22 thoughts on “Parabéns pela sinceridade”

  1. o massamólas a carregar na bandeirada com discurso táxista-leninista, entretanto o relvas já deve ter apreendido a letra da vila morena.

  2. Passos Coelho é Salazar (lembram-se que também foi ele quem “pôs as Finanças Públicas na ordem” ?)
    Cavaco Silva é Américo Tomás
    A Esquerda é O Reviralho

    E quem agora berra pelas eleições quer eleições é no c….
    Só se forem fraudulentas como as que havia no Estado Novo para a Assembleia Nacional e que garantam a Farsa.

    António Costa se espingardear acontece-lhe o mesmo que ao Humberto Delgado.
    Ele que se mire no que esta extrema-direita fez a Sócrates, agora e cada vez mais assumidamente o 1º PRESO POLÍTICO deste regime.

    Só que tam com esta ditadura existe na forma de FARSA (com eleições a fingir) também os PRESOS POLÍTICOS agora o são sob a capa cínica de imputações de corrupção e afins, e nem acusações e julgamentos são necessários, opta-se pelo linchamento popular, com a ajuda da Comunicação Social, a nova POLÍCIA DE COSTUMES do regime (“ai e tal, se não é mais é porque vivia acima das suas possibilidades”).

    Isto vai lindo, vai, vai.

  3. Mas porque de vez em quando se invoca o nome de Salazar em vão? Como alguém o invocou aqui acima?

    Até que se está agora a tentar repôr os feriados históricos e se vai dialogar com os santinhos para devolver as suas festinhas que Passos quis eliminar, já que Cavaco também tentou acabar com o Carnaval.

    Feriados e festas tão do agrado do Estado Novo e que o alegorista António Ferro promovia culturalmente politicamente e popularmente.

    Já com o abrilismo se interrompeu o santo António casamenteiro e suas marchas lisboetas que o meu herói de Santa Comba criou, pela mão do avô de Rita Ferro, mas aqui voltou o bom senso e voltou-se à tradição do Estado Novo.

    Agora até já há quem queira que na escola não haja exames do 4º ano, quando até 1968 as crianças nem eram obrigadas a ir à escola.

    Cuidado quando se fala do homem de Santa Comba porque não se pode comparar com o incomparável.

    Já há uns anitos atraz, de tanto chamarem e alcunharem Cavaco de “outro Salazar”, acabou este com uma bruta maioria absoluta.

    São as contradições dos exageros e das mentiras.

    Não abusem do nome do Homem.

  4. Eu não estou a fazer mais do que a expressar aquilo que vai na cabeça do Massamolas.
    Se tem alguma correspondência com a realidade, muita pouca ou nenhuma, isso é outra conversa.
    Mas que ele se acaba de colocar nas chinelas de Salazar, isso é verdade. E que é tão fascista como ele, também.

  5. Uma vez que o alegado primeiro ministro apelida de “reviralho”a esquerda que maioritariamente lhe limpou o sarampo e lhe lixou a continuação das mamadeiras no pote,conclui-se que é ele próprio quem se intitula como líder do “Estado Novo”!

  6. A extrema direita, está entalada, entre si própria, e a parede que está a pouca distância do vazio.
    O Cair das máscaras, denuncia, quém é quém:
    Cavaco – Faça o que fizer- É um Zero!
    Passos – Não lhe invejo o futuro!
    Portas -Saída é por traseiras do caldas.
    Aposto, que vão sair da vossa zona de conforto, não tarda nada!
    São caetano à lapa, não tarda, será agência de viagens.

  7. A Santinha da Ladeira,é mais culta que o sujeito em apreço.Conclusão:Portugal tem um primeiro ministro,que não passa de um Analfabeto Funcional.Com o agravo, de se considerar esperto,fanfarrão,ardiloso e capaz de espatifar um país,comportando-se como (qual rapazola)líder de bando,em rixa com bando rival,pela conquista de território para fins inconfessáveis.

  8. “O aiatola de Boliqueime solicitou ao xeique de Massamá que orientasse as orações na mesquita de S. Bento e pusesse o vice-mullah a acomodar os amigos. Apesar de serem poucos os devotos e de se acharem fatigados os incréus, o aiatola apelou à dissidência entre os hereges e lançou uma fátua contra os insubmissos.

     Nenhum jihadista surgiu a executar a fátua, nenhum quis 72 virgens, rios de mel doce e, quiçá, uma vivenda à beira-céu. Nem um só devoto se voluntariou para transportar bombas da Rua de São Caetano ou do Largo do Caldas para o Largo do Rato, R. Soeiro Pereira Gomes ou R. da Palma. Os jihadistas do ELP e do MDLP já estão em lares ou em perpétua defunção. Só alguns dissidentes se reuniram à porta fechada na Bairrada, pouco Seguros, a marcar lugar para o dia de Juízo Final no Vale de Josafat do próximo congresso do PS. A zitaseabrização de Assis foi o haraquíri prematuro, pouco honroso e mal acompanhado.

     Perante a ausência de voluntários para o martírio, o aiatola empossara os seus jihadistas e ajudantes, indiferente aos adversários que o desprezam e que, em inédito ecumenismo, decidiram pôr fim ao califado neossalazarista.

     O terrorismo verbal continua nos jornais, madraças juvenis e televisões mas o jejum do poder no longo ramadão da incerteza deixou-os ressentidos e vingativos, mas exaustos.

     Reina a incerteza na Europa e no Mundo mas o pior PR, o pior Governo e a pior maioria da segunda República portuguesa já marcaram viagem para Meca a fim de apedrejarem o Diabo. Precisam de longo jejum do poder para se civilizarem e cumprirem o primeiro pilar, acreditarem nos programas dos seus partidos.

     Na última terça-feira foi celebrado o requiem por esta direita. Aguarda-se que a direita civilizada regresse aos partidos de que foi expulsa pelos extremistas que os confiscaram.”

    Autor desconhecido 

  9. O Bloco já anunciou as suas prioridades gay e adopções no parlamento.
    Ficaria mal e indigesto para o PCP ter que engolir sapos nesta área.
    Esperemos que o PCP não se descaracterize.
    Não desiluda os esclarecidos excursionistas da CGTP.

  10. Creio que se andam a preocupar à toa, tudo está sob controlo segundo
    o mini oráculo da SIC também conhecido em África pelo ganda nóia!
    Que nos informou hoje; o Pilatos de Belém vai indigitar o A. Costa daqui
    a + ou – duas semanas mas, aquele governo ou melhor a geringonça no
    dizer do outro inteligente, não vai durar um ano porque, o que assinaram
    vale nada logo que, o PCP consiga a reversão das concessões dos trans-
    portes públicos passa as palhetas à coisa!
    O futuro PR será o prof Martelo dado que, hoje mesmo, a primeira sonda-
    gem dá-lhe a vitória à 1ª volta com 56% dos votos … e, esta prende-se com
    a sabedoria popular que não põe todos os ovos no mesmo cesto … topam ???

  11. Aqui o Sr Madeira escreve sobre uma sondagem para as Presidenciais, como algo para levar a sério. Não seja ingênuo , nem o Marcelo vai ter 56% na primeira volta, nem os candidatos do BE e do PCP vão ter 1% e 2% respectivamente, a Aximage sabe que isso não é credível, mas serve para entreter papalvos , e para o Ganda Noia e o Correio da Manha, fazerem campanha descarada a favor do Marcelo.

  12. Bonito Bonito diz que o BE anunciou Blá Blá Blá, sabe que isso são compromissos dos programas do PS e do BE, aliás essas como muitas outras propostas , como algumas medidas do Crato, são compromissos onde foi possível obter consenso dos partidos que assinaram o acordo, e que por isso serão rapidamente votadas na Assembleia da Republica.Aliás se alguns deputados do PSD e sobretudo do CDS , não fossem hipócritas votariam essas tais ditas prioridades gays.

  13. Aliás, não há nenhuma razão transparente para um candidato da esquerda não ter mais de 50 %. O Marcelo que se contente com o que conseguir da sua Paf.

  14. “Reviralho” era a classificação depreciativa, mesmo pejorativa, que os seguidores do filho de puta de Santa Comba e do seu herdeiro na governação davam naquele tempo à oposição. A mesma oposição que perseguiam e agrediam com a polícia de choque e a PIDE, que metiam na prisão e torturavam. Que o aldrabão de Massamá recupere agora o termo pode significar uma de duas coisas: ou algum criptofascista de terceira lhe soprou ao ouvido o palavrão, o idiota gostou da sonoridade e não faz a mínima ideia do contexto em que era empregue, ou então sabe perfeitamente o que ele significa e emprega-o propositadamente, assim se colando voluntariamente ao botas de Santa Comba e acalentando o sonho de arregimentar gado suficiente para poder seguir-lhe as pisadas, em termos de longevidade no controlo do pote.

  15. Joaquim Camacho: «“Reviralho” era a classificação depreciativa, mesmo pejorativa»

    Algumas nuances: parece-me que não era exctamente assim. A conotação não era necessariamente negativa; muitas vezes podia ser até francamente positiva. E o uso era popular e mais restritivo do que hoje pode parecer, quase sempre aplicado à velha oposição que vinha da 1ª república ou lhe tinha sucedido na linha republicana, mais liberal ou mais conservadora, mas não exactamente de esquerda, ou não acentuadamente à esquerda. Os comunistas, por exemplo não eram «reviralho», mas o Cunha Leal e associados eram.

  16. Ólha só para o gungunhana!

    Está aqui acima a dar uma grande ensaboadela bem dada a uns quantos papagaios.

    Embora eu não concorde com o Passos, ele usa o termo com bastante propriedade.

    Mas atenção repito até à exaustão, podem chamar os nomes que queiram ao meu ídolo de Santa Comba, mas de tanto olharem para cima, ainda ganham algum torcicolo.

  17. Reaça, é óbvio que o que «reviralho» queria dizer na boca do Coelho era muito simplesmente «aqueles que querem virar a situação, que querem correr connosco, que não reconhecem os nosso direito à eternização na governação». Era só isso. Não era mais nada, e muito menos alguma referência elogiosa.

  18. Coelho: «Não é com o reviralho que nós conseguiremos andar para a frente».

    Reaça, o sentido da frase é este: «é com a situação, não é a com a transformação da oposição em nova situação, como a AR determina, que nós conseguiremos andar para a frente». É isto que ele está a dizer, não é mais nada. É o velho argumento de todos os ditadores, desta feita numa ambiência pouco favorável a alterações desse tipo.

    Perdeu as eleições para a AR à luz da formação de um novo governo, uma vez que não teve uma maioria absoluta. Agora tem de fazer as malas e ir-se embora para ser ele, ou alguém que lhe suceda, a conduzir a oposição.

    Isto é tão simples que ainda me custa perceber como pode fazer tanta confusão a tanta gente.

  19. Gungunhana, sei o que queres dizer, mas não tens razão. Poderias tê-la parcialmente, numa visão restritiva de emprego do vocábulo, mas acontece que eu estava ciente dela quando escrevi o que escrevi. A conotação que o salazarismo e o caetanismo lhe davam era a que referi, depreciativa e pejorativa, e, como deves calcular, é das bandas do filho de puta sonso de Santa Comba que vêm os padrinhos ideológicos do aldrabão de Massamá. O que não invalida o facto de a então chamada “oposição democrática”, que podia até incluir alguns monárquicos, assumir frequentemente o insulto, adoptando-o com algum “orgulho”, chamemos-lhe assim. E acredita que ouvi muitas vezes incluir no “reviralho” os comunistas, ao contrário do que dizes. Seria, eventualmente, para conotar o reviralho moderado com os mafarricos radicais comedores de criancinhas, para desencorajar eventuais simpatias ou adesões aos primeiros, mas era um facto. Como certamente não negarás, os comunistas estavam incluídos, com “generosa” abrangência, no pacote que o chefe da quadrilha do pote quis retratar quando bolçou, com a alarvidade que o caracteriza, o insulto espertalhaço.

    Aconteceu coisa parecida com a palavra “maubere”, por exemplo, em Timor, que começou por ser um insulto e acabou adoptada, também com manifesto orgulho, pela Resistência timorense, ao ponto de a integrar na designação do seu principal órgão, o Conselho Nacional da Resistência Maubere (CNRM). Ou com o depreciativo “comuna”, que alguns comunistas que conheço adoptam com o mesmo espírito de desafio: “Sou comuna, sim senhor!” E o mesmo para xuxa, etc.

    Peace, man!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.