Pinto Monteiro, testemunho

Pinto Monteiro (1942-2022)
__

NOTA

O silenciamento do fim da vida de Pinto Monteiro no editorialismo dito de referência e nos espaços de comentário político é vexante. Calaram-se por medo de o continuarem a caluniar na hora da sua morte, uns, e por medo de honrarem a sua memória no momento da despedida, outros. Expõe a miséria moral que é parte essencial da comunidade que somos. Revela como a Justiça tem sido usada como arma de arremesso golpista, feita antro de abusos, devassa e crimes sem punição, sequer investigação.

7 thoughts on “Pinto Monteiro, testemunho”

  1. consegui, finalmente, chegar pelo servidor. :-)

    de resto, :-(, é mesmo preciso recomeçar a civilização com aquilo acolá

  2. não pões a hipótese de já ninguém se lembrar dele? o meu caso é esse , eles vêm e vão e tudo fica na mesma .
    os merdia falam de coisas que escandalizem o povo , só se ele tivesse morrido de morte matada é que faziam barulho.
    ( oh , Pope fFrancis : “nato was barking at thre gates of Rússia “. eh , lecas , Paquito eres putinista? )

  3. não tarda meto-a no elevador para a levar ao inferno , olinda , cuide-se…não se esqueça que elevador sobe e desce.

  4. mete o caraças, yo, só mete o que eu deixar que meta. é o que eu digo. tem jeito, porque quer, para os elevadores. pode ficar com todos que eu não sou invejosa. eu sou mais água, relva, árvores e flores. lailailai

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.