O que parece, é

Laura Passos Coelho tem o direito a apresentar-se em público como bem entender. Sim, sim, sim. Se quer continuar a acompanhar o seu marido em eventos políticos, sejam governativos ou partidários, isso é absolutamente legítimo. Se quer exibir algumas das consequências de estar a receber tratamento oncológico, seja o não ter cabelo, não há nada de censurável nisso. Aliás, até pode ser visto como valioso e indicado. Acabar com os estigmas à volta do cancro, dar um testemunho de coragem e fazer os possíveis para manter um estado psicossomaticamente favorável à eficácia da terapia e à sua resposta imunológica, eis algo que fica como inquestionavelmente bondoso. Só que a questão não é essa.

O que está em causa aparece paradigmaticamente concretizado na capa do CM de quarta-feira. Nela vemos que a notícia da doença da Laura foi escolhida como principal por via do impacto fotográfico obtido. Isto, por si só, tem significado político dado o contexto daquele jornal. Depois, o que a fotografia retrata é uma situação onde Passos Coelho divide o protagonismo com a sua mulher. Este acrescento é igualmente intencionalmente político, posto que a notícia verbalizava que era Laura quem “assumia” a “luta contra o cancro”, não o casal. Por fim, a foto ainda consegue mostrar mais dois ministros, faltando pouco para conseguir vincular o Governo todo ao problema de saúde da mulher do primeiro-ministro.

Haveria, há, inúmeras formas de noticiar a presença de Laura Coelho em eventos onde o seu marido esteja a fazer política. Os jornalistas que quiserem captar esses momentos não terão qualquer dificuldade em separar as águas. Donde vem a conclusão: se preferem misturar as dimensões, então essa misturada obedece a uma agenda política. Agenda política óbvia, ainda por cima.

Por mim, acrescento uma outra possibilidade. A de Laura ter plenamente consciente o efeito que está a provocar ao se deixar tratar como um trunfo eleitoral. Tal seria condizente com as opções tomadas no passado pelo casal, expondo-se voluntária e garbosamente como espécimes da classe média em tudo iguais ao povinho. Peças estas com um subtexto obscenamente eleitoral. E não haveria qualquer estranheza no plano psicológico, pois tal seria uma manifestação sentimental lógica, a de dar todo o apoio ao marido numa situação tão importante como as eleições legislativas. Acreditarei nesta hipótese até tomar conhecimento do repúdio da Laura e/ou do Pedro face à exploração política da doença tal como foi feita pelo CM, por exemplo. Um exemplo que ameaça repetir-se.

37 thoughts on “O que parece, é”

  1. Val,
    não posso estar mais de acordo. Que à mulher do PM assiste o direito de comparecer onde lhe der na real gana e nos preparos que entender, não tenho dúvidas. Que cada um possa fazer do seu aparecimento o julgamento que entende, também não.
    Se a senhora entende que o seu aparecimento público serve para demonstrar que não há que ter vergonha de ser atingido por tão grave enfermidade, só a dignifica.
    Que tenha escolhido a biografia do marido para dar conta dos seus medos e o CM para protagonizar o seu aparecimento já me parece mais difícil de entender.
    Não basta à mulher de César…

  2. o passólas quer tornar as próximas eleições num problema broncológico e aposta num cântaro, fora as bilhas e as cadelas que ainda hão-de aparecer no outdoor promocional ao bi-bento.

  3. não há comtemplações com pulhice, em janeiro mandou as publicações manhólas avisar que a mulher tinha um cancro e queria que respeitassem a privacidade, como ninguém explorou o assumpto conforme desejo subjacente ao pedido, resolveu atacar de novo para que a malta fale do cancro da mulher do cancro nacional. portaentes todo o gozo e ordinarice relaccionados com este casal palhaços é tão legítimo como as figuras que elea andam a fazer.

  4. Vê-se mesmo que não percebes nada do que falas (cancro). Para politizares a fase em que um doente de cancro assume, perante SI e todos, a SUA doença.
    Já agora a Barroso morreu há dias, mas não deveria ter morrido. Tinha de ter esperado para depois das eleições…
    Ora esta, isto realmente, não havendo o que falar inventa-se …
    (O dito jornal é que deveria ter tido respeito pela pessoa em causa. Pois nem tudo vale para vender noticias).

  5. SIMPLESMENTE NOJENTO !

    Valupi, voce está profundamente doente, sei do que falo !
    Li os comentarios de zazie e de outros que saíram ; recentemente, li o comentário de Daniel Oliveira.

    Essa frase de Salazar que você usa, decerto que condenaria nos outros, caso fosse para atacar Sócrates.

    Um jornal de hoje pergunta se o primeiro ministro deve esconder a mulher.
    É preciso ver em que contexto foi a foto. Foi em viagem ao exterior ?
    Em caso afirmativo, deve deixar a mulher em casa ou no hotel, para mais estando no estado em que está ?

    Detesto Passos Coelho mas nada tenho contra a mulher.
    Para mim, um político andar ou não com a mulher atrelada, não me aquece nem arrefece, não influência em nada na decisão de voto.
    Agora no caso do titular da presidência da República, a treta de primeira dama isso já me chateia.
    Porque estabelece uma hierarquia de damas.
    Quem será a segunda dama ? E a terceira ? e por aí adiante ?
    Também me chateia o trato de solenidade a uma pessoa, que nem sequer é eleita para qualquer cargo.

    Como referiu a senhora acima, no recente caso do falecimento de Maria Barroso, houve uma notável contenção.
    E olhe que eu, perante o exagero dos rasgados elogios, o costume nestas ocasiões, apeteceu-me dizer, o que lhe conheço de mais assinalável, foi o ter votado contra, no próprio acto de votação para a fundação do seu partido.
    Mas contive-me.

    O senhor não!
    Pelos vistos, CÉSAR agora tem que esconder a mulher .

    Trate-se enquanto está a tempo! A esquizofrenia vem a caminho.

  6. Estou estupefacta! A sério que estou.
    Não quero saber das vossas razões, dos vossos ódios, das vossas mentes doentias e pensamentos cegos.
    Sei o que o cancro pode fazer na vida de uma pessoa, de uma família, mas caramba, nunca pensei que o cancro fosse capaz de trazer ao cimo de todos vós pensamentos tão torpes.
    Que tal saírem de dentro da vossa vida de merda e virem ter connosco ao IPO e passarem horas a confortarem-nos?
    Que tal limparem essa cabeça cheia de uma vida de merda e virem ter connosco ao IPO e passarem horas a falarem com os maridos que nos deixam por deixamos de ser mulheres?
    Uma doença?!? Meu Deus, que falta de pudor, de respeito, de humanidade!
    Então o que vos torna melhores e superiores face a outro ser humano? A vossa cobardia em atacar quem sofre?
    Porra, ao menos deixem-nos sofrer em dignidade.
    Que nojo de pessoas que vocês são.
    O que se passa convosco?
    Que ódio é esse perante a vida?
    Que desprezo é esse perante uma doença destas?
    Quem são vocês?
    Com 16 anos, consigo ser melhor que vocês.
    Não são o exemplo que eu quero seguir.
    Prefiro morrer no IPO a pensar que são capazes de tudo, mas tudo para derrubarem uma pessoa, por causa das diferenças políticas.
    Por favor, respeitem-se e critiquem quem pede a morte a quem como nós se debate diariamente com a vida.
    Que tristes pessoas vocês se revelam.
    Dói-me pensar que tanta mesquinhez existe.
    Já não me dói a doença.
    M. Lopes

  7. Ó pimpapolas!
    O que parece raramente é. Alegar que o que parece é é o argumento manhoso e sacrossanto da propaganda.
    Na sociedade de consumo, em que a verdade é uma mercadoria, raramente o que parece é.
    Tu queres parecer que és contra o Passos Coelho. Na verdade, toda a direita salazarista vai invocando argumentos contra o Passos Coelho, ora porque vende a pátria, ora porque se mostra pusilânime em vendê-la.
    Agora andas a saltitar de um lado para o outro, para fingires que não vês o que se passa em tua casa?

  8. Há muita falta de pudor. A doença da senhora é um assunto privado e não deveria ser utilizado na praça pública , esteve mal Passos Coelho e pior esteve a esposa em aparecer naqueles preparos num evento público, há limites para a tentativa de caça ao voto. Há muitas mulheres e homens , políticos de vários quadrantes , que sofrendo de doenças cancerígenas, nunca se prestaram a semelhante exposição mediatica. Por uma razão. TINHAM , TÊM , PUDOR.

  9. «A cabeça rapada de Laura Ferreira, sentada ao lado do marido, Pedro Passos Coelho, deu origem a uma miserável onda de asco na blogosfera e nas redes sociais, indigna de pessoas decentes.»

    Sublinho, que não é pouco: miserável, indigno/a e indecente (são os mimos a distribuir pelo Valupi, Estrela Serrano e Miguel Abrantes, etc.),

    Aqui: http://ionline.pt/artigo/401630/laura-ferreira-e-a-turba-asquerosa?seccao=Opiniao_i

    Ah! Sobre o que indigna a Ana Sá Lopes, sempre se pode usar uma expressão bem portuguesa:
    vale mais um cabelo da Estrela Serrano do que a cabeça toda da Ana Sá Lopes.

  10. o recurso ao câncro para resolver problemas do psd é prática normal. usaram o cancro do vieira de castro para descalçar a bota do financiamento ilegal, na campanha de 2011 foi o manel forjaz a exibir a careca a troco de votos e agora é a laura cachupa. chamem-lhe foleiro, falta de pudor ou excesso de ordinarice, mas rende votos da foleiragem impúdica e ordinária. é só conferir os comentários acima dos indignados.

  11. Comentador que se identifica como
    M. Castro Lopes,

    O snr. é, pelo que tenho lido aqui, um exemplo acabado de um primitivo actual.
    Tenha lá paciência mas eu não me relaciono com broncos !

    Passe bem!

  12. se o passólas tivesse um câncro era segredo, antes e depois de eleições. tamém se calhar ninguém acreditava e ainda lhe pediam o atestado médico.

  13. Cumpre-me, por dever de cidadania, sem mais me considerar obrigado a alegar, manifestar o mais veemente repúdio pelas especulações e comentários públicos que vou registando acerca da mulher de Pedro Passos Coelho e da sua doença.
    A política não se faz assim.
    Sou um irredutível adversário político de Pedro Passos Coelho.
    Os responsáveis pelo estado a que chegou a cultura cívica e cidadã dos portugueses, o mais primário e rasteiro nível de carácter alimentado por uma cultura redutora que se aproxima da barbárie, devem ser punidos e responsabilizados sem contemplações.

    A propósito, pimpampolas, vai pastar.
    És o exemplo acabado do português bebedolas que cospe no chão, pegador de toiros e domador de leões, mas incapaz de mostrar a cara. Chegou a altura de te dizer aqui, antes de te dizer na cara, que bazófias como tu só metem nojo.

  14. Nota uma coisa, ó pimpampolas.
    Eu sou um hermeneuta. Reajo, intervenho após árduos exercícios de hermenêutica.
    Quando leio um comentário de um anónimo, sujeito-o a uma rigorosa hermenêutica.
    Tudo o que tu aqui escreves, o sentido, é, mais coisa menos coisa, o que por aí vão zurrando todos os anónimos.
    É a tua identidade. Uma vez que és igual a todos os anónimos és todos os anónimos.
    Seja, és o cegueta.
    Que quero dizer com isto?
    É que, quando apanhar o cegueta, vai ser o cegueta que vai também levar no focinho por tudo o que tu por aqui escreves.

  15. NÃO HÁ DIREITO, NÃO HÁ, de questionar acerca de um doente oncológico. Não interpretem onde não pode haver que interpretar. A senhora é doente, apareceu e deve continuar a aparecer! Ou será que só porque está casada com o PM já tem de ser analisada na perspetiva do interesse EGOISTA do PSD?

    Lembram-se da mulher de GUTERRES?! LEMBRAM? Querem que EU VOS DIGA?! E GARANTO_VOS que não me ESCORO em pensamentos mesquinhos e leituras dos pasquins que condenam. SEI. Não foi pelo facto de a mulher estar já então doente, e veio a morrer, que eu e outros, deixamos de receber GUTERRES e no entanto, nenhum era XUXA. O RESPEITO, a SOLIDARIEDADE, a DEFERÊNCIA, a COMPAIXÃO, SÃO DEVIDOS A TODOS, INDEPENDENTEMENTE DA COR POLÍTICA. FALAIS TANTO DE CONSTITUIÇÃO, MAS NÃO A APLICAIS.
    Que medida a vossa! De resto bem ilustrada pela linguagem ORDINÁRIA de ALGUNS IGNARALHOS que pululam por aqui como pulgas saltitantes.

  16. Ó PASTO PRUNES, não precisavas de correr a ilustrar o que escrevi acima.FOCINHO TENS TU e BEM FEIO, a avaliar pela tua língua e SER. Dizes – hermeneuta! Pois bem, como podes sê-lo se não consegues interpretar-te a ti próprio? Ouve, guarda a garganta, estás farto de gastá-la, ó IGNARALHO. Pelos vistos, ainda andas à nora, na rotunda, ou estás nalguma esquina, a «pimpar» a mommy.
    Agora, meu caro, eu vou as always have a cup of tea. Versailles. Podes aparecer.

    PASTAR BEM

  17. Ah… Se bem entendi, recebeste o Guterres por compaixão.
    Compaixão! És um idiota.
    Agora o cegueta vem apelar à compaixão dos comunas e dos xuxas.
    Ouve lá. Recebeste o Guterres na qualidade de quê? De presidente do sindicato?
    Já te perguntei. Quando eu for à Versalhes vais estar vestido de quê? De forcado ou de varina?
    És ridículo com essas basófias.
    Se eu fosse a ti, perguntava por mim ao Rui. Ou à tua mãe.

  18. phónix, esta bimbalhada direitola não tem mesmo noção das distâncias. comparar a dignidade e a discrição duma senhora com o mix de foleirada à volta do cântaro da massagista de massamá não lembra nem ao careca. foi preciso leres o comentário que fiz lá atrás para saberes que a mulher do guterres sofreu de cancro e que o país só soube quando morreu.

  19. a sondagem de ontém dava 5% vantagem do ps sobre a coligação. hoje o expresso publicou outra com margem mais reduzida e conclusões marteladas para ver se repõe a dinâmica de vitória narcotóinocosta e não satisfeita com a proeza acaba de divulgar os resultados doutra sondagem manhosa sobre a prisão do sócras a ver se o costa engole o isco e muda o interruptor para a chafurdice.
    http://expresso.sapo.pt/politica/2015-07-10-Sondagem-maioria-diz-que-Socrates-e-preso-politico-e-que-o-PS-pode-ser-prejudicado

  20. Cegueta!
    Estou a rir-me por aqui há duas horas!
    Afinal, tu és o Ernesto! O outro MA!
    Nem sabes no que te meteste! O Ernesto!!!! Ahahah!
    Como é que eu vou resolver isto? Eu não posso bater no Ernesto!!!!
    Com que então a Versalhes…
    E agora? Aceito as tuas desculpas nas próximas vinte e quatro horas.
    Pediste autorização para isto ao teu tio e aos teus irmãos?
    Cumprimentos à tua mãe.

  21. andas a sonhar com ernestos. o gajo é do porto e falou na versalhes porque é parolo. acho que o mano trabalha em lisboa numa sociedade de gangsters.

  22. Ahahah!
    Não precisas de vir defendê-lo.
    Queres uma aposta comigo?
    Eu até sei qual é a sociedade de gangsters em que ele trabalha.

  23. não estou a defender ninguém, tu é que não estás a ver um boi. já agora o moço tem um apelido igual ao teu.

  24. O moço parece ter muitos apelidos.
    Bem… Seja quem for, para mim, passa a ser o Ernesto.
    Por mim tanto se faz.
    Se ele quiser pôr as costas do Ernesto a recato, venha aqui dar a cara.
    A mim tanto faz dar no Ernesto ou no Nunes.

  25. tás mesmo com falta de pontaria, é capaz de ser crasto. mas chama-lhe o que quiseres, para mim qualquer coisa serve acima de cabrão.

  26. ÀS «Maria Lopes»

    Não esteja estupefacta. Lembre-se tão só que há neste mundo quem não pense nem atue como os IGNAROS que se assinam pelos nomes patéticos que vemos acima. Note que a idade nem sempre conta, mas já conta a alma, e consoante a prestação desta, o espírito será cobrado ou recompensado em reino próprio.

    Estes IGNAROS são o que são – projetos de pensamento errante, bobos deles próprios, carentes de tudo, de VIDA. Não têm VIDA. Têm um pavimento diferente do seu. O seu caminho está a ser palmilhado com sofrimento e, se o aceitar com resignação, vencerá sempre.

    Não ligue. Trata-se de material «sub».
    Não peça a morte. Peça a Vida ( e se for crente, sabe ao que me refiro).

    Bem haja pelo seu comentário.

  27. AOS IGNARALHOS que se identificam pelas palavras cuspidas, na verdade, escarradas acima, eu digo assim: voltem ao ESGOTO. Não acham que já cá andam fora há muito tempo? bem…o IGNARALHO é sempre o mesmo – feio, pequeno, mal formado, enfim um hematoma social. Cuidado com as trovoadas, que escolhem onde caír…

    PASTAR BEM

  28. ai que riso! :-) o que uma skin head provoca. é que o texto explica bem a perspectiva oportunista da questão não obstante a solidariedade humana. mas não, a chantagem do cancro careca é que interessa enaltecer. se a senhora estivesse com cancro mas com cabelo nem sequer havia notícia, ou seja, podia aparecer ao lado do maribrão e ninguém sequer se lembrava que está doente. depois, há a tese de que o cancro é psicossomático e como é suposto os casais serem como um só… ai que riso! :-)

  29. o filho da puta do anonimato serve para isto : escarros como o plantado aí acima
    e com esta pasta asquerosa se vai destruindo uma bela possibilidade, a de usufruir de um espaço de responsável liberdade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.