Sem o Zelensky era tudo mais fácil

«No mesmo dia 9 de Maio, Zelensky resolveu responder à parada da Praça Vermelha desfilando sozinho numa das principais avenidas de Kiev. A cena foi patética: vestido com o habitual uniforme militar, o herói de nenhuma batalha travada, o Churchill da Ucrânia, pop star de todos os Parlamentos e descrito como um génio da comunicação, dizia a Putin que em breve iria ter dois dias da vitória para celebrar contra nenhum do russo. Há um mês, Zelensky desdobrava-se em ofertas de negociações, dizia já ter abdicado da Crimeia e da NATO e acusava o Ocidente de estar a prolongar a guerra à custa da destruição da Ucrânia. Hoje mudou radicalmente: diz que não cederá nem um centímetro de território, que está a lutar contra nazis e que só a vitória lhe interessa. O que mudou, entretanto, foi que a NATO o convenceu de que, com o apoio que não lhe faltaria, ele iria derrotar os russos e entrar para a História como o homem que venceu o Exército Vermelho, mesmo que à custa da destruição da Ucrânia.»


Os bem informados

83 thoughts on “Sem o Zelensky era tudo mais fácil”

  1. ainda nada sobre a moça palestiniana que levou um balázio na cabeça e aquelas imagens lindas do seu funeral ao qula o exercito israelita não quis deixar de marcar presença?
    atenta, valupi.
    é que há crimes de guerra dos quais só ouves falar e só vês imagens dos “resultados” e depois há outros dos quais tens imagens em directo.
    quanto a esse excerto, que para se entender tem de se ler o seguinte, aposto que o escolheste porque os outros te envergonhavam como parte dos “bem informados” que não acertam uma. senão olha, deixo-te aqui uma pergunta sobre se entretanto já sabes ou descobriste se ingleses e americanos apoiaram ou não os nazis nos anos anteriores à segunda grande guerra. é que no ultimo post gozaste com um comunicado do PCP por o afirmar e afinal, eras só tu que estavas outra vez “bem informado”.

  2. sem saddam era tudo (petróleo) mais fácil

    sem kadaffi era tudo (petróleo) mais fácil

    sem soleimani era tudo (petróleo) mais fácil

    valha-nos que neste caso não é por petróleo que alguém afirma preferir outra personagem que não um fantoche liberacho controlado pelas forças mais obscuras que o mundo já teve a oportuidade de vislumbrar não estivesse na posição em que está, mas sim por essa coisa tão desprezada aqui no aspirinaB, a possibilidade da paz.
    mas também ninguém o assassinou ainda, o que só demonstra como as forças russas são incompetentes quando comparadas com as nossas da aliança atlântica assassina.

  3. não consigo ler tudo lá mas não importa, poupo um vómito. este raivoso do MST que quer ficar na história da wikipedia como o maior comentador político da chacina dos outros, porque o que é nos outros não lhe interessa, anda a gastar o tempo e a encher os bolsos das calças de linho, que encorrilham mal as veste, à procura do culpado da continuidade da guerra. ora se há resistência, se há um homem resistente, seja ele o que for, goste-se ou não dele, esse homem tem de ser valorizado e apoiado e abraçado – não é o contrário. não é o presidente da ucrânia que está a acabar com a ucrânia, símio com calças de linho, é o presidente da russia e todos aqueles que de alguma forma não o condenam. ficar, permanecer, chorar, erguer, resistir, partilhar são os verbos reinventados na ucrânia por este homem que, sim, ficará na história por ser humaníssimo por dentro de todos os defeitos que possa ter. mas se resistir a uma invasão é um defeito, então que sejamos todos defeituosos até ao tutano. e mais: se eu o vir na rua a passar, atroplelo o homem das calças de linho: dou-lhe um toque, faço-o parar só para ao ouvido lhe sussurrar: zelensky, seu cabrão, zelensky passou a ser um adjectivo. anote aí. e prosseguirei, olhando-o nos olhos que vão seguir-me ao mesmo tempo do franzir da testa, altura em que lhe apanho todos os pontos de exclamação que lhe vão saindo pela pele, passam uns por cima dos outros, zonzos muito, ondulantes como uma folha animada, até se amontoarem escarrapachados. e solto uma gargalhadinha gostosa que salta imediatamente para as suas calças de linho. !ah! como se fosse um ácido, a gargalhada abre um buraco e depois outro e mais outro, esfarrapa-as, caem linhas absurdas de espanto e há uma nota, que prestes a cair do bolso, grita pelo expresso, segura-me, por favor, não pára, continua e a nota cai. sem saber, confuso, se a apanha ou segura nas calças, desata a correr desorientado como se a fugir do pecado, tropeça, o céu faz-lhe uma carranca, cospe-lhe para bem dizer, e quando continua a correr, olhando sempre para trás, bete em mim outra vez. solto mais uma gargalhada e gozo-lha na cara toda, zelensky, cabrão, é adjectivo do bom, ainda é possível voltares atrás – ou baterás em mim para sempre. e deixo-o sentar-se um pouco, entretanto, a descansar. !ai! que riso

  4. sem dúvida que era tudo mais fácil. ter um tipo que acha que está na entrega dos oscar a fazer de rambo em vez de numa guerra separatista é mesmo da sociedade infantiloide do espectáculo .
    de tombo em tombo até à queda final.
    ontem vi uma fotomontagem gira : o zelinsky , de bikini, a dançar no varão e o biden a lançar notas e a pedir bis bis . demais.

  5. teste, se anda com calças de linho pense duas vezes antes de voltar. a gargalhada vai atacar. !ai! que riso

  6. olinda,

    os seus conselhos têm a utilidade de uma dor de dentes
    se alguém lhe presta atenção mesmo a sério, peço-lhe que alerte as autoridades sanitárias o quanto antes
    desde já obrigado

  7. yo, eu sei que dava tudo para ser o varão e levar com o rambo. não desanime, fica com o MST, com as calças de linho e também com o teste. digam queijo, por favor, já está. !ai! que riso

  8. teste, a dor de dentes existe para fazer esquecer a dor de corno. use-a, por favor. !ai! que riso

  9. a olinda deixa bem claro que não faz a minima ideia de qual o significado da palavra pacifista
    mas ela também não sabe o significado da maioria das palavras por isso
    !ai! que riso!

  10. olinda,

    os comprimidos para a sua doença degenerativa existem para você se esquecer desse tipo de comentários. use-os, por favor.
    é penoso vê-la nesse estado.
    ai que riso

  11. não sejam mauzinhos
    os comentários da olinda são muito melhores do que aquilo que soam.
    a unica coisa com que temos de ter cuidado é para não os ler, e eles até ficam bonitos ali pousados.
    experimentem e verifiquem por vocês mesmos.

  12. bem olinda, bem

    se calhar menos palavrinhas e deslocado um bocado mais pra esquerda, mas está muito bem aí.
    vêem?!

  13. menos palavras, olinda, ainda menos
    mas está quase quase lá
    tu consegues

  14. “Um bom exemplo disso é o que se passou com os civis encurralados com os militares na fábrica Azovstal, em Mariupol. Durante dois meses foi-nos contado que mais de 1200 civis, mulheres e crianças, estavam refugiados nos subterrâneos da Azovstal, impedidos de sair pelos russos, que violavam sistematicamente todos os acordos de evacuação estabelecidos, incluindo os propostos pelos próprios russos. Ninguém nunca contestou a versão ucraniana e ninguém no terreno a confirmou. Mas quando António Guterres conseguiu colocar pessoal da ONU em Azovstal, em dois ou três dias, como que por milagre, todos os civis que quiseram foram evacuados sem qualquer incidente. A pergunta é: por que razão nunca alguém levantou a hipótese de os civis estarem a ser retidos pelos próprios militares do Batalhão Azov, que os usou como escudo, tentando assim garantir uma coisa impossível na guerra — saírem em liberdade juntamente com os civis sem terem de se render?”

    https://estatuadesal.com/2022/05/13/os-bem-informados/

  15. especialmente paera o decorador de comentários que também é uma estátua de sal putinista, este raivoso do MST que quer ficar na história da wikipedia como o maior comentador político da chacina dos outros, porque o que é nos outros não lhe interessa, anda a gastar o tempo e a encher os bolsos das calças de linho, que encorrilham mal as veste, à procura do culpado da continuidade da guerra. ora se há resistência, se há um homem resistente, seja ele o que for, goste-se ou não dele, esse homem tem de ser valorizado e apoiado e abraçado – não é o contrário. não é o presidente da ucrânia que está a acabar com a ucrânia, símio com calças de linho, é o presidente da russia e todos aqueles que de alguma forma não o condenam. ficar, permanecer, chorar, erguer, resistir, partilhar são os verbos reinventados na ucrânia por este homem que, sim, ficará na história por ser humaníssimo por dentro de todos os defeitos que possa ter. mas se resistir a uma invasão é um defeito, então que sejamos todos defeituosos até ao tutano. e mais: se eu o vir na rua a passar, atroplelo o homem das calças de linho: dou-lhe um toque, faço-o parar só para ao ouvido lhe sussurrar: zelensky, seu cabrão, zelensky passou a ser um adjectivo. anote aí. e prosseguirei, olhando-o nos olhos que vão seguir-me ao mesmo tempo do franzir da testa, altura em que lhe apanho todos os pontos de exclamação que lhe vão saindo pela pele, passam uns por cima dos outros, zonzos muito, ondulantes como uma folha animada, até se amontoarem escarrapachados. e solto uma gargalhadinha gostosa que salta imediatamente para as suas calças de linho. !ah! como se fosse um ácido, a gargalhada abre um buraco e depois outro e mais outro, esfarrapa-as, caem linhas absurdas de espanto e há uma nota, que prestes a cair do bolso, grita pelo expresso, segura-me, por favor, não pára, continua e a nota cai. sem saber, confuso, se a apanha ou segura nas calças, desata a correr desorientado como se a fugir do pecado, tropeça, o céu faz-lhe uma carranca, cospe-lhe para bem dizer, e quando continua a correr, olhando sempre para trás, bete em mim outra vez. solto mais uma gargalhada e gozo-lha na cara toda, zelensky, cabrão, é adjectivo do bom, ainda é possível voltares atrás – ou baterás em mim para sempre. e deixo-o sentar-se um pouco, entretanto, a descansar. !ai! que riso

  16. ólhaki um bando de nazis góticos a comemorar a conquista da azovstal à 3 semanas atrás
    https://www.youtube.com/watch?v=swvWDGRfTDE

    “A pergunta é: por que razão nunca alguém levantou a hipótese de os civis estarem a ser retidos pelos próprios militares do Batalhão Azov, que os usou como escudo…”

    até parece uma pergunta da dupla de estúpidos residentes óbimba & teste. os russos nem os cadáveres deles levam para entregar às famílias e iam agora preocupar-se com escudos humanos quando todo o mundo já viu civis mortos à queima roupa, fuzilamentos colectivos de velhos e crianças, violação de mulheres, bombardeamento de hospitais, creches, escolas, bairros residenciais, tudo serve para destruir, matar e pilhar sem qualquer motivo justificável à semelhança daquilo que o pudin tem decidido.

  17. “os russos nem os cadáveres deles levam para entregar às famílias e iam agora preocupar-se com escudos humanos quando todo o mundo já viu civis mortos à queima roupa, fuzilamentos colectivos de velhos e crianças, violação de mulheres, bombardeamento de hospitais, creches, escolas, bairros residenciais, tudo serve para destruir, matar e pilhar sem qualquer motivo justificável à semelhança daquilo que o pudin tem decidido”

    um gajo papa a propaganda nazi toda e depois é capaz de escrever destas coisas sem se rir

  18. ainda pensei que o video postado pelo “bandeiras ucranianas enterradas no subsolo” era do funeral da jornalista da al-jazeera na palestina mas afinal não.
    aguardemos que alguém aqui dê conta desse assunto e que os nazis embrulhados em bandeiras ucranianas que ainda estão enterrados em azovstal morram de fome. e rápido.

  19. foda-se,
    há mesmo quem tenha acreditado naquela história dos russos andarem com fornos crematórios junto das divisões do exército para cremarem os corpos, os fazerem desaparecer e assim ninguém se saber ao certo quantos morreram??

    oh pah

  20. ” ainda nada sobre a moça palestiniana que levou um balázio na cabeça e aquelas imagens lindas do seu funeral ao qula o exercito israelita não quis deixar de marcar presença?”

    a moça palestiniana tinha nome, shireen abu akleh, trabalhava para a al jazeera e foi morta a tiro na quarta-feira, na cisjordânia ocupada, quando fazia uma reportagem jornalistica. o assassino que a matou é militar israelita, cujo governo tem boas relações com a rússia e que acolhe cerca de 1 milhão de emigrantes judeus russos.

  21. Se sem o Zelensky era tudo mais fácil, não sei, duvido. Mas que, se o Zelensky se tivesse empenhado em cumprir as duas principais promessas que levaram 73% dos ucranianos a votar nele, se o Zelensky não fosse um cobarde pintado de herói e um aldrabão, se o Zelensky fosse um homem e não um palhaço, não só era tudo mais fácil como, possivelmente, já estava tudo pacificado ou a caminho disso, nem guerra teria havido, o Donbass continuaria integrado na Ucrânia e a Europa não estaria à beira do seppuku. Porque, se não estivesses ceguinho por indignações selectivas e prontas-a-comer, se dedicasses a esta questão um décimo da reflexão que com proveito dedicas a outras, conseguirias ver, não apenas uma guerra, a da Rússia contra a Ucrânia, mas também as guerras que a provocaram e alimentam: as da América contra a Europa, contra a Rússia, contra a China, contra os BRIC em geral e contra tudo o que excita em permanência o frenético priapismo bélico dos merceeiros da morte neocons, que agem como donos do planeta.

    Slava borreguini! Méééééé!

  22. ai, o governo israelita tem boas relações com a russia? e com os estados unidos, tem más? é a russia que aguenta o regime de apartheid que israel aplica na palestina? muito me contas, pá
    e a turquia, com quem é que tem boas relações? não me digas que o erdogan é putinista, bebé. senão temos que os expulsar da NATO quanto antes, não?
    quanto ao teu respeito farsolas pela jornalista em causa, espero que tenhas lavado as mãos depois de escreveres o nome dela.

  23. putinistas, uma coisinha mais para vos dizer: trouxe o comando. e ao terceiro sinal de piu, porque sem o zelensky era tudo mais fácil, vou desactivar-vos o ódio que vos pariu. !ai! que riso, vou ficar a ouvir, em som decrescente, nhonhonhonhonhoonhooonhoooooo. porque sem ódio não viveis, execráveis bestas de aço, símios de cimento acabados de capar ao cinzel e a guinchar.

  24. Lá nisso dou-te razão. Se a Ucrânia tivesse um Presidente que colocasse em primeiro lugar o bem estar do seu povo, teria cumprido os acordos de Minsk, teria negociado a sua neutralidade, e teria parado a guerra civil. Haveria paz na Ucrânia, na Rússia, e todos os europeus estariam a viver melhor. Mas isso seria ser putinista né? Vai daí, venham mais umas bombas. Enquanto não caírem no teu telhado, também é mais fácil continuares a debitar caldeiros de esterco neste blog.

  25. e foi então que olinda, de braço dado com o mário machado, disse:

    “putinistas, uma coisinha mais para vos dizer: trouxe o comando. e ao terceiro sinal de piu, porque sem o zelensky era tudo mais fácil, vou desactivar-vos o ódio que vos pariu. !ai! que riso, vou ficar a ouvir, em som decrescente, nhonhonhonhonhoonhooonhoooooo. porque sem ódio não viveis, execráveis bestas de aço, símios de cimento acabados de capar ao cinzel e a guinchar.”

  26. eu venho apanhar o meu, e o do Valupi também, esterco para fazer crescer as rosas do meu jardim e de todos os jardins da ucrânia. e também o como para cheirar bem dos pés, da parratchinha e da boca. !ai! que riso

  27. a olinda faz imenso pela causa putinista , uma pessoa fica a pensar se os fãs da estrela pop zelinsky têm todos miolos de pardal.

  28. yo, a Olinda também é zelensky: estrela de arte op, também uma pardala, portanto. invejosa putinista. !ai! que riso

  29. invejosa de quê ? dos miolos de pardal ? é num instante que os conseguia , bastaria tomar antidepressivos , calmantes e hipnóticos….e ver telenovelas e falar da vida dos vizinhos. e comprar um cão.

  30. Vivam os neocons trumpistas feitos com o putinismo!
    Vivam os fascistas e os comunistas feitos com o putinismo!
    Vivam os mulas russas e os cãezinhos do lavrov feitos com o putinismo!
    Vivam os nazis do Movimento Imperial Russo, feitos com o putinismo!
    Vivam os mercenários do Grupo Wagner feitos com o putinismo!
    Vivam os chechenos de Kadyrov, feitos com o putinismo!
    Vivam os soldados nazis do Batalhão Somália, feitos com o putinismo!
    Vivam os soldados nazis do Batalhão Esparta, feitos com o putinismo!
    Vivam os soldados nazis da União da Juventude Eurasiana, feitos com o putinismo!
    Vivam os nazis da Brigada Prizrak, feitos com o putinismo!
    Vivam os nazis Dmitry Demushkin e Roman Vorobyov, feitos com o putinismo!
    Vivam as putas que os pariram, feitas com o putinismo!

  31. invejosa de não ser livre, yo, para desejar a liberdade dos invadidos e também para querer o amor incondicional de um cão. olhe, junte-se ao Manuel Pacheco e ide continuar a não falar da não vida dos ucranianos que nem telenovelas podem ver e que poderão ter de tomar antidepressivos e calmantes e hipnóticos até ao fim dos seus dias se os seus dias não estiverem mesmo agora perto do fim. porque lhes querem roubar a liberdade. a yo e o Manuel Pacheco e demais putinistas são ladrões por serem cumplices do ladrão. merecem ficar atrás de grades com fatos de lycra justinhos à moda da zebra e com comichão de piolhos e lêndeas. !ai! que riso

  32. viva o putinismo!, trouxe-lhe uma malga cheia de jindungo para partilhar com os seus camaradas. agora vou fazê-los engolir até a goela ficar inflamada e bater no cérebro. depois, podem continuar a beber vinhanha porque a água é só para gente zelensky. !ai! que riso

  33. “Evidenciam o “amor” aos patrões que lhes pagam as despesas, mas só para mostrar o que lhes interessa.”

    ora nem mais. os que não participaram não tiveram direito a senha de racionamento para as mercearias e ficaram candidatos a deportação para um campo de reeducação na sibéria no próximo transporte disponível caso os ucranianos não reconquistem aquela porra.
    a faixa era maior que a área ocupada pelos poucos habitantes que lá foram. se aquilo tinha 1.000 gajos incluindo soldados russos à paisana com roupas roubadas aos locais, já era demais.

    pede à mula russa a entrevista da velha a quem fizeram uma estátua porque pensaram que ela estava a aplaudir a entrada das tropas russas, quando o que a matreira queria é que não lhe destruíssem a casa. vais partir o cabo da moca a rir.

  34. credo , o amor incondicional de um cão???um bicho que gosta de qualquer um que lhe dê de comer e umas festas ?
    olhe , acabei de dar umas sementinhas de linhaça a um pavão no meu terraço , no meu terraço..visita-me todos os dias. e a dois rolinhos , porque a mãe fez ninho na minha varanda. acha mesmo que quero um escravo se posso desfrutar de pássaros livres ? cresça e apareça. quando deixar de querer ser dona , falamos.

  35. nesse caso está com azar, yo, porque eu faço questão de nunca ser crescida demais para desacreditar no cadinho do amor. e está enganada: os cães não gostam, amam e só amam em quem vêem amor. também está enganada aos pássaros que a visitam – não a visitam porque a amam mas sim porque carregam a esperança de que um dia vai deixar de ter medo de ser livre, por tão livres que são, porque não há maior liberdade do que o amor. olhe, pode continuar a vir escarrar o seu medo, a sua raiva, a sua inveja, o seu ódio, enfim, a sua solidão: eu tenho compaixão suficiente para lhe dar um pouco da minha atenção. deixo-lhe um abraço solidário, yo, a Olinda está com a rola e com o pavão: trago-lhe sementinhas olindescas para lhe ir enchendo o coração. vê, uma riminha só para si. !ai! que riso

  36. Manuel Pacheco, vá tocar ao bicho com a yo na varanda dela onde lhe visitam pavões e rolas. !ai! que riso

  37. “Killing Russians is like a sport!”

    vídeo manhoso da rt onde o pivot introduz a reportagem dizendo que matar russos na ucrania é desporto e depois aparece um gajo não identificado e mal caractrerizado com militar a dizer a uma suposta entrevistadeira que viu ucranianos a rejubilar por matarem russos que tinham invadido o seu país para os matar. deve haver falta de dinheiro por esses lados para apresentarem essa diarreia.

    na outra manhozice a rt apresenta aquilo que a der spiegel manda para o lixo, declarações inconsistentes duma gaja bem vestida e limpa para as circuntâncias em que se encontrava, que declara não ter percebido nada do que se estava a passar, que o guterres não lhe explicou em detalhe os planos de evacuação e o zélensqui obrigou-a a abandonar aquela cidade tão bonita que era mariopol, antes dos russos bombardearem aquilo tudo, presume-se.

  38. Noutra notícias, grandes empresas olham já para uma Ucrânia livre da guerra e propõem investimentos inovadores para ajudar a recuperar a economia do país, como por exemplo a Disneylandia Azovstal, a criptomoeda Zelenskoin ou o jogo Super Mariu Pol para a Nintendo Switch.

  39. A Finlândia acaba de anunciar oficialmente a sua candidatura à NATO.
    Se calhar a culpa também é do Zelensky …

  40. Jasmin,
    a Turquia já disse que não deixa a Finlandia entrar na NATO porque é um albergue de terroristas curdos.
    Se calhar a culpa é do Putin…

  41. A batalha da eurovisão, considero injusta esta vitória política da canção ucraniana – uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa: a canção portuguesa é que é uma bela arte.

  42. Olinda, esconde por favor esse teu putinismo disfarçado de chauvinismo patrioteiro. Dá vómitos.
    Eurovislava Ukraini

  43. Muita gente tenta comparar a situação da Ucrânia com a da Palestina, ambas invadidas, ocupadas, massacradas.
    Mas a Palestina já ganhou algum Festival Eurovisão da Canção?
    Pois.

  44. teste,
    A Turquia pretende apenas mostrar-se e reclamar alguma coisa para si em troca. Impedir a Finlândia de entrar na NATO ???? esquece. A seguir entra a Suécia, e qualquer dia vamos ver o Japão a dizer que também quer.

    Os russos que se aflijam mas é com o chanfrado da Coreia do Norte que tem armas nucleares e diz que chegiu lá uma febre de origem desconhecida que está a matar muitos seguidores do regime. Na volta mete-se-lhe na cabeça que a peste vem da Rússia e precisa de invadir Valdivostok para acabar com a “ameaça” ao seu povo.

    O verdadeiro problema geopolítico que ameaça a segurança mundial é que a Rússia é um país com uma dimensão territorial completamente estapafúrdia e tem de ser dividida.
    Para começar, dividir em duas na fronteira natural dos Montes Urais, uma Rússia europeia e uma Rússia Asiática. Talvez assim ambas as regiões se possam desenvolver melhor e em paz e harmonia com os seus vizinhos, sem delírios imperialistas desestabilizadores da sua própria segurança e da segurança alheia.

  45. Quando os russos invadem a Ucrânia, a obrigação dos ucranianos é matar os russos. Quanto aos ucranianos que consideram isso um desporto, espero que os russos o matem primeiro.

    A entrevistadora é da CNN e não da RT, aldrabão, e o simples facto de nem pestanejar com a bojarda merece desprezo. E giro, giro, bué da elucidativo em termos da ocidentalíssima liberdade de informação, é que o encontrei noutro endereço, no YouTube, há dez minutos, e quando ia repeti-lo aqui apareceu o democratíssimo aviso de que

    “Este vídeo foi removido por violar os termos de utilização do YouTube”

    Desapareceu em 10-DEZ-10 minutinhos, que marabilha! Os fiscais da pensância única não dormem e o Orwell está “orgulhoso” deles. Boa malha, keep on the good work!

  46. portanto, não sabes que para um país entrar na NATO tem de receber aprovação unânime dos que já lá estão. ok.
    e quando desprezas as preocupações turcas com a sua segurança como algo apenas para regatear outra qualquer vantagem (ai estes muçulmanos matreiros) não estás a admitir implicitamente que estás disposta a comprá-los como fizeste com os refugiados sírios?
    já os teu sonhos de divisão da rússia, parecem um pouco contraditórios com os teus outros de uma cada vez maior União Europeia, mas por enquanto fico-me pelo questionamento quanto ao preço que estás disposta a pagar à Turquia em nome desses valores ocidentais .
    É que a guerra na Ucrânia está a correr tão mal que Putin vai invadir Paris em breve. Vamos, quanto custas, Europa?

  47. “O verdadeiro problema geopolítico que ameaça a segurança mundial é que a Rússia é um país com uma dimensão territorial completamente estapafúrdia e tem de ser dividida.” (Jasmin)

    Nem mais! Aí está, preto no branco, o “verdadeiro problema”. A Rússia é demasiado grande e demasiado rica em recursos, só é pobre em demografia que chegue para os explorar. E a única maneira de lhes jogar a mão, e dividi-los, é dividi-la. Quer dizer, “dividi-los” é modo di falá, toda a gente sabe quem fica com a maior parte. É esse o programa, há séculos, e não têm faltado tentativas para o concretizar. Que o digam o tio Bonaparte e o escuteiro Adolfo.

    Já lá vai o tempo, Jasmin, em que a ‘decência’ era palavra no teu dicionário. A tua preferida, agora, é ‘descaramento’. É triste.

  48. “portanto, não sabes que para um país entrar na NATO tem de receber aprovação unânime dos que já lá estão.”

    pois claro, mas não é necessário o consentimento dos turcos para serem expulsos da nato ou afastados de intervenções ou programas de defesa. já por diversas vezes foram afastados de programas de defesa por fazerem jogo duplo com os russos.
    pensas que a nato vai aturar as rufinices do erdogamanço? nem ele acredita nisso, até já mandou um empregado dizer que afinal não é bem assim e se insistirem muito ele até nem se opõe.

    “e quando desprezas as preocupações turcas com a sua segurança como algo apenas para regatear outra qualquer vantagem…”

    portanto as preocupações turcas com a sua segurança, do erdogalho, são a oposição política e a sua repressão. quando aderiram à nato, em 1952, eram uma democracia que entretanto foi transformada em neo-conserveira de pudins russos.

  49. eich, até a nato está pejada de putinistas.
    se calhar nós é que devíamos abandonar tão infame organização.

  50. “portanto as preocupações turcas com a sua segurança, do erdogalho, são a oposição política e a sua repressão”

    substituir turcas por ucranianas e erdogalho por zelenskoin e pareces um papagaio do putin

  51. “Extending Russia — Competing from Advantageous Ground”
    RAND Corporation, 2019 (para quem não tenha reparado, estamos em 2022).

    Podem fazer dowload e deliciar-se sem pagar um tusto. Mas são 354 páginas, obviamente que não é para borregos. Também ainda não li, mas só o índice é todo um programa, ou melhor: ‘O Pai de Todos os Programas’. Infelizmente, será provavelmente o programa que nos levará a um planeta sem gente para programar programas. Bora jogar pelo seguro e arranjar um programa para programar baratas para programar programas. Saravá!

    https://www.rand.org/pubs/research_reports/RR3063.html

  52. Maldita baronesa Brünilde von Alzheimer, esqueci-me outra vez:

    Slava borreguini! Méééééé!

  53. bombardear pelos dois, se soubesse o orgulho que sinto do meu sentido de justiça que não se rege por conveniências até se espantava. como não sabe, então só lhe resta chorar copiosamente de inveja. porque a canção portuguesa é a mais bonita, encantadora, venha quem vier. mais risota de si, pois claro.

  54. o zelinsky é tal e qual o festival da eurovisão : fake.
    mesmo sendo o que é , o festival , uma treta , fingir que é um concurso é uma vergonha.
    isto tudo parece uma brincadeira de meninos. já nem há guerras a sério , tem tudo a ver com audiências. será que põem anúncios nos intervalos da guerra?

  55. teste
    Passa-te pela cabeça que a Finlândia (e a Suécia) formalizem um pedido de entrada na NATO sem terem primeiro falado com todos os membros para terem a certeza de serem aceites ?
    Pá, o turco já disse que sim em privado. A última coisa que quer é ter um Rússia com manias hegemónicas no Mar Negro, e se a Turquia for corrida da NATO deixa de ter um guarda-chuva que lhá muito jeito. O turco vem agora a público fingir que não gosta só para poder continuar a manter uma certa face com o tio Pudim.
    A entrada da Finlândia e da Suécia são factos consumados.

    Joaquim Camacho
    Falta de decência é invadir e destruir a casa dos outros. A partir daí “quem vai á guerra dá e leva”.
    Os russos vão levar muito no canastro, e as piores humilhações não virão dos inimigos ocidentais mas sim dos seus amigos orientais.
    Todos os impérios acabam de uma maneira ou de outra. Os russos vão fatalmente tomar conhecimento disso a bem ou a mal. A divisão em 2 Rússias seria para eles o menor dos males. Coisa pior os espera.
    Nem o tio Bonaparte nem o tio Adolfo tentaram quebrar a Rússia, apenas tentaram invadir o seu território. Erro crasso que não passa pela cabeça de outros.

  56. jasmin,

    se passa pela cabeça de alguém? mas não foi isso que a ucrânia fez ainda há pouco?! como é que isso correu?
    tens de me desculpar alguma confusão, mas até bato mal com tanto conhecimento dos bastidores da politica internacional que revelas e quero aproveitar para extrair o máximo de informação real e fidedigna. portanto, a turquia não vai exigir nada em troca, dizes? ou então é corrida da NATO? e o que é que acontece aos misseis que lá estão, sabes? a NATO invade como invadiria Haia no caso de alguém tentar julgar lá um americano? conta-nos tudo!
    Aquela parte de considerares que se existe um império no mundo actual é a Rússia, tenho que deixar pra outra vez, porque cheira-me que vai dar pano pra mangas.
    No outro dia estive a ouvir um colega de trabalho a dissertar acerca da terceira guerra mundial silenciosa – que foi wait for it a COVID – e ele ainda esteve um bom bocado naquilo.
    Essa outra da divisão da rússia então, já sinto mais como forma de lidares com a *real* divisão da ucrânia a que estamos a assistir em directo e portanto vou relevar a insistência nesse delírio absoluto.
    quer dizer, 2022 e ainda há quem não saiba o que é um bomba nuclear, nem quantas há, pá, informem-se.

  57. “rica em recursos mas pobre em demografia para os explorar”.
    E porque será que a demografia não cresce ? com tantos recursos …
    Porque é que os russos não fazem filhos, pá ?
    – Porque estão deprimidos e não lhes apetece fazer sexo ?
    – Porque são estéreis ? (não se riam porque da maneira como lidam com as energia nuclear nem me admirava nada)
    – Porque o território é muito gelado e congela os espermatozóides e óvulos ?
    – Por falta de comida para eles e os filhos ?
    Seja como for, meterem-se numa guerra com a Ucrânia em que estão a morrer como tordos não vai ajudar a resolver o problema demográfico.
    – E finalmente, será por isso que andam a violar mulheres na Ucrânia ?????

  58. hehehehehhehehhehehehhehehhehe que magnifico TILT
    paises mais populosos do mundo, russia top 10.
    e que dizer então da china?!
    será que estão muito felizes e apetece-lhes fazer sexo?
    será que o medo de um ataque como o de hiroshima ou nagazaki os impele a procriar para continuar a espécie?
    será por terem muita comida para eles e para os filhos?
    será o comunismo?
    e finalmente, será por isso que os asiáticos do KPOP nos estão a roubar as mulheres todas??????
    porra, que delícia

  59. Ó teste,
    Pá, quem te disse aqui primeiro que o turco só quer qualquer coisinha em troca e assina logo pela Finlândia FUI EU. Tu é que levaste a sério o não do turco (como se fosse um real obstáculo).
    Impérios há muitos, até Portugal já teve um e daqueles !!! mas acabam todos da mesma maneira “sooner or later”. Os russos têm saudades da USSR ? o tio Pudim andou a ler uns livros e julga ser um Czar ? quer voltar atrás na máquina do tempo e encarnar na Catarina “A Grande” que nem russa era ?. Olha, é dar-lhe para a mão uns livros sobre o Império Romano e mostrar-lhe o que é feito agora desse Império. Talvez leva-lo ás ruínas do Coliseu de Roma.
    Os “maricanos” ficam para mais tarde. Cada uns na sua vez.

  60. Ó teste,
    entende-te com o Joaquim Camacho. Ele é que escreveu aí acima que o problema da Rússia é “a sua pobre demografia” que “não a deixa explorar todos os recursos”. E a bem da verdade, 150 milhões para aquele território todo é uma lástima. É olhar para os EUA ou o Brasil e ver que com muito, mas mesmo muito, menos território têm mais de 200 milhões. E já não falo da China que tem mais de 1 bilião !!!
    É de facto intrigante que os russo com tanto território não se reproduzam como deviam e assim “não consigam explorar todos os recursos do seu território” e por isso (acrescento eu) andem para aí a sentir-se “inseguros” e a invadir e roubar (e matar) em casa alheia.

  61. ó jasmin,

    eu estou totalmente por fora, meu!
    eu nem sequer sabia que isso da população era um caralho dum concurso, pá!
    e quais é o prémio? uma sociedade de castas como a indiana ou um narco estado como o mexicano?
    porra, tugas, toca a pinar!
    ai que se não era o andré ventura e aqui a jasmin a alertar-nos para este assunto ainda deixavamos que a civilização europeia/ocidental (trademark) caísse nas mãos dos bárbaros!
    fornicação a bem da nação!

  62. Já deve ter sido a pensar nisso do declínio da população que a Ucrânia se tornou no maior centro de tráfico sexual da Europa, ao longo da última década.

  63. a ucrânia é um dos países onde nascem mais meninos do que meninas e esse saldo de testosterona tornou-se em um pressuposto cultural: as meninas, desde muito cedo, têm de ficar bonitas e aperaltadas na aparência para conseguirem ser escolhidas para casar. como consequência, são também escolhidas as mais bonitas que coincidem com as mais vulneráveis economicamente para serem exportadas com fins sexuais desde a queda da união soviética. moral da história: por favor respeitem a mulher ucraniana porque a guerra veio agravar e agudizar um problema social muito triste, agora e futuramente, extensível também às crianças. obrigada.

  64. Jasmin, que “falta de decência é invadir e destruir a casa dos outros” sei eu, e por isso a invasão da Ucrânia pela Rússia é uma indecência, sobre isso não tenho dúvidas. Mas que decência consegues tu vislumbrar em quem, na sua própria casa, anda há oito anos a destruir os quartos de alguns dos filhos, ou melhor, dos enteados, porque os quer entregar (os quartos) a outros? Porque é isso que o regime saído do golpe de Estado de 2014 (o famigerado Euromaidan) vem fazendo desde então no Donbass, com perto de 15 mil mortos até à invasão russa, dos quais mais de 3000 civis, a grande maioria do lado dos separatistas, os enteados. A única diferença é o silêncio que os enteados mereceram, durante esses oito anos, do mainstream merdia de reverência, face à justificada indignação a que agora assistimos perante o sofrimento dos filhos pródigos.

    “Se há ucranianos que se sentem russos, o que têm a fazer é ir para a Rússia”, disse, muito antes da invasão, o palhaço vigarista Herr Zelensky von Pandora Papers. “Se não gostas da sopa que comes cá em casa, o que tens a fazer é pores-te no olho da rua.” Eras capaz de dizer isto a um filho ou enteado teu, Jasmin? Herr Zelensky von Pandora Papers, agora recauchutado em herói do mundo livre, é um autocrata de meia tigela que proíbe todos os partidos políticos excepto o seu, que dissolve todos os canais de televisão para os fundir num único, em que apenas se ouve a sua voz ou de quem ele autorizar, é uma besta que manda prender adversários políticos (seus concidadãos) e depois os exibe descaradamente no Twitter, em situações humilhantes, algemados e com ar apavorado, gozando com eles e propondo entregá-los a outro país para se safarem de uma sorte macaca na sua própria terra. Um membro do seu governo teve o descaramento de escrever no Twitter que um preso político que o patrão exibira em fotos humilhantes devia ser torturado antes de entregue à Rússia para lhe sacarem o máximo de informações possível. E como os russos não o quiseram para nada, aposto que é isso mesmo que está a acontecer-lhe, não para obter informações que ele certamente não tem mas apenas porque é assim que funcionam os nazis. Ouviste por aí algum frémito de indignação? Um cheirinho que fosse? Népia! Nicles pròs pikles! Houve um caramelo excêntrico, um tal José Sócrates, que escreveu um livro sobre isso, “A Confiança no Mundo”, lembras-te? Deve ser um putinista disfarçado, o cabrão.

    E esta Europa de vassalos e criadagem aplaude a quatro patas! Por muito menos que isto não foram poucos os nomes que chamaram a húngaros e polacos, com sanções e lições de democracia mijadas de cima da burra, com arrogância, por uma Oropa sem vergonha na cara. Tudo perdoado agora, tudo esquecido, bem-vindos sejam os nossos queridos azoves, meus ternurentos nazis fofinhos, heróis da Azovstal. Bem-vindos ao grande e acolhedor regaço da meretriz europeia.

    O Putin tem razão quando diz que há um problema com a enorme influência dos nazis na Ucrânia, ao ponto de uma deputada ameaçar descaradamente o Zelensky de morte, no Twitter, quando, no início do mandato, ele tentou cumprir a promessa eleitoral de fazer a paz no Donbass, negociando a autonomia com os separatistas e assim cumprindo os Acordos de Minsk. Como cobarde que é, borrou-se todo e juntou-se aos nazis que o ameaçaram. Que há uma enorme quantidade de ratazanas nazis na Ucrânia, com desmesurada influência em todos os organismos do Estado, é um facto. Mas se um vizinho meu tiver em casa uma infestação de ratazanas, que ameaça alastrar para a minha. E se esse vizinho ainda por cima for meu irmão. E se esse irmão tiver uma catrefada de filhos e dois ou três enteados. E se eu gostar aos molhinhos de todos os meus sobrinhos, sem distinguir filhos de enteados. E se o meu irmão lhe der para empurrar a maior parte das ratazanas para os quartos dos enteados, tentando forçá-los a sair de casa. Se, se, se, se, se e se, o que eu tenho de fazer é continuar a insistir na necessidade de uma desinfestação como deve ser, nomeadamente com denúncias consecutivas aos Serviços de Saúde. Não vou resolver problema nenhum entrando pela casa do meu vizinho (e irmão) adentro aos tiros, rebentando-lhe com paredes e mobília, para tentar acabar com as ratazanas. Primeiro, porque não acabo com ratazanas nenhumas. Elas metem-se nos buracos, como é próprio das ratazanas, e é muito difícil apanhá-las (veja-se a Azovstal). E depois porque, com tal metodologia idiota, arrisco ainda por cima acertar com algumas balas perdidas nos meus sobrinhos (sejam eles filhos ou enteados), de quem gosto por igual.

    Em 24 de Fevereiro, primeiro dia da invasão, condenei-a neste pardieiro sem qualquer ambiguidade. Em 1 de Março, sobre a mesma invasão, acrescentei:

    “Foi uma “inacreditável estupidez” tanto no plano político como no plano militar. Estupidez táctica, estratégica, geostratégica, com gravíssimas repercussões também facilmente previsíveis no plano económico. Obviamente, trata-se igualmente de uma filha-de-putice no plano humanitário. É verdade que esta filha-de-putice em meia dúzia de dias [estávamos em 1 de Março] não se compara com as muito mais graves filhas-de-putice que há oito anos o exército regular ucraniano e os nazis do Batalhão Azov levam a cabo, diariamente, no Donbass, com perto de 15 mil mortos dos dois lados, entre os quais mais de três mil civis, a maioria no lado dos separatistas. Mas Vladimir Putin conhece de sobra o modo de funcionamento do humanitarismo bombista e o lucrativo concubinato (para os dois lados) que mantém com os merdia de reverência, está farto de saber como é íntima a relação entre o “jornalismo” mercenário e os que puxam o gatilho. Tinha obrigação de prever o aproveitamento que seria feito do erro de enviar tropas terrestres para qualquer outro ponto do território que não fosse o Donbass.”

    A diferença entre nós, Jasmin, é que eu, quando vejo merda, é merda que lhe chamo, saia ela do cu de um príncipe ou de um sem-abrigo. Para ti, ao que parece, merda é o que fazem os teus ódios de estimação, enquanto do cu dos teus amores só sai mousse de chocolate. E caseirinha, iam, iam, bem saborosa! Por isso mesmo, como é evidente, só não te mando comer merda porque está na cara que já o fazes por iniciativa própria, com enorme prazer. Bom proveito.

  65. “Em 24 de Fevereiro, primeiro dia da invasão, condenei-a neste pardieiro sem qualquer ambiguidade.”

    a que horas e aonde? só encontrei merda em sentido contrário que tens vindo a repetir até hoje e que vale a pena releres para veres as figuras ridículas que fazes na defesa do tio pudim e do avó jeropinga que diz que ” a melhor prova do pudim é comê-lo”.

    do resto nem vale a pena falar: “Foi uma “inacreditável estupidez” diz o cromo, mas perfeitamente justificável, porque estavam a pedi-las.

  66. Quanto à questão demográfica, não tenho habilitações suficientes para uma resposta peremptória, mas é bem possível que um dos factores a ter em conta seja mesmo o clima, já que a maior parte daquele enorme território é gelada e inóspita. Sugiro-te que compares com as densidades demográficas do Alasca, Norte do Canadá ou Gronelândia, por exemplo. E se pensares cinco segundos seguidos (vá lá, um esforçozinho), talvez te ocorra que os sistemas de aquecimento modernos que permitem manter bases permanentes na Antárctida, por exemplo, não existiam há um século. Eu, se fosse obrigado a emigrar, era capaz de ir para o Brasil, Argentina ou Chile, mas nunca iria engrossar a demografia da Rússia, a não ser que me garantissem um lugarzinho na Crimeia ou em Sochi, por exemplo. Tanto quanto sei, são zonas bem mais quentinhas. E já que estás tão preocupada/o com os espermatozóides dos Untermenschen da Moscóvia, poderias também avançar para um estudo comparativo das temperaturas médias nas regiões atrás referidas e na Sibéria. Fazias até umas excursõezinhas off-road, com uma balança às costas, e pesavas os tomates dos indígenas de todas aquelas regiões. O ké kachas?

    ________________________

    “Nem o tio Bonaparte nem o tio Adolfo tentaram quebrar a Rússia, apenas tentaram invadir o seu território. Erro crasso que não passa pela cabeça de outros.”

    Não tentaram quebrar porque acreditavam poder ficar com a melancia inteira. O império do presente (a nação indispensável, o império do bem, o único que existe, já que a Rússia não o é e dizer o contrário é asneira crassa) acredita que, para comer a melancia toda, é mais fácil cortá-la em talhadas, assim a modos que uns bantustões governados por fantoches facilmente manobráveis. ELES COMIAM TUDO na mesma E NÃO DEIXAVAM NADA, como dizia o outro, mas com cuidado, por causa das indigestões. Tenho novidades para ti: ain’t gonna happen! Naquelas reiteradas afirmações do Peskov e outros de que “só utilizaremos armas nucleares em caso de AMEAÇA EXISTENCIAL contra a Rússia “, não sei qual a parte que ainda não percebeste, mas olha que, com mais três segundos e meio, aposto que chegas lá. Dividir aquela merda em duas talhadas ou mais, como acreditas ser possível, ou seja, a Rússia como Rússia deixar de existir, é capaz de entrar na categoria de ameaça existencial. E bum, lá vai o cabo da Roca prò caralho, e nós com ele!

    ________________________

    Mas voltando à questão da DECÊNCIA.

    “Todos os impérios acabam de uma maneira ou de outra. OS RUSSOS vão fatalmente tomar conhecimento disso A BEM OU A MAL. A divisão em 2 Rússias seria PARA ELES o menor dos males. Coisa pior OS ESPERA.”

    “E porque será que a demografia não cresce ? com tantos recursos…
    Porque é que OS RUSSOS não fazem filhos, pá ?
    – Porque estão deprimidos e não lhes apetece fazer sexo ?
    – PORQUE SÃO ESTÉREIS ? (NÃO SE RIAM PORQUE DA MANEIRA COMO LIDAM COM A ENERGIA NUCLEAR NEM ME ADMIRAVA NADA)
    – Porque o território é muito gelado E CONGELA OS ESPERMATOZÓIDES E ÓVULOS ?
    – Por falta de comida PARA ELES E OS FILHOS ?
    Seja como for, meterem-se numa guerra com a Ucrânia EM QUE ESTÃO A MORRER COMO TORDOS não vai ajudar a resolver o problema demográfico.
    – E finalmente, SERÁ POR ISSO QUE ANDAM A VIOLAR MULHERES NA UCRÂNIA ?????”

    Eh pá! Com aquela do “Coisa pior os espera” é que os gajos devem ter ficado todos borradinhos! Eu fiquei, e não sou russo! Estragaste-me quatro pares de cuecas, pôcera!

    Quando te saem dos dedos pérolas destas, Jasmin, vê-se bem que o teu problema não é com o Putin ou outros co-responsáveis pela invasão da Ucrânia. O teu problema é mesmo com “OS RUSSOS”, como inúmeras vezes zangadamente martelas, assim como quem cospe. Quase conseguimos ver o esgar que fazes, ódio puro, pá, ao mesmo tempo que te benzes furiosamente, tentando evitar o cabrão do Inferno! Claro que confundir tais pérolas com xenofobia pura, tão pura como esse ódio puro, será (ainda mais) pura coincidência. Até porque dos “RUSSOS” se pode dizer tudo o que dito sobre outros é condenável, pavlovianamente condenável. Nos “RUSSOS” podemos projectar todo o desprezo, raivinhas e preconceitos que sentimos por pretos, castanhos e amarelos, todos os odiozinhos rafeiros e desprezíveis que não nos atrevemos a verbalizar, para não nos acusarem de racistas ou xenófobos. Pois se até pretos e castanhos estão autorizados a odiar OS RUSSOS, meus e minhas! É um alívio, uma catarse!

    E regressando a esta mãe de todas as pérolas (ou quase):

    “O verdadeiro problema geopolítico que ameaça a segurança mundial é que A RÚSSIA É UM PAÍS COM UMA DIMENSÃO TERRITORIAL COMPLETAMENTE ESTAPAFÚRDIA E TEM DE SER DIVIDIDA.” (Jasmin dixit)

    nada como lembrar que “a Rússia é um país com uma dimensão territorial completamente estapafúrdia” há séculos, antes de Putin, antes de Estaline e Lenine, antes de Nicolau II e por aí fora. Ou seja, séculos em que a Rússia apenas invadiu países que a invadiram a ela primeiro.

    É uma pena, mas és mesmo uma decepção, Jasmin, e confesso que, do que de ti vi durante anos, não estava à espera.

    Slava borreguini pitbullini! Méééééé! Grrrrrrr!
    (ou Grrrrrrr! Méééééé!, tanto faz)

  67. Porcalhatz aldrabão e vigarista, não estás à espera que eu faça por ti o trabalho de pide que te compete, pois não? Vá lá, tens de justificar a avença, porco, e justificar-se perante ti é coisa que o filho da minha mãe não sente qualquer necessidade de fazer, mariconço! Eh pá! Com alguma ginástica, olha que consegues arranjar dois ou três minutinhos de intervalo na retrete pública do instituto público onde publicamente privatizas a pública peida. O que posso desde já prometer-te é despejar aqui, um dia destes, uns peiditos que aqui largaste quando, ainda como ignatz, eras putinista. Encalhei neles há dias (fedor inconfundível), quando procurava uma conversa antiga com a Penélope, e prometo pespegá-los no caixote do pardieiro, quando tiver tempo, para gáudio do pagode, à custa do aldrabão, vigarista, salta-pocinhas e vira-casacas que és. “Resumindo”: um pide, um provocador, um infiltrado, um vómito.

  68. não foi isso que perguntei.

    perguntei: onde e a que horas é que “Em 24 de Fevereiro, primeiro dia da invasão, condenei-a neste pardieiro sem qualquer ambiguidade.”

    aqui não foi e só posso provar a sua ausência dizendo que não existem.

    tu queres que eu prove o que tu dizes ter feito, mas que não existe porque tu não escreveste nada, o que prova seres tu o aldrabão que chamas aos outros.

    tás à vontadinha para reproduzir o que eu tenho aqui escrito no caixote e nem te vou chamar pide por isso, um hábito teu e da escumalha comuna que se for preciso ameaça com nuclear, a última cartada para tentarem provar que têm razão.

    sabes que mais, se a chave do nuclear é aquela pasta que entregaram au pudin no dia daquela parada de material de guerra obsoleto misturado com o estado da arte militar que não funciona, bem podem enfiar os nukes no cu e passar ao capítulo da capitulação. para não falarmos do ridículo de aparecer no velório do jeri9qui com uma pasta bem gordinha de códigos e manuais de instruções para disparar um suposto míssil, de nome satã 2, benzido na parada do dia seguinte pela padralhada que apoia a guerra e que supostamente deveria estar dentro do estojo transportado por uma camionete de 14 rodas, caso ainda não tenha sido roubado pelos militares para transformar em máquinas de lavar.

  69. eu se visse um link que traduz secret case por caso secreto, achava logo que era mentira.
    é como aqueles emails do principe nigeriano que a meio dizem sempre qualquer coisa tipo “você és muito considerado através da terra”.
    manda pro lixo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.