Bem-aventurados os mansos

Há uns meses, Louçã disse que Sócrates, ele próprio, tinha oferecido à Joana Amaral Dias cargos e benesses caso ela aceitasse ser deputada pelo PS. Andou uns dias histérico a berrar contra a traficância socrática, até que foi desmentido. Foi a sua forma de tentar apoucar, mesmo difamar, a liberdade do Miguel Vale de Almeida.

Para Louçã, o PS é um partido de corruptos onde só se salvam os que se deixam manipular pela agenda e estratégia do Bloco. Seja quem for que tenha exercido cargos de responsabilidade política pelo PS, PSD ou CDS, e independentemente do que fez, passa a ser corrupto para todo o sempre e independentemente do que venha a fazer. É esta mensagem que Louçã transmite com fervor, ele é um santo no Inferno.

Pelo que a grande conclusão reza assim: quão mais mansos ficarem os socialistas mais alegres ficarão os bloquistas.

6 thoughts on “Bem-aventurados os mansos”

  1. Aqui venho declarar que sou Manso só de nome,e que nada tenho a ver e a querer do
    partido do ilustre padreca, que singra pomposamente ,nas nossas ondas. A minha mansidão é só onomatopaica e de apelido.

  2. Louçã sabe muito bem de quem fala e o Val também, por isso é que vos custa tanto.. Desmentido? Mas há dúvidas que andaram a sondar a Joana Amaral Dias? Até foi pena não a terem levado, que a mulher não junta duas frases com substância, fora da cartilha do partido.

  3. Claro que a andaram a sondar, mas não foi Sócrates, foi o tonto do Paulo Campos. Mas a questão que me interessa é só esta de Louçã ter mentido à descarada.

  4. Nem me lembraria da Reforma !!! 3.215,95 € … passava a lembrar-me !!!

    Manuel Alegre recebe uma reforma de 3.215,95 euros mensais pelo cargo de coordenador!!! de programas de texto da Rádio Difusão Portuguesa que ocupou por alguns meses !!!
    A informação faz parte da lista dos aposentados e reformados divulgada pela Caixa Geral de Aposentações (CGA), citada pelo Correio da Manhã.
    Em declarações ao jornal, Alegre garantiu que nem se lembraria da reforma !!!, se não fosse a CGA a escrever-lhe uma carta. O deputado explicou que foi funcionário da RDP durante «pouco tempo», já que começou a trabalhar na rádio quando voltou do exílio, após o 25 de Abril, e saiu em 1975 quando foi eleito deputado, cargo que ocupou desde então. «Nunca mais lá trabalhei, mas descontei sempre», disse o deputado.

    Comentário:

    Descontou sem trabalhar !!!

    Mas que maravilha, descontar e andar pelos corredores da Assembleia da República !!!

    Mais um rico exílio.

    Mas que belo exemplo este! E vai concorrer a PR !!!!!!! Haja alguém que os ponha com dono !!! Estou farto disto !

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.