Perguntas muito complicadas

Que leva Costa, numa entrevista de perfil à RTP em que simultaneamente garante não ser crente, a invocar o Papa Chico como figura inspiradora e de referência? E que levou os jornalistas a ilustrarem com imagens do dito Chico a papal passagem?

7 thoughts on “Perguntas muito complicadas”

  1. qualquer não crente com massa crítica associa a actividade do papa Francisco, que em muito tem rompido com o padrão da igreja católica, ao abanar de consciências – isso é indício de coerência e de justiça. a parte da ilustração é o quarto poder a trabalhar. se é conluio já não sei.

  2. Talvez o mesmo que levou Leonardo Boff, Frei Betto e Frei Bento Domingues, tão distantes dos papas anteriores, a elogiar este e a esperar dele novos caminhos. Não é preciso ser crente para reconhecer a importância de um papa que faça a diferença. E há papas tão diversos como Deus e o Diabo.

  3. “E porquê tanta pergunta parva ultimamente?”

    Tiro na mouche,

    Porque será que todo o mundo filosófico e político desde sempre e ainda hoje invoca e cita Platão e não são pagãos.
    E todos os sociólogos modernos citam e invocam Marx e não são marxistas.
    As ideias têm origem no pensamento racional e não pertencem à ideologia política ou religiosa. Estas usam-nas como argumentação em sua defesa nas questões dos homens.

    O Valupi anda à cata de paradoxos de Zenão de Eleia mas só descobre paradoxos de Zé Anão do Aspirina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.