O que este bandalho disse

O homem que, no dia em que Portugal estava no centro da atenção mundial por ir enfrentar o impiedoso juízo dos mercados em nome da Europa e sua moeda, andou a exibir-se para os jornalistas – primeiro dizendo que sabia tanto como o Governo, depois dizendo que sabia mais do que o Governo, por fim dizendo que estava farto do Governo, tudo isto em poucas horas – é o mesmo homem que diz agora ao eleitorado que Portugal deve abdicar da democracia para não perturbar os mercados.

Não temos vernáculo com riqueza semântica suficiente para adjectivar o que este bandalho disse. Futuros Camões, Vieiras e Pessoas, juntos e com esforço, talvez o consigam criar.

9 thoughts on “O que este bandalho disse”

  1. ‘E o reflexo da bandalheira do BPN e da aldeia da Coelha, quero dizer, «aldeia de Ali Baba». (E eu a pensar que era uma gruta!)

  2. O Ali Baba já conhecemos! Mas só conhecemos alguns dos 40 ladrões! Será que são todos daquela agremiação que dá pelo nome de PPD/PSD!”»??

  3. E eu que vim aqui ver se me davam uma ajuda para esta eleição…
    É desesperante pensar que vou ter que votar.
    Para que é que serve um Presidente da Républica?

  4. está a falar do bandalho do pm que até já é motivo de gozo nos jornais ingleses ou dos bandalhos dos milhares de boys com que esse estudante se rodeou e que sugam o erário publico sem dar nada em troca?
    era só o que faltava por as culpas deste descalabro socrático no pr,bem sabemos que vergonha na cara é coisa que os socialistas não têm mas no domingo vão ter a resposta do povo,a não ser que o ministro da defesa ponha o exercito a controlar as casa tipo lei marcial
    bem sei que a tentação é grande

  5. Caro Val,

    Tal como você, eu estarei no 1% ou 2% que vai acabar por votar no Defensor. Continuo, como é óbvio, consciente que se trata de uma escolha longe, muito longe, de padrões minimamente aceitáveis para a Presidência da República, mas, como dizia Churchill, a democracia é o mais imperfeito dos sistemas à excepção de todos os outros. Para mim, face às alternativas que se apresentam, Defensor “defende” pelo menos uma ideia – a descentralização regional – que acredito ser importante para concretizar a verdadeira reforma do Estado Português. E foi também o candidato que mais e melhor confrontou directamente Cavaco Silva com várias das suas responsabilidades do passado. Melhor ou pior e mesmo com todo o branqueamento da nossa lamentável Comunicação Social, a verdade é que também foi Defensor que, mesmo sem falar (como devia) do “crime” das escutas a Belém, fez cair finalmente a máscara da suposta imaculada seriedade de Cavaco Silva. Enfim, mais tarde ou mais cedo, pode ser que algum dos principais orgãos de comunicação social decida investigar mesmo a sério e até ao fim estas “fantasias” bem reais. Mais tarde ou mais cedo, o Sol há-de nascer para todos.

    De qualquer forma, todos sabemos que, infelizmente, Cavaco Silva vai acabar por ser reeleito. Numa altura em que o País precisava de um moderador e não de um pirómano em Belém. Numa altura em que os portugueses precisavam de alguém que seja um exemplo de bom senso, solidariedade e determinação, ajudando a enfrentar os problemas olhos nos olhos com os portugueses. Numa altura em que o pior que pode suceder é termos alguém na Presidência especialista em se esconder das pessoas e em fazer declarações sibilinas ou enigmáticas. Desejo sinceramente estar enganado, mas acho que isto tem tudo para correr mal, muito mal.

  6. Não há volta a dar. Cavaco vai ganhar, não pelas suas qualidades de estadista, mas porque conseguiu reunir à sua volta um apoio partidário coerente, activo e mobilizador, fugiu a temas mais incómodos e abusou do dramatismo e vitimização na campanha que fez.
    Ao contrário, Manuel Alegre, além de estar mal preparado,- o homem nunca deu mostrs de ser grande amigo do trabalho- fez uma campanha aos ziguezagues. À 2ª,4ª e 6ª , orientada pelo PS; à 3ª,5ª e sábado, orientada pelo Bloco de esquerda e ao domingo, completamente desorientada.
    Vai pagar pela sua precipitação,teimosia, narcisismo e sobranceria, saindo destas eleições pela porta do fundo.
    Mas, pior do que isso, vamos nós ter que aturar Cavaco Silva mais 5 anos, quando o PS poderia ter apoiado, atempadamente, um outro candidato mais credivel e com mais possibilidade de derrotar o actual Presidente, principalmente agora, face ao que foi a sua magistratura e aos casos em que esteve envolvido o seu nome.
    É esta a grande responsabilidade do partido socialista ao ter deixado que Manuel Alegre se tivesse antecipado.
    Mas, o PS estaria, de facto, interessado em derrotar Cavaco Silva?

    comentário no http://jumento.blogspot.com/2011/01/e-nossa-vez-de-ajudar-cavaco-silva.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.