Pelo ódio

A apatia com que a sociedade reage às consequências da ideologia do empobrecimento assumida por dois partidos que ludibriaram o eleitorado e renegaram por completo a sua história – um, suposto “social-democrata”, o outro, proclamado paladino dos “contribuintes” e dos “pensionistas” – não parece ter tido ainda alguma explicação analítica por parte da academia, da imprensa ou da oposição. Alguns factores poderão, no entanto, ser dados como consensuais:

– Emigração de centenas de milhares de cidadãos em idades de fulgor laboral e político, contribuindo para o ainda maior envelhecimento e resignação dos que ficaram.
– Incapacidade da oposição em apresentar uma alternativa credível, sendo que o PCP e o BE continuam a manifestar-se indisponíveis para soluções governativas.
– Recusa do PCP e da CGTP em repetir com o actual Governo a sua estratégia de levar a luta para a rua com que atacou os Governos socialistas.
– Narrativa omnipresente nos órgãos de comunicação social a respeito da “culpa” do PS na “bancarrota”.
– Campanhas sistemáticas de assassinato de carácter contra Sócrates e qualquer outro socialista visto como seu próximo, as quais começaram em 2004; estratégia que atingiu o grau máximo do impacto com a sua detenção e prisão, e a qual irá prolongar-se durante anos neste registo de devassa e exploração política do processo judicial.

O caso Sócrates afecta o PS de várias maneiras, estando a sufocar e tolher a sua afirmação. A dimensão moral, onde a sentença já transitou em julgado, causa um efeito de repúdio que se estende à dimensão política e contamina a interpretação do passado e a ponderação do futuro. Daí a eficácia das campanhas de ódio e da indústria da calúnia, recursos usados no combate político desde a invenção das democracias e da imprensa. Compensa repetir as velhas fórmulas da diabolização porque a natureza humana continua a mesma que participou com gáudio nas caças às bruxas, nos autos-de-fé e nos linchamentos de todos os tempos e lugares. O Estado de direito é uma invenção recentíssima na História e, parafraseando Montesquieu, o espírito das leis não está nunca garantido mesmo em regimes que as bem formulem e instituam.

Se perguntamos a um talibã direitola, ele vai dizer que a comunicação social está nas mãos da esquerda. Tudo o que se desvie do seu sectarismo é visto como inimigo, assim imitando a exacta postura dos comunas que também consideram que a comunicação social está nas mãos da direita. Mas os factos são os factos são os factos. É um facto que não existe uma Renascença de esquerda, nem um Correio da Manhã, nem um Sol, nem um Expresso, nem uma Sábado, nem uma SIC, nem uma TVI, sequer um Observador. É um facto que não existe à esquerda alguém que se compare ao Marcelo Rebelo de Sousa. Ou ao Medina Carreira. É um facto que não se conhecem na esquerda, muito menos no PS, figuras com a influência de Manuela Moura Guedes à época do espectáculo do Freeport, de José Manuel Fernandes à época da vingança por causa da OPA da Sonae, de Mário Crespo à época da perseguição no Jornal das 9, da Judite de Sousa, do José Rodrigues dos Santos, do José Gomes Ferreira, e imitadores. É um facto que não há um grupo de colunistas na imprensa de referência conotados com a esquerda e dedicados em exclusivo à fulanização odiosa como faz um monótono grupo de caluniadores do laranjal em cruzada, os quais semana sim e semana assim-assim se dedicam a bolçar o seu fel contra “Sócrates”, o “PS” e o “socialismo”.

Podemos não conseguir chegar ainda a um diagnóstico satisfatório do passeio que está a ser este final de mandato para Passos&Portas. Talvez nunca lá cheguemos. A realidade, consta, é complicada. Por agora, só uma coisa é certa: pelo ódio (ou falta dele) os conhecereis.

31 thoughts on “Pelo ódio”

  1. Eu nao consegui passar o primeiro paragrafo, tao flagrante e a mentira. Abaixo a correccao:

    “A apatia com que a sociedade reage às consequências da BANCARROTA SOCIALISTA”

    O Ferra, ja disseste isso varias vezes. O que vale e que ha gente com dois dedos de testa em Portugal e que permitem com a sua mobilizacao anular votos de mentecaptos, com dificuldades cognitivas, ou simplesmente burros e clubistas como e o teu caso.

  2. por amor aguardo melhores dias com novos factos. e tens de largar as boas novas sempre aqui, promete, promete-me que nunca te vais cansar. :-)

    (grande parágrafo talibã – repetição são os factos)

  3. “– Emigração de centenas de milhares de cidadãos em idades de fulgor laboral e politico” parece que voltamos aos tempos do marxista.
    A emigracao comecou bem antes deste governo tomar o poder, e foi a consequencia de mais uma bancarrota socialista.
    “– Incapacidade da oposição em apresentar uma alternativa credível”
    O maior partido da oposicao aparece a votos com a quadrilha do 44, apos terem tomado de assalto o partido com cerca de 100 mil votos.
    “– Narrativa omnipresente nos órgãos de comunicação social a respeito da “culpa” do PS na “bancarrota”
    Chama-se relatar a realidade das coisas. “Narrativas” e visoes rosadas da realidade e mais na Venezuela.
    “– Campanhas sistemáticas de assassinato de carácter contra Sócrates ”
    Chama-se relatar a realidade das coisas, continua preso apesar dos multiplos apelos.

  4. val, o pcp no parlamento e cgtp na rua gastaram as pilhas todas a combater o governo ps, e tudo em nome da defesa dos trabalhadores.a direita não os ataca pelo contrario até faz com eles coligaçoes nas autarquias. o pcp é um embuste. repito o que disse: o ps se pensasse como esta gente,não passava dos 10% e tinhamos uma ditadura em portugal sem precisarem de uma pide nem de um salazar.chegava passos coelho (dirigido por relvas) mais as suas mentiras!

  5. Porque é que a esquerda precisa de um papagaio tipo marcelo?!, para enganar os mentecaptos?! Fico perplexo como as pessoas perdem tempo a ouvir um cabotino da maior estirpe. Só de pensar dá tédio!!!!

  6. “(…) O FMI veio para Portugal em 1977 para resolver um problema que os comunistas tinham criado nos anos anteriores. Mario Soares salvou a democracia liberal que garantiu que o CDS não fosse ilegalizado e salvou o país com um pedido de ajuda externa.
    Era tão mau que no momento seguinte fez um governo com o mesmo CDS de Mesquita Nunes.
    O FMI veio para Portugal em 1983 depois do descalabro dos governos do PPD e CDS de Sa Carneiro e Balsemão. Mario Soares fez um governo com o PSD de Mota Pinto para salvar o país.
    O FMI veio para Portugal em 2011 depois de todos os atávicos ultramontanos, os conservadores de direita e de esquerda e os cínicos terem decidido colocar Portugal numa situação de grande fragilidade externa. (…)”
    http://adufe.net/2015/06/as-tres-bancarrotas-do-ps/

  7. Aliás, o papagaio disse ontem que o PS perde com o caso da Grécia, nem ouvi se era pela Grécia sair do euro ou ficar. Pois nem importa, porque para ele perdia sempre.

  8. Se o ridículo matasse. Os culpados de o PS não ser capaz de fazer oposição ao governo são o BE o PCP e a CGTP. POIS…..

  9. Mas ele há ódio ou deseja-se criar a ideia de que há ódio para se distraír os que pensam e pretendem ver resolvida a alegada suspeita de corrupção? A estratégia da perseguição política e do ódio é clássica. Não passa no tribunal e …gera certidões. A confusão é, contudo, algo que o 44 quer, se bem que a mim não me convence. Antes pelo contrario. Cada tiro no pé, mas sempre há um TC e uns quantos Reis, auxiliares, bastante elucidados em questões de complexidade processual. Se fosse ao arrebujo não me metia com a Féria…ela gosta pouco de machos armados em galos de cerca. E sabe, a técnica dela já tem idade….

  10. “Esse sitio de irrepreensivel reputacao, adufe.net…”

    uih… uih… nada que chegue aos calcanhares do observas ou do manhólas

  11. Os IGNARALHOS entusiasmaram-se demasiado com o licor de marca «M». Ó pa eles, jorrando tal qual soltura …

  12. Não é soltura, é pura diarreia, o feijoada no seu périplo gastronómico, desintegrou-se num acervo hipostático, perante a ataraxia da Grécia. Sai Taliban disposto a implodir a Acrópole.

  13. ” Ó pa eles jorrando tal qual soltura … ”

    Por isso é que a maralha do PC e da CGTP, aqui injustamente acusados pelo Fifi, de só atacarem o PS, estar a encarar seriamente, adicionar ao já tradicional,
    Está na hora, está na hora
    Do governo ir embora,
    o imparcial,
    Está na altura, está na altura,
    de acabarem qua soltura.

    Clara alusão aos Só-cretinos, acho de que …

  14. Muito bem, Valupi. Totalmente de acordo com a tua opinião. Não queria ser demasiado pessimista, mas também me parece que, até às eleições, isto vai ser um alegre passeio da direita triunfante, que cavalgou, em devido tempo, a “esquerda verdadeira”, a mesma que agora identifica PS com PSD/CDS, para continuar a campanha de ódio à esquerda democrática deste país. Apesar dos erros dos governantes do PS, era de elementar justiça reconhecer-lhes quanto fizeram pelo SNS, pela Escola Pública, pela Segurança Social e pela reforma da Administração Pública (Lojas do cidadão, Simplex …). Mas a esquerda radical esqueceu o povo e agiu impelida pelo ódio. Contra tais inimigos coligados, da direita e da esquerda, adivinha-se o descalabro do PS, por erros seus, é verdade, mas também, e sobretudo, pela má fortuna de ter sido governo na hora do tsunami da maior crise dos últimos oitenta anos. É a vida. Já me conformei ver chegar o triunfo da coligação negativa que chamou a troika ao derrotar o PEV IV. Nunca é de mais lembrar o crime, para combater a narrativa falsa da coligação PSD/CDS/PCP/BE. António Costa recebeu a primeira estocada mortal vinda de onde menos era de esperar (ou talvez não): do MP. Pensou, e mal, que ignorando o facto da perseguição ao PS na pessoa do ex-PM a coisa passaria despercebida. Pensou, e muito mal, que era mais importante lutar por uma vitória eleitoral e chegar ao governo, que lutar pela justiça e defender as instituições democráticas dos ataques dos próprios agentes responsáveis pela aplicação da lei. Pensou, e mal, muito mal, que a Direita não era tão miserável como muitos a pintavam. E, acima de tudo, António Costa ignorou que a Direita detinha o controlo total da comunicação social, a voz que forma ou formata e arrasta multidões. Tive sempre esperança de que “isto” há de passar. Mas olhando ao que vem de fora, começo a ter dúvidas. Veja-se a Grécia: foi deixada a agonizar até o Syriza ser corrido do governo. Escreveu alguém que, neste momento, não há lugar para governos de esquerda. Na Europa e por esse mundo fora. E assim parece.

  15. Da Grécia: Tsipras parece ter percebido a jogada dos troikanos e atirou: “Não queremos uma solução parcial, queremos uma solução completa e viável, juntamente com um ‘pacote’ de crescimento”, detalhou, no final da cimeira extraordinária de chefes de Estado e de Governo realizada em Bruxelas.
    Com isto, está a encostar os cínicos à parede. Não está disposto a ver o seu país a agonizar. Topou-os a todos? Porque eles sabem que a dívida grega, tal como a portuguesa, em tais circunstâncias, é impagável, Os cínicos sabem que tiveram responsabilidade no que aconteceu, mas estão a ver se escapam ao julgamento dos povos. Tsipras não é Hollande.

  16. @MariaAbril,

    Se eu lhe contasse ” a obra socialista ” da dupla Fernando Gomes & Sucessor ” aqui no Porto você até caia pró lado.
    O sucessor é o eng.° “socialista independente” Nuno Cardoso.
    Também temos broeiros – Narciso Miranda – e arruaceiros – José Lello e Santos Silva filho .
    Todos bom quadros, como nós dizemos aqui, “boas biscas”.

  17. @Maria Abril,

    Esqueci-me de perguntar se eles fazem falta aí em Lisboa, de bom grado os despacho pelo correio, se não precisarem estou a pensar pô-los à venda, no Ebay.

  18. Querolasaber, sou do Norte, como você. Mesmo mais a Norte. Olhe que não absolvi as patifarias de autarcas PS. Era o que faltava. Dos que conheço, na minha região, reconhecemos-lhes, eu e os munícipes, o bom trabalho. Como a tantos do PSD, a quem eu daria o voto sem pestanejar. Os autarcas CDS fizeram em Ponte de Lima um trabalho notável. Mas eu escrevi acerca do governo do país e, mais concretamente, do que os governos socialistas fizeram nas áreas que referi. Estou enganada na apreciação, sr Quero? Quem criou o SNS, a obra preciosa que está a ser desmantelada, pedra a pedra, pela direita vingativa e arruaceira, empurrada para o governo da nação pela coligação tenebrosa PSD/CDS/PCP/BE? Os actos não podem ser revertidos, embora possam ser escondidos dos portugueses menos atentos e levados ao engano. Louçã e Jerónimo derrubaram o PS que fez o SNS, defendeu e promoveu a Escola Pública, cuidou da sustentabilidade da Segurança Social. sabendo que o país ia ficar entregue a Cavaco/Passos /Portas que, ainda por cima, tinham deixado claro ao quem vinham. Pois esses dois senhores da esquerda não hesitaram um segundo em estender-lhes o tapete vermelho para o poder absoluto. Quando chumbaram o PEC IV e provocaram a vinda da troika, já Cavaco tinha sido reeleito. Mas este facto não demoveu Jerónimo e Louçã. O ódio à esquerda democrática falou mais alto. Agora está feito. A par da Direita revanchista, Jerónimo e Louçã destroçaram o Abril.

  19. quando não há argumentos e não podem ficar calados com receio de perder uma discussão, dizem umas merdas para levantar suspeições, tipo enigmas do dótor reboredo seara. bejamos.

    “Se eu lhe contasse ” a obra socialista ” da dupla Fernando Gomes & Sucessor ” aqui no Porto você até caia pró lado.”

    reparem bem. se eu cintasse, mas não conta porque nesta altura já toda a gente fugiu com medo do que o imbisual vai dizer.

    “O sucessor é o eng.° “socialista independente” Nuno Cardoso.”

    esta parte é para dar credibilidade à história, não fosse o rosário teixeira pensar que o afonso henriques que tinha apoiado a candidatura do menezes à câmara do porto a troco de uns ajustes directos em gaia.

    “Também temos broeiros – Narciso Miranda – e arruaceiros – José Lello e Santos Silva filho .
    Todos bom quadros, como nós dizemos aqui, “boas biscas”.”

    oh filha, tás desactualizada, o maior fabricante de broa aí na zona é o narcotóinocosta.

  20. Lá vem o garotelho ignatazaralho debitar disparates e desculpar uns com os maus exemplos dos outros, desta vem vem enroupado como sabonete qualquer coisa .
    Porque não te candidatas pá ?
    Parece que te estou a ver com o megafone na mão : ” votem em mim, burros do caralho ! ”

    Maria Abril, mas isso que refere são banalidades, claro que há autarcas bons, assim-e-assim, maus, péssimos, e até aqueles que estão na cadeia.
    Pergunto : os que considera bons, são aqueles que fizeram obra ?
    Se sim, qual ?
    Pavilhoes desportivos, piscinas, em certos casos, duas até, pavilhoes multi-usos e tutti-quanti, quando as dimensões da terra não justificavam e não havia dinheiro para pagar a conta ?

    É que as contas são para pagar, e fica feio, fazer obra – entendam agora o sentido de “soltura”, obrar – e deixar a conta para os outros pagarem.

  21. “Quem criou o SNS, a obra preciosa que está a ser desmantelada, pedra a pedra, pela direita vingativa e arruaceira, empurrada para o governo da nação pela coligação tenebrosa PSD/CDS/PCP/BE?”

    O sua ganda morsa, quem criou o SNS? O desenvolvimento do pais que tal permitia sua pedra com olhos. O que se fez em Portugal, um pais pobre e sub-desenvolvido do cu da Europa, foi assim que a riquesa do pais o permitiu, foi tentar replicar aquilo que ja existia em outras social-democracias europeias mais avancadas, ou seja:

    FOI UM CXRALHO DUM EXERCICIO DE COPY PASTE COM O DINHEIRO DOS CONTRIBUINTES.

    Chamar um idiota Macon “Pai do SNS” ou “Pai do Estado Social” e pura IDIOTICE, e conversa que so PEGA COM BURROS sub desenvolvidos de esquerda, gente que nao sabe de historia, nao sabe e economia, e que nao sabe pensar por si so.

    O Estado Social aconteceu porque tinha de acontecer, como aconteceram as primeiras autoestradas (JA FORAM PROCURAR O PAI DAS AUTOESTRADAS?), como aconteceram as primeiras barragens (O PAI E O SALAZAR), como aconteceram as grandes obras publicas (PONTE OLIVEIRA SALAZAR, HELLO!!), como aconteceram os grandes investimentos na rede ferroviaria nacional (PAI PROCURA-SE), como aconteceram os investimentos naquela que a coluna vertebral do nosso desenvolvimento, a rede electrica nacional (ORFA DE PAI, nao foi um gajo do PS), etc etc etc.

    A unica diferenca entra o SNS e outras grandes feitos nacionais como aqueles apontados acima, e que o primeiro, mal gerido pelas manapulas do PS e corja politica la metida para o gerir, foi a falencia e teve de ser restruturado, ao passo que os segundos continuam a contribuir para o desenvolvimento nacional e dao dinheiro.

  22. @Básico,

    Com o dinheiro dos contribuintes, pois, aliás, o IMI é um furto de tal dimensão, que até permite que as autarquias utilizem uma parte dele, e o devolvam aos expoliados, sob a forma assistêncialista – sopa dos pobres.
    O resto do furto, vai para pagar as despesas do pessoal. Pessoal, maioritariamente político, entenda-se bem, o pessoal que entra quando o partido ganha as eleições, e o que por lá fica, do partido que as perdeu.
    Foi noticiado que o Fundo de Pensões dos bancários foi utilizado, para pagar as dívidas das
    autarquias .
    E assim, se vai pagando as dívidas de uns, com o dinheiro dos outros …
    E criando mais dívida, pois que as reformas dos bancários, são agora para serem pagas pelo Estado, e não são pequenas.
    Grande democracia, que tal como o mercado desregulado, tem solução para tudo, desde a queda
    de cabelo, até à unha do pé encravada.

  23. hello, hello, hello, até que enfim que posso descansar.

    IGNARALHOS, estais a ver como é? Chama-se BÁSICO e QUEROLÀSABER – aqueles que vos ENSINAM.

    IGNARALHOS, submetei-vos.

  24. o laranjal entrou em modo pcp, não têm culpa de nada porque nunca governaram ou presidiram autarquias. santana, carmona, ruas, damasceno, menezes, amaro e mais uns quantos responsáveis pela divulgação de picinas em forma de rotundas e multi-funções empregadores da geriatria do psd/cds são mitos urbanos, suburbanos, rurais & toscos.

  25. Eu bem digo, ó Ignatazarelho, sim, porque o texto, denuncia-te -, tú não tens emenda, nem trabalhas, porque tendo ao dispôr um esplêndido catálogo de falácias, nem te dás ao trabalho de fazer um strawman com pés e cabeça. Nem o teu (des)talento to consente . Voltas sempre ao reducionismo simplista, ” Cadê os outros ? “e ” Isso não interessa, que se foda, quero as provas !”
    Já te fizeram o diagnóstico e a respectiva medicação : ESTUDO !
    Mas tú não avias a receita, nem te tratas .

    Então além de direitolas, agora também sou PC ?
    Estou rico, caralho ! ( para usar belos termos teus ).

  26. Ponte Oliveira Salazar. É isso mesmo. Mas os comunas e xuxas e outros derivados paridos entenderam chamar-lhe ponte 25 abril. Porque não mudaram o nome à rotunda do Marquês Pombal? E não derrubaram a estátua, e puseram lá um operário com barba farfalhuda, camisa com mangas arregaçadas, uma foice e um martelo, e uma hortinha ao fundo para ilustrar a «terra é de quem a trabalha?».

    Mas estes gajos de esquerda hospedam-se bem…ali na alexandre herculano, é chic, voyons. E fatos Armani. É o xuxialismo e o comunismo das massas – com o nunca sirvas a quem serviu…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.