8 thoughts on “Parabéns, puto!”

  1. Durante 10 anos cruzei-me todos os dias com o professor Moniz Pereira nos corredores dos dois estádios – velho e novo. A história mais gira é a da frase «Amanhã, haja o que houver, treino!» Um atleta malandreco advertiu: «E se o terramoto fizer um buraco na Alameda das Linhas de Torres?» Resposta do professor: «Corremos dentro do buraco!» Parabéns professor!

  2. só faltava o quiz do dia, e quem é aquele gajo com quem o poeta se cruzava todos os dias durante uma década? quem advinhar ganha um link para o poste da betesga e um saco de caroços.

  3. Que viva muitos anos mas sem mais interferência no atletismo nacional.
    Muito importante no meio fundo de pista, veio a revelar-se casmurro e retrógrado com a passagem, dos atletas a para a estrada. Para além da atitude persecutória que ele e os amigos exerceram sobre a Rosa Mota e marido, ainda foi responsável pela demora do grande Carlos Lopes em ir á Maratona. Só por isso, este grande campeão não o foi mais vezes. Só quando rompeu com MPereira, Carlos Lopes ganhou a maratona.
    Chegou a declarar, salvo erro em 1976, que a disciplina de Maratona não tinha dignidade olímpica.
    Como corredor de estrada á data recordo-me bem das atitudes da FPA e do MPereira, em penalizar os atletas de estrada. Tirando-lhes, inclusive, subsídios de alta competição por participarem em provas de estrada.
    Reminiscências do fascismo onde se movimentou muito bem!

  4. Ó anónio, ó estúpido, ó burro – cruzei-me com o prof. Moniz Pereira porque fui redactor do Jornal do Sporting de Janeiro de 1997 a Novembro de 2006.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.