10 thoughts on “Portuguese Scientists Discover”

  1. Passo gigante da medicina e bioquímica gulbenkiana, sim senhora, ou, alternativamente, mais uma pintura sobre ferro ferrugento.O que esses senhores investigadores não sabem é que ainda andam por aí umas pomadas salazaristas que são muito baratas e produzem os mesmos efeitos. Isto é, lavam e amaciam os cus mas não acabam com a merda.

    O que seria realmente interessante é que os dinheiros gulbenkianos fossem gastos para se descobrir a verdadeira CAUSA da diabetes que aflige bebés, meninos e adultos, mas para isso seria preciso coragem e interesse sincero pela saúde da Humanidade. Portanto, tal como nas “descobertas” diárias de curas para o cancro para entreter labrego, este anúncio sensasional só tem farol farol e farelo.

    Mas sempre é melhor que injecções de Loureiro três vezes ao dia.

  2. E temos isto, que o Público, desta vez, não remeteu para página o canto inferior esquerdo da página par, como fez com outra notícia muito recentemente.
    E que trancrevi para http://azereiro.blogspot.com/. Aqui fica, para quem não conheça.

    “OCDE elogia reformas de Portugal no superior
    Vera Monteiro

    A organização está optimista com nova legislação de financiamento universitário e parcerias internacionais
    A A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) elogiou ontem as reformas que Portugal fez nos últimos dois anos no ensino superior. Embora as reformas tenham dado “mais autonomia e espaço de manobra” às instituições, obrigam-nas também a estar mais atentas às “necessidades da sociedade e da economia”, lê-se num relatório da organização.O documento dá destaque à nova legislação que permite às universidades públicas transformarem-se em fundações privadas, fomentado a ligação entre as escolas e as empresas, e à expansão do sector politécnico que diversifica o ensino profissionalizante. Realça também a criação de um sistema de empréstimos para estudantes pagarem os seus cursos, e as inúmeras parcerias que Portugal tem feito com universidades internacionais promovendo investigação ao nível da ciência e tecnologia.Foi em 2006, e a pedido de Mariano Gago, ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, que uma equipa da OCDE visitou Portugal para uma avaliação internacional do sistema de ensino superior português. O ministro reuniu-se ontem com o Comité de Educação da organização, para fazer um balanço do que tinha sido feito após as recomendações de 2006, sobre gestão, financiamento e a rede do ensino superior. Há dois anos, a OCDE havia sugerido precisamente que universidades e politécnicos passassem a ser fundações financiadas pelo Estado, que professores e trabalhadores não-docentes deixassem de ser funcionários públicos, e falara na necessidade de fusões entre instituições do ensino superior e na criação de um sistema de empréstimos.”

    Desta vez o Público deu mais destaque e numa página par. A continuar assim, ainda se chegará à primeira página, quanto a notícias que nos dão algum ânimo.

  3. a. moura pinto, o Público é um cão raivoso. É o jornalismo da má referência.
    __

    teofilo m., nem mais. Aliás, este movimento de crescente desenvolvimento de uma cultura científica mais pujante já vem dos anos 90. E, embora lento, as sementes foram bem lançadas. Os centros universitários do Minho, Aveiro, Beira Interior, por exemplo, estão a produzir muito e bom.

  4. Valupi
    A mensagem é esta. Apaga a anterior, sff. O link está errado. Obrigado.

    Em
    http://azereiro.blogspot.com/

    Olha o Público…

    “Portugal ocupa o oitavo lugar no ranking de um estudo europeu sobre a eficácia do ensino superior em 17 países da OCDE, que aconselha o país a aumentar a formação ao longo da vida e a atrair mais estudantes estrangeiros. O relatório Ranking de sistemas universitários: cidadãos e sociedade na era do conhecimento foi elaborado por três especialistas do Lisbon Council, um centro de estudos sobre assuntos europeus, em Bruxelas. Portugal “situa-se no meio da classificação global em todos os itens”, à frente de países como a França e a Alemanha.”

    Uma notícia de primeira página? Querias. Um rectangulozinho no lado esquerdo de uma página par, a 18. Em 21-11-08. Sim, que a primeira página, quanto a ensino, continua arrendadada à Fenprof.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.