Pelos indícios os conhecereis

O caso Face Oculta veio revelar que o suspeito de escutar o Presidente da República era, afinal, o escutado durante vários meses de um ano triplamente eleitoral. Ironia do destino? Se o for, que vamos chamar ao facto de Ferreira Leite, a 30 de Maio, ter declarado em Aveiro que tinha medo de estar a ser escutada ao telemóvel? Gargalhada do destino? Já agora, a forma desabrida como Cavaco interferiu no negócio PT-TVI, tendo deixado claro que havia um gravíssimo problema ético e político implícito, não é absolutamente conforme a uma situação de espionagem política? E a insolência da Manela, ao garantir a pés juntos que Sócrates tinha mentido, não cheira a voyeurismo?

Mas deixemos a arraia-miúda, passemos ao Nostradamus da Marmeleira:

EU COMPREENDO, MAS…

Eu compreendo que o Presidente da República, até pelas coisas graves que tem certamente para dizer face aos ataques que lhe têm sido dirigidos, não queira falar em período eleitoral. O que diria perturbaria e muito o período eleitoral. Mas temo que só depois das eleições é que se vá saber demasiadas coisas sobre esta governação e sobre o Primeiro-ministro. E temo que isso seja um fardo muito difícil de gerir, ganhe quem ganhar as eleições. Seja no caso Freeport, seja na questão da eventual espionagem aos seus opositores, seja no ataque à TVI e ao Público, seja nos múltiplos negócios que estão por esclarecer, da OPA da Sonae à crise do BCP e à interferência da CGD, seja no caso BPN e nos nunca esclarecidos movimentos do dinheiro da Segurança Social, seja na tentativa de compra da PT da Media Capital e etc,. etc. Um etc. demasiado grande.

Pacheco


Este desabafo revanchista, torrente de infames suspeições, ocorre na pior fase do Pacheco em muitos anos. Estamos a 20 de Setembro, o DN tinha desmontado a conspiração de Belém dois dias antes e não se sabia o que faria Cavaco. Pacheco vê a asfixia democrática a ir para o galheiro, tenta salvar o que pode. Ah, como seria bom que o Presidente continuasse calado, tal como calado ficou quando saíram as notícias que caluniavam o Governo como nunca se tinha visto em Portugal… O Pacheco gosta é de autoridades caladas, para poder falar por elas. A Manela não sabe o que diz? Pacheco traduz. O Presidente não comenta as insídias que a sua Casa Civil despeja nos jornais? Pacheco agradece e bota faladura.

Repare-se na expressão da moda: espionagem aos seus opositores. Estamos a uma semana da votação para as Legislativas e o futuro deputado não tem pejo em alimentar a escabrosa calúnia nascida dos préstimos do Zé Manel a Belém. É disto que se faz o PSD da Manela, desta completa falta de escrúpulos e ética. Mas a pérola, o tour de force, reside nestas proféticas frases:

Mas temo que só depois das eleições é que se vá saber demasiadas coisas sobre esta governação e sobre o Primeiro-ministro. E temo que isso seja um fardo muito difícil de gerir, ganhe quem ganhar as eleições.

Apenas uma espectacular coincidência com as escutas no Face Oculta e seus imbróglios jurídicos e políticos? Dificilmente. Atente-se que o Pacheco é claro ao distinguir o Primeiro-Ministro da governação. Temos aqui dois tópicos autónomos. Ao destacar o Primeiro-Ministro, indica-se que a matéria respectiva é do foro pessoal. A reforçar a tese, temos o final do texto, onde se aponta directamente para o caso PT-TVI. E, last but not least, a repetição do adjectivo demasiado é um recurso enfático que remete para uma gravidade especial, de outra ordem que não meramente a da política – por exemplo, um atentado contra o Estado de direito. A empáfia hipertrofiada do Pacheco poderá tê-lo levado para esta exposição intestina num ataque de ódio? Não surpreenderia.

Em suma, eis aqui um conjunto de indícios, não probatórios, que chegam e sobejam para a abertura de um inquérito pelo cidadão interessado na coisa pública.

19 thoughts on “Pelos indícios os conhecereis”

  1. mete mais achas na fogueira . assim é que prestas um verdadeiro serviço público. é que nós , os contribuintes , já só esperamos que arda tudo e nos livremos da palha sem mexer uma palha. revolução por implosão ? oh , yea , baril , vamos figurar nos manuais de ciência política.

  2. Já não é sem tempo haver um inquérito ao modo como se lança um dos chamados «processos mediáticos» , nascidos de cartas anónimas (forjadas como se provou em tribunal, no caso Freeport, prestes a morrer na praia porque nem crime há!!!, segundo os ingleses) ou de escutas ilegais ao PM e criminosas, cirúrgicas, bandalhas, grosseiras, reiteradas violações do segredo de justiça. É clarissimo para toda a gente que este processo só adquire o mediatismo que está a ter , com o consequente assassino de caracter do PM e não só, por causa da criminosa violação do segredo de justiça. Por causa de um crime! Aliás dois, porque o PM foi escutado meses a fio criminosamente, porque houve violação da lei da República. E não se abre um processo a esta Face Oculta? Está-se à espera de quê? O ministro Vieira da Silva não retira o que disse: espionagem politica. E aquilo que é aqui exposto pelo Valupi aponta exactamente nesse sentido. Só faltou referir a primeira intervenão do novo deputado Pacheco na AR. Agora vê-se como trazia água no bico…Até parece que regressou ao Parlamento para gozar o espectáculo da execução pública de Sócrates. Talvez o tiro volte a sair pela culatra aos reles conspiradores.

  3. Começa a ser obvio que muita gente sabia do que se passava.As peças vão encaixando e só um desinteresse comprometido não olha para estas evidências.Elas gritam.

    Vieira da Silva disse o que pensa que se passou e que provavelmente é o que se passou.É criticado por isso, porque ninguem pode dizer o que pensa mesmo que seja verdade ou que pense que seja verdade.Sendo ministro tem que alinhar pelas mentiras oficiais. Um ministro não pode dizer que existe espionagem politica logo não pode existir espionagem politica.Quem critica o ministro são os correligionarios do anti-politicamente correcto que como no politicamente correcto tambem decidem o que é ou não anti-correcto de se dizer.Pelo que se o ministro não foi politicamente correcto nem anti-politicamente correcto é porque provavelmente é verdade o que o ministro disse, como alias os factos provam.
    .

  4. O Pacheco deve ter uma bola de cristal e continua a consultá-la. Terminou o último Ponto Contraponto a dizer: “vai valer a pena ler jornais, ver televisão, ouvir rádio, nas próximas semanas, porque não tenho dúvida nenhuma que muita coisa se vai passar na comunicação social e ainda bem.”
    É de alguém que está bem informado. Mas não deixa de ser uma afirmação estranha vinda de alguém que desconsidera a comunicação social de tal forma que tem um programa para lhe apontar os defeitos. Abriu uma excepção, nas próximas semanas vai valer a pena.
    Como não temos os seus poderes adivinhatórios, vamos ter de aguardar para sabermos do que está a falar.

  5. Porque temos nós um guru da Marmeleira, quando não fazia cá nenhuma falta? Deve ser algum castigo biblico, uma praga, porque como toda a gente sabe o P.S. é um partido ateu, anti clerical, e que ainda por cima aceita na sua maioria o casa mento gay.Pecados capitais, como todos sabemos, dignos da fúria divina.Assim zumba, aí vem o Pacheco Pereira.E só assim se compreende as previsões apocaliticas do guru, adivinhando mesmo o que se irá passar depois das eleições.Como seria possivel assim ele prever os ataques ao Sócrates e não directamente ao governo, porque no governo ainda há alguns católicos praticantes. E ninguem denuncia este Nostradamos da Marmeleira,não há ninguem que o escute e diga ou invente coisas acerca dele? Por favor? Já não posso mais com o bicho.

  6. Uma vez réptil, sempre réptil. Mas que mais quer este cretino do JPP? Não perdeu 2 eleições seguidinhas? Eu bem sei que a democracia representativa não é o forte de maoistas, mas se não podemos pedir um minimo de decência a esta puta velha, ao menos tenhamos nós a decência de tratá-lo como aquilo que é. Uma aventesma, que destesta a democracia, e que os portugueses não desejam. Em nenhum momento eu defendo que uma eleição invalida um julgamento. Mas não houve nenhum julgamento, nem o PM é arguido no que quer que seja. É insuportavel que o estado criado no 25 de abril esteja a ser dinamitado por uns “merdas” destes, em nosso nome.

  7. Bom, o que é certo é que este nostradamus (boa, val) de pacotilha não tem acertado uma, pelo menos no que ao seu partido diz respeito…

  8. Val,
    Gostei do texto e pouco mais tenho a acrescentar para além do frenesim que me faz quando ligo os temas- asfixia democrática, delatorias escutas a Belem e as gravações feitas às conversas do PM. Na praça publica, alguns estão esforçadamente a tentar provar a inicencia do PM, mas de facto o que devia estar a acontecer seria já, em minha opinião, a inceneração do cadaver da Manuela Ferreira Leite. Naquele partido, ninguem consegue parir uma ideia que não seja para proveito próprio ou dos seus. Quando são chamados a dar opiniões posicionam-se contra, porque sim!!!
    Argumentação consubstanciada em ideias, não existe.

    Agora, a estratégia que usaram asfixia democrática/escutas a Belém/escutas ao PM é algo que tem tantos buracos que só com esforço alguém acredita que foi o ACASO que as juntou.

    Apetecia-me saber que outras motivações, para além da venda de 1ºas paginas, teria a comunicação social para entar na Barca deste Inferno.

  9. Edie, não acerta? Previu que, depois das eleições, o primeiro-ministro ia ter um fardo difícil de gerir, e ele aí está. Tomara a Maia ter estes poderes…

  10. Posso garantir que é tudo falso e apenas coincidências escurecidas por mentes pérfidas e mal intencionadas.
    Nada disso!
    Os pachecos, os palhas, os pilhas, os pulhas, os martins e mais umas pessoas de excelente catadura e melhor índole, é que, por mero acaso, têm visões do nosso futuro.
    Só medina acerta pouco. Também está velho e o cristalino já não é o que era…
    Mas dos outros, é que posso garantir mesmo, que nunca ninguém fez conluio e espionagem politica! Tudo fruta do acaso!
    Onde é que estamos!????

  11. guida,

    claro que o homem sabe de coisas —que coisas, não cabe ao comum cidadão adivinhar (apenas acertar:). Embora, na previsão do fardo difícil que Sócrates iria ter depois das eleições (embora se referisse a outras), qual o período em que Sócrates não o teve, desde que é 1º ministro? Assim também eu sou bruxa :)

    Mas se virmos bem: acertou nas previsões das eleitorais nas autárquicas e legislativas? NÃO!
    Acertou na estratégia de campanha eleitoral que doutrinou para o psd?
    NÃO, mil vezes NÃO. A coisa foi mesmo suicida.
    Acertou no acerto da referida estratégia após ter verificado o seu fracasso? NÃO, antes a reforçou com a sua estreia na AR, entretanto profusamente ridicularizada.
    Acertou nos vaticínios histéricos do que iria acontecer no caso Público – Belém das pseudo escutas? NÃO, a coisa saíu totalmente pela culatra.

    Enfim, já nem no psd penso que levam o pacheco a sério.

  12. Edie, falhou completamente na estratégia que traçou para a campanha, concordo contigo. Mas lendo este texto do Pacheco e tendo em conta o que acabou por acontecer depois das eleições, no mínimo, podemos dizer que há uma estranha coincidência.

  13. Repete-se o romance de Melville. Capitão Ahab Pereira persegue Moby Dick Socrates. Toda a gente sabe como acaba.No romance de Melville Ahab ainda investe 3 vezes contra a baleia branca para depois desaparecer nas profundezas do oceano (obsessão), neste caso ainda ninguem sabe quantas vezes faltam para que o fim se concretize e eu não me chamo Ismael.

  14. Este texto que não conhecia, do “Marx da Marmeleira”, é elucidativo da aparente CORRUPÇÃO e da atitude PIDESCA que grassa na nossa Comunicação Social e nos Magistrados e Juízes , pagos a peso de ouro, com mordomias sem fim por um erário público depauperado e com desperdícios imensos. Esse JPP e as anteriores declarações da sua “aluna” só podem ter sido sopradas no vendaval das fugas do segredo de justiça. É tempo de pensarmos em agir em conformidade, exigindo que não façam de nós parvos e intentar acções judiciais rápidas sobre esses figurões. Está a passar das marcas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.