O PS em cartaz

Embora António Costa tenha tido 1 ano para ir construindo percepções e preparar-se para aumentar a pressão na recta final, a máquina do partido só terá 4 semanas para tentar vencer as legislativas. Estamos a meio de Agosto e é como se o PS aqui chegasse sem qualquer capital estratégico acumulado. Tal como vários foram dizendo ao longo do tempo, Costa partiu tarde e andou mal. À alta qualidade da iniciativa que colocou Mário Centeno no palco com a categoria de futuro ministro de um futuro Governo PS não correspondeu a compreensão das necessidades do eleitorado de centro-esquerda e dos indecisos crónicos. Essa falha, porém, espelha traços de ambiguidade constantes em Costa ao longo dos anos, especialmente a disfuncional relação com o factor Sócrates.

A campanha do Governo/PAF mostra consistentemente que a disputa sobre a versão oficial do que aconteceu em Portugal para que fosse necessário pedir ajuda externa é de crucial importância eleitoral 4 anos depois. PSD e CDS, que traíram e mentiram, que venderam ao início a Troika como sendo um trio de salvadores e aliados, conseguiram a partir de 2012 inverter esse rumo e passar a culpar o PS pela sua chegada e consequências negativas. Conseguiram até apagar a responsabilidade nas alterações ao Memorando que este Governo negociou com vista a aumentar e alargar o empobrecimento. Esta cassete conta com o silêncio, se não for a cumplicidade, do BE e PCP que se uniram à direita para derrubar um Governo socialista e que apreciam todo o tipo de dano que se consiga infligir ao PS. Tendo em conta o domínio da direita na comunicação social, é uma narrativa que está blindada e se tornou omnipresente na sociedade. A ela começou por corresponder Seguro, o qual validou os ataques ao seu próprio partido por vingança contra Sócrates et alios. Até à disputa eleitoral com Costa, o apoio de Seguro à cassete direitola era feito de simpatia calada e passividade. Durante a campanha, o próprio e os seus tenentes despejaram os mesmíssimos ataques contra Costa que a direita lançava contra Sócrates e usando-o como espantalho. Também esse degradante espectáculo contribuiu para a cristalização da tanga laranja. Esperava-se que Costa pudesse introduzir nova narrativa, tal como Sócrates tinha tentado enquanto comentador televisivo, e alguns ensaios foram feitos nesse sentido. A prisão de Sócrates, num momento fulcral para a estratégia de Costa, interrompeu radicalmente esse eventual caminho. E não deixou nenhum no seu lugar no que à inscrição de 2011 no discurso do PS diz respeito.

Enquanto PSD e CDS prolongam, e levam ao seu paroxismo, a contradição discursiva como intencional método de confusão positiva – chegando ao ponto de embrulharem o leite e o mel que garantem estar à vista na pícara ironia do “Não é tempo de promessas” – o PS afundou-se numa outra contradição que gera confusão negativa: nada diz sobre aquilo onde se espera que diga tudo. Em particular, o eleitorado do centro e indecisos espera do PS um contributo para resolver o dilema moral que a direita tem martelado freneticamente nos últimos 3 anos e muito. Esse dilema pode verbalizar-se assim: ou o PS é um partido cuja elite dirigente é incompetente, louca e corrupta ou a história da direita está mal contada. Pelos vistos, e os casos judiciais crescentes a envolverem socialistas são o ouro sobre azul da estratégia de Passos e Portas, o próprio PS não pretende lutar contra a narrativa primária, mentirosa e traidora daqueles que forçaram Portugal a ter de escolher a pior solução para os seus problemas naquela circunstância nacional e internacional.

Costa criticou correctamente Seguro no capítulo da liderança e da projecção do PS na opinião pública. Também por isso, as sondagens têm revelado a espectacular magnitude do falhanço da sua liderança; e nem seria preciso o tiro de canhão contra a própria cabeça com a inexplicável balbúrdia na comunicação para se chegar à mesma conclusão. Nesta altura, todas as velinhas estão a ser postas no indicador que dá como expectável pelo eleitorado a mudança de primeiro-ministro após as legislativas. Igualmente se espera que os debates consolidem essa percepção, a qual terá efeitos na formação do voto em cima do acto eleitoral. O que levanta várias perguntas. Será que estas legislativas não vão servir para avaliar o que PSD e CDS fizeram ao País quando enganaram o eleitorado com a cobertura e apoio de Cavaco? Será que o PS não consegue perceber que ter Sócrates preso obriga o partido a responsabilizar-se politicamente por essa situação, e assumir algum tipo de vínculo institucional para o melhor ou para o pior, caso queira libertar o eleitorado do bombardeamento moral que o imobiliza e atrofia? Será que o PS já desistiu de alcançar a maioria e ainda não avisou os jornais? Ou será que a única coisa que resta para fazer na war room do Rato é concentrar os holofotes no rosto de Costa e escrever o menos possível à volta do boneco?

54 thoughts on “O PS em cartaz”

  1. Ah, pois é, a estratégia de deixar Sócrates sozinho no banco dos réus foi um ERRO.
    Pois foi!
    E ele bem se fartou de avisar.

  2. o país está a arder, a menistra do interior foi a banhos, a crikas deve estar a rezar para que chova, o portas deve estar a escolher o modelo do boné para aparecer no meio do bombeiral a dizer que a culpa é do sócras, o passarólas diz que foi mal interpretado e que não falou sobre incêndios e o gajo da protecção civil tenta segurar o tacho atirando água para a fogueira.

    a floribela rodrigues apareceu agora na rtp com ar de enjoada a dizer que há muitos incêndios e que vão prender os responsáveis. sócras tás feito, nunca mais sais daí.

  3. Não foi nada disso Ignatz

    A ministra Floribela disse que cabe ao Povo resolver o problema dos incêndios, assim é que foi.

  4. acho que disse que o governo estava a pensar aumentar o preço dos fósforos para desincentivar os meios de ignição.

  5. Costa vai perder. Esquecer Sócrates na prisão é esquecer o partido, a justiça e a democracia. Merece perder. O meu voto já perdeu. O PS só não será arrastado para a insignificância política, depois de 4 de Outubro, se perder as eleições.

  6. Se o PS perder as eleições a carreira política de António Costa acaba.
    O ToZé Inseguro vai voltar para a liderança do PS, vai fazer um acordo com a CU-Ligação para viabilizar um Governo a 3.
    O PS dará o seu apoio a Maria de Belém e terá uma derrota humilhante.
    Talvez isto acabe também com a carreira do Tozé Inseguro.
    Não sei é se alguma coisa do PS sobreviverá a isto.
    Mas mais importante do que tudo isto … o PAÍS estará completamente PERDIDO !

  7. Como se está a verificar não foi por acaso que o Pilatos de Belém atrasou
    a marcação das eleições para Outubro! O que à partida parecia ser favas
    contadas, está a transformar-se numa luta taco a taco, segundo as sonda-
    gens cuja, fiabilidade deixam algo a desejar embora, o número de indecisos
    esteja acima dos 20%!
    Ainda há tempo para se conseguir uma clarificação, basta dar a palavra aos
    mais competentes, acabar com a caça às bruxas mas, correr com os que são
    manifestamente incompetentes e buscam os tachinhos para os próprios ou
    para os amigos! Basta assumir integralmente o passado do partido, no mau
    e no bom/bem que o partido fez nos Governos anteriores comparativamen-
    te com o que foi feito não só pelos pafiosos como as oportunidades perdidas
    pelo pior p. ministro que, Portugal teve!
    Claro que, essa tarefa nunca será feita por uma Ana Gomes, um Proença ou
    Brilhante só para dar uns exemplos! Há muitas outras vozes no partido que,
    com facilidade, desmontam as narrativas da direita e dos marcostónios!!!

  8. Ora então muito boa noite.

    Já estou mais ou menos acordado.

    Impõe-se uma nota prévia, como é lógico :
    Abaixo o Inácio!
    Fora! Búuuuu !

    Então boa noite a todos, com excepção do Inácio, e uma especial saudação à Olinda, minha actual musa, e cujas pistas sigo.

    Então vou comer qualquer coisinha.
    Que é que há ?
    Parece que é salmão grelhado, coisa levezinha pra noite.
    Mas isto é muito grande carago, tou farto de dizer que só como um bocadinho, um taco de salmão. O resto vai pro gato, que se consola. Ele chama-se Papa Inácio. Rebaptizei-o.
    Ora há arroz malaandro e de substância. Tem tomate, legumes e mais qualquer coisa. Sobremesa não como à noite. E sopa também não.

    Bom, espero que haja abundante jurisprudência, e da boa.
    Logo mais, volto para dar os vistos.
    Agora vou comer descansado e com calma. Faz bem ao Digesto.
    Até já, com licença.

  9. Huuummm… o senhor PIMPAMPUM come bem.
    E come com jurisprudência.
    Muito me conta.
    Quanto pesa, senhor PIMPAMPUM?
    Dormir e comer faz bem à saúde.

  10. O senhor PIMPAMPUM, que come com jurisprudência, não faria a fineza de me dar umas dicas sobre um processo?
    Talvez tivesse até passado pelas lunetas do cegueta, como não quer a coisa.
    É uma questão simples. Um nó górdio num processo?
    Acha que poderia?

  11. Ora já comi.

    Depois vou tomar um cafezinho e fumar um cigarrito. Gaulloiese Blondes. Fuma-se bem. Tem um fumo espectacular.

    Ora Castro, que perguntaste ?
    Pezo pouco. Sou magro e alto. Como convém.

    Ouve lá, eu antes de adormecer fui espreitar noutro quadro de comentários e tú estavas-te lá a queixar que eu tratava Numbejonada por Dr. e a tí não, ora isso é uma injustiça, vai lá reler e vê se eu não trato ambos por doutor, srs. Dr.s no plural, foi como eu escreví.

    Autre chose : tú és traiçoeiro ? Olha que pareces um bocadito. Então escreveste à Caríssima Jasmim que eu sou manhoso ?
    Num sou nada, sou um gajo com lisura de processos.
    Traiçoeiros segunda consta a lenda, são os minhotos. E os transmontanos não podem trabalhar, porque de Verão faz muito calor e de Inverno faz muito frio. Já o alentejano, esse é mais coerente, e trabalha pouco todo o ano.
    Exemplos de transmontanos sonantes : Vara e Sócrates. Modelos de alentejanos : todos aqueles que conheci no emprego, pessoalmente. Não trabalham lá muito mas também não chateiam ninguém. Já o transmontano, esse gosta de mandar. E trabalhat tá queto. Se eu mandasse, decretava uma taxa pesadíssima de entrada no burgo.

    Tu és alentejano, não és ?
    Portanto, vives no Alentejo rural, tens domicílio, pelo menos profissional, em Lisboa, e sede em Coimbra, para datar as petições dirigidas à Joana. Tou certo ?

    Mau, então eu trato-te tão bem e tú com insinuações soezes, às vezes, a dares alfinetadinhas ?

    Bom, vou ao café e ao cigarrito.

  12. Subscrevo o texto do Valupi.
    Desde que prenderam Sócrates que digo que a conversa mole do “à politica o que é da politica e à justiça o que é da justiça” iria dar mau resultado. Essas tretas não funcionam com trambiqueiros. Com esses é preciso usar armas iguais às que eles usam.

  13. Tens toda a razão, PIMPAMPUM, quase poderíamos dizer que és meu pai.
    E pareces-me um gajo porreiro, tirando umas manias petulantes que com um copo de vinho passam.
    Estás absolutamente equivocado acerca das minhas origens e do meu paradeiro. Tens que rever o processo.
    Eu nunca disse que ti és manhoso, disse que pareces. É diferente.
    Repara numa coisa, de acordo com a informação que recolheste, de boa fonte, não duvido, eu tenho três paradeiros. Qual é o teu? Não tens.
    És anónimo e apátrida, o que é sempre uma vantagem.
    Isso enche-te de prosápia. Desce lá dos tamanquinhos da jurisprudência.
    Até és um gajo simpático.

  14. Quem feio ama, bonito lhe parece. «Ó pa eles», não lêem mas apreciam. A JASMERDIM PIMBA abestalhando o direito processual, as usual. «Réus», diz ela. Bem, o IGNARALHATZ, o gajo que acrescentou à sua lista de saberes preciosos inspirados na wikipedia , que Anaheim se faz de LA em trinta minutos ( o que mereceria destaque lá no meio dos hiilbillies do sítio), há-de vir esclarecer o «assumpto», e, claro, dar mais um pareXer sobre manhas proXexuais.

    O PS está, de facto, documentado em cartaz. E o Tony Bosta é crucificado porque não mete cunha pelo amigo – o Santo 44 – definitivamente ( e não presumivelmente) inocente. Quem sabe, ele ganha e …legisla sobre as medidas de coação em direito penal, como a prisão preventiva. É assim que se faz política e lei em Portugal.

  15. Ora, logo apareceu o Corvo cinzento a comprovar o que acabei de escrever. Elevação, moral, focar no essencial – seja, o umbigo – vede, vede como são tramitados na cabeçorra de um Xuxa. Nasceu uma nova categoria de santos. Qual política, qual justiça, qual carapuça. Quem manda é o político e/ou pilhítico e quem se mete com os Xuxas, come. E isto vota, isto vota.

  16. E, claro, não há trambiqueiros na esquerda portuguesa, nem na da grécia. Tudo de uma lisura, uma lisura….

  17. Cala-te cegueta!
    Não vês que estou a conversar com o senhor PIMPAMPUM?
    Vai dormir. Não chateies a tua mãe.

  18. E fala o PENEIRENTO mor de «nó górdio»! Hum, eu também falo – a reprodução destes gajos, um verdadeiro perigo.

  19. Boa, cegueta!
    Ontem era paneleiro, hoje já subi ao pódio do PIMPAMPUM e sou peneirento.
    És o máximo, filho!

  20. Cala-te tú, ó trash bag. Tautologia só com a JASMERDIM PIMBA. Vá treina lá a redaçãozita, com palavras tiradas do pó, a cheirar a mofo.

  21. Ontem e hoje eras e és. És fácil de caír. Cais com vinho e com duas latadas de palha- albarda-se o burro à vontade do dono. É pá, assim és tu.

  22. Ora então cá estou de novo

    Snrs. Doutores em geral, cumprimentos aos demais circunstantes, e abaixo o Inácio.
    Em especial, snr. Doutores Castro e Numbejonada.
    Caro Numbejonada, as minhas profundas desculpas por tê-lo deixado aqui sózinho, debaixo de fogo abundante e de múltipla e ígnara ptoveniência. Penitencio-me profundamente. Logo que possa, irei ler os comentários ( excepto do escarro Inácio, morte ao Inácio ).

    Eu agora dedico-me à denúncia.
    A denunciar escândalos e factos escabrosos.
    Venho então, por este meio, e com legitimidade para o efeito, denunciar a forma escabrosa como o processo sumaríssimo contra o snr. General Basico, foi, vergonhosamente, conduzido pelo querido líder, aquele que brilha mais.
    Um verdadeiro atropelo ao Estado de Direito, e uma vil demonstração da pérfida utilização das manhas processuais, que ele, como ardente paladino do EdD, na cristalina pureza dos seus alegados mais puros desígneos, tanta abomina.

    Volto já e veremos

  23. Já reparaste que o senhor PIMPAMPUM está a ganhar compostura desde que janta com jurisprudência. E mantém a linha.
    Põe os olhos nele, alarve.
    Se quiseres empresto-te um fato. E dou-te umas dicas de ginástica sueca para abateres a pança.

  24. ó pá, até te forneço um bom naco de carne de porco para fazeres crescer essa pila pequena que para além de tal facto, anda encolhida e nem te ajuda a «pensar». Quanto ao bolículos, terás que resolver de outra forma.

  25. Apoiado, Senhor Pimpampum!
    Isto não tem piada nenhuma sem o nosso General!
    Assino uma petição!
    Viva o nosso General Básico!

  26. O senhor Valupi far-me-ia a fineza de me revelar o IP do General Básico que eu queria escrever-lhe uma carta de solidariedade?

  27. Então o processo contra o Basico nasceu assim :

    Estava eu entretido e distraído noutro quadro de comentários ( * ) quando o snr Basico postou algo assim :
    A amazia e she is paid pelo PS anyway.
    Ora isto à primeira vista ( prima facies, como diz a minha prima Inácia ) nada diz.
    Amazia não quer dizer nada, e o resto em inglês, é demasiadamente vago.
    Então, o sr. que brilha mais, puxando, usando, e abusando de manhas processuais, mais próprias de um manhoso Corsário do Despautério Público, do que de um digno representante da bloga, conduziu o snr. General, de espalhanço em espalhanço, até ao espalhanço final.
    Sem dúvida, uma imprudência do sr. General, e uma artimanha do sr. Valupal.

    Mas como é que este ardente defensor do Estado Geral de Direito, do princípio da presunção da inocência e das boas e sadias práticas em geral, lhe deu para inferior que da petição inicial amazia e she is paid pelo PS anyway, se podia inferior que a coisa se aplicava a uma determinada jornalista, a senhora fulana de tal ?

    Já veremos.

  28. Estou a ouvir, cegueta.
    Mas conta direitinho, sem voltas nem contravoltas.
    Quem era a senhora fulana de tal?

  29. Aqui são todos fulanos de tal.
    O senhor fulano de tal Básico. O senhor fulano de tal PIMPAMPUM, cada bola mata um. O senhor fulano de tal Cegueta.
    Tu já reparaste em que já te habituaste a responder por cegueta?

  30. Ora portanto dizia eu, abaixo o Inácio, e já estamos na fase do estatelanço do snr. General

    Que faz então o snr. Valupal ?
    E isso, refira-se, depois de ter, ardilosamente invertido o ónus da prova, pois que da presunção de que nasce a acusação inicial, que era da autoria do brilhante lider, lhe competia o ónus da prova.
    Ora que faz, dis-lhe, ao snr. General, que tem que provar aquilo que diz .
    Como o snr. General, por ingenuidade ou azelhice, provocado e alvo de intolerável pressão, deixou que lhe transferissem o fardo da prova pra cima das costas dele, claro que só lhe restava estatelar-se ao comprido.

    E como age o snr. Valupal ?
    Fixa-lhe um prazo.
    Um prazo, mas que prazo qual carapuça ?
    Um prazo ?
    Um prazo indeterminado, e que começa por, o teu tempo já está a contar ?
    Um prazo, uma ova, que eu quando não trabalhei nas finanças, nunca disses aos meus queridos contribuintes, dou-lhe e tem 5 minutos para apresentar os documentos de prova, as facturas e recibos das despesas de saúde, caso contrário, indefiro-lhe a petição.
    Um prazo pra ser prazo, tem que ser quantificado, e razoável e justo. Digamos assim, entre, no mínimo, 7 dias úteis, e 10 a 15 dias.
    Eu quando não trabalhei na AT, sim que eu sou pintor e escultor, nunca dei menos que 10 dias, prazo geral estabelecido na lei, na falta de prazo mais largo estabelecido na dita, e chegei até a esperar mais de 30 diad prla prova.
    Bom, sem dúvida alguma, falta de talento para juiz, o nosso querido lider, como Juiz, seria assim algo como que uma besta.
    Um bruto, por tal.

    Volto já prá parte final.

  31. Muito me conta senhor PIMPAMPUM.
    Tanta volta para nos confessar que esteve a gozar conosco.
    Que nem é magistrado nem cobrador de impostos mas vem da arte.
    Estou à espera.

  32. Ora então de todo este triste e deplorável acontecimento, reulta que eu vou ao dicionário ver o significado de amazia.
    Única coisa de instrutivo que se aproveita do infelicíssimo litígio.
    Amazia não existe, existe isso sim, amácia.
    Que é sinónimo de amante.
    Eu que não conhecia tal palavra, já fiquei mais erudicto. Grato pois, às circumstâncias.

    Depois que faço eu ?
    Armado em advogado, que ninguém me encomendou o sermão, vou ao PS on line, digo Acção Socialista digital, para ver algo quanto às alegações.
    Ora pesquizando pelos autores dos artigos de opinião, o nome da pessoa em questão, não consta lá.
    Mas convem desde já dizer, que consta o trombil de um tal Querido.
    Esse, e uma tal Estrela Serrano, muito badalada
    aqui pela alegada isenção.
    Depois, resta ver os artigos.
    Ora aqui é que há problema.
    É que digitando F. De Tal no quadradinho que serve de pesquizador, aparecem vários artigos. Mas depois verificando-se qual o nome do autor(a) não é F. de Tal.
    Que sucederá então ?
    Terá sido o informático criador do AS digital, esse tal bosta do Querido, o tal P. Querido que só faz merda, e que no dizer duma blogueira, é o sujeito mais odiado da bloga nacional ?

    É que isto é relevante, poderá o snr. General ter pesquisado à pressa e sumariamente e depois ter sido induzido em erro.

    Ora esse tal P. Querido bosta, segundo a rede, também foi o que registou a Aspirina, é o que consta da análise aos autos, digo, Net.
    E o server, da PT, tanto está em Lisboa como algures entre coisa e Abrantes.

    Volto já para a parte finalíssima

  33. Abrantes?
    Abrantes, disse ele.
    O buzilis está em Abrantes. Bingo!
    Começo entender…

  34. portanto, o que restava ao Brilhante lider fazer, de acordo com o seu receio de cair sob a alçada da justiça.

    C’est facile :
    Bastava dizer :
    Ó senhor fulano de tal, tenha lá o senhor paciência, mas eu vou ter que apagar este seu comentário, que ele pode cair sob a alçada da lei, e quem se coze sou eu.

    Mas não, que fez ele ?
    Não apaga o comentário, e expulsa o comentador.
    Ora como o comentário tá cá, e o comentador já tá lá fora, tá fácil de ver o QUE e QUEM caiu na alçada da Lei.
    Qual Lei ?
    Ora a Lei do legislador Valupi Fernando do Cancioneiro.

    Dir-me-à ele, ó pá, não posso apagar, porque o sistema informático não permite.
    E eu responderei :
    Então não encomende merdas ao Paulino Querido, porque ele só faz merda.
    E de mais a mais, use o senhor e cada qual, umas borrachinas Rotring, que servem para o mesmo efeito.

    Agora parece que acabei.
    Segue para recobro, i.e., recarregar a bateria e depois volto para os vistos e mais deliberações.

  35. Palmas!
    Só não entendi quem está em Abrantes.
    O resto entendi tudo.
    O Básico afinal não é General, é um tal Querido.
    Assim está bem!
    Voto no regresso do Básico.

  36. boa, ó Adelino, afinal sempre existe.
    Não sei que raio de dicionário utilizei que só me deu amásia. Mas eu tou com um tablet, isto é uma droga, se fosse de chocolate ainda dava pra comer :-)
    Assim sendo, mais se complica a situação pró acusador.

    Ó Castro, ainda não deste com a resposta ?

    Em Abrantes, está a persiganga miguelista.

    Rais te parta, homem …

  37. Eu já dei contigo, PIMPAMPUM.
    Vou trabalhar e logo explico-te.
    Sempre disse que o General era o Miguel, ou seja, o Henrique.
    Não percebes nada disto, da pirataria blogosfera,
    Até logo.

  38. E não te esqueças de que isto das ciências filológicas é para gente de bom carácter. Sem carácter, a filologia falha.
    Tu estás a escrever e eu estou a aplicar a filologia.
    Depois explico-te.

  39. «(…) a máquina do partido só terá 4 semanas para tentar vencer as legislativas.»

    Assim se convencem alguns portugueses.

  40. Bom dia, e, naturalmente, abaixo o Inacio.

    Bom dia Manojas
    Speaking of bambochata
    ADENDA: Afinal ontem à sobremesa comi 2 figos.
    Pequeninos e muito madurinhos. Bem docinhos.
    Concordo contigo.
    O melhor foi a bambochata, o que estava por baixo do texto. Esse, sinceramente speaking, nem li. Falando de Figologia, já vou ao Castro.

    Olá Castro, bom dia.
    Então Figologia, dá-me novidades.
    D. Henrique. Ó caraças, não me venhas outra vez qua treta do D. Henrique Hoenzollern Sigmaringen zuck zuck.
    Existe mesmo uma Escola Industrial Infante D Henrique no Porto.
    Ou se já não existe, existiu.
    Os democratas são bem capazes de já a terem entaipado.
    Ou mudaram o nome para Liceu Industrial
    Sei lá.
    Só as moscas é que mudaram.
    Mas eu não estudei lá. Foi noutro lado.
    Como também aboliram os exames, temos os resultados, o Bronquinácio.
    E parece que a revogação teve efeitos retroactivos. Repara bem, então tu relacionas-te com uma besta primária daquelas ?
    Conheces o ditado, ” dis-me com com quem andas …”

    Por último, os primeiros, aqueles que se distinguem pela bravura, e pela sabedoria se conhecem e se revelam, e são credores de reconhecimento embora na maioria das vezes não a reclamem nem a exigam, aqueles que são cobardemente achincalhados na praça pública pelo simples crime de no recato da sua existência terem estudado e aprendido e tentarem explicar aos demais aquilo que para eles é imcompreensível, pois por mais que explique e demonstre, nunca lhe reconhecerão mérito pois que são vis e baixos e embora prostados por terra e completamente derrotados, sempre retorquirão que eles é que ganharam e venceram, e os outros é que perderam, bom dia Numbejonada e o meu agradecimento, vi que ontem, sozinho e galhardamente, distribuiu bem e a todos despachou.
    Pois não está fácil de ver, que um corrupto, coloca-se digamos assim numa posição como que se arrogando de um direito, o direito a ser corrupto, e que como tal, terá que provar aquilo a que tem direito ? Pois que não há direito sem obrigação. E que inexistindo o Direito à Corrupção, e sendo a mesma até punida pelo Direito, o autêntico, o da comunidade que o atrevido ousadamente tenta desafiar, o mais certo é o corrupto acabar por colocar-se ou ter que ser colocado numa incoerente posição ?
    Mas isto não entendem eles …

  41. … deve ser falta de bateria e escolaridade a menos, mas o gajo vai alegar que é falta de manicure nos cascos e que a tablete tem as teclas muito juntas.

    ” dis-me com com quem andas …” – andas com analfabetos, só pode.

    “… não a reclamem nem a exigam…” – não liga muito bem com o que vem a seguir “… terem estudado e aprendido…”, mas paciência… o mundo não é perfeito.

    “… aquilo que para eles é imcompreensível…” – para eles e para a ortografia

    “… prostados por terra…” – efeitos do bitoque rectal com urologista a encavá-lo

  42. O faxineiro Inácio mal se arrasta da fossa. Missão dele : logo que algo de incomodativo surja, baralhar, confundir, achavascar, enxovalhar,
    depreciar, tentar minimizar.
    Trabalho de agenciamento político, o da besta.
    Dizem que bem remunerado, por sinal.
    O coitado do contribuinte paga.
    E como é pobre e uma nulidade insanável, bem tem que se repetir : dois posts e meio.
    E nem assim vai lá …
    O escarro …

  43. o bimbo vem para aqui pregar moral bacoca, defender o bolor do regime e insultar quem pensa diferente com a pesporrência dum fiscal de finanças reformado. leva para tremoços e desata a ganir vitimizações, considerações absurdas fundamentadas resmungos incompreensíveis.

  44. LAMENTO DO ESCARRO INÁCIO

    Eu sou pior que o corrupto
    Eu sou o escarro Inacio
    Vivo no esgoto
    E labuto na sarjeta partdária
    Carrego comigo um cancro
    Que me corrói a alma
    E impudicamente
    O exponho

  45. Se a estratégia advogada para vencer as eleições é a defendida aqui, com as exportações, investimento a subir, desemprego a descer, carros e outros bem a aumentar, podem fazer as malas para mais quatro anos de dizer mal e dor de cotovelo.
    Pode ser que até lá apareçam uns políticos que levem as coisas a sério. Essa de negar o combate a corrupção como prioritária deixou tudo muito pouco fiável. Afinal “eles” até sabiam o que o preso 44 era, pensam eles!! e isso é mau, muito mau!!

  46. “… com as exportações, investimento a subir, desemprego a descer, carros e outros bem a aumentar…”

    oh sr. cristovão, beba tinto que isso passa-lhe. tire o pitroil e vai ver o trambulhão que as exportações deram, se não gostar regue com gasolina e verifique o saldo da fogueira impor/expor. investimento a subir e emprego a descer??? nã tou a ver, deve ser o último outdoor do governo, mas o ine trata disso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.