Perguntas simples

Como é que a “Operação Marquês” poderá algum dia terminar se a sua investigação é neste momento a dois Governos, mais um banco público, mais um grupo bancário e empresarial, mais um grupo de empresas de construção, mais uma autarquia, mais não sei quantos empresários, envolvendo diversos países cujo número muito provavelmente virá a aumentar dentro da lógica de que todos os actos administrativos dos tais dois Governos, e do tal banco público, e do tal grupo bancário e empresarial, e do tal grupo de empresas de construção, e da tal autarquia, e dos tais empresários são tomados como suspeitos e dão azo a contínuas novas suspeições sem que alguém saiba a que crime ou crimes concretos dizem respeito?

8 thoughts on “Perguntas simples”

  1. Provavelmente, a “operação Marquês” acabará arquivada até nova prova o que,
    não invalidará o nascimento de uma nova “operação Filósofo” visando o Sócrates
    ex. P. Ministro que, tem um amigo rico que soube fazer negócios ganhar dinheiro
    e gosta de ajudar os amigos! Coisa que, muita gente séria acha imoral e incompa-
    tível para uns e, normalíssimo para outros que fazem férias em Angra dos Reis e
    nos iates dos amigos com muitos negócios com o Estado, há também aqueles que
    os amigos arranjam permutas de casas com sisa paga e tudo mas, com calote no
    BPN claro que tudo isto pode ser fantasia!!!

  2. É o drama do sistema, a velocidade varia na razão inversa da complexidade .
    Coisas simples ( roubos e furtos banais, têm resolução rápida) um gajo espatifa um banco ( tantos ) e é um deus nos acuda para qualificar e quantificar os actos que conduziram ao descalabro, uns outros fodem um país ( mais uns tantos ) e pura e simplesmente nem sequer lhes sucede nada porque nem existem sanções previstas .

  3. eu bem te.avisei valerico que para evitarmos que todos os cidadaos em geral sejam suspeitos tal como o eram no tempo da pide e da stasi era necessario termos subido as escadarias. bem te avisei seu merdas, acobardaste-te, agora chora cobardolas.

  4. a turquia que va mamar piretes mas parece que vai mesmo é arrasar a europa

  5. Alto aí!!! Mas a “operação Marquês” é para acabar algum dia? Só se algum(a) procurador(a)geral, que não a múmia que actualmente desempenha o cargo, imponha uma data limite para o fim do processo e, mesmo assim, tal como no “caso Freeport”, ainda devem ficar, desta vez, umas 414 perguntas por fazer ao demo do Sócrates. Ah! não esquecer o argumento sobre a dificuldade de saber se aos 8 anos de idade ele roubava os berlindes aos outros miúdos com quem brincava e se na maternidade se locupetou com as chuchas dos outros neonados. E se sim, qual o papel do Santos Silva, que, penso eu, deve ter empochado duas ou três chuchas e aí uma mão cheia de berlindes, para vender oa sucateiro amigo do Vara. E isto, meus amigos, são coisas que esses devotados escravos da justiça, o procurador de quem me escapa o nome e o não menos digníssimo juiz, cujo nome me escapa, não podem, nem devem, deixar passar em claro. Pois!

  6. ai que riso! dá para ficar para a posteridade como uma lengalenga cantada.

    Era uma vez um cuco
    que não gostava de couves
    andava sempre a dizer:
    couves não hei-de eu comer
    andava sempre a dizer:
    couves não hei-de eu comer

    mandou-se chamar o pau
    para vir bater no cuco
    e o pau não quis bater no cuco
    e o cuco não quis comer as couves
    andava sempre a dizer:
    couves não hei-de eu comer
    andava sempre a dizer:
    couves não hei-de eu comer

    mandou-se chamar o fogo
    para vir queimar o pau
    e o fogo não quis queimar o pau
    e o pau não quis bater no cuco
    e o cuco não quis comer as couves
    andava sempre a dizer:
    couves não hei-de eu comer
    andava sempre a dizer:
    couves não hei-de eu comer

    mandou-se chamar a água
    para vir apagar o fogo
    e a água não quis apagar o fogo

    mandou-se chamar o boi
    para vir beber a água
    e o boi não quis beber a água

    mandou-se chamar o homem
    para vir prender o boi
    e o homem não quis prender o boi

    mandou-se chamar a morte
    para vir levar o homem
    e o homem já quis prender o boi
    e o boi já quis beber a água
    e a água já quis apagar o fogo
    e o fogo já quis queimar o pau
    e o pau já quis bater no cuco
    e o cuco já quis comer as couves
    andava sempre a dizer
    couves já hei-de eu comer.

  7. “Operação Marquês” :
    – a maior operação de contra propaganda alguma vez montada.

    Agora que a sic abocanhou o osso vai dar para muito mais tempo de rosnar e roer.

    A tvi pode aproveitar outras audiências com a presença de José Sócrates.

  8. Precisa-se: arguido

    Ricardo Araújo Pereira, humorista: “Mas agora os socialistas têm um ex-primeiro-ministro preso, a aguardar acusação, e os sociais-democratas têm todas as suas grandes figuras em liberdade – o que se lamenta e estranha. A detenção de José Sócrates teve um impacto tão grande na vida política que Passos Coelho sentiu que até podia elogiar Dias Loureiro numa queijaria. Ou se encarcera um alto dignitário do PSD depressa, ou nos arriscamos a ver Valentim Loureiro receber um doutoramento honoris causa.”
    28 de maio de 2015. http://viriatoapedrada.blogspot.pt/2014/07/a-maior-cabala-e-mentira-depois-de-74.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.