15 thoughts on “Obrigado, Wikileaks”

  1. pois é, valupi. há uma conspiração da democracia americana contra a supra-democracia portuguesa. os velhacos dos americanos aldrabões. bem feita para eles que a wikileaks os tramou.

  2. É o país dos incriveis. Concordo plenamente com o que dizes Val mas também não me parece que os diplomatas americanos sejam especialistas de ficção. Toda a indignação sobre os casos revelados assenta na credibilidade de quem escreveu os telegramas, ie, na credibilidade dos diplomatas americanos. Por outro lado só em Portugal para se negar obtusamente o óbvio — se calhar os portugueses são como a nossa comunicação social.
    Era melhor continuar a explicar o que quer dizer a palavra repatriamento.

  3. Pois é , caro Val, esses imbecis ainda acabarão por acreditar na Nossa Senhora de Fátima basta a dita aparecer no jardim da Rua da Palma com o 5º segredo de Fátima ( ou o 1º da R. da Palma ).
    Cumprimentos

  4. Sócrates e Amado devem ter razão. FORMALMENTE não deram autorização para os voos. INFORMALMENTE, nunca saberemos. Os telegramas da embaixada são “falsos” e foram forjados pela Wikileaks. Who else? Trata-se de mais uma cabala. Arquive-se o caso.

  5. Essa esquerda imbecil, que não acredita no Pai Natal, e portanto nada lhe pediu, recebeu subitamente um presente no sapatinho: uma bateria de megabytes com uma duração de aprox. 8 anos que lhes vem dar novo ânimo para uma causa/luta universal qualquer. Veio mesmo a calhar, eles que já não tinham ideologia a que se agarrar, mortos que estão o comunismo e o maoismo.

  6. Está-me a fazer uma enorme espécie e confusão: mas que desvio direitista é que ocorreu com o pessoal deste blog, nos últimos tempos? Pareceu-me, em determinada altura, que esta gente tinha qualquer coisa a ver com a esquerda social-democrata, mas pelos vistos enganei-me; o que são é fervorosos apoiantes cavaquistas.

  7. Esse coiso curto aí em cima, essa denúncia da falta de vergonha ou cegueira dos imbecis de esquerda da esquerda imbecil que se opõem à já conhecida indecisão-Valupi sobre a questão wiki (meto, não meto, tiro, não tiro, fodo, não fodo, regulo não regulo, resulta, não resulta, roubar, assaltar, etc.) tem como primeira consequência obrigar um gajo normal como eu, assim muito a fingir que foi surpreendido pelo ardor e novidade das constatações do distrbuidor de QIs, a ir às páginas amarelas a ver se deslindo duma vez por todas qual das esquerdas não é imbecil, isto é, quem é que não é estúpido de mais para ser amigo de coiro e coração de Valupi.

    E fui, mas não foi fácil. Depois de muito cuspo no dedo e remetimentos constantes para a escrita miudinha do enorme rol, com e sem representação na AR, lá encontrei o PS português muito quietinho, a cagar de cocas, rubro do esforço, sob o cabeçalhito “Esquerda não imbecil de Portugal”. Mais abaixo, uma nota simples define essa colectividade da Rosa em relação ao resto dos grémios do regime como a “esquerda que só acredita numa coisa muita linda , bufada ou não por diplomatas, sejam lá eles de que patagónia forem, e que no fundo se resume a esta verdade: os americanos, democratas ou republicanos, são as pessoas menos imbecis do mundo, especialmente quando há montes de judeus a ordená-los, e a ensiná-los como é que se governa e administra a federação da melhor maneira”.

    E isto não é querer deitar completamente abaixo o socialismo (idolatrado pelas massas becis) que põe ovos de duas gemas todos os dias, tanto faz o milho ser branco ou amarelo. Pena de facto é o Valupi não ter coragem para nos dizer que a inteligência política (o não-imbecilismo) não é universal nas fileiras do PS, nem nada que se pareça, graças a Deus, porque alguns dos militantes e simpatizantes são baptizados e até se crismam se houver lucro material nisso. Porque há sempre as inevitáveis brechas ou rasgamentos de boas fazendas, na área onde normalmente assentam fundilhos, resultantes de ventosidades mal dadas ou dissonantes, ou até causadas por meras faltas de jeito na arte de implorar de cocas, que é a posição favorita para se pedir favores ao intestino grosso ou desarmar minas no Afeganistão. Por ex: o Manuel Alegre, o T-Rex das “traições” e outros pecados mais ou menos públicos, não está certamente incluido entre os becis, é, pois, um im-becil. E com barbas. Mas isso na boca do Valupi até é um elogio.

  8. Allow me to share a story I believe is relevant to the subject in hand.

    In May 2010 a close friend confided that the US was about to obtain the greatest weapon of our time. At first I thought he was referring to a new military device developed by the US government, I eventually figured out my assumptions were wrong. By ‘the US’ he meant a cluster of private lobbies and by ‘weapon’ he meant something I never expected – the undisputable truth.

    Ask yourselves these questions:

    Is it feasible to believe that, of all the security-obsessed institutions in the world, the DoD would be permeable to a PFC army soldier?

    Do we really know who PFC Bradley Manning is? Are Manning’s alleged ‘activist’ motivations above suspicion? Can we even confirm that he’s been arrested?

    Isn’t it plausible that other obscure forces may have been behind these massive leaks? I’m not suggesting the content of the leaks is false – I am questioning the fundamental motivation that triggered the occurrence of the leaks.

    So if a bunch of powerful American lobbies was in fact behind the operation, where is the motive? Why would they partake in disclosing information that compromises their own government? The answer is simple – to build a capital of trust.

    Imagine a weapon that coins everything you say as the undisputable truth – before you even say it. I’d say that’s a pretty dangerous device to have lying around. What we’re witnessing today are the final stages in the completion of this weapon. Once it has gained enough trust capital it will be ready to use, to which end remains to be seen.

    Keen on hearing your thoughts, as always.
    Jim

  9. Jim,

    You are asolutely right in having suspictions and doubts. Only with me is a bit different, I am absolutely certain that this is another clever, or not so clever, depends on how one sees it, psyop designed to curtail even further the relative freedom we still enjoy on the Net. Policing the Net (there is plenty of it already, direct and indirect) is the objective, no doubt about that. They are just manufacturing, as they manufacture all the time dissent and consent (also an interesting read by Chassudovsky about this) another pretext to regulate it as they do with do with GM, preserved and organic food, among many other things, with the added bonus that they will also convince most of Assenge’s admirers that the man is not a tool but a martyr, better if he disappears like Bin Laden did.

    This Swedish trooper reminds me of a mysterious but well known “conspiracy theorist” personage in the NET a few years back, one Joe Vials, also from Australia, who mixed truth with half-truth and lies, to sell better, and all of a sudden decided to “die” of a long illness, complete with funeral, loads of flowers and a warm farewell to his admirers, all transmitted semi-live by Rense.com.

    Two excellent articles by Scott Creighton and Michel Chassudovsky at Global Research have pointed to some deep holes in this circus of propaganda and deceit.. The way TIME magazine introduced us to Wikileaks, as reported by Scott Creighton in his piece, is quite revealing. It did not surprise me. Not even a bit.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.