Pináculos da estupidez

Consta que Sócrates levou para o Brasil o plano de enganar os portugueses através da manipulação de Chico Buarque. Contudo, parece que o plano falhou porque não conseguiu isolar o cantor a tempo, impedindo que usasse telefones e proibindo os jornalistas de lhe fazerem perguntas.

Há quem acredite nisto. E há quem escreva a declarar que acredita nisto. De facto, a estupidez não conhece qualquer limite.

54 thoughts on “Pináculos da estupidez”

  1. Desculpa Val mas não se trata de estupidez!
    Trata-se sim de nos tomar por estúpidos que é coisa que fazem, amiude.
    O tratamento dispensado à visita de estado e de trabalho do 1º ministro de Portugal ao Brasil e à Venezuela, não foi por acaso, tratado de cima da burra. Não. Foi motivo de sorrisos de desdém, foi gozado como iniciativa folclórica e com uma inveja desmedida. isso é que foi!
    Pergunto apenas que relevância foi dada aos acordos culturais e económicos com aqueles nações?
    Afinal o que tratam os 19 acordos comerciais com a Venezuela?
    Esse País sem interesse acabado de visitar por presidentes chineses ou brasileiros, ou o que dizer do prestígio de que goza Sócrates entre os governantes do Brasil?
    Ou a perspectva de exportações nacionais serve, o quê?
    Também isso que interessa, não é?
    A verdadeira estupidez, e o seu pináculo, será despedirem este governo e substituirem-no por um outro,, neo-neo-liberal, que se cobrirá de ridículo, se um dia conseguir ser recebido em Brasília ou em Caracas…essas capitais de gente do terceiro mundo, sem maneiras à mesa e de camisa aberta…
    Abraço!

  2. De facto, não havia necessidade, e não deslustra um primeiro-ministro de qualquer país querer conhecer Chico Buarque. O gabinete do nosso primeiro deixa muito a desejar!!! São mesmo pategos!!! Ou então os jornalistas são todos uns velhacos.

  3. Grande Val, o seu ídolo vai ao Brasil numa visita de Estado a Chico Buarque, é recebido em casa do músico/escritor e o gabinete de Sócrates passa a mensagem que o Zé foi lá (a casa de Chico) porque Chico o queria conhecer.
    Recapitulando, o Primeiro-Ministro de Portugal vai numa visita de Estado ao Brasil, mostra vontade de conhecer Chico Buarque, o intelectual brasileiro, disponibiliza-se («se o cara me quer conhecer ele que venha ao meu ap, ué»).

    Caricaturando, estas são as duas versões.

    Ou a versão de Chico é verdadeira e a Sócrates resta a demissão pelo ridículo que nos fez passar a todos enquanto portugueses; ou a versão de Sócrates é verdadeira e, ainda, é pior. A terceira figura de Estado, numa visita oficial, interrompe o programa para ir a casa dum artista e leva um fotógrafo para registar o momento, a convite do último, nesta última circunstância, Chico teria dito: «me liga, vai» e Sócrates não só ligou como foi…

  4. pedro oliveira, estás mal informado. Mas estás divertido, pelo que escusas de pensar mais no assunto. A política pode ser uma brincadeira, como a oposição não se cansa de o mostrar.

    Quanto ao episódio, como outros, dá ideia de ter sido planeado ao contrário, de modo a poder servir os estúpidos com mais um quadradinho de açúcar. Diz lá: achas possível que alguém ligado a Sócrates (atenção, estou a falar de Sócrates, o maior conspirador de que há memória) arriscasse um plano demente condenado a ser exposto em poucas horas e passível de servir para os ranhosos e os imbecis se babarem de contentamento? Não terá sido antes esta situação o resultado de um erro de quem não conhecia a primeira parte da história, ou não cuidou de a explicitar, ocorrida num anterior encontro entre Sócrates e Lula?

  5. Por acaso eu acho que querer conhecer Chico Buarque revela um imenso bom gosto. Tempestades em copos de água numa altura de vendaval é demasiado ocioso e contraditório da parte dos alti-falantes que se dizem preocupados. Uma enorme renda da bilros, crochetada com a ligeireza de quem gosta de mexer pauzinhos à toa.

    Um bom dia do senhor para todos.

    :)))

  6. Ora aí está!
    Mais um ataque (será pessoal?) ao “nosso 1º”!
    José Sócrates não é com certeza o maior “conspirador de que há memória”, segundo as palavras elogiosas de Valupi. E digo elogiosas porque para se ser o “maior conspirador de que há memória”, José Sócrates deveria ter uma inteligência superior à que de facto tem e não apenas aquela esperteza saloia que ele faz questão de mostrar até à saciedade.
    Mas em algo ele é de facto o MAIOR, é sim. José Sócrates é até hoje – e será muito difícil ultrapassá-lo! – o Primeiro-ministro em que mais encrencas esteve (e está!) metido, seja por culpa própria ou devido aos amigos que tem, do género de Armando Vara ou o inenarrável Rui Pedro Soares.
    Este episódio da visita a Chico Buarque é apenas mais um na sua ainda curta carreira (esperemos que não se alongue muito…).
    Porque alguns dos habituais comentadores não lêem mais nada que não este blog – talvez porque preferem “comer” algo já mastigado… – aqui deixo a notícia da edição de hoje do DN. Não coloco a notícia do Público porque sei que há por aqui muitos anticorpos contra este jornal:
    “Sócrates foi tomar um café a casa do músico. A pedido deste, disse o seu gabinete. Chico Buarque desmentiu-o categoricamente.
    Pelos melhores e piores motivos, a passagem de José Sócrates pelo Rio de Janeiro foi uma verdadeira aventura. Como em qualquer história há, porém, pelo menos um registo que o primeiro-ministro leva para casa: a de um café em casa de Chico Buarque, na melhor zona de Ipanema, com direito a fotografia para a posteridade.
    Dizia quem acompanhava o PM que o momento se proporcionou por um pedido brasileiro do próprio cantor/compositor a Lula da Silva, seu amigo de longa data. Ao caso, uma cunha antiga: se lhe marcava um café com Sócrates. As razões para tal convite são desconhecidas.
    Acontece que Chico Buarque desmentiu esta versão. Disse ao Público que foi Sócrates quem o quis conhecer. “Foi o vosso ministro quem pediu o encontro. Nem faria muito sentido eu pedir um encontro e o primeiro-ministro vir ter à minha casa”, afirmou, mostrando-se indignado com a versão da história contada pelo staff de Sócrates.
    A seguir a este desmentido, o gabinete do PM rectificou: afinal a iniciativa partira mesmo de Sócrates, que há algum tempo tinha dito a Lula que gostava de conhecer pessoalmente o cantor/escritor. E a versão inicial (Chico a pedir o encontro) não passara, afinal, de um “erro de transmissão” no gabinete.
    Seja como for, Sócrates não hesitou. Cortou ao meio uma reunião com empresários e lançou-se ao trânsito para ter uns minutos com quem disse ser o seu símbolo de juventude.
    O primeiro-ministro aproveitou para pedir autógrafos para distribuir pela família. Levava na cara um sorriso (para além de enorme cansaço), deixando cair um “vai ser um sucesso lá em casa”.
    No dia antes, de resto, o meio cultural brasileiro foi motivo para uma desventura. Estava marcado, também no Rio, um jantar no consulado com 35 personalidades da vida cultural da cidade.
    Mas, nesse dia, José Sócrates não esteve para tanto. Deu ordem para reduzir o jantar ao mínimo, deslocou-o para um restaurante italiano da moda (também em Ipanema) e causou um embaraço ao cônsul português obrigado a desconvidar personalidades como a actriz Marília Pera, o ex-campeão do mundo de futebol Zico e, sobretudo, o ex-ministro e cantor Caetano Veloso.
    Pelo meio, ficou um dia atribulado. Vários encontros bilaterais desmarcados no Fórum das Civilizações, mais por culpa da desorganização do evento; um encontro com empresários que acabou com cadeiras a mais para os presentes (cerca de 20); e umas declarações à comunicação social tiradas a ferros.”

    E estes são os “pináculos da estupidez”, alerta-nos Valupi com a sua já lendária isenção. Sim, que Valupi nem sequer é do PS. Olhem só a nossa sorte…?!

  7. bem , se não houvesse já por detrás uma história parecida com o Figo , talvez a gente duvidasse , mas assim é difícil não acreditar que é mais uma manobra de propaganda e das barata . o Chico não recebeu uns euros e ficou tão chateado que pôs a boca no trombone.

  8. Ora aqui está – outra vez – ao que venho quando procuro a Aspirina B: a inteligência da análise e não o sabugismo seguidista; uma atitude adulta e não o adolecentismo blogosférico idiota; a crítica culta e elegante e não o trambolhismo intelectual. A minha sincera admiração e uma palavra de incitamento.

  9. Val,

    Tentemos ser, tentemos… intelectualmente, honestos.
    1. A visita de Sócrates a Chico Buarque estava agendada?
    1.1. Se sim a que propósito?
    1.2. O que resultou de palpável para Portugal dessa visita? (não acredito que um primeiro-ministro em visita oficial de Estado venha falar em ídolo da juventude… atenção, José Sócrates, adepto do Benfica, dissera o mesmo em relação a Luís Figo.
    1.2.1. Francisco Buarque de Hollanda nasceu em 19 de Junho de 1944
    José Sócrates Pinto de Sousa nasceu em 6 de Setembro de 1957
    Luís Caeiro Figo em 4 de Novembro de 1972
    Cada um tem os ídolos de juventude que quiser mas em 1991 (Figo, campeão mundial de juniores) José tinha 33 anos, Chico, 47 anos.
    1.2.2. Palpável até agora foi a declaração, «consegui autógrafos dum ídolo da minha juventude»
    2. A visita não estava agendada.
    2.1. O Brasil parece-me um país péssimo para improvisos.
    2.3. Como foi em termos de segurança?
    2.4. Quais os custos para o Estado português de mais um devaneio de Sócrates?

    Atenção, apesar de tudo o que escrevi não tenho nenhuns preconceitos homofóbicos.
    Sócrates pode idolatrar Figo e Chico Buarque um de cada vez ou os dois em conjunto que nada disso me afecta, desde que seja consentido, é da esfera individual de cada um deles.
    Aquilo que me preocupa enquanto contribuinte é se houve dinheiros do Estado que financiaram os «vícios/idolatrias» privados do senhor José Sócrates.
    Se houve… terão de ser tomadas as medidas adequadas, talvez a demissão, como aventei atrás (salvo seja).

  10. e não que o Chico tinha razão?

    afinal era o Sócrates que o queria conhecer e ter um seu autógrafo?

    (os teus amigos das “trapalhadas” já se encheram de desculpas e vieram com os mal entendidos de sempre…)

    mas não precisas de fazer como as avestruzes, Valupi.

  11. Desculpem, não acompanhei esta anedota (estava indisponível) – foi ou não foi verdade que o anedótico gabinete do anedótico-mor tentou passar a ideia que o mesmo foi convidado pelo Chico Buarque (lá para casa) e foi pronta e humilhantemente desmentido pelo cantor? Epá, oh Val, tem vergonha na cara, pá. Sobre estes assuntos nem fales, que te fica melhor. QUE ANEDOTAS.

    QUE ANEDOTAS!

  12. valupi em mais um texto estúpido e idiota, só me faz lembrar aquele sargento que dando ordem errada atribui a responsabilidade da execução às praças do pelotão por não estarem atentos.

    Aqui é a mesma coisa, Sócrates tenta enganar a malta (e o seu próprio ego), mas a responsabilidade não é dele, é dos que tornaram publica mais uma a situação anedótica.

    Qual é o problema se foi Sócrates que quis conhecer Chico, ou se foi Chico ambicionava conhecer Sócrates? Nenhum a não ser demonstrar a estupidez daqueles que tentaram dar a ideia do contrário do que aconteceu.

    Mais maior estupidez só mesmo daqueles como o valupi, que quando já toda a gente percebeu que o o mundo é helioestacionário tentam ainda dizer que somos todos mal formados porque não defendermos as teorias geoestácionárias.

    lupizinho, larga a pinga pá!

  13. 1.2. O que resultou de palpável para Portugal dessa visita?

    Foi o Sócrates que apalpou o Chico ou o Chico que apalpou o Sócrates?

  14. Mário Pinto,
    O maior em ser envolvido em telenovelas escritas por jornalistas a soldo de patrões a quém o actual PM não vai à mão é de facto este PM.
    O maior a papar essas telenovelas escritas por tais jornalistas é o Mário Pinto e pessoas culturais identicas como o acima pedro oliveira.
    Ao longo da História da humanidade, a toda a personagem que chega e reage de forma nova e diferente relativamente ao marasmo habitual da comunidade dos sentados e medrosos, tal comunidade serve-se de todos os truques sobre “valores” morais, abusa da invenção de “suspeitas”, lança ataques ao “carácter”, faz desinformação e contra informação para denegrir o diferente.
    Até que um dia tenham o chefe conveniente que não se mexe para não cometer erros e quando os cometa imediatamente virá, piedosamente, pedir perdão. Comunidade afofa-se nos cadeirões e fica agradecida.

  15. Tens razão, só pode ser, quem diz que a estupidez não conhce qualquer limite é porque conhece seguramente o assunto. Por exemplo, eu acho que o gabinete do PM fazer circular uma versão falsificada para obrigar a um desmentido e correção e assim garantir uma ‘boa’ notícia: ficarmos todos a saber que o Chico é um dos ídolos de Socrates & foi lá & etc., é substancialmente mais estúpido do que fazer uma simples nota de rodapé a dar conta do caso, directo. Hipocrisia nacional, em versão tanto mar.

  16. Camarada Adolfo Contreiras,

    A diferença entre nós é que eu não me escondo sob nomes que não remetem para nada.
    Possuo uma identidade que para o bem e para o mal assume o que escrevo, remete para um «blog», um «e-mail», uma pessoa.
    O seu nome a negro escrito não remete para nada, apenas, escarrapacha uma mancha de palavras, encarreiradas (como as formigas que Zeca detestava) que passarei a analisar.
    «O maior em ser envolvido em telenovelas, escritas por jornalistas, a soldo de patrões a quem o, actual, PM não vai à mão é, de facto, este PM.
    O maior, a papar essas telenovelas, escritas por tais jornalistas é o Mário Pinto e pessoas culturais idênticas, como o acima pedro oliveira» (citação após correcção ortográfica)
    Ok.
    Isto é uma telenovela «inventada» pelos jornalistas (e por Chico Buarque, presumo) qual é a verdade?
    1. José Sócrates (enquanto primeiro-ministro numa visita oficial à República Federativa Brasileira) esteve ou não em casa de Chico Buarque?
    2. De quem partiu a iniciativa?
    3. O que lucrou/beneficiou a República Portuguesa com esta visita?

    Deixemo-nos de merdas e de «nham, nham, nhams», um primeiro-ministro numa visita oficial representa uma nação (se Sócrates estivesse de férias e fosse para a Tailândia, para o Quénia, fazer safaris ou para as Berlengas, ninguém tinha nada com isso) o que foi Sócrates enquanto representante da República Portuguesa fazer a casa de Chico Buarque?

    (uma pergunta simples, para uma resposta simples… fico à espera)

  17. Qual é o erro de análise do comedor-de-parvos? É partir do pressuposto de que o chico-esperto tinha um plano para usar o outro chico. Não tinha… O plano posto em prática, e que correu mal, é o mesmo plano de sempre e que já se esgotou há muito tempo: o plano que se serve da constante exposição mediática de um parolo deslumbrado com os holofotes e com o mundo das «estrelas» do espectáculo e do «jet-set político», ou de outra natureza qualquer.
    Na base destas suas trapalhadas está, portanto, a sua ânsia de parecer aquilo que não é: não tendo qualquer curriculo político digno de reconhecimento (para além daquele que foi conseguido à custa de tachos e de «jobs for de boys»), o dito parolo sentiu, desde o inicio da sua governação, a necessidade de mostrar que era alguém importante e que merecia a confiança dos outros. Num tempo em que a imagem é quem mais ordena, o dito parolo (e a sua equipa) entenderam e decidiram que o seu sucesso e aprovação pelas pessoas dependeria das boas campanhas de marketing e de publicidade a que ele se associasse.
    O Pinto de Sousa é uma espécie de Lili Caneças da política cujo «reconhecimento» é tanto maior quanto mais vezes aparecer ao lado de quem é, de facto, reconhecido por ser alguma coisa, por ter valor: a sua falta de ser impôs-lhe a necessidade de parecer. De parecer que é de esquerda, de parecer que é «moderno», de parecer que era engenheiro, de parecer que sabia falar inglês, de parecer que sabe falar espanhol, de parecer que é alguém. Ora, tal como no mundo do jet-set, este tipo de plano acaba por correr mal e por virar-se contra quem vive e gosta de aparecer constantemente nas primeiras páginas das revistas cor-de-rosa. Com a crise, com os PECs, e com a falta de notícias que possam melhorar a imagem do dito parolo, já só restam episódios destes para alimentar a sua necessidade crónica de exposição. Só que, tal como no mundo do jet-set, quando não há nada para mostrar, o que fica exposto é apenas o desejo parolo de ser mostrado.

  18. Ou melhor: o pressuposto errado do comedor-de-parvos é dizer que consta que o parolo em causa teria um plano para nos enganar com o outro Chico, quando o plano não foi pensado para este encontro, mas sim para alimentar a sua necessidade de exposição e de parecer o que não é.

  19. Olá Adolfo Contreiras

    Já tinha saudades das suas tentativas para interpretar aquilo que eu escrevo.
    Tinha esperança que você tivesse, neste hiato, aprendido alguma coisa mas não.
    Até parece que desaprendeu, pois nem sequer soube ler aquilo que escrevi, a ver pelo seu comentário.
    Vejamos:
    As supostas telenovelas “(…)escritas por jornalistas a soldo de patrões a quém o actual PM não vai à mão é de facto este PM” (sic). Os jornalistas do DN também estão a “soldo dos patrões”? Olhe que o Sr. Joaquim de Oliveira é amigo de José Sócrates…
    Mas, e a ser assim, peço desculpa pois eu pensei que só os jornalistas do Público e do Sol é que caíam nessa catalogação.
    Depois diz também que só eu e “pedro oliveira” (em minúsculas) é que papamos essas “telenovelas”. Mas diga-me, as telenovelas não passam apenas na TV? Sim? Não? Ah…!
    E você, Adolfo Contreiras, que “telenovelas papa”? Limita-se a ouvir/ler as retóricas governamentais? É capaz de ser pouco, você não acha?
    Depois tenta embrenhar-se numa estapafúrdia análise histórica sobre o “ (…) marasmo habitual da comunidade dos sentados e medrosos (…). Pois é. Mas o que pretendia o Adolfo dizer? Confesso que não entendi.
    Depois virá o “chefe conveniente”, qual Messias dos tempos modernos, que blá, blá, blá, blá,, etc e tal.
    Está, Adolfo Contreiras. Espero bem que este seu desabafo tenha servido de catarse aos seus problemas existenciais.
    Espero “vê-lo” em breve e de melhor saúde…

  20. O Primeiro Ministro mentiu? Deixou o país mal visto? Então e não criam uma comissão de inquérito para apurar toda a verdade? Garantiam-se umas quantas horas de notícias e directos para a comunicação social e, com sorte, até podia ser que tivéssemos direito a umas baladas do Chico Buarque com o violão no Parlamento.

  21. MFerrer, é de gargalhada ver o silenciamento da política económica do Governo, o qual aposta nas geografias certas e vai à luta. Se o PSD fosse poder, fariam o mesmo a correr e tudo o que agora calam ou censuram passaria a ser excelente. E se fosse o PCP e o BE a mandar, cada ida à Venezuela daria direito a uma manifestação de apoio à governação no Terreiro do Paço.
    __

    jr e mdsol, não posso concordar mais: só fica bem a Sócrates – ou a qualquer político do Mundo! – querer conhecer Chico Buarque. Eu faria o mesmo, pois ele é um dos maiores poetas de língua portuguesa de sempre, para além do facto de ter crescido (no seu duplo sentido, temporal e existencial) com as suas músicas. Não se entende, porque falta informação, como é que se deu azo a esta palhaçada. Porém, mesmo que a história completa tivesse sido contada logo de início, continuariam os hipócritas a berrar que Sócrates tinha estado com o Chico só para a propaganda. A cegueira é a cegueira.
    __

    Mário Pinto, falas com muita ligeireza dos amigos dos outros e da sua honorabilidade. Que sabes tu do que cada um fez ou não fez? Contaram-te, viste ou limitas-te a emprenhar pelos jornais?
    __

    mf, estás baralhada: o instrumento do Chico é a viola, não o trombone.
    __

    j. almeida, vieste ao sítio certo, então.
    __

    pedro oliveira, tu pedes a demissão do Primeiro-Ministro porque ele, em visita ao estrangeiro, visitou um artista local. Quanto a honestidade intelectual, estamos conversados.

    Mais à frente, em diálogo com outro comentador, repetes o argumento contra os “anónimos” que tantas vezes por cá escarrapachaste. Pelos vistos, estás convencido que ter um blogue e um email te confere uma superioridade qualquer sobre aqueles que optam por utilizar a Internet como lhes dá na real gana. Resta-me só esperar que nunca venhas a ter poder político ou legal para impor esse fascismo das aparências que andas a vender.
    __

    luis eme, de que falas com essa referência às avestruzes? Ou falas de nada e de coisa nenhuma, como de costume?
    __

    Não Interessa, concordo contigo: que anedotas.
    __

    Ibn, a tua inteligência está a tornar-se lendária.
    __

    tra.quinas, o Pacheco já anda a recolher discos em vinil e cassetes para essa comissão de inquérito. Vai começar por mostrar uma escuta em que um conhecido de Sócrates é apanhado a elogiar Caetano Veloso. A partir daqui, a teia de contradições quando aos gostos musicais de Sócrates, e as manobras de bastidores envolvendo a Bossa Nova e o MPB, irão revelar um quadro avassalador.

  22. Valupi

    Peço desculpa se “emprenhei pelos jornais” mas nem todos têm acesso directo a José Sócrates, como parece ser o seu caso.
    E isto apesar de não pertencer ao PS…

    Quanto ao resto, amigos do PM incluídos, não vale a pena repetir, pois não?
    Quando a conversa tem que ver com “o” Pacheco ou “o” Passos Coelho, tudo vale e basta um simples boato.
    Quando se criticam as “aves sagradas” socialistas, aqui d’el-rei que não há provas de coisa nenhuma!
    Haver há, mas são verdes, não é?

  23. Ah, prontos! Assim já isto começa a fazer sentido, Val. Bem me parecia que estava a faltar sumo a esta história. E ainda se vai descobrir que tudo não passou de uma manobra para distrair a Telefónica da Vivo e camuflar o uso da golden share da PT para contornar a OPA. Será que já têm a certeza que o Sócrates não telefonou de imediato ao Zapatero e ao Rei de Espanha a garantir que até o Chico Buarque estava contra as mudanças da estrutura accionista da operadora móvel Vivo? E tudo para ludibriar a Comissão Europeia. Com esta gente nunca há ponto sem nó.

    Ou será que foi para distrair da ida dos jornalistas assessores do Passos Coelho para assessores do grupo parlamentar do PSD na Assembleia da República? Já estou baralhado.

  24. Aos detractores do Aspirina B envio-lhes o texto da autoria de Arquitecto que pela 1ª. vez aqui escreve. Sei que vão dizer que é mais um ao serviço do Aspirina B. Mas como o Aspirina diz: não mata mas alivia, espero que fiquem aliviados.
    “Belo? Estou sem palavras. Sinceramente, não conhecia a Aspirina nem a Isabel do Jugular, e tenho que admitir que possuirão dos melhores textos que a rede nos vai oferecendo. Eu também escrevo sem ambições estéticas pois o talento não me encontrou nessas paragens. Mas tenho sim vontade em oferecer um pouco do que vou sabendo sobre arquitectura em http://www.projectos-arquitectos.blogspot.com. Já agora peço-vos que o visitem pois não me parece que muitos o façam e se o apreciarem já me ajudarão bastante se o anunciarem na vossa extrordinária lista. E, por favor, não deixem de me surpreender com o rigor e a subtileza do comentário sobre a actualidade que, se em muitos outros blogs não passa de um conjunto de banalidades, neste ganha os contornos de elegância e conteúdo. Felicidades.”

  25. Manuel Pacheco

    Esse “Arquitecto” referia-se aos comentários (alguns…) e não aos posts…

    Valupi

    Retiro a palavra “boato”, que é excessiva, admito, e troco-a por “processo de intenções”. Ao fim e ao cabo vai dar ao mesmo.
    Quanto ao resto, mantenho.

  26. pedro oliveira,
    Vai a letra minúscula porque é assim que se identifica e suponho seja assim que está no BI, não pela visão obstrusa do Mário Pinto. Deverá ser assim no seu BI porquanto mostra-se tão cioso da sua identificação a azul que remete, vejam bem, para uma identidade que se assume, um blog um mail: julgava que remetiam para uma pessoa, um indivíduo.
    Pois o meu nome a preto remete precisamente para o meu BI, documento que trago guardado e não exposto na praça blogosfereana. Para o po parece que o máximo é assinar um blog e ir às caixas dos outros divulgar o seu pelo azulado.
    Mas vamos aos factos. Então o PM em viagem oficial de estado deixa de ter direito a vida privada? Não pode ir ao teatro, ao cinema, a uma exposição, visitar um amigo ou um artista do seu gosto? Todas as vezes que faz uma corrida higiénica pelas ruas da cidade visitada devia ser submetido a uma comissão de inquérito parlamentar, é? Informe o Pacheco, homem.
    E visitar uma personalidade brasileira da dimensão de Buarque da Holanda, estabelecer uma eventual amizade com quem é grande num país grande, não presta segundo po. E se por capricho do destino um dia Buarque chegasse a Presidente do Brasil? Sunponhamos que Cavaco tinha visitado em tempos o metalúrgico ou sindicalista Lula? Quanto lhe valia hoje?
    O po com essa mesquinha visão, se um dia fosse político apenas fazia Ós com canudos de cana.
    O resto, de quem partiu ou não a iniciativa, isso é o cerne e enredo da telenovela com que o po e o Mário Pinto se deleitam. Reparai que vós só falais dos enredos sempre criados a partir de narrativas de jornalistas: tais jornalistas, como escrever sobre assuntos sérios dos acordos e assuntos sérios tratados, fazem o mais fácil, andam atrás dos mechericos de telenovela.

    Pois, Mário Pinto, os patrões dos jornalistas, os grandes patrões dos media, são amigos sobretudo do seu dinheiro empatado no negócio. Se se fazem amigos é em prol de um proveito próprio futuro, quando isso não conseguem, atacam. O Belmiro e o “Público” são o exemplo acabado sobre o assunto: no seu jornal quem manda é quem lá pôs o dinheirinho, ele já o disse claramente. Quando não lhe aparam a negociata manda que o jornal ataque até doer. Ou acha que o Belmiro mantinha um negócio falido por nada?
    Claro o MP não percebeu o final do meu comentário. Era de esperar de quem navega apenas na leveza das notícias dos jornais ou equivalentes.

  27. Só resta dizer que isto é uma conspiração internacional contra JS. Se fosse com o PSL queria ver o que os “Vales” deste mundo escreveriam.

  28. Valupi, porque raio, o staff de JS teve a necessidade de dizer que foi o Chico que o convidou? Porque não disseram logo que o Chico era o idolo de infância de JS? Eu acho que o Chico é de facto o idolo de JS, mas o Chico “Esperto”. Sócrates é sem duvida um dos representantes do “Chico Espertismo” …

  29. Que sorte ter acontecido este episódio. Desta vez não ouvi o primeiro-ministro falar em espanhol, que é um tema fascinante para a malta da oposição, portanto, se não fosse isto lá teriam de ter a trabalheira de inventar outro pormenor qualquer para não terem de falar no esforço do Governo para aumentar as exportações. De repente, a urgência em resolver os graves, e exclusivos, problemas da economia nacional é absolutamente irrelevante para os ilustres bloggers e opinadores da oposição, a ver pela tinta que este episódio continua a fazer correr. Também há aqueles que preferem continuar a malhar na problemática dos negócios com países como a Venezuela, ou seja, países que não interessam, isto é malta exigente. Tão exigente que não sei se haverá algum português que reuna as condições que exigem a um governante, e no Planeta algum país com quem Portugal possa assinar acordos comerciais sem que os pobrezinhos se sintam envergonhados…

  30. Guida, que faça acordos comerciais, etc. Acho muito bem, nada contra. Só não gosto que um PM português caia em ridiculo como aconteceu.

    Por acaso, foi neste blog que li pele primeira vez este episódio, na tv apenas tinha ouvido falar da visita do PM a estes paises e nada sobre o Chico.

  31. Adolfo Dias, desconheço o que levou a que se publicasse uma versão errada da história. Apenas adivinho que o responsável por isso, se o houve, não irá incluir no seu currículo o episódio, porque é um erro crasso de relações públicas.

    Agora, que Sócrates quisesse conhecer Chico Buarque, isso achei impecável.

  32. Quem passou a informação aos jornalistas, na hipótese de não ter sido deturpado ou citado fora do contexto, errou. Contudo, estupidez muito maior é a daqueles que exploram o equívoco para caluniar Sócrates. Mas, enfim, as cabecinhas não dão para mais, né?

  33. Podes considerar estupidez, se quiseres. Para mim, é apenas mais um capítulo da narrativa inventada para atacar Sócrates – a de que este seria um “mentiroso compulsivo”, mentindo a torto e a direito, sobre grandes e pequenos assuntos. Nesse aspecto esta notícia faz parte dessa narrativa que querem (e têm conseguido) fazer passar. Pulhice, sim. Agora de estúpido não tem nada…

  34. Sem dúvida, Vega9000, a narrativa é estratégica, e também mimética, naturalmente. Não deixa é de ser uma estupidez, tecnicamente falando.

  35. Caro Val

    Por aqui no Brasil as anedotas sobre portugueses normalmente não tem muita piada, porque são desfazadas da realidade, e nem sequer as histórias sobre as portuguesas barbudas nos fazem sorrir, pois sabemos bem que elas são barbudas sim, mas mais para baixo, um palmo sensivelmente abaixo do umbigo.

    Agora esta ultima aventura do Inginheiro Relativo Retardado não lembra nem ao “emplastro” que anda sempre a seguir as reportagens de TV e se diz filho do Jorge Nuno Pinto da Costa, e quem sabe se não o será mesmo…

    Então não tinha sido preferivel assumir que tem estima e admiração por Chico Buarque, e que gostaria de o conhecer pessoalmente, que se fazer passar por “Kromo” importante.

    Sabe lá o Chico quem era o fulano que é primeiro-ministro em Portugal!!!

    Irra que País tão pequeno e tacanho que realmente Portugal continua a ser, para ter ainda uma “cavalgadura” destas como 1º Ministro!!!

    A anedora agora é realmente o Socrates, o 1º Ministro de Portugal, um gorduroso!!!

  36. Fénix … então o staff do PM, manda umas cenas cá para fora, e esta não é a primeira, e depois o resto do pessoal é que está de má fé?!?!?!? Dass, calimeros do caraças!!!

  37. Este episódio faz-me aqueles putos que fazem birra para ir ver a Hanna Montana. Faz-lhes bem ao ego, na 2ª feira podem contar aos amigos que foram ver o seu idolo!!!

  38. Parece-me que este caso “Sócrates visita Chico” merece uma comissão parlamentar de inquérito. Não tenho dúvidas.

    De facto, só uma CS desprovida de tudo o que é bom senso se dá ao trabalho noticiar uma não noticia, que não interessa a ninguém. Mas enfim… É o que temos !!!!

  39. acho muito bem que o Socrates tenha ido visitar o Chico lá no meio de não sei quê. Poucos homens terão influenciado tanto a cultura lusófona como o Chico, Portugal inclusivé claro, nunca um pá teve tanta festa com um cheirinho de alecrim. Acho mal que, como quase sempre, se tenha de começar a contar a história ao contrário para depois lá chegar, ainda não saímos disso é o que se quer dizer. O resto é poeira.

  40. Carmen, pelos vistos a primeira noticia foi propagandiada pelo staff do PM, na verdade isto não interessa a ninguém, tens razão, mas quem começou com a propaganda foi o PM, aliás, como é normal, é o que temos, saiolada!!!!

  41. Isso é que ainda está por provar, meu caro Adolfo.
    A que proposito o PM divulgaria que ia visitar Chico?!

  42. Provar? Então mas a noticia “nasceu” quando e por quem?

    De resto, porque temos um PM saloio, armado em VIP, que gosta de fazer propaganda.

  43. Adolfo, um PM, saloio ou não, é por definição VIP.
    E os únicos políticos que não precisam de fazer propaganda são os que não têm necessidade de ser eleitos. Experimente, candidate-se a algum cargo, não faça propaganda de nenhum tipo (porque parece mal), e depois diga-nos como é que correu…

  44. Vega, então estamos de acordo, aquela visita e posterior anúncio por parte do PM foi mera propaganda. Para mim, da propaganda mais saloia que existe. E ainda por cima correu mal …

  45. Adolfo, claro que é propaganda. Não concordo é com essa da “mera”, como se a propaganda, um dos aspectos mais essenciais da vida política, fosse algo a menosprezar. Diga-me então um político que não se dedique a essa bela arte, e eu aponto-lhe um hipócrita.

  46. Adolfo Dias, a visita correu mal? Mas correu mal para quem? Será que os empresários que acompanharam Sócrates na visita, e, já agora, as pessoas que trabalham nas suas empresas concordam consigo?

    Correu tão mal que, aposto, Sócrates desta vez foi para Marrocos sozinho. Os empresários não querem fazer negócios, nem sequer ser vistos ao lado do pior primeiro-ministro de que há memória. :)

  47. Não foi a visita no seu todo que correu mal. A forma da propaganda é que correu mal. E quando falo na propaganda, falo da propaganda da visita ao Chico, essa é que correu mal.

  48. Não acredito! Nem Sócrates nem o Governo fazem nada de jeito, se não descobrem mais nada que tenha corrido mal, é porque não estiveram atentos o suficiente. :)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.