Paulo Rangel, o bom amigo dos mercados internacionais

É fundamental que alguém diga aos portugueses que foi o Governo português, com o seu comportamento nestes quinze dias, com ameaças veladas de demissões, que contribuiu para que a nossa situação se agravasse profundamente nos mercados internacionais.

Nós chegámos a uma situação extrema, uma situação que internacionalmente é insustentável, que põe Portugal em termos económicos e financeiros numa situação muito complicada, semelhante à da Grécia, e que se deve à total falta de sentido de Estado e à total irresponsabilidade do Governo português.

Rangel, paladino da Política de Verdade, apareceu cedo a informar os mercados internacionais de estar ao serviço dos especuladores rapaces. Se falasse hoje como Presidente do PSD, diria que a agitação dos mercados resultava do caso das viagens de Inês de Medeiros. Uma tema que não pode ser mais internacional, nem mais especulativo.

5 thoughts on “Paulo Rangel, o bom amigo dos mercados internacionais”

  1. interessante era desalanvacar isto: a soberania dos bancos internacionais afirma-se maior do que a dos Estados e dos povos. Isto será compaginável com o Tratado de Lisboa?

    espero bem que façam uma festa divertida no Olimpo, para ver se eu alegro, Pás!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.