Palácio da Independência

Ano 2009. Portugal está sob domínio espanhol. Cristiano Ronaldo joga na Selecção castelhana. Saramago impõe a troca do Pentateuco por citações das suas obras, em todas as bíblias, como forma de promover o iberismo. Canta-se o Cheira bem, cheira a Madrid.

Quem, neste mundo paralelo, seriam os portugueses com coragem e amor à Pátria tais para chefiar a rebelião ou nela tomarem parte? Ou, perguntado de outra maneira, dos portugueses que conheces, a quem é que gostarias de te juntar para combater pela independência de Portugal?

48 thoughts on “Palácio da Independência”

  1. Enfim… “Lá vamos, cantando e rindo, levados, levados, sim…”. Este canto da “mocidade portuguesa” também é muito patriótico. Em que ficamos? É por posts como este q

  2. Pelo que se tem visto, não há assim tantos portugueses disponíveis para a difícil tarefa que é governar o país (veja-se a dificuldade que o PSD tem tido para arranjar quem queira liderar o partido), quanto mais para liderar rebeliões contra os castelhanos. Ora, há um português que tem sido alvo de ataques de toda a espécie e que tem revelado uma capacidade de resistência e amor à Pátria absolutamente fora do comum. Outro qualquer no seu lugar já tinha mandado isto tudo à fava. Portanto, num cenário destes (horrível, diga-se de passagem), para combater pela independência do nosso rectangulozinho, daria todo o meu apoio a José Sócrates, sem dúvida. :)

  3. a fronteira dos portugueses e espanhois é tão imperceptível (e ridícula) como a do bairrismo valença-monção.

    (para quando a união ibérica?) :-)

  4. Todos temos uma história com espanhóis dentro: a minha aconteceu entre 1966 e 1996 no BPA quando gastei papel e tempo a insistir com um qualquer Banco de Madrid contra o facto de só creditarem os valores cobrados de uma letra avalizasa por eles(!!!) no dia seguinte ao dia do vencimento. Chamei a atenção para as regras da Câmara de Comercio Internacional mas no fim respondiam sempre: «Es una prática de nosostros!» Há apenas que tentar lidar com eles de uma maneira discreta e suave. Eu tenho amigos e amigas em Espanha mas sei que são excepções à regra. Percebo isso.

  5. hum …portugueses não sei. espanhois acho que há muitos que lutariam por conceder a independência a portugal por causa do ronaldo não ir parar à selecção castelhana. Viva o barça!

  6. caro assis “On y” ou “honi”, como é que quer?
    Ao menos esclareça porque assim, “é pior a emenda do que o soneto”, quer dizer, o lapsus ortográfico não ficou reparado, antes pelo contrário.
    Mas pronto, os portugas bem patrióticos são assim, ficam-se sempre pelas meias-tintas, não vão dar muita confiança ao parceiro e aqui, neste post, uma expressão popular francesa deve ser uma espécie de “sacrilégio”.
    Se tivessem falado só do Ronaldo, vá lá, era a ironia que se impunha, mas tinha de vir o Saramago – a inveja dos portugas uns pelos outros é outra maleita nacionalista!
    Eu por mim, sou pelo iberismo, sou pela progressiva união dos povos da Terra, mas também sei que esta ideia é uma estúpida UTOPIA!

  7. A propósito de expressões francesas, hoje li num artigo de opinião, bem “lançado” do “Marocas” no DN, intitulado “Crise e governabilidade” a expressão “cela va sans dire” que não conhecia. Mas costumo utilizar outra, “et pour cause”, embora raramente.
    Alguém disse, se não me engano, que “a língua é a pátria portuguesa”, sim claro, mas gostaria que, um dia…, as línguas fossem a pátria única de todos os povos da Terra!

  8. oh mct, quem tem de esclarecer é você. “on ni soit..” é que não pode ser. vá lá ver o francês. ou então fique pelo português (ou pelo espanhol, que vem a propósito). desconversar é que não.

  9. Mi gusta España. Porque quando abres la tele no tienes los obispos del mercadito falido que te dicem a todas las horas lo que hacer y lo que pensar.
    Porque las personas hablan unas con las otras en la calle por la noche. Porque tiene Madrid el prado Thyssen y reina Cristina, Barcelona, las rias, pamplona, Hercules, Vigo SEVILLA la Magnifica y toda la costa sud, Toledo, Miró, cervantes,tapies, dali, buñuel, Sangre de Toro, Alhambra, churros por la mañana,pais basco, ole y guapas….de puta madre!
    Viva españa.
    Gora Portugal.

  10. A Rebelião:
    Se dependesse de mim para chefiar uma rebelião havia várias hipóteses. Na primeira investida ia o António Ribeiro Ferreira, com a sua escrita e fisionomia dava cabo de uns poucos de Espanhóis, não era pela sua valentia, mas sim pelo seu aspecto de homem das cavernas. Na segunda afinfava-lhe com o João Pereira Coutinho se nada resolvesse de seguida ia a sua mulher-a-dias e se tivesse um desempenho como a padeira de Aljubarrota, metade da batalha estava ganha. Se os Espanhóis continuassem a resistir ia o José Manuel Fernandes, armado em cavaleiro com a sua pileca (burra) esta em cima dele a imitar o cavalo de Tróia, com a restante armada, José Pacheco Pereira; António Barreto; Medina Carreira; João César das Neves; Marcelo Rebelo de Sousa; Jerónimo de Sousa e Francisco Louçã. Se mesmo assim não se conseguisse o efeito desejado, seguia o Mário Crespo, mas se a luta viesse dos flancos tínhamos problemas, ele tem dificuldade de ver para os lados como os seus irmãos. Por último ia o José António Saraiva, se aparecesse um vendedor de Mercedes, de certeza que perdíamos a contenda, à mínima coisa ludibriava-o e lá ia ele Mercedes e tudo. A Nação ficava mais rica com a perda destas personalidades e os Espanhóis coitados tinham que levar com este veneno.

  11. será que emprestaram metade do buracu do BPN? Eu, por mim, que não percebo nada disso, até pode ser. Bem, vou ler que tá de chuuuva.

  12. Hola Charo!!!No seas celosa yo me quedo com Biscuter. Tengo ganas de comer falda de ternera mechada con atún y anchoas con una botella de Bodegas Torres.:))

  13. caramba K, que belo dominio hombre (e todo bem disposto, até faz sapateado e tudo. Portanto isto agora é Asterix na Iberia, deixa cá ver do zimbro … )

  14. (Fernando: aquela coisa da esfera aplicada ao meu anterior significante fez-me ficar assim às bolinhas, mas estou lá a fumar um cigarro; quanto àquele rabo de vez em quando a pontinha bate no chão :)

  15. Ocorre-me José Sócrates, único com coragem e competência para liderar o país neste momento. Mas a coisa teria um grande senão; logo a seguir ao início da luta pela causa, já teria o meu nome enxovalhado por tudo o que é comunicação social e juíz e oposição, se não o meu, talvez o de algum parente ou amigo. E mais grave ainda: se Sócrates abraçasse essa hipotética causa, lá teríamos o triste espectáculo de ver toda a oposição a defender a união ibérica. Brrr…

  16. Reis:
    Tive o cuidado de frisar ” Os Espanhóis coitados tinham que levar com este veneno.”
    O que não gosto para mim não o desejo para os outros. Mas que deviam de ir para algum lado, deviam, agora para onde não sei.

  17. tu mázinha Edie :))), vá lá que não sou gordo… Acho que é mais mesmo o &, dá para ver de várias maneiras, e ainda se é cursivo ou não, saiu um bom signo!

    meti ali algures uma coisa mesmo boa sobre 2012. Já estou a ficar na hora as ko comes by,

    Blonde included,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.