18 thoughts on “Obrigado, BE, pela tua heróica e inesquecível luta contra a austeridade em 2011”

  1. O BE com a clarividência do seu grande líder sibilante Loução votou contra o PEC IV
    que, como se sabe trazia muita austeridade … foi uma luta cujo resultado todos senti-
    mos e, com a aplicação do programa dos estarolas da direita à sombra da troika iam
    destruindo o país! Claro que, nesse tempo a Catarina não era visível mas, agora pare-
    ce estar a querer endrominar os portugueses!!!

  2. Para o Bloco e especialmente para a Catarina só existe o melhor dos mundos logo nem sabe o que é o mundo possível quanto mais “aceitar” um mundo qualquer.
    Os meninos-bem do Bloco nunca tiveram austeridade em casa, não sabem o que isso é e, como pequeno-burgueses “intelectuais” que sempre tiveram tudo quanto desejaram, pensam que a austeridade define uma vontade de maldade dos governos. Por contraponto eles sentem-se como os “bons” de consciência branquinha e asas de anjo.
    A Catarina anda por aí de dedinho no ar e nariz empertigado a reclamar que quer mais isto e mais aquilo e aqueloutro sem limites e proclamar que não “aceita” nem mais nem menos do que o que ela quer.
    E agora pensa que está esquecido o seu papel de combate estúpido à austeridade possível recusando, de mãozinha branca no ar na AR, todos os PEC austeritários porque “derrubar Sócrates era o princípio da resolução de todos os problemas de Portugal” para, afinal, fazer os portugueses gramar uma austeridade brutal aplicada a duplicar para expiação da culpa de sermos malandros e gastar o dinheiro em copos e mulheres.
    Na realidade alguém sabe concretamente qual o mundo social ou tipo de sociedade que o Bloco quer construir?

  3. Vai recomeçar a banha da cobra: “a austeridade é uma coisa desnecessária que alguns políticos sádicos aplicam para ver as pessoas a sofrer”.

    E depois o André Ventura é que é populista.

  4. “a austeridade é uma coisa desnecessária que alguns políticos sádicos aplicam para ver as pessoas a sofrer”

    claro que não, é em proveito próprio e a justificação é para o bem do povo ou nunca reparaste que tudo o que a direita faz é para bem do povo e dos desprotegidos. quando a coisa aperta até adoptam as palavras de ordem dos comunistas.

    “E depois o André Ventura é que é populista.”manhã

    populista é o portas, o andré ventura não lhe “chega” aos calanhares, é só um aldrabão barato ao serviço do correio da manhã.

    só falta o broche diário do pimpampolho para o bouquet ficar completo.

  5. quem manda na associação desportiva é o louçã. a catarina só lá está para limpar o pó e arrumar casa depois das raves, tudo que vá além da conversa de mulher a dias necessita de guião do avô rosas e amén do padre anacleto, que vão abichando uns ganchos para arredondar o pecúlio e doutrinar os infiéis.
    só faltou dizer que o anacleto aceitou o carbo no conselho consultivo do banco de portugal para sabotar a austeridade.

  6. “Na realidade alguém sabe concretamente qual o mundo social ou tipo de sociedade que o Bloco quer construir?”
    Pois, meu caro Neves, a isso nem eles próprios sabem responder, penso eu.

  7. um bico de pinto aos direitolhos, qualquer pessoa com mais de 12 anos e sem paralisia cerebral sabe que a austeridade não é uma escolha “dos direitalhos mauzões”. É uma necessidade imposta pela realidade económica.
    Só os papalvos comem esta propaganda da austeridade como mera escolha política.

  8. António Costa: “Podem estar seguros que não adoptarei a austeridade de 2011”.

    Claro que não Sr. Costa. A que vai adoptar não é a de 2011 mas sim a de 2020. Veja lá se a que vai desenhar e executar não é pior.
    Ah! e não se esqueça de informar a tonta da Catarina.

  9. O psicopata e super-ordinário Camacho, e o paneleiro Fifi nao têm comentado aqui usando os fatos de uso diário .
    O Camacho muda de fato como quem muda de camisa, mas devia também tomar banho, cheira mal e topa-se à distancia .

    O ignoramus do PEC 4 ( já íamos no quarto e a seguir, viriam o 5, o 6 e o 7, o que acabou por não acontecer porque logo a seguir ao 4 foi apresentado o Pedido de Ajuda Financeira, da autoria do monte de merda chamado Sócrates, o que equivale ao PEC 5 e último ) diz que eram “suaves”, desconhecendo as medidas do Beiças dos Santos, que já tinha prejudicado fortemente os aposentados e reformados, na medida em que suprimiu as deduções específicas em sede de IRS, e introduziu os descontos para o sistema de saúde, 14 meses de descontos em contraste com os não aposentados que só descontam 12 meses, sem possibilidade de abatimento ao rendimento no apuramento do IRS, assim dando o mote, ao lema os funcionários públicos que paguem a austeridade, para além de outras cenas tristes que nem vale a pena referir .
    Só lamento que o governo que se seguiu, não tenha restringido a austeridade aos socialistas, e em dose dupla, aos socretinos .
    Quanto ao resto, Costa é muito melhor que Sócrates e que o beato Guterres, – o bochechas, esse era um desastre total, – só se lhe podendo apontar o dedo na falta de capacidade para pôr o colhão na virilha aos banqueiros, e ao patife do mexia, que todos os anos vai acumulando à volta de 4.000 mortos na carteira, por causa da impossibilidade dos velhotes aquecerem as suas moradias .

  10. “O ignoramus do PEC 4 ( já íamos no quarto e a seguir, viriam o 5, o 6 e o 7, o que acabou por não acontecer porque logo a seguir ao 4 foi apresentado o Pedido de Ajuda Financeira, da autoria do monte de merda chamado Sócrates, o que equivale ao PEC 5 e último )”

    não, a seguir veio a troika e os orçamentos rectificativos em loop para delírio da garotada que chumbou o pec 4. o tal pedido de ajuda financeira foi negociado pelo avô pintelhos e pelo moeditas, pelo menos gabaram-se disso, mostraram fotografias tiradas por blackberry e ainda hoje vivem à custa desse feito heróico, porque vergonha e coluna vertebral é coisa “raríssima” no cavacal. portantes estamos conversados sobre montes de merda.

  11. Só dizes merda !

    Falso !

    O pedido de ajuda financeira foi assinado por José Socrates, ainda no poder, e assinado, entre outros socialistas – gostava de ver os papéis – por Pedro Silva Pereira .

    Se eles nem viram o que assinaram, não me surpreende, basta ver os acordos com privados, altamente ruinosos para o Estado, celebrados entre os celerados governantes socratinos e os privados .

    Um socialista é um comunista encoberto que não assume o que é, e que procura as prebendas da burguesia, encostando-se ao poder e à manjedoura do Estado, basta ver onde pululam socialistas, nomeadamente no sector do poder local, nas vestes de autarcas, vereadores, arquitectos, engenheiros, área onde a corrupção é gado, empresas públicas do sector estatal, nomeadamente na área de Lisboa, em outros cargos que garantem bom pasto, como directores de museus, disto e daquilo, e por aí adiante . Tudo tachos de topo de gama .
    Na qualidade de empresários, criando empresas e postos de trabalho, não dependendo portanto, parisitariamente do Estado, não se vê socialista algum .

    Fonte :

    https://www.dn.pt/gente/perfis/o-ano-em-que-portugal-pediu-ajuda-externa-pela-3-vez-2181412.html

  12. desonestidade intelectual e revisionismo histórico no seu pior: sócrates assinou um pacto com o diabo que não desejou nem negociou nos seus termos, tendo tido de aceitar condicionalidades de altos representantes assalariados do grande capital ; fé-lo enquanto pm de um governo minoritário em mero exercicio de gestão. que querias que tivesse feito, vigarista da treta, que tivesse ido directamente para paris e entregasse a tasca ao cavaco ? depois de saber o aproveitamento que fdp’s como tu fizeram do sucedido, só é pena que não o tenha feito.

  13. “O pedido de ajuda financeira foi assinado por José Socrates, ainda no poder, e assinado, entre outros socialistas – gostava de ver os papéis – por Pedro Silva Pereira .”

    pois foi, apesar de se ter demitido por não concordar com o pedido de ajuda financeira e ter negociado outra solução com a merckla, que só não foi avante por que o markótóino de gaia cantou o “agora ou nunca” numa serenata ao moçoilo de massamá. quem deveria ter assinado o acordo com a troika era o cavaco e os partidos que chumbaram o pec 4, o primeiro ficou atrás do arbusto a controlar os operacionais cadroga & trocados foram e os restantes foram comemorar o acto patriótico.

    “Se eles nem viram o que assinaram, não me surpreende, basta ver os acordos com privados, altamente ruinosos para o Estado, celebrados entre os celerados e os privados .”

    vê lá se te decides, afinal os privados são bons ou maus para o estado? já agora a dupla portugal a pataco tóino broges & sérgio monteiro eram acelerados governantes ou sócretinos?

    “Um socialista é um comunista encoberto que não assume o que é,…”

    a fonte deve ser a luminosa, mas as contas estão mal feitas, o racio é de 4 para 1, logo não há comunistas que cheguem. se não perceberes as contas telefona ao buero, aquele contabilista das pandemias.

    ” … e que procura as prebendas da burguesia, encostando-se ao poder e à manjedoura do Estado, basta ver onde pululam socialistas, nomeadamente no sector do poder local, nas vestes de autarcas, vereadores, arquitectos, engenheiros, área onde a corrupção é gado, empresas públicas do sector estatal, nomeadamente na área de Lisboa, em outros cargos que garantem bom pasto, como directores de museus, disto e daquilo, e por aí adiante . Tudo tachos de topo de gama .”

    aqui acertas em tudo, desde a criação do banco bpn pelo oliveira costa, dias loureiro, amilcar teias, joaquim coimbra à edp do mexia, atravessando a ponte ferreira do amaral e acabando no centro cultural cavaco em belém, para não ficar aqui o dia todo a lembrar nomes e feitos gloriosos de grandes estadistas e empresários socialistas como: portas o submergível, o careca que eutanasiava heranças e um tal diogo gaspar condecorado pelo cavaco por roubar o museu da presidência.

    https://www.publico.pt/2017/07/07/politica/noticia/suspeito-de-furtos-no-museu-da-presidencia-volta-para-belem-1778261

    “Na qualidade de empresários, criando empresas e postos de trabalho, não dependendo portanto, parisitariamente do Estado, não se vê socialista algum .”

    poizé, de momento andam muito atarefados com o layoff e a ver os subsídios que conseguem sacar ao estado para não dependerem parasitáriamente do estado. é por isso que só vez o socialista marcelo na televisão a reivindicar cenas pró povo.

  14. Há pessoas que não têm nenhuma noção do ridículo.

    Façamos uma viagem aos últimos 35 anos:

    1985: O PSD conseguiu maioria relativa: a esquerda não aprovou um único orçamento e o Governo caiu. Como resposta o povo deu duas maiorias absolutíssimas ao PSD. Uma chapada que ainda hoje lhes dói.

    1995: O PS consegue maioria relativa. Governa durante quatro anos com o apoio de PSD e CDS.

    2009: O PS consegue maioria relativa. O PSD aprova o orçamento e um programa de estabilidade e crescimento. Esse programa não estava a funcionar e é apresentado um segundo. O PSD volta a aprovar. Este segundo não está a resultar e é apresentado um terceiro. O PSD volta a aprová-lo. Volta a não resultar e é aprovado um quarto. O PSD não aprova.

    2015: O PSD/CDS consegue maioria relativa. O PS alia-se à extrema-esquerda (que nunca apoiaram aquele partido em maioria relativa) e nem deixam a coligação tomar posse.

    O fanatismo desta gente, aliado à ignorância, à arrogância, têm afundado o país. País que humilhantemente já foi ultrapassado por países que só entraram na UE em 2004.

    A ideologia socialista é alimentada pela inveja e, por isso, só atrai invejosos. Aqueles que não conseguem singrar na vida e a passam a apelar a um poder que tire o dinheiro aos que conseguem progredir.

    Ainda ontem assisti a um ignorante dizer na Rádio Observador que a “austeridade é contraproducente”. Um populismo nojento que só cola na cabeça de gente que não tem dois neurónios a funcionar:

    1. Austeridade não é cortar na função pública. Quem trabalha no privado também são seres humanos. Como pode dizer que não há austeridade quando estão a ir 5000 pessoas todos os dias para o desemprego?
    Como pode dizer que não há austeridade quando estão milahres de protugueses sem um único rendimento, à espera que possam novamente trabalhar?
    Como pode dizer que não há austeridade quando não há um único turista na rua?
    Como pode dizer que não há austeridade quando as empresas de têxteis todas estão a fechar?
    Isto é um insulto à inteligência de qualquer pessoa com um mínimo de dignidade de si mesmo.

    2. O que esse sujeito queria dizer é que não vai cortar na função pública. Uma criança com 10 sabem que o país não vai produzir o que prduzia. Nem prestar os serviços que prestava (na área do turismo). Ora se os ordenados se vão manter, onde se vai equilibrar a balança? Com mais impostos? Onde? Nos combustíveis, que já são dos mais elevados do mundo? No IA, que não tem paralelo em nenhum país? O IUC que já é dos mais elevados da Europa? O IRC que já é o segundo mais elevado da Europa? Onde? Ninguém lhe pergunta isso na cara.
    As empresas estão a fechar de forma avassaladora. Talvez após a retoma muitas delas queiram retomar. Vão apostar num país com uma carga de impostos brutal? Ou irão aproveitar para transferir para a Espanha, República Checa, Letónia e afins?

    Não há coragem política nem condições ideológicas para cortar na função pública de forma mais veemente que aquilo que fez Passos Coelho, reduzir ferozmente a carga fiscal e assim estimular a economia pelo lado correcto. Por isso, depois da tesmpestade vamos afucinhar ainda mais e vamos ver países a crescer muito. E vamos continuar a criticar a corrupção, a fuga aos impostos e outros clichés socialistas próprios de quem doou o cérebro e colocou um gramofone no seu lugar.

  15. poizé ò pinto, os chineses viraram o mundo ao contrário com o covides. os gajos do observador são uma cambada de comunistas disfarçados de direitolhos e até o covides do bojo era fake, safou-se em 3 dias, sem tossir nem estragar o penteado e o pitarma fica sujeito a sigilo médico senão é recambiado para a parvónia.

    ps – tamém não era caso para vires aqui reclamar. vai mazé chatear a erc.

  16. O BPN foi nacionalizado pelo Beiças, ministro das finanças do Sócrates, cismou que existia riso sísmico .
    O Sérgio Monteiro era um mercenário que trabalhou do lado dos privados no tempo do governo Sócrates, o governo socialista de então devia ter tido mais cuidado para não se ter deixado embrulhar, depois, no governo seguinte, integrou o governo, e também prejudicou o País, porque trabalhou para os privados, logo, embrulhou os socialistas por duas vezes .

    O resto nem Vale a pena perder tempo a rebater, esta merda agora tem censura .

    O meu comentário anterior foi colocado de “ quarentona “, continha verdades incómodas para os mentores do blogue, e respectivo rebanho, são desse jaez, os “ democratas socilaistas”.

  17. Ó ignatz, chupa misto !

    Sócrates não se demitiu, foi forçado a demitir-se porque não tinha apoio parlamentar .

    Farinha do mesmo saco .
    Bochechas entendeu-se com Mota Pinto, o acasalamento foi apadrinhado pelo Proença de Carvalho, na caso deste .
    Antes, já Soares se tinha entendido com o CDS, alegadamente para formar governo, no fundo, para ficar no poder .

    A seguir ao 25 de Abril foi distribuida uma pequena cartilha, em que se procurava esclarecer o Povo acerca das diferenças entre os vários partidos emergentes, e os sistemas políticos que propunham .

    A diferença entre o comunismo e o socialismo era a de que aqueles propunham a nacionalização dos bens de produção e os de consumo, que ficariam assegurados pelo Estado, enquanto que os últimos, propunham apenas a nacionalização dos bens de produção .

    Eram tempos em que o país estava muito deslocado à esquerda, e, a reaccionária igreja católica, em especial nos meios rurais, aconselhou o voto no PS, considerado, o mal menor na ocasião.

    De resto, Soares, mais tarde, viria a confessar que nunca lhe passaria pela cabeça vir a ganhar aquelas primeiras eleições, e que se tivesse conseguido um terceiro lugar, já consideraria muito bom . Eram as previsões que tinha .

    Uma vez no poder, e desde sempre, chulando o voto e depois iludindo os eleitores, – e há que dizer a este título, que, presentemente, muita gente no campo, no meio rural, vive muito bem à custa da chulice socialista, tendo boas casas e carros sem que se lhe conheça qualquer meio de subsistência, isto é não trabalham, deixaram de cultivar os campos que eram o que faziam, portanto vivem de fundos comunitários e das prebendas das contas poupança-emigrante e outros esquemas imaginativos, têm duas ou três piscinas municipais, centros de congressos, museus interpretativos, rotundas redondas e até quadradas, portanto votam PS porque lhes convém —não só não privatizou os bens de consumo, porque os chuchas gostam de ir ao El Corte, ao gourmet, e outras “niceties” burguesas, como desnacionalizou os bens de produção, basta ver o Penedos pai, que abria uma garrafa de champanhe, por cada privatização que fazia .
    Pourtant, Penedos pai, quando fazia privatizações, e entregava nas mãos dos privados, bens que desde sempre estiveram na tutela do Estado, estava, na tua distorcida mioleira, e para utilizar a tua linguagem ordinária, “ a fazer broches aos comunistas e ao vôvô Jeronimo “ .
    Aliás, serás tu o filho do Penedos, o penedos do ferrari, ou o Pedro Silva Pereira ?
    Umm … pela insolência e pela lata, não me surpreenderia que fosses um dos dois .
    Também já disseste à Olinda que “ nós só comemos carne certificada “ .
    Porquem ?
    Pelo médico do ferrari ?
    Ordinário !

    Ciao, vai ler as instruções da máscara, porque as autoridades agora, já recomendam o uso da máscara, mas mantendo a etiqueta respiratória .
    Quando descobrires a etiqueta na máscara, não te esqueças, não tires, respira apenas pela etiqueta .
    E vai com o vírus que te pariu !

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.