O reino da estupidez

Já tínhamos governantes que desconhecem por completo o programa e promessas eleitorais dos partidos a que pertencem. Já tínhamos ministros que estão contra as medidas que eles mesmos aprovam. Já tínhamos o Presidente da República desaparecido em rebate. Eis que chegam, finalmente, os secretários de Estado que estão em condições de contar a verdade aos cidadãos pela primeira vez:

Cúmulo da desfaçatez

Hélder Rosalino está tão-só a transmitir um recado de Vítor Gaspar. Um recado que não pode causar qualquer surpresa, pois se há sentimento que o ministro das Finanças nunca escondeu é o do seu enfado, ou desprezo, pelo mundo dos políticos e da política. Ele é mais é contas, tabelas, parcelas, resultados instantâneos no Excel. E o que tem a dizer acerca dos tipos que o convidaram para o Governo, de caminho mostrando quem é que usa calças no Executivo, ficou cristalino nas palavras do Hélder: “Sejam sérios e calem-se com essa tanga das gorduras.”

Se já é oficial que “não há gorduras no Estado”, Gaspar dixit, então não fica pedra sobre pedra dos discursos que invadiram o espaço público durante os últimos anos e que serviram de desculpa para o derrube de um Governo que tinha um programa adequado à correcta visão de um Estado sem gorduras, um Estado magricelas e a precisar de se alimentar bem e de fazer exercício para criar músculo.

No entanto, contudo, todavia, sendo Portugal um país ocupado por portugueses, mais esta prova da trágica golpada que arruinou o País ficará soterrada pela estupidez reinante.

5 thoughts on “O reino da estupidez”

  1. eram 14400 gorduras! como são serios,meteram tudo,não deixaram ninguem de fora. mulheres, filhos obesos,a sogra sogro,o porco, o tareco, o piruças, a vaca leiteira, 3 professores com horario zero, 5 guardas florestais sem trabalho por já não terem matas para guardar, um juiz com pouco que fazer, e por ultimo para completar as 14400 o “social ppd” campos ferreira.Foi com esta pulhice que estes” serios senhores” chegaram ao poder.Que os pariu!

  2. Calma lá. Ainda faltam quase 3 aninhos do tal cálice que ajudaram a preparar. Nem um dia menos. A democracia em Portugal é um adulto de 38 anos. Se emprenha pelos ouvidos, ouve um gajo a dizer que vai ao pote, que há gorduras e jobs para os boys, que o socrates é a unica e exclusiva razão pela qual Portugal não é como a Suécia (depois dos 800 anitos que levam estes “Migueis de Vasconcelos” a enrabar o povo, bem enrabado, mas enfim) e vota no garotolas que nem um cursozeco conseguiu tirar numa chafarica de uma universidade em menos anos do que o benfica leva a ganhar 2 campeonatos, então esse adulto tem de aguentar até ao fim. Doa quanto doer. Ser adulto é fazer escolhas e sofrer as consequências. Até ao fim. Chega de desculpas “ah e coiso, não sabia, o gajo disse que não ia tocar nos impostos, e depois gamou como um bandoleiro”. Chega! Se passam fome, que se fodam. Se perdem a casa, puta que os pariu, e se se suicidam de um quinto andar, já vão tarde. Estrelinha que os guie, caralinho que os foda! Chega! Só sem esse eleitorado “flutuante” como a merda, rastejante como os vermes, este país pode ir para a frente.

  3. Todos os 1ºs ministros menos dois fizeram promessas e cumpriram e até ultrapassaram essas promessas.

    Isto no pós 26 de Abril/1974

    Os que não cumpriram as promessas foram os jovens Sócrates e Passos.

    Inocentes mentirosos!

  4. Talvez o termo “gorduras” não esteja bem explicado ou para os cidadãos tenha diversas
    interpretações, porque todos nos sentimos roubados pelo fisco para suprir as necessida-
    des do Estado que, absorve larga fatia da riqueza produzida!
    Tirando certos bairrismos e partidarite, hoje é pacífico para os portugueses que, há câma-
    ras a mais, deputados a mais, adjuntos a mais, assessores a mais, empresas municipais
    a mais, muita gente a mamar na teta estatal! Nas despesas ou consumos intermédios,
    gasta-se muito dinheiro em telemóveis, automóveis, viagens, pareceres das soc.Advoga-
    dos, até se dá dinheiro para os partidos, etc. etc.! Fala-se que há gente a mais mas, não
    há uma correcta gestão de recursos humanos, admite-se poder despedir 40 mil funcioná-
    rios! Por tudo isto, o secretário de Estado Rosalino não tem razão de falar em tangas an-
    tes devia agarrar no assunto e conseguir mostrar melhores resultados com menores gas-
    tos!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.