6 thoughts on “Origem da situação insustentável”

  1. Perante tantos recados, ameaças, aldrabices, insinuações, traições, não seria a altura de o Governo avançar com uma moção de confiança?

  2. Se o governo apresentasse à Assembleia da República uma moção de confiança, logo ficaria a saber quem considera a situação do país insustentável, quem está disposto a ajudá-lo e quem concorda com as cavaquices de cavaco. Acabe-se com os recados e as ameaças, e fale-se claro.

  3. Cavaco Silva diz que é um homem da verdade e da credibilidade. Cavaco Silva diz que mantém a cooperação estratégica com o governo. Cavaco Silva tem muitos amigos.
    Os amigos de Cavaco Silva criticam Sócrates por, entre outras coisas, não ser um homem da verdade.
    Os amigos de Cavaco Silva dizem que a cooperação estratégica com o governo acabou.

    Alguém mente.Ou Cavaco ou os amigos.
    Mas certamente ninguém notou nada…..

  4. No princípio dos anos oitenta a despesa pública pouco ultrapassava os 28 por cento do PIB, passados trinta anos está praticamente nos cinquenta por cento esta sim, é de facto uma situação insustentável, que nos deixa numa tal dependência externa, que a todos deve envergonhar.

    Eu sou do tempo em que o sr Silva das vacas gordas da CEE, celebrava com o sr Couto da UGT o nascimento do monstro, o disparar da despesa pública; durante dez anos, foi um fartar cavaquistão. Tem várias, mas numa tirada típica de déspota iluminado, gastou somas astronómicas no mamarracho do CCB que devia ser derrubado por esconder os Jerónimos; tem as portas abertas por obra e graça do sr Berardo.

    Hoje o sr Silva não na sua verdade, mas na verdade dos factos, em campanha eleitoral, fala em insustentabilidade, uma vez mais sem saber explicar o que isso é mas implicitamente, escondendo-se atrás dessa acusação.

    O sr Silva fala, então, mesmo atrás de si, o sr Correia o patrão do sr Passos, movimenta a cabeça num trejeito cavaquista, que traduzido dá; é isso mesmo que quero que digas.

  5. Em 1947 o Plano Morgenthau, previa como pagamento da dívida de guerra a divisão do território da Alemanha pelas potências vencedoras. Então, mais de quatro milhões de militares alemães foram considerados apátridas e forçados a trabalhar por conta dessa resolução na Inglaterra e na Rússia.

    Estranhamente ou não, ninguém fala nisto, quando alguns alemães propõem a venda de território grego para o pagamento da sua dívida pública. Acresce ainda que Morgenthau só pode ter origem alemã, neste caso é para dizer; foda-se, que país este que tais filhos cria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.