26 thoughts on “Para já, uma boa ideia”

  1. O PS decidiu deixar de lado, neste congresso, o caso do linchamento público do seu ex-SG, Sócrates, apesar de todos já terem percebido e declarado que foi cometido (e se repete todos os dias) um crime pelos próprios agentes encarregados promover a justiça. De facto, os agentes que têm em mãos o processo Marquês estão a promover o crime e todos, ou quase,dentro do PS e fora dele, dizem que a justiça funciona. O PS, ao meter a cabeça na areia, pensando proteger-se enquanto a fogueira queima o seu ex-SG Sócrates, vai ter o que merecem os cobardes. Costa & Ca esperem pela vossa vez.
    À justiça o que é da justiça, mesmo quando é claramente pidesca ou fiel seguidora da inquisição?
    Neste PS sem noção da dignidade e da justiça, para gáudio dos carrascos de Sócrates, apenas o “velho leão”, que sofreu na carne os métodos de agentes da justiça iguais a estes, ergueu a voz para gritar a revolta contra a justiça infamante a funcionar. Sim, porque é esta que está a funcionar contra Sócrates.
    Para se proteger o PS cala o crime? Era exactamente isto que os carrascos esperavam . Não se enganaram em nada. Resta saber até onde vai chegar o rugido do “velho leão” Mário Soares.
    Viva o PS! Viva Costa! Viva a justiça a funcionar! Viva a democracia! Viva Portugal.

  2. Exemplar, Ana Gomes, a congressista no Congresso:

    “Vamos prosseguir contigo, António Costa, a regeneração que António José Seguro iniciou, tirando o PS da fossa de 2011. A separação rigorosa e controlada entre actividade política e negócios é imperativa para credibilizar a política e os políticos”.

    Leram bem? A cartilha da direita no poder: bancarrota de 2011 e promiscuidade entre política e os negócios levada a cabo pelos governos Sócrates. Sócrates merece bem esta e outras fogueiras. Está a pagar pelos seus crimes, não é Ana Gomes? Afinal, sempre há alguém que fala de Sócrates no Congresso!

  3. Outra acha para a fogueira. Catarina Mendes, congressista: “não nos devemos deixar contaminar pelos acontecimentos”. Aparece em letras garrafais em Noticias ao minuto. Pois claro. O leproso é Sócrates. Faça-se um cordão sanitário.
    Assim se aceita, tacitamente, a culpa do leproso Sócrates.
    Bravo, PS! Bravo Costa! Que pensa que vãos ganhar, assistindo calados, ao linchamento de um exSG?
    Respeitar a justiça é defendê-la quando os procedimentos a espezinham. Mas isto talvez seja demais para a vossa “sensibilidade” democrática.

  4. oh abrileira, o que o sócas menos precisa é peixeirada à porta da prisa para a pasquinada entrar em directo e justificar as ajudas de custo. o gajo é maior e vacinado, sabe defender-se e vai fazê-lo sózinho, qualquer ajuda só atrapalhará e descredibilizará a sua defesa. já agora e só por curiosidade, o que é que achas que o ps possa fazer para ajudar? manifs à porta da pildra, corte de estradas, atirar ovos podres ao alex, raptar a joana e por o gonçalo a investigar, porra… deves ter alguma ideia que funcione.

  5. Maria,
    eu também não fico agradado com esta estratégia mas, não será porventura mais inteligente?
    Explico: Tendo em conta o tendencioso contexto merdiático/justiceiro em que, para além de Sócrates, se pretende foder o PS enredando-o na nojenta trama, não será melhor esvaziar as cartucheiras a essa corja?
    Talvez seja uma forma de os fazer largar o osso, não?
    Agora, o que o PS tem que fazer é:
    Chegando ao poder, deixar-se de merdas e limpar a nhanha da justiça de uma ponta à outra.
    Parece pouco democrático,

  6. …merda do Tablet!
    Sorry, continuando:
    Parece pouco democrático, mas só assim se conseguirá, talvez, entalar os verdadeiros poderosos neste quintal à beira mar plantado.
    Ah, e já agora, pelo caminho, desamparar a puta da Ana Gomes e restante pandilha de amiguinhos dos PSDs. Não me esqueço que a vaca andou a atacar o Sócras no caso dos aviões da CIA para encobrir o amiguinho Durão Burroso.

  7. oh vieira, ainda que falaste nessa puta. só faz merda e encrava tudo onde se mete. esta é d’hoje.
    “Vamos prosseguir contigo, António Costa, a regeneração que António José Seguro iniciou, tirando o PS da fossa de 2011. A separação rigorosa e controlada entre actividade política e negócios é imperativa para credibilizar a política e os políticos.”
    tirado daqui:
    http://causa-nossa.blogspot.pt/2014/11/intervencao-no-xx-congresso-do-ps.html?spref=tw

  8. Eu sei, Inácio
    A Maria já postou essa caca mais acima.
    Só espero que o Costa perceba que essa vendida se está a fazer ao tacho e, calmamente, a despache para a 5a fila, ou lá para a casa do caralho mais velho, antes que ela o foda também.
    Pardon my french.
    Lembraste quando a gaja convenceu o Ferro a fazer uma reunião c’o Barrascoso evitando que o PS aderisse a uma manif de protesto contra o governo da tanga?

  9. Acho que o A. Costa não está a dormir e sabe com quem
    pode não contar! Face ao inesperado, a estratégia seguida
    foi a melhor, basta ver os jornaleiros e comentadeiros em
    todas as intervenções falam em José Sócrates, tentando
    desvalorizar o Congresso, alguns até dizem parecer um ve-
    lório!?! Por outro lado está a confirmar-se que as gomes,
    assises e, mais alguns estão de abalada … não são socialistas
    do PS, amplamente provado nas intervenções públicas que
    fazem nos meios de comunicação social em completa des-
    sintonia com o S. Geral !!!

  10. não tinha reparado no comentário do maria. a gaja é uma agitadora profissional, atira a tudo o que mexe para marcar terreno e insinuar-se para o lugarzinho de menistra da estranja. deve ser um recalcamento qualquer de ter nascido mulher e sem jeito algum para a política e muito menos para a diplomacia. confrangedor ver a gaja armada em esperta a levar a sessão semanal de porrada do badocha amorim. é aguentar até ao fim do mandato europeu e depois despachá-la para presidente da junta da cova moura.

  11. Val, compreendo a sua moderação e eu própria, às vezes, fico indecisa. Depois, pensando que estamos mesmo em fim de regime (não sei para onde isto vai cair) fazer um Congresso “certinho” como se nada de muitissimo grave estivesse a acontecer ao nosso Estado de direito, à nossa democracia, acho uma ingenuidade dos homens do PS, socráticos ou não. E então fico a pensar que, certa mesmo, é a reacção do “velho leão”. Seja como for, o que conta é o primeiro embate e, aí, o PS foi de uma cautela manhosa muito ao jeito da raposa. Deixou passar em claro uma oportunidade de ouro para defender a justiça espezinhada pelos justiceiros da operação Marquês. Acabou agarrado ao slogan vazio “à justiça o que ‘e da justiça” e a mentir como a direita mente: ” é a justiça a funcionar”. Não se pedia ao PS que se pronunciasse sobre a culpa ou inocência de Sócrates. Nada disso. Bastava-lhe denunciar a infâmia do linchamento na praça pública e toda a humilhação a que, gratuitamente ,sujeitaram o seu ex-SG e ex-PM. Como fez Soares e como muito bem e com todas as letras fez hoje o Sousa Tavares no Expresso.
    Mas isto é pedir demais a um PS que se tornou o bombo da festa dos justiceiros da justiça que temos. Oxalá esteja enganada, mas penso que a pusilanimidade do Costa não o leva a lado nenhum, numa altura em que o Estado de direito está ser posto em causa, como, aliás, reconheceu timidamente, quando referiu no seu discurso os ataques ao TC. Seria um bom governante em tempos de normalidade democrática, o Costa.

  12. O PS e o PSD são, de há muito, aparelhos para usufruto do país. Sócrates foi só o homem colocado ao leme. Extravasou as “funções”, mas aturaram-no porque deu muito dinheiro a ganhar.

    Porque política, segundo os princípios gramscianos, isso foi deixado para o PCP. Ocupando os lugares intermédios menos lucrativos, sem o poder formal, mas permitindo o tentacular poder real. Por isso a cumplicidade “crítica” do PCP em relação ao “aparelho” de interesses.

    A procissão Sócrates ainda vai no adro. O “aparelho” de interesses começou a mover-se por instinto de sobrevivência do próprio “aparelho”, não por Sócrates. E só os ingénuos serão surpreendidos por tais interesses não terem limites partidários. Das “ideologias” mais insanas aparecerão os aliados.

    E se há coisa que a esquerda (que nada tem de coisa ideológica, mas de sistema para conquista do poder) é experiência na justificação do mal. Mal que quando não consegue camuflar, relativiza, ou destrói – utilizando todos os meios – o mensageiro. No caso: os tribunais, os juízes, ou as própria leis.

  13. Costa ainda agora chegou e proibiu que se pronuncie o nome Sócrates.
    Riscou as fotografias de seguristas do secretariado nacional.
    Impediu Assis de tomar a palavra.

    Isto começa bem.

  14. Será que este militante, um tal herege e homem sem o necessário respeitinho, Rómulo Machado, vai discursar no XX velório do PS ????

    Espera aí ! Se não deixaram falar o Assis … este rapaz desassombrado e mal educado, reaccionário decerto, submarino infiltrado, provavelmente nem o deixaram inscrever – se !

    Mas que é um espanto ouvi – lo anos depois, lá isso é ! Não acham, camaradas?

    http://www.youtube.com/watch?v=J00n-Hh-_Xs

  15. PORTRAITL’ex-leader socialiste est incarcéré depuis mardi dans une prison qu’il avait inaugurée lorsqu’il était Premier ministre du Portugal.

    «L’incomparable José Sócrates», ironise l’éditorialiste du quotidien Publico José Miguel Tavares. «The Special One»,s’amusent plusieurs commentateurs, appliquant à celui qui dirigea le Portugal entre 2005 et 2011 le surnom d’ordinaire attribué au sulfureux entraîneur de foot José Mourinho. Après avoir été longtemps prudents, voire trop respectueux avec Sócrates, Sol ou Correio Da Manha exceptés, les médias portugais se livrent désormais au grand déballage contre celui qui a créé la sensation, lorsqu’il fut interpellé à l’aéroport de Lisbonne, vendredi.

    Motif de cette détention inédite : «fraude fiscale» et surtout «corruption» et«blanchiment de capitaux». Le montant des sommes qu’aurait détournées Socrates n’est pas connu, mais la presse nationale parle de dizaines de millions. Depuis environ un an, la brigade financière portugaise, la DCIAP s’était étonnée de son train de vie à Paris, où il réside : un appartement de 2,8 millions d’euros, la fréquentation de restaurants de luxe… Des écoutes téléphoniques auraient fait le reste.

    «UN DEGRÉ SUPPLÉMENTAIRE D’IMMORALITÉ DANS LA VIE PUBLIQUE»

    L’ancien leader socialiste, qui en mai 2011 avait démissionné alors que son pays était au bord de la faillite financière, a été placé mardi en prison préventive à Evora, dans un de ces établissements modèles qu’il avait lui-même inauguré alors qu’il était le fringuant Premier ministre ! Chaque jour, déjà écœurés par une série de scandales en cours (tous liés à la «décennie heureuse» de l’argent facile, 1995-2005), les Portugais découvrent le détail des forts soupçons qui pèsent sur José Sócrates – et ce, même si le secret de l’instruction a été déclaré par les magistrats.

    «Son incarcération, c’est la cerise sur le gâteau d’un système corrompu, souligne un présentateur de la RTP, la télé publique.L’affaire Scrates correspond à un degré supplémentaire d’immoralité dans la vie publique. Une sorte d’électron libre.» Avec, comme alter ego dans le monde financier, son ex-compère Ricardo Salgado, l’ancien président de la banque Espírito Santo, lui aussi interpellé, en juillet, pour blanchiment de capitaux.

    HOMME DE PAILLE

    Officiellement, lorsqu’il déménage à Paris au printemps 2011, José Sócrates prend une retraite politique «bien méritée», celle d’un honnête citoyen qui a servi son pays «le mieux possible». Désireux de «réfléchir et de prendre le temps», il s’inscrit à Sciences-Po pour faire une thèse doctorale. Et, tel un observateur assagi au-dessus de la mêlée, participe à des émissions de la RTP pour commenter la vie politique portugaise. Il dit alors n’avoir qu’un seul compte bancaire et, pour louer un appartement dans la capitale française, affirme recourir à un prêt. Un politicien modèle, en somme, qui a su s’arrêter à temps et que la cupidité n’aurait pas rongé.

    Sauf que, de source judiciaire, ce qui a motivé son arrestation raconte une tout autre histoire. Son chauffeur João Perna, lui aussi interpellé, faisait souvent le trajet Lisbonne-Paris en voiture pour lui remettre de grosses quantités d’argent en liquide. A partir de janvier 2013, José Sócrates est consultant pour la multinationale pharmaceutique Octapharma AG, pour laquelle il touche 12 000 euros par mois. Mais, selon le quotidien Sol, la multinationale lui versait 12 000 euros supplémentaires correspondant en réalité à son propre argent issu d’une société offshore mise au nom de son ami d’enfance, l’entrepreneur Carlos Santos Silva. Ce dernier, tout comme son épouse, aurait servi d’homme de paille dans le cadre d’un réseau sophistiqué de sociétés-écrans contrôlés par Sócrates.

    LEADER LOUCHE, «TOUJOURS BORDERLINE»

    Lorsqu’il était en fonction, l’ancien chef du gouvernement a révolutionné la vie politique portugaise. Sanguin, autoritaire, des manières un peu bling-bling à la Sarkozy, il a su dépoussiérer une administration ankylosée, voire inefficace, et obtenir, lors de son premier mandat, des résultats probants. Mais, en parallèle, José Sócrates fut ce leader louche, ce «produit médiatique» ou «politicien Armani» (dixit le Publico pour fustiger son côté gauche caviar), impliqué dans maints scandales et parvenant à chaque fois à se sortir des griffes de la justice. «Depuis les origines, il a été ce jeune loup, opportuniste, sans idéologie, obsédé par l’escalade des échelons vers le pouvoir suprême, toujours borderline», dit l’historien Fernando Rosas. Ancien militant du parti de droite, le PSD, passé chez les socialistes en 1981, cet admirateur de Tony Blair a connu un parcours peu limpide. Il y a d’ailleurs de fortes chances que son diplôme d’ingénieur civil, obtenu en 1980, soit un faux.

    François MUSSEAU MADRID, de notre correspondant

  16. Franceses ingratos do caralho … a insultar un proéminent maître de Ciences Filosophiques.

    E logo de um jornal à gauche socialiste. Incredible messieurs et mes dames !!!

    Fouda-sio caralhio

  17. Vejam lá vocemecês que os cabroezinhos chegam mesmo ao ponto de dizer que : Il y a d’ailleurs de fortes chances que son diplôme d’ingénieur civil, obtenu en 1980, soit un faux.

    Quel ignominie e scandale camarades sur notre chéri et aimé comandante Sócrates !

    Putains

  18. … se calhar o milagre da transformação das rosas em votos no bloco. o desespero leva a estas merdas.

    «Depuis les origines, il a été ce jeune loup, opportuniste, sans idéologie, obsédé par l’escalade des échelons vers le pouvoir suprême, toujours borderline», dit l’historien Fernando Rosas.

    para estas cenas é historiador, para as outras é fundador do tijolo de esquerda.

  19. Com tradução em tugolês pra todos os alcoólicos socrateiros anónimos e para todos os outros conhecidos com quotas em dia, que no congresso estão com o nome do tal gajo D’Évora em negação (tipo prisão de ventre auto inflingida) e com ordens do Costa para fingirem que não o conhecem ou que foi de férias para uma pousada que ele próprio inaugurou …

  20. Um político “duvidoso”, “sempre borderline”, “sanguinário, autoritário e de estilo cintilante à la Sarkosy”. É assim que o jornal francês “Libération” descreve José Sócrates, num artigo, publicado esta quinta-feira, sobre a detenção do ex-primeiro ministro português.

    O caso Sócrates, diz o jornal, “corresponde a um novo degrau de imoralidade na vida pública”. No artigo, assinado pelo correspondente do “Libération” em Madrid, descreve-se as suspeitas que levaram à acusação do ex-governante por fraude fiscal, corrupção e branqueamento de capital. Explica-se como “o modo de vida em Paris chamou a atenção da brigada financeira portuguesa”, como o seu motorista “fazia regulares viagens Lisboa-Paris para lhe entregar grandes quantidades de dinheiro em cash” e como o seu amigo e empresário Carlos Santos Silva serviu como pivô num esquema de transferencias financeiras. O “apartamento no valor de 2,8 milhões de euros, a frequência de restaurantes de luxo e as escutas telefónicas fizeram o resto”.

    E o resto é muito. Desde logo, o escândalo desmontou a imagem do “antigo líder socialista que, em maio de 2011 se demitiu, enquanto o seu país estava à beira da falência”. Sócrates queimou o seu “retrato político bem merecido, de um cidadão honesto que serviu o seu país o melhor possível” e que “no final do seu primeiro mandato obteve resultados visíveis na mudança de uma administração pública anquilosada”. Passou a ser “o líder duvidoso, esse produto mediático ou o politico Armani (citando o ‘Público’, que sublinhava o seu lado esquerda-caviar) envolvido em vários escândalos dos quais conseguiu, de cada vez, escapar às garras da justiça”.

    O texto do “Libération” termina com uma análise de Fernando Rosas, apresentado como historiador. “Desde o princípio, ele foi esse jovem lobo, oportunista, sem ideologia, obcecado por escalar todos os degraus até ao poder supremo, sempre borderline”. Apresentado como “antigo militante do partido de direita, o PSD, passou para os socialistas em 1981″ e acrescenta-se à biografia de Sócrates ter sido “admirador de Tony Blair” mas que “sempre conheceu um percurso pouco claro”. “Há mesmo fortes hipóteses do seu diploma de engenheiro civil, obtido em 1980, ser falso”, conclui o artigo.

  21. É inacreditável mas é verdade! Tudo quanto é aí acima apresentado debaixo da chancela do respeitabilíssimo Libération não são mais que citações já conhecidas do CM, do Sol, de televisões, de papagaios nacionais e outras luminárias como o Rosas. Não acrescentam nada nem cá fazem falta. Mas têm o aroma exótico e parisiense que os pacóvios apreciam. É por isso que aparecem aqui como argumento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.