Outubro vermelho

A Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP) angariou mais 1.400 milhões de euros através de títulos de dívida de curto prazo, com uma taxa de juro negativa no prazo a três meses.

O IGCP colocou esta quarta-feira 300 milhões de euros de Bilhetes do Tesouro a três meses e 1.100 ME a 11 meses. A emissão superou a expectativa inicial de 1.250 milhões de euros.

Fonte

7 thoughts on “Outubro vermelho”

  1. Só pelo prazer de ver Jerónimo (e seus sindicatos) agarrados, valia a pena ver o Costa uns tempinhos, embrulhado no rolo que criou.

    Mas pelos vistos, Cavaco Silva vai “queimar” essa etapa.

  2. Fazer pior do que o (des)governo da maioria PSD/CDS-PP não é
    possível, no ponto de vista de quem vive do trabalho, vai ser len-
    to e difícil recuperar o que o País perdeu às mãos dos incompeten-
    tes que estão de saída!
    O António Costa só está a fazer o que disse que fazia mesmo que,
    tivesse maioria mais, anunciou que ía acabar com o tal “arco dos
    interesses” e dos tachos e tachinhos! Qual é a admiração ? Claro
    deixará de haver uns prémios para as arrastadeiras do relvas, bas-
    ta ver o ar de vítima que este mostrou como comentador da TVI,
    que só lhe fica bem porque ele é um adepto da tradição e do fol-
    clore! Logo que, seja a tomada de posse da nova A.R. com um
    Presidente de esquerda, o Pilatos ficará em maus lençóis e a
    margem de manobra mais reduzida … para devaneios !!!

  3. Sobre o sentido da medida do BCE, e a realidade, elucidativo artigo no link abaixo

    Destaques :

    Um juro negativo é um facto que o senso comum não suporta.

    Os juros negativos que agora observamos são um produto artificial, provocado pelos bancos centrais. São uma antecipação dos investidores à continuação da loucura que constitui a actual e inédita política de expansão monetária dos bancos centrais.

    O dinheiro injectado, ao contrário do prometido, não alimentou a economia produtiva o investimento. Engrossou o sector financeiro, empolando o valor dos activos sem relação com os sectores produtivos.

    A expansão monetária e a redução dos juros em vez de actuar – como prometem os bancos centrais – tem actuado sobre os mercados de activos. Entre estes, os mercados financeiros são especialmente sensíveis e inventivos, propondo novas formas de especulação.

    Artigo completo Link

    http://www.jornaldenegocios.pt/opiniao/colunistas/avelino_de_jesus/detalhe/o_que_e_uma_taxa_de_juro_negativa.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.