Ignaralho todo o dia
    Pensando que tem doutrina

  28. Um amigo cheio de guito
    É a minha salvação
    Mas com causídicos assim
    Que não conhecem motivação?

    Fico em Évora, pois então
    Sem apelo nem agravo
    À espera cú tony bosta
    Me encontre a resposta

  29. Ó CORVO NEGRO, tenho a impressão que se espetasse um alfinete nessa cara, rebentavas como um balão. Hum. Só ar, ar e vento, ó comuna. Tens mesmo cara de sindicalista pá, que se passeia com a cartilha dos direitos, não conhece os deveres e dá conta das empresas. Vai trabalhar, marreco, pá, pareces um matreco de terceira classe.

  30. «Só por milagre é que António Costa conseguirá vencer as legeslativas com maioria confortável, e esse milagre não é divino, só poderá vir do povo português»

    DISSE O MARROJAS. ehehheheheh

    Ó pá, mas então tu achas que Deus Nosso Senhor passa cartão aos XUXAS e COMUNAS?
    Ó pá, ouve lá, mas então tu achas que se o tony bosta ganhasse, essa vitória viria do povo grego?

    És um duh! pá. Tás a bere porque não se vota em marrecos? Hum?

  31. Bejamos, os XUXIALISTAS precisam da ana gomes, porque têm a isabel moreira pás. Neste caso, o equilíbrio faz-se com duas negativas, com um denominador comum – ambas gritam, têm cara de proletárias e de povo unido, são saudosas do Mai 68, e pôem com mestria a mão na anca. Hum, será que nasceram na Madragoa?

    «Ele é só corruptos, ó fregueses».

  32. Presunção de Inocência ÓNUS DA PROVA
    Ei incumbit probatio, qui dicit, non qui negat

    E se o Pilar existe
    E se ele é sagrado
    É pro inocente proteger
    Não pode ser molestado

    Mas se o Pilar existe
    E se ele é sagrado
    Não é pro chico esperto
    Aparecer
    Por trás dele se esconder
    E declarar-se
    Não culpado

    Quem cabritos e leitões vende
    E cabras e porcas não tem
    Vende artigos clonados
    E está tudo muito bem

    A exigência de que o ónus ou encargo da prova recaia sobre QUEM AFIRMA um direito ou emite uma acusação já vinha do tempo dos comerciantes egípcios. Passou a ser exigível registos escritos dos negócios tendo em vista resolver os litígios.
    Nem podia ser de outra maneira, pois que não é possível fazer prova pela negativa.
    Imagine-se A dirigir-se a B e dizer
    Deves-me 500.000 euros, paga-me.
    B, que nada deve, não tem como fazer prova.
    Segunda hipótese, B, realmente deve, mas não lhe interessando pagar a dívida, nega ser devedor. Caso A não tenha como provar que na realidade é credor de B (prova sob a forma de doc. escrito) não consegue provar.
    Por isso que, irrelevantenemente, das situações, o ónus da prova é colocado sobre a parte que alega um direito ou faz uma acusação.

    Depois vieram os advogados americanos, os mais insolentes dos quais, os que defendiam grandes mafiosos, e começaram a abusar e a abastardar esse nobre e elementar princípio.

    Isso e de como a administraçao americana e o FBI lidaram com o assunto, é outra história.

    O Pilar é para proteger, não é para ninguém se esconder atrás dele, para se esconder.

  33. Ó Valupi, essa crítica à Ana Gomes assenta numa manipulação total do conceito de preso político. Prender primeiro e investigar (parcialmente) depois pode até ser, em alguns casos, ilegal (embora duvide que no caso o seja) mas não faz do preso um preso político. Faz dele, no mácimo, um preso cuja aplicação da medida de coação não cumpre os requisitos legais (embora dezenas de juízes já tenham afirmado o contrário no processo). E muito menos um preso político é um preso que tem “algo que pertença à política ou deva incomodar um político”, como insinua no seu texto. É um preso que foi preso por motivações políticas, e o que a Ana Gomes está a defender é que isso não ocorreu. E apenas isso. E a sua crítica é tanto mais grave quanto ele estava a procurar afastar a comparação entre os reais presos políticos em Angola e os pseudo presos políticos em Portugal, que o regime político Angolano procurou equiparar para lançar um cortina de fumo sobre os reais atropelos à liberdade política em Angola. A menos que ache que é tudo a mesma coisa, claro.

  34. Ó LL não adianta perder tempo, ele é um manipulador, um ronha, apela ao Emocionalismo.
    Para quê estar a apelar à Racionalidade ?
    É pura perda de tempo.
    Que é isso de LL ?
    É uma nova marca de cigarros ?
    Mácimo ???
    Boa, vou já acrescentar ao meu nome.
    Julius Prudentíssimo, o Mácimo.
    Valupi também é o mácimo, a manipular, um spin-doctor. Politicamente perseguido por motivos judiciais, ou judicialmente perseguido por motivos políticos ? Tá a ver o spin? Vai da maneira como se manipula o texto, e se faz passar a mensagem – que até pode ser sub-liminar.
    Claro que no exemplo acima, nem é uma coisa nem outra. Era só para explicar como funciona a técnica .
    Diz que são bem pagos pelos partidos.
    Os de real talento, evidentemente.

  35. Jullus, muito obrigado pelos esclarecimentos.
    (e não seja mauzinho, parece-me claro que “mácimo” é uma gralha, o “x” é ao lado do “c” no teclado e ainda não havia luz àquela hora!)
    Abraço

  36. Com a prisão de José Sócrates foi silenciada a voz e o símbolo mais eficaz de oposição ao actual governo. Só deixariamos de pensar que a principal motivação deste processo é política se surgissem provas de investigação e escutas às centenas ou milhares de pessoas que transferiram dinheiro para bancos portugueses, legalmente, ao abrigo do Rert.
    Ana Gomes deveria ter mais cuidado com linguagem insinuosa. A maneira como habitualmente se refere a José Sócrates não é muito diferente, por exemplo, do espírito das “notícias” que davam conta da contratação de sua filha para acessora de membros do governo do então Primeiro Ministro. É uma maneira reles de fazer política.

  37. Numbejonada, mas não é estranho que, na ânsia de entender a razoabilidade da prisão do 44, se possa ao menos dar uma olhada ao que está a acontecer no outro lado da Atlântico. Tanta gente que já foi dentro la, gente com interesses e activadade econômica importante em Portugal, gente amiga dos irmãos socialistas do PT! Não seria relevante procurar fazer uma ponte, uma análise comparativa?
    Somos tão espertos aqui para certas coisas, é tão burros e cegos para outras. Uma dicotomia que chega a ser desconcertante…

  38. oh das ânsias, escusas de atravessar atlânticos, basta ires à alemanha dar uma olhada no processo submaríssimo para entenderes a irrazoabilidade da não prisão do pp (paneleiro pantomineiro).

  39. Meu General!
    Não acha notável que o cegueta me dedique tanta rima e me tenha eleito o seu dom sebastião?
    Ainda me vai dedicar uns lusíadas.
    Mas o meu General tem razão. Este blog é o máqueximo.
    Por vezes apetece-me morrer como o saudoso Orlando Modesto e reaparecer aqui como minha irmã, para partir o focinho ao cegueta.

  40. Caríssimo Nunes, essa animosidade para com o colega numbejonada parece descabida, não estaria na hora de virar o disco?

    A amizade aqui está no macimo, bien entendu, amitié entre des frères maçons.

  41. Meu General!
    Essa é o MAQUESSSIMO!
    Já me viu dedicar uns vilancetes ao senhor cegueta?
    É óbvio que no aspirina são todos amigos e maçons. Todos sabemos que maçonarias há muitas. o GOL, a Casa do Sino, a Casa da Corda, a Santa Casa, a Venerável Ordem de São Miguel das três Alas, a ala direita, a ala esquerda e a ala dos namorados.
    E ao centro das alas está sua mejestade fidelíssima, a quem compete manter a equidade e já traz as costas aleijadas de tanta contumélia, uma para o GOL outra para o Sino e outra para o que der e vier.
    O meu General, que traz agora a bandeira branca do cegueta, acha que poderia ser moderador deste cessar fogo e ser portador das condições da rendição?
    Vamos todos juntar à messe? Por mim pode ser na Associação 25 de Abril. Ou em casa do Loureiro dos Santos.

  42. Deixe-me colocar-lhe uma questão, meu General.
    Porque razão a direita, para o efeito representada no Parlamento pelo centro, ainda não apresentou um projecto de lei, ou uma lei mascarada de projecto uma vez que dispõe de maioria, para ilegalizar as sociedades secretas, os lobbies e os grupos de pressão?
    Uma lei com tudo explicadinho, sem lapsos nem buracos para o peixe miúdo escapar das malhas.
    Até parece que ninguém se recorda da fase histórica do Parlamento Europeu que se dedicava a legitimar teórica e doutrinalmente a constituição de lobbies para atenuar a malfeitoria dos partidos.

  43. Ora beie, apenas com intuitos pedagógicos.

    AMADOS,

    A prova do facto negativo É POSSÍVEL, sim.

    A inversão do ónus da prova existe no Direito português, também.

    Em casos determinados no Direito português, quem é requerido é que tem de fazer a prova e não o requerente.

    No caso do 44, COMO TENHO VINDO A DIZER AO LONGO DO TEMPO, é de todo o interesse o 44 PROVAR a sua (alegada) inocência ( nesta fase em que é só presumível inocente). Será acusado, evidentemente. Convinha, desde já, em investigação provar através das suas respostas ( documentando-as ou apresentando testemunhas) aos interrogatórios como arguido, o contrário do que lhe é eventualmente imputado ou assim poderá vir a ser. Deveria antecipar-se ao Ministério Público, em bom rigor. Teria vantagens nisso após a dedução da acusação.
    Porém, o recluso está mais interessado em politizar a investigação e isso FOI UM GRANDE TIRO NO PÉ.
    Está detido, com uma PP processualmente correta, POR ISSO, o requerimento da sua revogação foi indeferido, e quando lhe foi colocada outra medida de coação – que pede consentimento – recusou-a ERRADAMENTE. Esta recusa NADA PROVA, NADA DIZ, e só mostra a sua arrogância e contínua vontade de descredibilizar um sistema jurídico e judicial que JÁ EXISTIA no tempo da sua governação. E fá-lo porque se TRATA DO COURO DELE, quando, afinal o político presumivelmente governa os interesses da COMUNIDADE e não os pessoais.

    Como o 44 tem demonstrado ser um IGNARO arrogante, que tudo vê pela bitola do cifrão, pedirá ERRADAMENTE a abertura de instrução. Vai apanhar com a pronúncia e chegar ao JULGAMENTO ACUSADO E PRONUNCIADO. É mau.
    Como acessóriamente andou a fazer asneira, com entrevistas e um advogado a comportar-se como todos sabem, é melhor treinar o COMPORTAMENTO – um e outro – não vá o magistrado afastar o arguido da sala e retirar a palavra a QUEM DIZ QUE O DEFENDE.

    Agora, não percebo como é os IGNARALHOS do dispensário, tão profusos em PAREXERES, ainda não fizeram um REQUERIMENTO INTELIGENTE capaz de arquivar o procedimento. LOL. Como bedes tudo….

  44. IGNACONATZ, sabes que o 44 é do mesmo partido que o teu Portas…num sabes? Hum? Então, pá, eles conhecem-se todos, tás a bere e gostam muito de jogar ao «apitócumboio», PÁ. Não me digas que num sabes disso, hum? COMUNA.

  45. A Ministra é capaz de ter razão, caro Básico, pelo menos no princípio que tenta aplicar – afinal, estamos em sede de cargos públicos e há que aquilatar do perfil do governante e da possibilidade de os seus interesses pessoais conflituarem com os da Comunidade. But it´s just a thought.

  46. Mais um RAP prós IGNARALHOS

    O Pilar existe, sim
    Ele não foi atacado
    Cumpre-se apenas a lei
    Com o 44 incomodado

    Se não quer ser incomodado
    Não se abastecesse sem poder
    Com que dinheiro o fez
    É algo que se vai ver

    É um pilar, sim senhor
    A presunção de inocência
    Mas é afronta também
    Mostar tanta pesporrência

    Se não queria ser incomodado
    Tudo tivesse feito bem
    Arma-se agora em vítima
    Porque não quer ser culpado

    Ataca com o político
    Para atrás dele se esconder
    Manipula os xuxialistas
    Que teimam em não ver

    Yeah. Je suis tellement fort…

  47. Aliás, Ó IGNARALHOS, se o 44 quiser…até pode alegar que o seu très bon ami Carlósss Santóss Silváaa o governou e governa como seu amigo muito intimo, numa espécie de união de facto….e sendo, o caso a coisa pode dar uma rebirabolta, tão a bere, ó COMUNAS Xupialistas, hum? Fogo, a madame Santóos Silváa, só tem que se divorciar e fazer partilhas, num é, ó IGNARALHOS, e ainda por cima com a legalização da PRIDE portuguesa.LOL. Cambada de IGNARALHOS.

  48. cada vez que se fala no panilhas do caldas o gajo fica possesso. dá beijinhos ò brochista de serviço se o vires.

  49. Cala-te lá cegueta, que eu estou a falar com o meu General.
    Depois vou-te partir o focinho.
    Pois tem muita graça, meu General, tem muita graça.
    E eu que pensava que a direita, a tal, era coautora da constituição, numa dada circunstância, fazendo apelo aos manuais de táctica militar que nos ensinam que do mal o menos.
    A direita foi coautora da constituição como fora autora quase exclusiva do 25 de Abril.
    É um princípio a que recorrem agora os supermagistrados. Os fins justificam os meios.
    Há que compreender que fins pretendia a direita alcançar com a constituição. Que lobbies, mais do que legítimos, haveria que proteger.

  50. Dá-lhos tu, ó IGNARALHO. Tu é que tens trombil e feitio para isso, PÁ. Lá no Rato, deves estar mais do que habituado a isso, ó IGNABICHATZ. Inscreve-te na fila das excursões para Évora, pá, tens muito por onde escolher entre os que mudaram de «andar». COMUNA.

  51. Ó cegueta

    Acusas os outros de falarem aqui sem nada saberem, e tu sempre do cimo da burra a dares-te ares que sabes muito sobre este processo, sim tu sabes imenso !
    Mas agora mostraste bem à saciedade toda a tua sacrossanta ignorância.
    Então o arguido “está mais interessado em politizar a questão” e “não tem contraditado o Ministério Público com as provas da sua inocência” ?
    O teu maior erro é tomares os outros por lorpas.
    Sócrates tem dois tipos de defesa: uma política e uma jurídica.
    Obviamente é da defesa política que faz alarde público. A defesa jurídica, nesta fase limitada porque ele só pode contraditar aquilo de que processualmente lhe for sendo dado conhecimento, está abrangida pelo segredo de justiça.
    Não falando das provas materiais já apresentadas de que o dinheiro do Carlos Santos Silva tem últimos beneficiários que foram identificados, e nenhum deles se chama Sócrates ou tem qualquer relação com ele, o que faz este caso esbarrar completamente logo no seu início …
    … há pelo menos um caso em que Sócrates tornou pública a sua defesa jurídica. Aliás, por acaso, certamente apenas POR ACASO, como resposta ao ÙNICO FACTO de corrupção que até agora lhe foi imputado: o famigerado PROTAL. Sabes o que é que a defesa de Sócrates fez com o PROTAL ? demoliu-o em 5 minutos, numa exposição pública repleta de provas e de testemunhos arrasadores.
    Para a próxima é melhores pensares bem antes de vires aqui expor a tua cegueira !

  52. IGNARALHO, de JOELHOS, percebes tu. De tal modo, tens a prática e o saber do beija – falos, que ficaste com o trombil em forma de bico de pato. E deves estar com as bochechas XUXADINHAS e XUPADINHAS, tal é o serviço à toca dos ratos, pá.

  53. JASMERDIM PIMBA, deves ser a tal que fala consigo própria em jeito de maluca na menopausa.

    À SACIEDADE, PROVAS tu a tua REAL, IMPERTINENTE e INOPORTUNA ASNEIRA com o que escreves. Remete-te às forças prescritas de horácio, ó aASNOCONSULTO e APRENDE a falar de PROCESSO PENAL ( ou outro) em geral e processo penal ( ou outro) em concreto, sendo que neste último deves distinguir entre os princípios e as normas que o gerem e entre o que para o mesmo tem sido carreado. CONHECES o PROCESSO? Não. Então cala-te e FALA, se conseguires ( e não consegues, dada a tua resposta) sobre a parte adjetiva do caso (porque a substantiva vais buscá-la certamente a fontes que NADA têm que ver com a realidade judicial em curso). Já agora – FAZ O REQUERIMENTO PARA SAFAR O RECLUSO, PÁ…JÁ QUE SABES TANTO…E O DEMONSTRAS…À …«SACIEDADE» (NOT).

  54. E, antes de ASNEARES, Ó JASMERDIM, treina a leitura e a…hermenêutica…do que lês. Dá jeito, tás a bere.
    E isto vota, vota!!!

  55. Cala-te cegueta! Porra! Lá vens tu com as tuas basófias! Ouve agora! Porra!

    Meu General.
    Eu só tive conhecimento do 25 de Abril no dia oito de Maio, através de um missionário espanhol que me veio à mata dizer: ”Podes regressar a casa porque as gloriosas forças armadas tomaram o poder em Lisboa.”
    Eu fiei-me no missionário e regressei a casa. E fui ler as notícias. Constatei então que os militares covardes responsáveis pelo genocídio da guerra colonial tinham tomado o poder em Lisboa. Dois dias depois jurei que não iria nunca, na minha vida, ser cúmplice do 25 de Abril.
    Achei graça agora, durante o almoço. Estava a ver a RTP1. E apareceu uma nota alembratória em que um ”general” anunciava, quase dois anos após o PAIGC declarar unilateralmente a independência da Guiné Cabo Verde, que as gloriosas forças armadas portuguesas declaravam também, em Lisboa, a independência unilateral dos mesmos que já tinham conquistado arduamente pelas armas.
    Meu General. Onde andava Vexa no dia 25 de Abril de 1974 e por onde andou depois?

  56. Já AGORA, ó JASMERDIM, a DEFESA faz-se nos autos…e NÃO NO LIVRO DE RECLAMAÇÕES DA PRAÇA PÚBLICA. AS PROVAS CARREIAM-SE PARA OS AUTOS E NÃO SE APRESENTAM EM CONFERÊNCIAS PÚLICAS. Dá mau aspeto e perdem credibilidade. Por isso, é que há tribunais. Tás a bere, ó IGNARALHO COMUNA? Eu sei que não vês, nem eu vejo nada em ti.

  57. ora é mesmo o carácter do homem, presumivelmente inocente, que está a ser investigado por fortíssimos indícios de culpa, jasmim silva. a política está colada, pois claro, e tudo o mais de jogos sujos oportunistas. mas a essência da coisa, que é a que a mim me interessa, está na averiguação do carácter. e depois logo se vê: ou mais vale tarde do que nunca ou quem espera sempre alcança. dá para os dois lados. :-)

  58. Isso era o que se pensava, cegueta. Que a defesa se faz nos autos.
    Estás pouco atento ao que se passa no mundo.
    A defesa já não se faz nos autos.
    Desilude-te, cegueta. Os lobbies dos autos têm os dias contados.

  59. iÔ, iÔ, iÔ, diz um ANIMAL com as dianteiras no ar. Quem é ele, quem é? El nueba version del JASMERDIM PIMBA. Moi, num sei interpretar a linguagem de ANIMAIS LOUCOS, logo, num me boue à lire tal desiderato.

  60. ”(…) mas a essência da coisa, que é a que a mim me interessa, está na averiguação do carácter (…)”
    Ó Linda.

    Raio, ó Linda! Mas não é isso que eu ando a dizer? A essência da ”coisa”, dessa ”coisa”, está na averiguação do carácter.
    E então porque não é sincero o senhor procurador e desilude os portugueses, declarando publicamente:
    ”Prendemos o senhor José Sócrates para averiguar o seu carácter.”?
    Bem, na verdade não precisa de o declarar. Nós já percebemos.

  61. Cara Olinda,

    A análise do caráter será certamente analisada nos autos em causa. Nesta altura, creia, o caráter do recluso – arguido -, está muito prejudicado pela prepotência que o mesmo já protagonizou. NÃO PEGAM discursos públicos de defesa composta para distraír a Comunidade. Esta não se substitui aos TRIBUNAIS, cuja existência permite. A PROVA MORA no PROCESSO de per se considerado e não FORA ( na praça pública). O que os «incomodados dizem cá fora» não interessa a quem decide em instância própria, porque é nesta que se constrói e delimita o caso. ARGUIDO que recorre ao processo do PÚBLICO está DESESPERADO e ESTREBUCHA. É o caso, em que, tudo o indica, a DEFESA pretende obter uma «vitória de secretaria». Quanta prepotência e quantos tiros GIGANTES no pé do recluso. Uma vergonha.

  62. E, claro, investigam-se e julgam-se factos! Certamente o mais bem comportado dos cidadãos será investigado e julgado por crime que cometeu, abonando o caráter que lhe é conhecido como cidadão ( apenas em julgamento). É isso que se faz num processo penal.

  63. já percebemos que o interruptor da justiça tem 2 posições e não desliga.

    pos. 1 – o processo é uma casa de putas onde entra tudo e sai tudo conforme notícia o correio manhólas.
    pos. 2 – quando esturrica magistrado aplica-se o segredo de justiça e faz reset.

    todas as ilegalidades processuais e atropelos à lei praticados justificam a patriótica missão de acusar e que se mete com a justiça fode-se. dá cumprimentos ao gajo que deixou morrer o cão com veneno dos ratos e depois queixou-se tentativa de homicídio na sua pessoa.

  64. E, depois, evidentemente para o ANIMAL que se pronuncia «À SACIEDADE», há outros mecanismos processuais penais para afastar «investigadores» de um processo, quando se desconfia, aliás, afirma que «há perseguição». O que NUNCA foi atuado. Evidentemente, por falta de causa.

  65. Senhor Valupi

    Mil vezes obrigada por esta tribuna pública aberta a cidadãos eleitores anónimos.
    E que maravilha vai neste “post”.

    Agora são dois ceguetas em vez de um.

    Um acha que porque a defesa de Sócrates implodiu aquele “facto roto e andrajoso que é o Protal” em menos de 5 minutos (numa conferência pública), tal significa obrigatoriamente que não o carreou para os autos !!!!!!! pasme-se !

    A outra admite que o que interessa é “averiguar o carácter de Sócrates”, ou seja, admite que estamos em presença de um segundo Julgamento Moral de mais um tipo chamado Sócrates. A História repete-se.
    E esta nem se apercebe que ao admitir o julgamento moral acaba de vez com o “processo criminal”.
    Ó minha senhora, vá fazer o seu julgamento moral para a igreja da sua paróquia. Nos tribunais julgam-se actos criminosos não se julga a moral.

    Agora já só falta vir dizer que o quer julgar pela “bancarrota” !
    Já ouviu falar de eleições ?

  66. Tu ainda não percebeste, cegueta anormal, que a defesa do arguido, no âmbito destes autos, deixou já de ser do exclusivo foro dele.
    Mas tu continuas a bater nessa tecla, com toda a basófia, porque és cegueta e protegido pela tua máscara covarde de anónimo.
    Divido de que consigas convencer alguém excepto os demais ceguetas que por aqui andam. Mas também não almejas mais, pelo que vem a lume do lado da tua basófia.
    Tu conheces aquele caso daquela primeira ministra ucraniana que foi declarada inocente à margem dos autos? Mas essa era tua correlegionária e foi declarada inocente à traulitada.
    Ora, para trauliteiro bastas tu e todos os demais ceguetas.
    Enxerga-te, pá! Tenta enxergar o que existe no mundo, à tua roda, para lá de autos.

  67. IGNABICHATZ, de bordéis alegas tu perceber. De falos também. Discute a matéria com quem contigo se identifica.
    Quanto aos ALEGADOS «legalidades processuais e atropelos à lei praticados » DESAFIO-TE A ELENCÁ-LAS AQUI. ´Continuas a demonstrar ignorância pois NÃO ENTENDES o que tenho escrito ao longo do tempo. Quanto ás tuas fontes- tu lá sabes. As minhas resumem-se ao seguinte: PROCESSO PENAL – O LEGALMENTE CONSIGNADO. O outro – não o conheço, logo limito-me a comentar as ASNEIRAS que IGNORANTES como tu aqui depositam, SEM SABEREM DO QUE FALAM. Porém, contribuindo para o anedotário da bloga.
    Isto posto, vai lavar a boca e o trombil de pato, porque FEDES virtualmente ( imagino pessoalmente, ou, então, retoma a estrumeira da tua horta, onde passarás despercebido).

  68. E tem muita razão o Sr Manuel de Castro Nunes ao dizer que “a defesa já não se faz apenas nos autos”.
    Quando o projecto de acusação se faz diariamente na praça pública, á defesa devem ser facultados os mesmos meios.
    Não queriam ?
    Queriam um combate ainda mais desigual ?
    Os que assim pensam e agem são muito cobardes. Querem uma Justiça cobarde ?

  69. iÔ, iÔ, iÔ, noto por algumas epígrafes e intróitos dirigidos ao «Sr. Valupi»….Ó «Sr Valupi», mande estes gajos embora daqui, que eles não partilham dos nossos ideários – os de comunas xuxas proletários tugodependentes dos subsídios de quem trabalha.
    iÔ, iÔ, iÔ.

  70. Então, cegueta? Tu, afinal, conheces o processo? Muito me contas.
    Pensei que estavas a fazer exercícios retóricos na presunção de que ninguém, excepto o senhor procurador, conhece o processo e os seus autos.
    Se tivesses vergonha, já te tinhas apresentado publicamente, com o teu focinho, para ilibar a reputação do senhor procurador: ”O responsável por todas as violações do segredo de justiça sou eu. Mas, para mim, o segredo de justiça não é uma norma processual válida. Por razões políticas.”

  71. PAZINHOS, ponham mãos à obra. Agarrem na enxada, que a terra é de quem a trabalha. Bá, contribuam para o desenvolvimento de Portugal, e «amandem» as quotas da UE para o lixo, tão a bere? No entretanto, aproveitem as pernas dos sapos, rãs e percevejos e analisem-nos PONDERADAMENTE, não esquecendo as formigas, para verem como estes SERES trabalham….e se desenrascam sem subsídios.
    iÔ, iÔ, iÔ.

  72. ” … há outros mecanismos processuais penais para afastar «investigadores» de um processo, quando se desconfia, aliás, afirma que «há perseguição». O que NUNCA foi atuado. Evidentemente, por falta de causa”.

    Ou evidentemente por existência de forte poder corporativo, ainda por cima alicerçado no poder da facção política que está presentemente alapada com maioria absoluta no poder legislativo, executivo, e no 4º poder (comunicação social), e que por acaso, só por acaso, é a facção oposta à qual pertence o arguido.

    Vá doutrinar os ratos do seu esgoto.

  73. Se não fosses covarde e andasses aqui anónimo, já tinhas aqui declarado qual é o teu trabalho.
    Tens as minhas coordenadas. Queres vir trabalhar ao meu lado? Agora é assim: Os fachos trabalham e os proletários vivem às custas deles.

  74. Agora vou à missa, rezar pelos não crentes, na origem de todos os MALES na terra.
    Ficai-vos nas trevas, haverá sempre quem reze por vós, ó seres não iluminados….

  75. Vou sempre à missa no Estoril, Igreja de Santo António – ilustre filósofo, jurista e taumaturgo. Uma bênção na Terra – verdadeiro sal na terra. Pedi-lhe por Sócrates…hum, pensando melhor, talvez S. Judas Tadeu – experiente em casos difíceis.

  76. Eu ando a cavar trincheiras, para o caso de vir a guerra. Queres vir?
    Fazemos assim. Eu abro o buraco e, quando estiver à medida para caberem lá os ceguetas, tu vens por trás e abonecas a cena, para poderem viver lá un largos ”meses”.
    Estás a ver? O trabalho de árduo calceteiro fica para ti.

  77. Ah, a educação da esquerdalha.

    “Vá doutrinar os ratos do seu esgoto.”

    Diz-nos a fina flor do largo dos ratos.

  78. Ah!!! O Toino das Gamelas também vai sempre a essa missa!
    Confirmado, cegueta.
    No dia oito vais a essa missa?
    Vai também no dia nove que é o meu aniversário.

  79. O Xabes, meu General, o ”infra” Xabes, também era doutrinador da classe operário.
    Fez vida como instrutor dos cadetes da Academia Militar, antes de doutrinar outras coisas.

  80. Caro Básico, «Educação»?? Selvajaria e impotência, noto-lhes eu desde o início. Encardidos na forma e substância – perigosos VOTANTES alegadamente democratas. Como Tsipras e o seu Varoufakis – hábeis no jogo sujo até certo ponto. IGNAROS na essência. O efeito só pode, por conseguinte, ser este que tão excelentemente plasmam por aqui. Dignos merecedores de um qualquer écrasement em qualquer instância.

  81. IGNABICHATZ, ressuscitaste? Ó herege, que vens pior. Converte-te, antes que seja tarde, BADALHOCO. Aposto que foges de S. Miguel Arcanjo…

  82. Numbejonada,

    Isto aqui temos um problema de linguagem.

    Quando se fala do caso 44, às leis que existem não são para aplicar, há uma outra justifica, a justifica socialista, e é essa que se deve aplicar nestes casos envolvendo da nomenclatura do “partido”. O que essa justiça dita é que só se prende um dirigente socialista em caso de assassínio (com testemunhas não corrompiveis) em todas as outras situações é deixar andar e esquecer.

    Quando se fala de votos e de democracia com xuxas, você pensa eleicoes normais, eles pensam em golpeadas. Você pensa autárquicas, eles pensam em arrolar 120,000 avençados para correr com o to zero e meter o Chamucas. No ps, só joga a equipa do 44, o resto do pessoal fica no banco.

  83. Pelo linguarejar do cegueta, dá para entender que ele foi
    promovido, passou a estagiário do M. Público, anterior-
    mente era uma modesta arrastadeira do relvas!
    Isto, é mesmo um facto substantivo sem qualquer sub-
    jectividade! Pelo tamanho da língua vê-se que é ele quem
    folheia o CPP para o rosário pedir as medidas … de quê ???

  84. Mas o meu General talvez me consiga dar uma resposta.
    Afinal, quem está preso? O José Sócrates ou os xuxas?
    São explanações como a que o meu General acaba de nos conceder que nos convencem de que José Sócrates está preso em nome dos xuxas, para garantir que os xuxas não votam, como propõe o anormal do cegueta.
    Eu sempre lhe disse, meu General. Vexa é especialista em preparação física e doutrina das ”flexões”. Não leia um discurso em público antes que eu verifique a ortografia.
    Quer dizer: Vexa dá o litro e a verga e eu permaneço de cu sentado a pesar-lhe as palavras. Chama-se a isto estar de faxina. Ou de sentinela.
    E eles votam, meu General, e eles vota,…

  85. Nada disso Manuel Nunes. Quem está preso e um tal de Jose Pinto de Sousa, suspeito de um extenso roll de crimes. Está preso como estariam todos os portugueses quem se tivessem embrulhado numa situação daquelas, com a agravante que o homem foi primeiro ministro do país, o que, em qualquer sítio normal, daria uma dimensão mais gravosa as supostas acusações de corrupção, fraude fiscal, etc. Pior, o homem está numa prisão de luxo onde não está sujeito às regras dos demais presos, faz livre uso de telefones, recebe quem bem quer receber, etc.

    É só em pardieiros como este que se pretende dar uma dimensão política a coisa. Quando vemos que determinadas facções dum partido já de má reputacao agarrarem-se ao homem e para ele pretender um tratamento ainda mais excepcional daquele que ele já beneficia, é aí que a coisa fica política, é aí que sabemos que estamos a lidar com o crime organizado, com a camorra nacional de pacotilha.

  86. “Quem está preso é um tal José Pinto de Sousa”.
    Estão presos o anterior Primeiro Ministro, a decência cívica e a ideia de a justiça portuguesa não ser um poço de arbitrariedade que irriga a malícia e a velhacaria política. Andam à solta, por esses blogues e jornais fora, neonazis e outros frustados da vida, em alívio boçal e persistente, tentando abanar as estacas da frágil democracia em que vivemos. Não abanam. A revelação da podridão que aqui estava, proporcionada pela luz da lanterna que o braço de José Sócrates ergue, resgata o amor à liberdade que, mais cedo ou mais tarde, a purificará.

  87. O galuxo, demonstra aí, com factos e estatísticas, o que há de arbitrário no processo do Pinto de Sousa. Farto de 31 de boca de xuxas e comunas, sempre prontos a vilipendiar os outros, os justos, os que acreditam e vivem a justiça, de fachos, nazis, etc.
    Demonstra, de forma inequívoca, com dados, a superioridade do teu argumento.

  88. Aqui é só reformados e desempregados doidos da pinha.

    “luz da lanterna que o braço de José Sócrates ergue, resgata o amor à liberdade que, mais cedo ou mais tarde, a purificará.”

  89. Meu General. Devo andar desatento às notícias. Ainda não sabia que Sócrates estava acusado de qualquer coisa. Até ao passo em que acompanhei a ”coisa” o senhor procurador tinha umas suspeitas e procurava desesperadamente fundamentá-las. Até ao momento ainda não tinha fundamentado alguma. Quanto mais um rol.
    Gostaria também que detalhasse as condições de luxo em que Sócrates está preso. E sem essa conversa de encher pneus dos telefonemas coisa e tal. É que, em minha opinião, o sistema prisional português deveria ter prisões a um suspeito aguardar preventivamente, enquanto a investigação fareja, a acusação. Os presos em preventiva ainda não cometeram crime algum, nem foram sentenciados, muitos não foram acusados. Estão presos por interesse e abono da investigação das suspeitas.
    Obviamente Vexa alegará que foi Sócrates quem inventou o sistema prisional e as medidas penais e preventivas. Certo. Se assim fosse, o mínimo que se poderia dizer seria que o actual governo não corrige as leis porque lhe dão jeito. Algumas.
    É óbvio, meu General, que tudo isso é conversa de encher pneus. Não seria altura de a direita reciclar o discurso e procurar razões para manter Sócrates preso à luz do direito e não de vontades e intenções?
    É que, assim, o que me parece é que anda uma camorra a prender outra camorra.
    O senhor Pimpampolas saíu-se aqui, há uma semana, com uma narrativa dos seus infortúnios pessoais.
    Da forma como narrou, qualquer procurador isento e bem intencionado, sem malícia, pensaria com os seus botões:
    ”Este gabiru, funcionário das finanças, andou uns anos a fazer graciosamente declarações de IRS e IRC para outros gabirus. O chefe começou a suspeitar da graça, ou da graciosidade, e a passar a pente fino a ”coisa”, solicitando os respectivos comprovativos. As notificações perdiam-se nos correios e os notificados nunca as recebiam. Então o chefe decidiu que, tal como interpretava a lei, as notificações consideravam-se com efeito desde que emitidas. Mas não conseguiu provar que quem administrava a ”coisa” era o gabiru. Vai daí, o gabiru pediu a reforma. E vem agora contra o Sócrates. Porquê? Tenho que ponderar muito seriamente esta coisa do Sócrates, porque pode acontecer que ele esteja inocente como o gabiru. E ainda vão dizer que o gabiru sou eu.”
    É legítima a suspeita? Todas as suspeitas são, em princípio, legítimas.
    O que lhes pode faltar para poderem dar origem a prisões?
    Meu General!
    Espero de Vexa e da sua superior inteligência argumentos mais consistentes.

    Nota: A referência à narrativa do Pimpanolas nada tem que ver com a realidade. Foi a título de exemplo retórico.

  90. skullsinthestars ‏@drskyskull Jul 28
    #TenThingsNotToSayToAWriter I have no comment whatsoever on the substance of your writing, but there’s a typo on page 5.

  91. ai! mas onde é que Jasmin vai buscar cola para juntar carácter a moral? mais: onde é que Jasmin vai buscar repelente para separar carácter de crime. peço, por favor, a quem souber a resposta que ajude esta personagem porque eu só sei focar-me no essencial. isso e rir muito das reflexões atrofiadas e putas. :-)

  92. Já corri dez páginas, caveira, e ainda não encontrei o teu typo.
    Não me queres dizer em segredo, que o nosso General não ouve?

  93. Alguém disse que ele tinha sido acusado do que quer que seja? Ele é arguido e está em prisão preventiva. Como ele há é houve milhares de outros.. Acha que é caso único?

    Mas porque é que é que teria de haver prisões diferentes para preventivos? Será porque, como diz, “Os presos em preventiva ainda não cometeram crime algum”?
    Você sabe quantos dos presos preventivos que são tramitados em Portugal não são acusados de nada? Lendo as tretas que escreve, ficar-se-ia com a impressão que apenas 1 em cada 100 presos preventivos é efectivamente um criminoso. Acha que a realidade é essa? Desminta-me com factos…

    “seria altura de a direita reciclar o discurso e procurar razões para manter Sócrates preso à luz do direito e não de vontades e intenções?”

    Está a ser cometida alguma ilegalidade processual? Demonstre-a sff

    Cordialmente

  94. Como diria Aristóteles, para o caso traduzido por Rui Tavares, Ó Linda, existe o bom carácter, o mau carácter e meio carácter a que se convencionou chamar moral.
    Ai Linda! És muito complicada.

  95. Ora muito bom fim de tarde, cavalheiros e demais damas em geral.

    O meu agradecimento ao gentil cavalheiro Castro Nunes, pelo seu esclarecimento e pela sua nota de rodapé, sobre o nobre carácter do meu querido irmão Pimpaumpum.

    Ele não quer ser arrastado para aqui.
    Não o incomodem por favor.
    Fogo, diz ele, ainda é pior que o parlamento da Madeira.

    Como muito bem diz, não poderia nunca o bronco e limitado chefe da secção, acusá-lo de tal ou tais manigâncias, desde logo porque, as cartas contendo as notas demonstrativas do imposto a pagar ou a reembolsar, vulgo liquidações, são emitidas por um serviço em Lisboa, o SIRS.
    Que em bom rigor nem é uma pessoa ou pessoas, é uma máquina.
    E depois ele não era carteiro.
    E as declarações que ele graciosamente preenchia, era para amigos e conhecidos, que por seu turno, traziam um amigo também.
    Ora a amigos e conhecidos, não se cobra nada.
    Embora, não tivesse, como funcionário do Estado, obrigação de preencher tais papeladas.

    Perseguido pelo Ministério Público não estou a conseguir ver.
    O único delegado que ele conheceu lá no serviço, na Direcção de Finanças, trabalhava exclusivamente em articulação com um grupo muito restrito de juristas, que se chamava NAC, Núcleo de Investigação Criminal.
    A impressão com que ficou dele, é que era um sujeito com muita sobranceria e pouca motivação pra trabalhar.
    Exigia muito dos coitados do NAC. Nada mais nada menos que fotocópias às toneladas. Um horror, pôr licenciados em Direito a tirar milhares de fotocópias. Dizia ele que, basta faltar um papel e o juiz bota logo tudo abaixo.
    Poucas vezes avançava e não coisa nem saía de cima.

    Com quem o delegado se dava muito bem era com uma ” jurista ” que trabalhava na mesma sala que o meu irmão.
    Ela estava a tentar um mestrado e o delegado dava-lhe dicas sobre os sítios da Internet, onde poderia encontrar as teses já prontas, era só depois copiar.
    Esta alegada jurista, abria uma carteira em formato de acordeão e exibia certificados de isto e de aquilo, inclusivé um cartão do Certificado de Excelência da coisa da C.E.E.
    Mas na realidade, era muito burrinha, perguntava ao meu irmão como se contavam os prazos para efeitos de apresentação de reclamação de de impugnação judicial.
    E ele pacientemente lá explicava, ó menina, não se está mesmo a ver, os prazos contam-se pelos dedos da mão.
    Era uma desgraça, não sei porque artes e manhas conseguiu ela os diplomas, fazia tudo mal feito e depois o chefe retirava o lixo e devolvia de novo ao meu irmão, para ele de novo fazer.
    Trabalhava a dobrar, o desgraçado.
    Violação dos deveres e direitos de ?

  96. Tramitados, para o caso, meu General, está mal aplicado. Mas um General não é um magistrado.
    É óbvio que existem múltiplos consecutivos e concomitantes irregularidades peocessuais e eu já assinalei muitas. A prisão de dois suspeitos no mesmo processo na mesma cela é um irregularidade processual até ser explicadinha. A escolha ao azar de magistrados previamente e publicamente envolvidos para relatores de recursos é uma irregularidade processual. A violação do segredo de justiça é uma irregularidade processual, pese todavia o facto de se ter tornado moda.
    Mas eu tenho sobretudo assinalado manhas processuais.
    O meu General convenceu-se de que ”irregularidade processual” é meramente uma expressão que respeita aos códigos e à matéria estritamente processual. Mas não, ”irregularidade processual”, para quem não está vinculado aos ”trâmites” do processo, é tudo o que, mesmo que regular em referência estricta à letra da lei, denuncia a quem vê que a lei está a ser manipulada e usada contra a regularidade dos seus fins.
    Eu nunca contei quantos presos preventivos existem em Portugal. Mas nunca os contaria para deduzir do resultado estatístico se são ou eram culpados ou não.
    Se o fizesse, poderia acontecer que um magistrado também o fizesse, raciocinando assim: ”Se eu aplicar a prisão preventiva a este gabiru, tudo indica que estatisticamente reforço a possibilidade de ele ser culpado.”
    Conversa de encher pneus, meu General, conversa de encher pneus.
    Não quer mudar a cassete?

  97. Perdão, Excelsa Teresa, eu deixei claro que recorria à narrativa de seu irmão como exemplo retórico.
    Não tenho qualquer razão para suspeitar do que alega.
    Quanto ao resto, manifesto de novo o meu pesar pela morte de seu irmão Orlando e rogo-lhe a fineza de o transmitir ao Seu irmão Pimpampum, que, mau grado iludido pela conversa fiada do cegueta, faz cá muita falta.
    Um Abraço.

  98. Ó menina Olinda

    Então a menina acha que só as pessoas de “mau carácter” cometem crimes ?
    Então e as circunstâncias ?
    E acha mesmo que o lugar para “julgamentos de carácter” é um tribunal ?
    O tribunal é para julgar crimes, independentemente do “carácter” de quem os possa ter cometido.
    Pode ser o tipo com o pior carácter do mundo (ou não será antes “feitio” em vez de “carácter” ?) mas pode ser inocente e o crime ter sido cometido por outro.
    PRECONCEITO é coisa que não deve entrar numa sala de audiências de um tribunal.

  99. Muito obrigado pelos esclarecimentos Manuel.

    “prisão de dois suspeitos no mesmo processo na mesma cela é um irregularidade processual até ser explicadinho”

    Esteve lá e viu com os seus olhos ou soube pelo CM? Podia mostrar-me a alínea do CPP ou outro código onde se proíba tal coisa?

    “A escolha ao azar de magistrados ” mostre-me onde tal está proibido

    Quanto à violação do segredo de justiça, demonstre e identifique as fontes de tais violações? Eu por mal dos males, posso-lhe ir buscar uma citação do advogado do 44 em que ele diz que viola e que vai violar o segredo de justiça.

    “Irregularidade processual, é tudo o que, mesmo que regular em referência estricta à letra da lei, denuncia a quem vê que a lei está a ser manipulada e usada contra a regularidade dos seus fins.”

    Quantas mais definições vai conseguir fazer da coisa hoje?
    Mas quem é que está a fazer tal observação? É o Manuel? Desde quando é que se tornou um especialista em direito? Se a irregularidade é assim tão gritante, concerteza haverá tempo para processar alguém, porque é que se preocupa com o assunto?

    Mais, as eventuais irregularidades, que, como admite, são absolutamente legais, em nada inocentam o 44, pelo que mais não são do que um truque baixo para mover a atenção do povo do que interessa, um ex primeiro ministro com um estilo de vida, patrimônio e contas bancárias injustificáveis a luz do seu rendimento.

    Não consegue rebater o problema das estatísticas? Chatice não e? De facto este problema é mais giro de conseguirmos manter tudo na esfera do extraordinario, do único, da perseguição a um político impulo, fazer de conta que não quaisquer paralelos a esta situação…. Infelizmente não e o caso…

    Mais, de facto a vida era uma maravilha de fosse tudo gerido com base no quantitativo. Podíamos começar por remover os radares das auto-estradas, ou retirar aquelas fitas métricas aos policias de trânsito, passava tudo a ser aferido na base de opiniões…

  100. Caro BÁSICO.

    Evidentemente! Este «género de frequência atabernada» DESCONHECE (e REPITO), duas coisas: PROCESSO PENAL em geral e o PROCESSO PENAL ( em especial) em que se insere a investigação em curso, ao abrigo da qual está validamente decretada a medida de coação de prisão preventiva. Criticam o Correio da Manhã e outros jornais, que qualificam de «pasquins»; todavia, lêem-nos e , aparentemente, tentam discutir sobre o que retiram de alegada leitura. Digo «alegada», porque LER não significa tão só unir as sílabas e salivar palavras…

    O que tenho dito desde sempre AQUI e mantenho é o seguinte: as regras processuais penais ( e outras) estão a ser seguidas, pois se assim não fosse, com tantos recursos à instância superior, as irregularidades e/ou nulidades processuais JÁ teriam sido sancionadas não só mediante requerimento do arguido mas TAMBÉM ex officio.
    Quanto a factos, decorre uma INVESTIGAÇÃO em PROCESSO URGENTE, pois que há arguidos presos, investigação essa COMPLEXA, eventualmente com a declaração da complexidade do processo. Que sabem estes IGNARALHOS disto?

    Porém, ei-los veiculando PAREXERES da treta, que – devo dizê-lo – não CHEGAM AOS CALCANHARES DOS PASQUINS DA PRAÇA!

    Quando DESAFIADOS a elencar as «manhas e irregularidades processuais», os IGNARALHOS calam-se e afastam-se para voltar com o ORDINÁRIO, a INVETIVA mas sobretudo MUITA IGNORÂNCIA.
    Devem ser tratados à medida do apoucamento – a que os voto.

    NOTE, contudo, que eles dizem que tudo vêem! NOT.

    É esta camada de ANIMAIS ditos pensantes que VOTA e formata as democracias modernas, gerando neste dispensário os que já identificámos como ASNOCONSULTOS. Creia, meu caro, são zeros da esquerda e à esquerda.

    Claro está que NUNCA podem aceitar o que é tão previsível – ACUSAÇÃO, teimosamente seguida de ABERTURA DE INSTRUÇÃO – afinal, já recorreram tantas vezes do despacho de manutenção da PP, que, por certo, não se quedarão com a ACUSAÇÃO. Requerendo a INSTRUÇÃO, continuará a ASNEAR e em vez de semear com MEL, continuará a lançar VINAGRE sobre quem DECIDE, PORQUE TEM, LEGITIMAMENTE, PODER PARA DECIDIR.
    As alegadas PROVAS prestadas ao PÚBLICO bem que as podem guardar na prateleira certa, até porque se fossem de facto PROVAS estariam, assim que identificadas, juntas aos AUTOS ( e não LIVRO DE RECLAMAÇÕES como o TROLHA do IGNABICHATZ já aqui VOMITOU). E nem sequer seriam discutidas na praça pública, outrossim apresentadas oportunamente e de forma bem mais impactante – atento a que o arguido é político. A ASNEIRA destes ASNOS é IMPRESSIONANTE. Faz dó, mas como não entendem, geram o riso e o ligeiro.

  101. Meu Caro General!
    Lá vem a cassete? ”O Manuel é especialista em direito?”
    Porra, meu General! O direito, que defende os meus direitos e garante as minhas liberdades, me impõe os meus devores e me assinala a linha vermelha da transgressão é para especialista s? Então e eu? Sou uma merda!
    Conversa de encher pneus, meu General! Conversa de encher pneus.
    Sabe o que para mim são irregularidades processuais gritantes e obscenas?
    Um magistrado, ou dois, se investirem ou deixarem-se previamente investir no estatuto de supermagistrados para depois poderem acusar, nessa qualidade, um ex primeiro ministro! Isso é uma irregularidade processual! Ainda que na lei, nada impeça ou torne ilícito que eu confira ao meu vizinho o estatuto de super magistrado.
    E um General que se esconde por trás do anexim ”Básico” para arregimentar os rasos? Isso é uma irregularidade processual, porque nem todos os processos, nem todas as irregularidades são do foro judicial.
    Mude a cassete, meu General, mude a cassete. Não vá alguém suspeitar de que é magistrado e anda a prender e acusar a olho, com base nas estatísticas.

  102. Naturalmente, que os IGNARALHOS que se apresentam como CIDADÃOS e PASMAM com as alegadas irregularidades têm ao seu alcance mecanismos vários para fazer valer a sua indignação: o Tribunal Constitucional, provando junto deste que o processo enforma perseguição política e, por isso, ofende a CRP.

    A suspeição, já que, como aqui se tem assistido, ACUSAM os MAGISTRADOS dos autos de perseguição pessoal, etc e etc.

    Porém, os ESPECIALISTAS na crítica aos pasquins e que tudo ENXERGAM quedam-se nas redações de parede da escola primária. Utilizando os epítetos que tão generosamente direcionam por aqui, e dispensando a originalidade, eu diriei que os IGNARALHOS são COBARDES.

  103. Claro está, meu caro BÁSICO, quando os IGNARALHOS reconhecem a sua verdadeira essência e se apresentam como sendo da marca «M», só podemos com eles concordar, nunca infirmar, tudo na esteira da VERDADE.

  104. Cala-te cegueta! Porra! Agora cala-te! Faltou-te o gin?
    Senta-te e ouve porque, desde que nos deste uma folga, a conversa virou mais pedagógica.
    Senta-te e ouve, homem.
    Já foste à missa?

  105. Bem… por mim, podes continuar a zurrar.
    Pode ser que, um dia destes, o senhor procurador também sinta ânsias de te partir os cornos.
    Meu General!
    Advirta lá o cegueta de que anda a comprometer, sem apelo, o senhor procurador.

  106. calha sempre não coincidir o que eu acho com o que tu interpretas, Jasmin. é que tu estavas a relacionar religião e moral com opinião. e comigo. e depois, o caso em questão não pressupõe crimes – não por circunstâncias – por carácter fanado. e é isto que vos fode a mioleira a todos. :-)

    sou complexa, não complicada, Manuel de Castro Nunes. é que não estava a falar de Aristóteles mas de Sócrates. simples, afinal. :-)

  107. Sim, Linda, entendo.
    A Linda está convicta de que Sócrates é mais simples e menos complexo do que Aristóteles.
    Eu entendo. Só não entendo porque, sendo complexa, se atira a decifrar as coisas simples.
    Mas enfim… Isso vejo eu que sou cegueta…
    Acha mesmo que Sócrates é mais simples do que Aristóteles, um sujeito que dividiu as coisas em três géneros?

  108. A maior irregularidade processual é na verdade uma ILEGALIDADE.
    Prenderam um homem imputando-lhe um crime sobre o qual não lhe apresentaram qualquer facto.
    E como se tivessem prendido por suspeita de homicídio mas nunca tivessem dito quem foi o assassinado!
    Não se pode, é ILEGAL.
    Logo a prisão foi ilegal.
    E como 6 meses depois continuaram a persistir na mesma atitude, a manutenção da prisão 6 meses depois continua a ser ILEGAL.
    Depois existe a questão da prisão ter sido decretada por uma entidade incompetente para o fazer. Ao contrário do que os ceguetas desejariam essa questão não está resolvida. E sobre isso mais não digo, nem é preciso.

    A questão dos Recursos recusados pelo tribunal da Relação vale zero em relação à questão central. A da culpa ou da inocência do arguido. Até agora só se discutiram medidas de coação e complexidade do processo. Se algum Recurso tivesse sido atendido (e houve um que esteve por um tris) MATAVAM o processo de morte súbita. Obviamente, perante tal catástrofe tem andado a empurrar com a barriga …até um dia ….

  109. O meu amigo e caríssimo numbejonada, já tentou explicar, no seu estilo particularmente abrasivo, the lay of the land.

    Só não percebe quem ou não tem vontade de perceber, ou quem foi brindado pelo gracia divina de uma inteligência batraqueana.

    Mais de resto, cá estamos para comentar a bola.

  110. O Jasmin, se te fosse pedido para chapares numa carta a tua burrice dificilmente terias feito melhor serviço que com essa resma de comentários. E que não acertas uma, cono.

    perder tempo a ler mxrdas dessas é tão ou pior que me dirigir ao Julio de Matos na esperança de encontrar um paciente com quem discutir proust.

  111. O Básico
    Percebe-se que neste post tu e o cegueta ficaram mesmo f…
    Como dizem os orientais “o primeiro a partir para o insulto é o gajo que ficou sem argumentos e perdeu a discussão”.

  112. Obrigado, meu General!
    A sua sugestão foi brilhantíssima!
    Vamos conformar-nos com e confinar-nos às sábias explicações do cegueta.

  113. “… perder tempo a ler mxrdas dessas é tão ou pior que me dirigir ao Julio de Matos na esperança de encontrar um paciente com quem discutir proust.”

    oh burro do caralho! o único sítio em portugal onde consegues encontrar pacientes para discutir proust é no júlio de matos.

  114. :P
    Toda a minha vida ouvi os ”infras” recitarem Proust nas casernas.
    Para quê ir ao Júlio de Matos?

  115. ai Jasmim, mas isso é super-interessante, querida.
    Refiro-me ao tris.
    Como se sabe, o tris é aquele diminuto espaço que no género feminino, separa a … do …
    Quem melhor sobre ele se pronunciou foi o célebre capitão Roby, que no comentário ao seu (dele) afamado Código de Processo Sexual, ilustrava e esclarecia assim:

    ” foi por um tris que não te enra …bei “.

    Mas pronto aquilo são tonterias, e pode-se sempre ir tentando, o ” judge shopping “, é uma
    actividade deveras aliciante.

    Agora, quem me pôs coçar o cocuruto, foi o Castro Nunes, com a chamada de atenção para a diferença entre irregularidade processual, stricto sensu, meramente no que respeita ao Código e à matéria estritamente processual, FORMA, e irregularidade extra-processual, entendida como, para todos os efeitos práticos, alvo ou objectivo a atingir, EFEITO.

    Pode ser apenas uma extrapolação tonta, mas lá que me deixou a pensar, deixou.

    Que maçada, lá vou ter que me inscrever na Universiadade de Verão do PPD, pra tirar um curso acelerado de ciências jurídicas …

  116. Perdoe a ironia abusiva, Excelsa Teresinha, mas lamento tê-la posto a coçar tão só o cocuruto após tão atrevida linguagem.

  117. LOL. BÁSICO. LOL.

    O trombil dos IGNARALHOS estás cheio de hematomas. Pararam de zurrar, pois a última acertou-lhes na bocarra e/ou beiças – depende do tipo de animal.

    Ehehhh, os «argumentos» do JASMERDIM PIMBA. Eu acho que este gajo nem por fax tirou curso. Será que foi às Novas Oportunidades?
    Vejamos e divirtamo-nos:
    1. «A maior irregularidade processual é na verdade uma ILEGALIDADE».
    E a menor irregularidade processual, não é?

    2. «Prenderam um homem imputando-lhe um crime sobre o qual não lhe apresentaram qualquer facto».
    Imputam-lhe factos? Quais? Já há acusação? Onde está?
    OU SERÁ QUE INVESTIGAM para identificar FACTOS, IMPUTÁ-LOS, podendo PRENDER para o efeito? E se podem prender para aquele efeito, onde está a IRREGULARIDADE PROCESSUAL?

    3. «E como se tivessem prendido por suspeita de homicídio mas nunca tivessem dito quem foi o assassinado!»
    A sério? Mas já acabou a INVESTIGAÇÃO para se falar em «NUNCA
    4. «Não se pode, é ILEGAL. Logo a prisão foi ilegal.»
    O que é «que não se pode» quando a LEI de PROCESSSO PENAL justamente PERMITE e MANDA PRENDER?!

    5. «E como 6 meses depois continuaram a persistir na mesma atitude, a manutenção da prisão 6 meses depois continua a ser ILEGAL.»
    A sério? Então as prorrogações do prazo para a investigação PLASMADAS na LEI de PROCESSO PENAL são inconstitucionais.
    SUGESTÃO: aciona o Tribunal Constitucional. JÁ, pá, olha lá os direitos humanos do recluso, pá. Então permites uma coisa destas?

    6.«Depois existe a questão da prisão ter sido decretada por uma entidade incompetente para o fazer».
    Ai é? Quem foi a entidade incompetente para o fazer? Um JUÍZ é? Hum, se calhar devia ter sido a AT….ou a ASAE.
    7. «Ao contrário do que os ceguetas desejariam essa questão não está resolvida. E sobre isso mais não digo, nem é preciso».
    Não digas, pois NÃO É PRECISO continuares a incorrer em matéria de «M».
    8. «A questão dos Recursos recusados pelo tribunal da Relação vale zero em relação à questão central.»

    A sério? Pimba, a DEMOCRACIA GENTIA do JASMERDIM extinguiu o direito ao recurso e, do mesmo passo, a utilidade das INSTÂNCIAS de RECURSO.
    E que tal, ó cidadão de marca de «M», se consultares a CRP na matéria? Então tu agora eliminas órgãos de soberania e a autoridade dos ACÓRDÃOS daqueles? É que, NOTA, Ó TU QUE BÊSTUDO, estás a prejudicar o 44! O gajo depende das instâncias superiores, PÁ, já que os de 1ª instância estão alegadamente a tramá-lo. Queres dar poder definitivo e executórios àquela? Hum? Be my guest.

    9. «A da culpa ou da inocência do arguido. Até agora só se discutiram medidas de coação e complexidade do processo».
    Naturalmente, ó comentador de marca de «M». É que, ainda, NÃO HOUVE ACUSAÇÃO.Queres que se discuta o quê?

    10. «Se algum Recurso tivesse sido atendido (e houve um que esteve por um tris) MATAVAM o processo de morte súbita. Obviamente, perante tal catástrofe tem andado a empurrar com a barriga …até um dia ….»

    Hum, o que é o «tris»? Algum mecanismo processual, é? E isso de «morte súbita» é o quê? Alguma inutilidade superveniente do processo, é?

    LOL. LOL. JASMERDIM, por hoje já não precisas de comer mais fardos de palha, pá. Comeste bem e expeliste à altura do que comeste – só matéria de «M».

  118. para os mais lentos e dotados de dificuldade de compreensão menos rápida, esclareço que para os efeitos devidos, no meu comentário anterior, por alvo ou objectivo a atingir, se entende, O PARTIDO.

  119. O Teresinha
    Não seja por isso.
    Nem que seja por um triz , se continuar tão devota do cegueta, a senhora lá conseguirá passar pelo buraco da agulha.

  120. Ufa! Fiquei descansado!
    Ia adicionar outro comentário, para sugerir que o seu comentário tivesse sido feito pelo cegueta, eu substituiria cocuruto por cucurroto.

  121. JASMERDIM PIMBA, com tanta ASNADA e BOçALIDADE, descansa que não levas a rosa branca, PÁ. Além de que, como sabes, os XUXAS e COMUNAS não são muito bem vistos no PARAÍSO, tás a bere? O caminho curto deles para atingir o céu é mais curto que o da SANTA.

  122. Nem a rosa dos XUXAS, PÁ, os gajos estão em vias de ser todos emprateleirados em beliches estatais para o efeito….

  123. O cegueta

    Nem sabes o que me diverti agora!
    Tantas especulações acerca da possibilidade de o cegueta seres um magistrado e afinal quando muito tu deves ser o gajo que carrega com os montes de folhas do processo para os arrecadar na garagem.
    Acabei de ter a certeza de que não passas de uma FRAUDE!

    – Da-me licença senhor doutor?
    – Está licenciado!
    Eu não sou jurista. Tenho uma licenciatura mas não é Direito.
    O cegueta nem à moda do Relvas é licenciado.

  124. Opus conclusum, como dizia.
    Fica o veredicto nas mãos do cegueta.
    Mas não te estiques, filho, não te estiques.
    Fica-te por aqui que já fizeste asneira que baste.

  125. “O meu amigo e caríssimo numbejonada, já tentou explicar, no seu estilo particularmente abrasivo, the lay of the land.”

    não explica nada. o gajo repete à exaustão as justificações da corporação, o juíz é deus e deus não se discute, o juíz cumpre a lei e a lei foi feita pelo sócras, o processo está em segredo de justiça e portanto ninguém sabe o que lá está, o gajo está preso porque poderia fugir se estivesse em liberdade e poderia ficar aqui a noite inteira a desfiar outros exemplos de como funcemina a justiça, tudo sempre legal porque juíz não faz coisas ilegais e quando parece que são ilegais há-de haver sempre uma justificação que quem está fora do processo desconhece. esta é uma das maravilhas da carreira de juíz, isto ou ser presidente da edp, o gajo tem sempre razão e quando reclama paga a dobrar e de seguida corta-lhe a energia. quanto ao estilo abrasivo do teu amigo podes limpar o cu com ele, sempre economiszas em renova.

  126. Vamos a outro post, senhor Valupi. Vamos a outro post ”por mor do ceguinho”.
    Mas destes, em português. Aqueles em inglês não sei comentar.

  127. básico, não é certo que o numbejonada não esteja a receber dinheiro pela trolada. Algum interesse terá em passar horas a espalhar estas javardices. É duvidoso que seja apenas para passar o tempo.

  128. ora Castro, do antecedentemente exposto já resulta que a posição a adoptar é matéria melindrosa, e que a coisa é perigosa, involve não só o estudo dos Códigos, mas até do Kamasutra, e por tanto, a posição de lado é de evitar.

    A teoria que expende é curiosa e interessante mas só faz sentido se entendida no âmbito da chamada conspiração do poder judicial, mesmo
    que entendida apenas e tão só nas vestes de ” cobertura corporativa ” ou mesmo na já bem mais ousada ” rotação do pessoal judicial com link ao poder jurídicó-político “.

    Ora tal CONCLUSÃO, que precede uma tese conspirativa, naturalmente, faz apelo a uma presunção.
    Que, forçosamente, carece ser provada.
    Lá estamos nós outra vez enredados nas presunções …

    Que maçada …
    Rais partam o mafarrico do pc, já está outra vez a pedir energia, ainda há pouco o carreguei e já quer mais energia, este gajo não se enxerga, %€#;!
    Bolas !

  129. Tenha paciência, Maria Teresa, tenha paciência. Ainda ninguém decretou prisão preventiva ao senhor procurador.
    Estamos ainda na fase das suspeitas. Vamos ver quem consegue deduzir acusação antes das eleições?
    É que, se o PS de Costa ganhar as eleições, fica a matéria provada. Quer uma aposta?
    Se o sentido da justiça mudar de sentido aceita a matéria como provada?
    Conversa fiada, Maria Teresa, conversa fiada. Os dois sabemos que não estamos a falar em matéria judicial nem em acusações judiciais. O cegueta é que insiste em monitorizar o mundo através dos códigos processuais. E não sai daí. E lê os códigos com as mesmas palas com que veio ao mundo. Se estiver em frente de um espelho de perfil, olha para mim e diz que eu sou o cegueta.
    É uma certa simplicidade no ver o mundo. A Linda vê o mundo através de Aristóteles, como se o Aristóteles alguma vez tenha visto o mundo que a Linda tem pela frente e não vê.
    É uma metodologia medieval. Stagirites vidit, stagirites dixit…

  130. Acerca dos honorários do cegueta, desculpem lá, eu não pago.
    Quem deve pagar às p(…)s é quem se serve delas.

  131. LOL. LOL. IGNAROS, NHARROS e …patéticos. Sois estrábicos, num é? Num conseguis ber-vos num é?

    Excluo, evidentemente, o BÁSICO, o PIMPAUMPUM e a OLINDA dos epítetos supra – cuja oportunidade se fez e faz sentir cada vez mais.

    ZURREM, ZURREM, ó cambada. Com tanto talento, podeis integrar a defesa do 44. LOL. Mais asneira, menos asneira, os olhos dos MAGISTRADOS já estão mesmo FERIDOS da matéria de marca «M» em que sois naturellement experts. Podeis continuar, que preciso de me rir para esvaziar a tripa.
    BTW, o processo do 44 não se interrompe com férias judiciais, reveste natureza de processo urgente. Portanto, tendes matéria para discutirdes com o vosso carimbo de marca «M».

  132. Ora o comentário número 150 é meu!

    Parece-me que o senhor Procurador muito habilmente já se está a preparar para uma retirada estratégica.
    E desconfio que até o senhor juiz se previne para os dois lados, já que com o precedente convenientemente aberto para o banqueiro é muito capaz de mandar o ex- PM para casa nas vésperas das eleições.
    E depois de desfeita a autêntica paródia que é o “empate técnico” veremos para que lado navega a barca da Justiça portuguesa.
    Até porque cromos novos para a Justiça meter na barca é coisa que não há-de faltar. Dizem que ali prós lados da Santa Casa há alguém que pode ficar aflito.

  133. Lá em cima está o tiro liro liro,
    cá em baixo está o tiro liro ló,
    juntaram-se os dois na esquina
    a tocar a concertina
    e a dançar sol e dó.

    Comadre, ai minha comadre!
    Ah, eu gosto da sua pequena!
    Comadre, ai minha comadre!
    Ah, eu gosto da sua pequena!

    É bonita, apresenta-se bem,
    e tem a face morena!

  134. Manuel de Castro Nunes, olha-me bem para a simplicidade tão complexa das plantas quando fazem fotossíntese. ou das mulheres quando dão à luz. :-) e quanto à divisão olha que há indícios de que o nosso Sócrates dividiu por muito mais que três, tudo muito bem organizadinho para não ser possível detectar. :-)

  135. “Eu que detesto a deputada Ana Gomes, é a primeira vez que concordo inteiramente com ela.”

    normalmente as putas destestam-se mas estão de acordo

  136. estive agora a falar com o róró que acabou de chegar de missão exterior ao blogue da bécula e disse-me que os únicos indícios que encontrou foram de fantasias sexuais com clitóris na garganta e mais umas paranóias que sugerem violações pelo pai e madrasta. se não acreditam, vão lá ver. não ponho o linque porque aquilo no rating da bitch é xxxxx.

  137. ninguem é santo neste mundo.os juizes não estão acima de qualquer suspeita.julgo que há uns anos atras (poucos) uma juiza foi presa por trafego de droga!

  138. Bom dia Castro

    Penso que é o Blog da Ana Gomes, chama-se Causa Nostra.

    O Inácio diz que ela sofre do clóritis, mas enganou-se a digitar.

  139. Ah… Não sabia… Só conheço a Ana Gomes de quando andava por Timor com o cegueta.
    Mas a Excelsa Teresa faz uns ganchos no manhólas?
    Ou as diligências do róró já são do domínio público?
    Fico sempre com a ideia de que ando aqui off side. É sempre uma vantagem, andar às aranhas.

  140. O roró não sei quem é, conheço o Forrobodó.

    O Manholas acho que é um periódico.
    Jornal dos artolas, dizem.

    Género faça e alguidar, coisa parecida com o JN que aqui no norte é o que se vende mais – pudera, também é o mais barato.
    O CM vende-se muito pouco por aqui.
    Para falar francamente, nem sabia que ele existia.

  141. Ó Básico do catano (para não te chamar outra coisa);

    “… Está preso como estariam todos os portugueses quem se tivessem embrulhado numa situação daquelas, com a agravante que o homem foi primeiro ministro do país, o que, em qualquer sítio normal, daria uma dimensão mais gravosa as supostas acusações de corrupção, fraude fiscal, etc….”

    Pareces cegueta como outro mas não, afinal não é tanto assim. Tal como os pasquins da praça, acusas sem provares nada, mas, à cautela, refugias-te nas “supostas acusações”. Afinal em que ficamos? Já condenaste o homem à solitária (à morte se pudesses ressuscitar a pena), mesmo sem acusação nem julgamento, mas não vá o diabo tece-las, refugias-te nas “supostas acusações”. Olha que temos o país bem servido de Magistrados como tu temos.

  142. Nem uma noite de suposto descanso fez bem aos ANIMAIS. Incorrem recorrentemente na asneira e nas «análises» que lhes são peculiares – as ORDINÁRIAS.

    Pas de problème, uma vez que preciso sempre de me rir e, no caso, rebolo-me à gargalhada com a forma DOUTA como os ANIMAIS, armados em Sísifo, continuam na sua cruzada da repetição da asneira.

    A TASCA é o vosso palco. Continuem pateando. Fica-vos bem.

  143. OLHÓ CORVO NEGRO!

    Ó pá, tira-se-te a medida pela tua figura: és baixote, atascado, gordalhote, com um barrigão daqueles que pareces estar grávido de vinte meses e tens todo o aspeto de teres o dedo mindinho com a unha maior, para poderes tirar cera dos ouvidos. Noto que, olhando para ti, tens todo o ar de quem escarra na rua e continua a andar como se o passeio fosse a casa de banho, e que tira macacos do nariz, enquanto guia ou está parado em fila de tráfego. Deves ser mais um dos que «órina» à beira da estrada e tem uma mulher com o peito grande e bicudo a competir com a barriga.
    Em altura de eleições, vais todo aperaltado e andas com uma cerveja na mão a dizer «camarada, temos de dar a volta a isto, o PC é o maior». E sais do comício todo contente com uma caneta, um chapéuzinho e uma bandeirinha, com ar de quem contribuíu para o «povo unido».

    Isto posto, conta aí: que sabes tu de matérias jurídico-políticas ou de ciências jurídicas e outras do género?
    Volta lá para a taberna, fuma o cigarrito e à noite voltas para casa com a tua singular questão « ó mulher, o jantar já tá pronto»?

    E isto vota. Isto vota.

  144. O IGNABICHATZ tem um trauma com as mulheres. Desrespeita-as insistentemente. Ó ORDINÁRIO, até aquelas a quem chamas P… são SERES HUMANOS, que por variadas razões ganham dinheiro à custa do corpo para sobreviverem. Vê só o que têm de aturar! Apanhar com BADALHOCOS como tu para poderem alimentar-se e alimentar outros. Sabes muito na matéria, designadamente que estão sempre de acordo. Aposto que também concordarão que tu, sendo um monturo de ESCARROS e «ÒRINA» solidificada, não és PRODUTO para trabalho. Para além, evidentemente, de se desconhecer o paradeiro do teu pendentezinho…
    És tu que justificas a LUPA, pá. BADALHOCO. ORDINÁRIO.

  145. Ó CORBO PRETO toma lá pra óbires com os édefones nas orelhas de ignaralho

    Olhó corbo, olhó corbo

    tá todo incomodado

    prenderam-lhe o 44

    ficou com o cérebro toldado

    Não dá duas prá caixa
    Cruza os braços à pançudo
    O corbo é um alarve
    por isso é barrigudo

    «Órina» na rua onde passa
    Ele é um badalhoco
    Não lava as patas que usa
    é ignaralho cumá potassa.

    Óbe, eu só te atribuí «cérebro», por questões de generosidade, tás a bere? Se falasse a tua língua usaria uma expressão começada por «co…» tás abere?

  146. Muy bien, ó travestis da razoabilidade. Agora vou produzir para vocês terem o vosso subsídio de PREGUIÇOSOS, COMUNAS XUXAS arranhados, e frustrados.

    Aproveitem o momento de sol, calor e mergulhem nos charcos do lodo para continuarem a produzir a matéria de « M» que só vós sabeis.

  147. – Ó mãe! Olh’ós comunas!!!
    – Tem calma, filho, e deixa de chorar como uma menina. Eu não posso fazer tudo ao mesmo tempo, acudir-te e encontrar o teu pai.

  148. Mais um rap prós ignaralhos, saído da observação virtual aos mesmos

    Ora bede:

    Fala muito, muito, muito
    Sem pra tal ter cabaça
    Diz tudo e mais alguma coisa
    Sem saber do que se passa

    Diz aos outros quem é
    E falo de quem o pariu
    Caiu no chão da peixaria
    O seu pai nunca o viu

    Quem é ele, quem é ele
    Tem olhos de maluco
    Já pediu pra o internarem
    Pois tem falta de suco

    Adora o palavrão
    Ordinário é ele
    Afirma ante os leitores
    que não passa de aldrabão

    Já falou do seu processo
    Onde é assistente
    Faz requerimentos de maluco
    Típicos de quem mente

    Especialista em ossos de frango
    Que encontra todos os dias
    Quando amanha a terra do povo
    À procura de porcarias.

    Pasta suave, suavemente, tem cara de espantalho e faz rir toda a gente…hum.

    Bá, podeis dançar com as patas no ar….

  149. BASICO. LOL. abri ( só abro os seus e do Pimpaumpum). É só barretes! Mas estes «cUmentadores» não entendem. São ASNOS com dianteiras no ar e adeptos de Sísifo. Andam entretidos sempre com a mesma trampa.

    Ó IGNARALHOS, aquilo é que é solidariedade do Tony Bosta com o 44. O povo unido jamais será vencido.

    Sócrates, amigo, tu serás bem comido.

    Ele é o barrete, ele é só barretes, diz o 44 ao Tony Bosta, embarretado do futuro.

  150. Raio, meu General!
    O que é que o cegueta lhe anda a abrir?
    Cala-te artolas! Andas a comprometer toda a gente.
    Vais levar muitas nesse focinho… Ai vais, vais…

  151. os direitolas agora chamam-lhe barrete, antes de lhes pôr os cornos chamavam-lhe o cientista do psd e pavarotti da direita.

  152. Bem, agora lá vou ter que intervir.
    Ó Manholas do repórter, qual é o teu problema, tá-me cá a parecer que é dor de cotovelo.
    Querias ter um busto, porra, digo, Perfil assim, como o da Olinda, não é ?
    Ora cada um tem o que tem, e tú tens o Busto de Belém.
    Tá-se mesmo a ver o ressabiado :
    Clicas na foto para ver o TAMANHO COMPLETO, e abre-se-te uma fotozinha ainda mais pequenininha.
    Não é ?
    Ora bolas … !
    Que desilusão …
    Querias ver mais pra baixo, não era ? Querias full-size … Manhoso …
    Não ? Se calhar minto não ?
    Malicioso …
    Libidinoso …

    Ora Olinda, pois seja muito bem vinda, pra mais estando no meu burgo, – que o mais certo é não estar, e é só pra despistar – a gente vai-se encontrando por aqui.

  153. Ora por falar em vídeos do You Tube, eu hoje estou nostálgico :

    Cá está um que vale a pena abrir.
    Bons tempos, carago !
    Ó Numbejonada e diz você mal do Mai de 68.
    Isso é que foram bons tempos, e até havia abundante bordoada – em todos os sentido :)
    O único problema foi o venerando almirante ter feito um discurso subsequente .
    O idiotico Thomas era um obcecado pela cronologia e lá disse ” estamos no Maio de 69, porque o anterior foi o Maio de 68 “.
    Vinha na esteira de outras célebres calcinadas, seja : ” Este é o Decreto n° 100 da Marinha Mercante, e não é por um motivo qualquer. Segue-se ao 99, que foi o anterior “.
    Nunca entendí por que motivo a Censura não lhe corrigia os disparates, bastava mandar os discursos ao exame prévio.
    Bom, mas o que interessa é que nessa história do Mais soixante neuf se excedeu. A Gertrudes e a Natália não devem ter gostado nada .

    Cá vai o disco

  154. lembram-se do governo ter prometido, na semana passada, a devolução da sobretaxa de irs e de criar um simulador no portal das finanças para cálculo dos reembolsos? pois, a promessa durou uma semana, a utao diz que vamos ter de pagar mais, ouviram bem? pagar mais, porque há um desvio de 660 milhões.
    http://www.publico.pt/economia/noticia/utao-admite-desvio-de-660-milhoes-nas-receitas-fiscais-no-final-do-ano-1703952

  155. O Palavroso acusou o toque
    é o tipo do palavrão
    acusou também a graça
    de ser um espantalhão

    O badalhoco – mor daqui
    só fala de falos e outros
    não tem senso nenhum
    escarra sempre em croquis

    Não tem ponta por onde se pegue
    Perdeu o pirilau
    sonha com o pau dos outros
    mas sorve no Ximbalau

    É xuxa e comuna d´estirpe
    espantalho de grande tomo
    está espantado com o 44
    com uma grande dor de chifre

    iÔ, iÔ, iÔ. Bá, «rapem», ó grafiteiros clandestinos. IGNARERDAS.

  156. Eu não sei o que é que deu nesta gente toda para desatar tudo a tentar escrever em verso.
    Era só para dizer que são uns poetas de merda.
    Há 30 anos atrás eu versejava melhor que vocês Além de melhor conteúdo também cumpria a métrica e as rimas.
    Vejam lá se escrevem uma prosa de jeito porque poesia é de mais para vocês, criaturas.

  157. O governo é comandado por dois aldrabões e alguém esperava que eles fossem devolver alguma coisa ?

    Numbejonada,
    Nacresposta que deu, creio que ao Prudentíssumus referia-se a isto, aos art.°s 342.°, 343.° e 344.° do Código Civil, certo.

    Pode dar um exemplo comezinho quanto ao 343 e ao 344. ?

    Que me lembre assim de repente, e já deitei os códigos fora, a única presunção absoluta ou inilidível, na área em que estive mais embrenhado, o direito fiscal, era no caso do Código do Imposto sobre as Sucessões e Doações, havia um artigo que estabelecia que, a par dos bens inventariados, o falecido tinha também deixado um determinado montante em dinheiro e jóias.
    Aplicava-se uma percentagem ao valor total dos bens deixados em herança, e apurava-se tal valor.
    Era portanto uma presunção jure et de jure.

    Cumprimentos

  158. era de 62 sim senhor, mas ainda se houvia em 68.
    Era um clássico.

    As sinfonias de Beethoven foram compostas no tempo da Maria Cachuca e ainda hoje são tocadas.
    Assim como os concertos para violino de Chopin.
    É ou não é verdade ?

    Ó Inácio de Castro Nunes, quereis agora dizer que naquele tempo era tudo muito bom e havia muito dinheiro pra comprar discos e eles chegavam cá depressa ?

    Claro que não, havia, para além do mais, barreiras alfandegárias e uma burocracia diabólica, pelo que era tudo extremamente demorado.
    E depois havia também que começar a poupar muito cedo para só muitos anos mais tarde poder comprar.
    Sim, porque no geral, os salários eram de miséria.

    Ou será que vos estais a baldear pró campo do Numbejonada e dos ceguetas direitolas ?
    Mau, mau, Maria :)

  159. Então, meu caro que vos apresentais pelo nome de Teresinha, que quereis dizer com «vos estais a baldear pró campo do Numbejonada e dos ceguetas direitolas»?

  160. PIMPAUMPUM

    Sem preciosismos e dispensando, evidentemente, a panóplia de exemplos que existem nas matérias que coloca.

    Artº 343.º -p.e. o prazo a que o A. está obrigado para processar o seu empregador, após a extinção do vínculo laboral. em vista da recuperação de créditos.
    Art.º 344.º – p.e contratos de prestação de serviços ou de fornecimento de bens.
    p.e quando a parte contra quem se instaura detém documentação – por esta gerada- de utilidade para a outra parte processual ou a parte a quem aproveita.

    Em direito tributário (art. 24.º LGT/ para as dívidas tributárias – ressalvando toda a discussão ue se gera com as dívidas fiscais – as oriundas dos impostos ) – a prova do facto negativo que impende sobre o administrador/gerente para que não concretize a reversão tributária.
    ´
    Cumprimentos,

  161. uma burocracia diabólica para ligar o rádio e sintonizar o em órbita ou a 23ª hora, isto para não falarmos da radio caroline ou andorra que implicavam barreiras alfandegárias.

  162. para quem não tinha FM era.
    FM quer dizer Fora de Mértola.
    O em Órbita era transmitido em FM.
    A radio Caroline era transmitida de um barco ao largo do Reino Unido, portanto Onda longa e não dava qualidade de recepção nem sonora.
    O 23 hora era transmitido, salvo engano, pelo Fialho Gouveia e era uma merda.
    Aliás, como tudo que o Fialho fez a seguir ao 25 de Abril. Era em onda curta ou onda média e não tinha a qualidade sonora do FM.

    Estou a ver que usaste cabelo comprido e fumaste o teu charrito.
    Afinal não era assim tão mau como o pintavam e pintam, v.g., o idiótico sociólogo Barreto, que até fez um filme a preto e branco para ilustrar o período.
    Um dia, se me der na tola, conto aqui uma coisa sobre o António Barrete.

  163. Pôça, inda bem que foi sob reserva, o 23 hora era, em certa altura, com o Carlos Cruz, o PBX é que era com o Fialho e o Carlos Cruz.
    Mas independentemente disso, ambos eram uma droga, o Em Órbita é que era realmente muito bom.

  164. Basta eu ausentar-me uma tarde e isto vira logo um forrobodó, os facholas em amena cavaqueira, com o cegueta a botar de professor. Ainda vou trabalhar um bocado e já cá venho.

  165. Venha cá Manuel, venha cá por ordem nesta rebaixaria.
    Este tópico é do Sócrates e nós ainda não acabamos de dissecar os métodos de investigação do senhor Procurador.
    E subitamente, desde que meteram guarda de honra ao Ricardo Salgado, e que o sr Super-juiz desautorizou o sr Procurador, o caso SÓCRATES parece posto em sossego.
    O CM perdeu inspiração ou alguma coisa os está a borrar a cueca?
    Alguma coisa relacionada com o “empate técnico”?

  166. A JASMERDIM, evidentemente, é tola o bastante quando veste esta capa de JASMERDIM. Disparate sobre disparate, asneia mais que os causídicos do 44 quando promovem comícios de ( des) informação. O desrespeito pelos cidadãos como EU, que tenho que apanhar com estes hematomas da IGNORÂNCIA, do DESERVIÇO de alegados profissionais do foro, gerando os JASMERDINS PIMBAS, das feiras, onde vendem mantinhas e talheres a monte. E isto vota! Isto vota! Portugal está cheio desta malta! Estes gajos vão acabar com Portugal – como podem estes tipos VOTAR, se nem ler sabem??! Não entendem, não percecionam a realidade, pateiam na internet como se esta fosse a revista «Maria»! O caso do IGNABICHATZ! Olhem-me esse caso! Se a maioria é como ele, Portugal só pode continuar TORTO. Estes gajos peregrinam a Évora e atiram-se a quem se atrever a discordar deles – Se pudessem, faziam aquilo de que acusam o Mmº Juíz Carlos Alexandre! E chamam-me fascista! Ó COMUNAS! XUXAS! Ai se eu mandasse, punha-vos numa reserva, com governo próprio – autónomo. Claro que acabavam como os gajos do Rato – falidos, sem luz e água.

  167. Ora, desde quando, é que um magistrado judicial «desautoriza» um Magistrado do o Ministério Público? Hum?
    Pois a posição e as competências de CADA UM não são DIFERENTES? Hum?

    Como é que este VAZIO que se diz JASMERDIM anda à solta, e publica arrotos desta ordem? Hum?
    Vai dissecar as PULGAS, PÁ! E instala um museu onde amanhas a terra, PÁ.
    COMUNAS!

  168. Quanto a Sócrates, Caríssima Jasmim, opus conclusum.
    O assunto está esgotado. Estafada a argumentação, o senhor procurador dá música, servindo-se do Senhor Pimpapum de DJ.
    O cegueta dedicou-se ao direito tributário. Já não encontra matéria no código de direito processual.
    A Excelsa Teresa, agora etcetera e tal em minha honra, chama-me Inácio para se fazer cara.
    Vou passar para o post de cima.
    Este está arrumado. Só me falta partir o focinho ao cegueta. Quando ele regressar de Argel.
    Argel? Direis vós. Sim, Argel, ainda permanece por lá, como indício, o aroma da LUAR.

  169. O cegueta

    Tu ficas mesmo danado, completamente dessincronizado!
    Sim, nós somos uma ameaça a esse teu Portugal!
    Esse Portugal provinciano, pobre, inculto, de senhores e escravos.
    Sim, nós VOTAMOS. Infelizmente tu também!

  170. Vejam-me a TOLA da CASTRETA CAPADA a escoicear-se, entretanto! Deves pensar que eu estudo cadáveres de pulgas e percevejos. A TI ENSINO-TE e CALO-TE, ó albarda do IGNABICHATZ, pá.
    Vai comer um fardo de palha, deves estar com fome e precisas de te alimentar para produzires a matéria de «M», inata, como Platão ensinou.

  171. JASMERDIM, mereces ser INABILITADA, PÁ. Reserva contigo, trabalhos forçados para aprenderes a reconhecer quem te é inteletual e moralmente superior. BADALHOCA. Vai escarrar «verdinhas» pra outro lado, tá beie? COMUNA! Já compraste o «passe« deste mês à minha conta, hum? E os livros escolares, também?

  172. Eu acho que tu não estudas nem estudaste nada, cegueta.
    Para quê?
    Um desperdício. Ninguém precisa de estudar p’ra xulo.
    É só estar atento aos vícios do patrão.

  173. «Esse Portugal provinciano, pobre, inculto, de senhores e escravos.»

    Bem se viu, no que deu o «iluminismo» da esquerdalha pós 25 de Abril. Saneamentos, gritos na rua, entrega do Ultramar, abandono de Timor, até Macau se foi! Devias ter sido entregue também, ó JASMERDIM!

    Olha só para a cultura do País! Já viste bem o que tu DEBITAS AQUI? Ainda ontem comeste no trombil, pois DEI-ME AO TRABALHO de te comentar, tu que te atreves a comentar DIREITO e a invetivar MAGISTRADOS! Que sabes tu da matéria? Queres continuar a falar de «incultos»? Descreve-te.
    Senhores? Pois que achas tu de um GAJO que ACEITA ter o nome na montra de uma loja CARA de Beverly Hills e aparece a nadar em GOSTOS CAROS, de TOMO?! Isto quando o PAÍS mergulhava na dívida pública?!

    Cala-te. Quem te topa é Eça de Queiroz, visonário, ou o Guerra Junqueiro. És um hilário! Um hilário! E isto vota! Vota!

  174. Escravos somos nós – OS OUTROS – que pagamos a crise e os subsídios a gajos como tu – que preferem o subsídio de desemprego a trabalhar pelo salário mínimo. XÔ.

  175. CHULO és tu, Ó COBARDE! Vai lá trabalhar a terra, e ver como é que podes continuar a vender Portugal.

    Ou então, continua a subir e a descer a escadaria da FDL….gajos como tu, não passavam do 1.º ano. Arrepiavam-se com os exames orais! Foste destes, não foste? Adoram a política do «XÔ» e mudaram-se para o edifício da frente …para estudar história.

  176. Estes tipos lembram-me a política do inquilino. Pagavam uma ninharia mas EXIGIAM que o locador arranjasse o prédio e o locado…

  177. Olhem-me outra. Diz o inteligerda do CASTRETA

    «Já não encontra matéria no código de direito processual.»

    Ó HERMENEUTA! Conta aí? Qual direito processual? O civil? O laboral? O penal? O tributário? Hum? Conta lá. Pois não és tu aquele que alega ter estudado? Vai estudar as costelas das pulgas, pá.

  178. OK. Mission accomplished. A afonia tomou conta dos asnoconsultos, que se recolhem à caverna. Platão tinha razão: é mais confortável assim para eles. Pô-los em contato com a realidade fática faz-lhes mal.

  179. Tens toda a razão, cegueta.
    Eu sou pago para te partir o focinho.
    Que queres mais? Consegues impedir quem me paga de me pagar?
    Tinhas que saber quem é, n’é, pá?
    Não tem muito que saber, partir-te o focinho.
    Estudar p’ra quê?

  180. Ó PÁ! Com esses olhos de maluco e mãozinhas de bailarina que pega de trás, DUVIDO que me partas o que quer que seja. BTW, não tenho focinho – tenho uma cara, bem feita e que agrada. Tu, em contrapartida, tens um SNOUT de espantalho. Mas se quiseres, Ó JASMERDIM, um exercício à maneira, já te DISSE onde me podes encontrar. Just drop by.

  181. o queque se passou aqui para o panascal ficar assanhado? li a atravessar e não encontrei qualquer referência ao brochista de serviço e panilhas do caldas, só as habituais críticas ao magistrôncio maçaneta.

  182. Cegueta

    Ter o nome na montra de uma loja cara de Beverley Hills é crime ?
    ( e tem mesmo ? quem viu ?)
    E se tiver nem me espantava que ainda lhe pagassem para ele autorizar que lhe colocassem lá o nome.
    Já ouviste falar de gente que ganha pipas de massa para vestir umas roupas giras e desfilar com elas ? Dizem que é uma profissão. Chama-se ser MODELO !
    Segundo os jornais do grupo Cofina o Sócrates chegou a ser convidado para ser modelo mas teria recusado (teria recusado desfilar na passerele, fazer sessões fotográficas, … mas será que recusou também vestir as fatiotas e desfilar com elas nos eventos aonde ia ? ).
    Sabes cegueta, não é coisa para gajos feios, baixos, gordos e barrigudos (como tu).
    Mas é coisa para gajos com a boa pinta e o charme do Sócrates, o tal sedutor irresistível que, segundo os jornais da Cofina, gastou 1 milhão de euros a seduzir mulheres (afinal agora ja não é gay, os mentirosos encarregaram-se de desfazer a própria mentira).
    E tu cegueta achas que ser jeitoso, muito jeitoso mesmo, também é crime ?
    Só se os justiceiros forem feios e invejosos!
    Mas disso não duvido!
    Um dos motivos da perseguição chama-se INVEJA.

    PS: já te disse aqui que sou licenciada, não em Direito, mas licenciada!
    E tu cegueta? Tens ao menos 4a classe ?
    Vai lá insultar a tua mãezinha que pelos vistos não te soube educar!

  183. Viva o 25 de Abril !
    Viva a Escola Pública ! O melhor, mais justo e eficaz “elevador” social à estou eternamente grata!
    Viva o Serviço Nacional de Saúde ! Que ao menos na saúde e na doença nenhum ser humano possa haver qualquer espécie de desigualdade!
    Viva a Segurança Social ! Que a solidariedade substitua definitivamente a caridadezinha medieval!
    Viva a Justiça do Estado de Direito ! Que a Justiça seja a aplicação da Lei e não um julgamento moral preconceituoso!
    Vivam as liberdades, direitos, e garantias dos cidadãos!
    Vivam os filósofos das Luzes ! Os homens nascem livres e iguais !
    Viva a Revolução Francesa !
    Viva a República !
    … E viva o 25 de Abril, não sei se já tinha dito … VIVA !

  184. Raios partam os ceguetas!
    Mas senão fosse o cegueta não tínhamos aqui o contraditório.
    Por isso, Viva também o cegueta !

  185. Sim, Jasmim!
    O cegueta proporciona-nos o contraditório ideal!
    Nem de encomenda.
    Por vezes até me convenço de que o cegueta sou eu, que inventei o contraditório que me convém.
    Ainda dou comigo a partir-me o focinho! :)

  186. Ai, ai, ai, ó JASMERDIM, então és licenciada em Direito. Num ma digas. Ó pá, num ma digas. E licenciaste-te onde? Bem se vê pelos teus PAREXERES, olha bê lá se te lembras das ASNADAS que disseste o outro dia? Quer dizer, dizes asneiras todos os dias, mas o teu «articulado do outro dia»…LOL. LOL.

  187. Esqueci-me: JASMERDIM: vai tu INSULTAR quem te pariu, o que fazes TODOS OS DIAS que a TUA progenitorazeca olha para ti. COMUNA! VIVA SALAZAR.

  188. O cegueta

    Francamente !
    Então agora tu não sabes ler ?
    Eu disse que sou licenciada, NÃO em Direito, mas licenciada!
    Ou seja, vou repetir: não tenho uma licenciatura em Direito, mas tenho OUTRA licenciatura.
    Numa Universidade Pública, pá!
    Num daqueles cursos a sério! Naqueles difíceis de entrar e ainda mais difíceis de sair!
    Ou seja, não me misturei com o senhor Primeiro-ministro porque ele não conseguiu entrar na mesma Universidade que eu, estás a ver ?
    E tu ? Já completaste a Quarta Classe ?

  189. Se é verdade, se alguém viu ?
    Sim e fotografou, aqui

    http://1.bp.blogspot.com/-KzzGL3Io-7g/TbxjeERaZtI/AAAAAAAAAIE/X84AtYXFvqU/s1600/PrimedeBijan01.jpg

    Convidado para manequim ?
    Mas que mais não foi todo o percurso político dele senão desfilar na passerelle, ora ostentando a roupagem disto, ora a vestimenta daquilo, ora a indumentária daqueloutro, ora as vestes destrouto.
    Até que chegou à fatiota de o rei vai nú – mas não por usar roupagem transparente, entenda-se, antes por usar roupa pouco credível.
    Presentemente, usa uma roupita de riscado, ou axadrezado, como se queira. É roupa virtual, claro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.