2 thoughts on “Passos de corrida”

  1. São sempre necessários 116, com 102, à partida, garantidos, falta saber quem paga a conta, BE ou PCP/PEV. Caso falhe, existe o plano B do golpe de estado palaciano.

  2. Ora aí está a oportunidade para Cavaco dissolver o Parlamento ou demitir o Governo. Valendo as sondagens o que valem, se estes indicadores se repetirem em novas sondagens, existirá uma clara opção do eleitorado pela mudança politica no País. A voz ao povo pois, não correndo o PR, nestas circunstâncias, o risco de ter que nomear o primeiro ministro que demitiu.

    Agora ou depois, a alternância democrática é uma das qualidades da democracia.
    A ser consumado um governo à direita do PS nas próximas eleições, é minha convicção que, em resultado, ficará mais transparente a diferença ideológica entre esquerda e direita, e fundamentalmente, qual é a esquerda alternativa a um governo da direita.
    Ppodemos continuar a ter uma esquerda comunista na casa do vinte por cento, não se sabendo para que serve nem o que pretendem, exepto manifestações e greves, com os resultados conhecidos? As cedências a sindicatos, quando não sustentadas, pagam-se caras. A demagogia sempre teve um preço.Caro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.