Pensar na Ana Gomes

"Não tenho pressa. As eleições são daqui a 8 meses, estou a pensar."

Ana Gomes

*_*

Ana Gomes está a pensar nas presidenciais. Em que pensará Ana Gomes quando pensa nas próximas presidenciais? Pensa que poderá ganhá-las? Pensa que não as poderá ganhar mas que isso não é importante, o importante é fingir que sim e saltar para o palco? Ou o seu pensamento limita-se ao gozo de nos deixar a pensar no que pensa? Enigmas de arrebimbomalho.

Onde não há enigma é no que se pode pensar de Ana Gomes candidata presidencial. Ver esse acto eleitoral transformado num circo com 4 cavaleiros do Apocalipse populista a disputarem os 4 primeiros lugares é desolador para os apaixonados pela cidade. Esta figura socialista que justifica aplausos incondicionais pela procura incessante de justiça, seja onde for e doa a quem doer, pelos mesmíssimos critérios justifica crítica e até repulsa.

Não conheço caso algum onde uma denúncia de corrupção vocalizada por Ana Gomes tenha dado origem a factual descoberta criminal conforme ao teor do seu alarmismo, sequer terá acertado num qualquer processo judicial transitado em julgado. Se existe, agradeço penhorado que me tragam essa informação para minha ilustração e eventual correcção. Se não existe, então as suas boas intenções podem – e devem – ir para o diabo que a carregue.

Ver um pulha, ou um bronco, a caluniar é triste. Ver quem se concebe como decente a usar a sua publicitada integridade para fazer o mesmo a cidadãos avulsos, inclusive a camaradas de partido que lhe deram poder político no passado quando ela o pediu e até rogou, é pior que triste, é vexante. Ana Gomes, no tanto que é e poderá ser, não honra nem defende o Estado de direito democrático. Isso, pelo menos, é certo a respeito do seu valor como candidata presidencial.

Não vale tudo contra aqueles para quem vale tudo.

10 thoughts on “Pensar na Ana Gomes”

  1. ” Em que pensará Ana Gomes quando pensa nas próximas presidenciais?”
    neste caso pensar significa arranjar quem pague, patrocinios, tájaber?

    “Pensa que poderá ganhá-las?”
    não, mas negociar a desistência quase de certeza.

    “Pensa que não as poderá ganhar mas que isso não é importante, o importante é fingir que sim e saltar para o palco?”
    palco já tem na comunicação social da direita, mais umas avenças para complementar a reforma davam jeito e capacidade para ampliar o negócio da calúnia & chantagem.

  2. Ana Gomes é mais do que uma oportunista com ambições estratosféricas de poder, mas não deixa de ser muito oportunista e ambiciosa, qualidades que para alguns serão defeitos, mas para outros são virtudes. O pior nela, na minha opinião, é um certo radicalismo franco-atirador a raiar a intolerância, patente já desde a sua militância no MRPP em 1972-1976, da qual conservou alguns tiques inquisitoriais.
    Ana Gomes cria anticorpos em qualquer partido, organização ou instituição em que milite ou trabalhe, raramente por boas razões. Há nela uma evidente sede de protagonismo individual, de par com um visível desprezo pelos partidos e pela classe política em geral, que tende a ver como corrupta e hipócrita. A própria política lhe deve parecer um insanável lodaçal, pelos óculos populistas que usa. Ela não compreende a função da política e o papel dos partidos numa democracia liberal. A arte do compromisso e da negociação é-lhe antipática e suspeita, porque vê nela sobretudo capitulação e traição a sagrados princípios, que nunca se percebe muito bem quais são.
    Numa diplomata como ela é estranha essa mentalidade intransigente, mas também é certo que Ana Gomes não se deu bem na carreira diplomática, que suspendeu há mais de 15 anos. Ela sente-se bem é na pele de watchdog, para que tem grande vocação. Gosta de abraçar grandes causas, desde que lhe proporcionem mediatismo e protagonismo pessoais, em Portugal ou no estrangeiro. Como presidente da República seria um perfeito desastre, mas não acredito que, candidatando-se, conseguisse mais votos do que Manuel Alegre ou Fernando Nobre, que em certos aspectos se parecem com ela. Em suma, não nutro qualquer simpatia nem admiração pela personagem. Posso às vezes reconhecer-lhe coragem, que outras vezes me parece mais sanha vingativa.

  3. Partilho inteiramente da vossa douta opinião, Valupi e Júlio. A Ana Gomes arma-se em justiceira e até em pistoleira, mas, se parasse um pouco para analisar quem a apoia e lhe dá palco, talvez largasse o contentamento. Arrisca-se a ser um Ventura de esquerda e é precisamente por isso que se diz que será boa para combater o Ventura. Mas imaginamos os confrontos eleitorais? Seriam do tipo “Os meus corruptos são melhores que os teus”. Que nível.

  4. “Posso às vezes reconhecer-lhe coragem, que outras vezes me parece mais sanha vingativa.”

    coragem é coisa que não tem. tinha era imunidade política e agora tenta mantê-la com a “liberdade de expressão” à pala da comunicação social”. lê umas cenas, cola com cuspo e pratica felgueirismo lowcost, depois há quem pague os morfes, cu tremido e os adereços. um show de xico-expertise & ignorância bué atrevida até um júdice lhe fechar a torneira ou se tornar insuportável no canal e ir fazer companhia à ana leal. a vida desta gaja resume-se a berrar para dar de mamar à família.

  5. Gente intragável, cromos justiceiros com egos tão inchados que não cabem dentro de si mesmos e extravasam sobre terceiros sob a forma de invejas rancorosos e ajustes de contas com todo o mundo à sua volta que não os escuta, sempre à procura da ribalta de palco que um dia já tiveram e os inflamou tanto que o querem perpétuo e afanosamente custe o que custar.
    Gente de falsa moralidade tipo Moura Guedes, Felgueiras, Ana Leal, Dâmaso, juiz Alexandre e muitos outros menores mas igualmente de uma mentalidade perversa.
    Gente com pensamento ao estilo do chefe da PJ que hoje, pelos jornais, informa o povo que “os corruptos levam muito tempo a ser julgados”. Todo este tipo de gente intragável pensa e arma-se engalanado deste seu peculiar modo de pensar para julgar os outros; cagam a sentença antes do julgamento.
    Se um tal responsável máximo pela polícia de investigação já sabe que as presas dos seus assaltos são corruptas antes de o provar e julgar e o mesmo acontece até com juízes que debitam opiniões idênticas e directas acerca de arguidos em casos que têm em mão como pedir que gente de miolos exorbitados como a Guedes, a Felgueiras ou a Ana Gomes se contenham ao racionalismo das pessoas sensatas.
    O pior é que estas personalidades são a ponta do ice-berg que na escuridão do fundo arrasta uma multidão de gente menor que usa e abusa da mesma inversão de valores e vai fazendo o caminho do pensamento dominante.

  6. Boas,
    se calhar estavam esquecidas, mas deixem-me refrescar algumas iniciativas marcantes da Ana Gomes:

    Aquando das manifestações contra a intervenção americana no Iraque, a Ana Gomes conseguiu marcar um encontro (num sábado?) entre Ferro Rodrigues (então líder da oposição) e o seu (dela) amigo pessoal Durão Barroso (primeiro ministro e mordomo da conferência dos Açores), ajudando a desviar, assim, o apoio do PS ás manifs (que envolviam o Mário Soares, entre outros).

    Colaborando com o Coelho do PSD, atacou o governo do Sócras por causa dos vôos da CIA, que foram aprovados pelo Cherne Barroso.

    Uma que me toca como munícipe, foi o ter jurado que, mesmo que não fosse eleita, ía manter a fiscalização às ações do executivo na Câmara Municipal de Sintra como vereadora
    …hello, Ana?

    PS- Alguém já o referiu, e concordo, que esta vigarista parece o Herman José quando este se veste de mulher, lóle

  7. não deixa de ser curioso como acham que há nível nas campanha antes do chamado populismo. mentira para lá , mentira para lá ,promessa não cumprida para acoli , disparate para acolá.
    como é que é , volto a perguntar : o cerco sanitário em bairros de africanos e ciganos , como o jamaica , preconizado pelo ventura , vai avançar ou não?- e não avança , apesar de ser necessário , porque o ventura o pediu? prejudicam a malta por questões de salvar faces politicas»? muito bem. fica registado , na minha memória e em muitas mais.

  8. Se concorrer, contribui para que a próxima eleição presidencial seja o ponto máximo da cultura populista, o MAGA luso ( Marcello, Ana Gomes, André). Os diferentes populismos ( Institucional, Justicialista e Facho) em luta, com diferentes objectivos; consolidação do regime, “regeneração” e anti-regime. Vai ser bonito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.